História A Gata - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Batman, Gotham, Mulher Gato
Personagens Alfred Pennyworth, Barbara Gordon, Bruce Wayne (Batman), Comissário James "Jim" Gordon, Edward Nashton/Nygma (O Charada), Harvey Dent, Oswald Chesterfield Cobblepot (Pinguim), Selina Kyle (Mulher Gato)
Tags Ação, Aventura, Batman, Luta, Mistério, Mulher Gato, Romance, Suspense, Violencia
Exibições 83
Palavras 1.620
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Sejam bem vindos a mais um capítulo, mores!
Esse capítulo ta mais para o "Dia do Escorrega" do que para "Supresas" Kk, bom, leiam e entendam.
Espero que vocês gostem e boa leitura! ❤

Capítulo 6 - Surpresa ruim, surpresa boa


Fanfic / Fanfiction A Gata - Capítulo 6 - Surpresa ruim, surpresa boa

Nao é nenhuma surpresa, eu nao estarei aqui amanhã. Eu nao posso acreditar que fiquei aqui até hoje. Sim, eu e você, será um ato perigoso para seguir. Mas sei que um dia acharemos isso sem nenhuma surpresa.

 

 

6:00 AM

Nao acreditava no que via, eram apenas 6:00 horas e havia acordado com um falatório extremamente alto, porém sabia que aquela nao devia ser a voz de Bruce. Curiosa decidi descer as escadas, vi pés apartir da divisória da sala, me escondi atrás da porta, fiquei observando, era um homem de mais ou menos quarenta anos de idade, ele estava de costas e seus cabelos eram negros. 

-Eu nao acredito no que fez, Wayne. -reclamou. -Pare com essa investigaçao agora mesmo! -ordenou o homem misterioso.

-Sr. BlackBerry, entenda que não posso deixar a Michelle lá. -ele falou nervoso. -Por que se incomoda tanto?

-Michelle deve aprender a lição! -assegurou.

-Aprender uma lição que nao é dela? Isso é uma injustiça. -Bruce contestou.

-O mundo é Sr. Wayne. -assegurou. -Acredita mesmo na inocência dela? -questionou o homem de preto.

-Está duvidando? -perguntou. -Ela é a sua sobrinha! -sua voz parecia ter aumentado o tom. -Desculpa, mas achei que devessemos confiar na familia. -reclamou.

Então quer dizer que aquele Sr. era tio da Michelle? Realmente ela tinha uma família ótima! - pensei em sentido ironico. 

-Essa conversa acabou Sr. Bruce! -ele pôs-se em pé. -Cancele  a investigação, ou entao não pagarei a fiança dela! -ele bateu na mesa a sua frente.

Mas o que mais estranhei foi o fato dele estar incomodado com a investigação, essa gente da alta sociedade é realmente estranha.

Enquanto estava distraída, acabei escorregando e sem querer entrei para dentro da sala, fui encarada pelos olhares confusos de ambos. Juntei as maos, também estava assustada, mordi meu lábio inferior, eu estava assustado, o que diria?

-Vejo que está se preocupando muito bem com a michelle! -riu ironico. 

Ele possuia um bigode, um bigode horrivel.

-Não é o que está pensando. -assegurou.

-Já vi tudo, filho. -ele pegou a maleta e direcionou-se para a saída.

Bruce o seguiu impaciente e eu os acompanhei com o  meu olhar assustado.

-Espera! -gritou. -Ela é a minha meia irmã! 

O Sr. BlackBerry pareceu nao se importar, entao bateu a porta.

Meia irma? -ri cautelosamente. -Ah, meu Deus! Como Bruce foi capaz de inventar isso?

Ele voltou a olhar para mim, mas agora seus olhos estavam mais rispidos do que na noite anterior.

-Satisfeita? -perguntou bravo enquanto se retirava do corredor.

Eu fiquei ali, tentando associar tudo aquilo. Eu realmente havia estragado as coisas, não é? Nem precisava perguntar, já sabia a resposta.

Concluí que o melhor seria voltar para meu quarto. Acho que ainda dava para tirar mais um cochilo.

**********************

Abri os olhos ao ouvir um barulho de goteira que insistia em cair. Estava insuportável, não conseguiria dormir novamente (embora achasse que já dormi demais), e parecia nao só ser uma goteira, mas também um barulho de jato. Levantei-me, após a noite conturbada de ontem finalmente consegui dormir um pouco, mas não mais agora com esse barulho. Estava vindo do banheiro. -caminhei até a porta. -Ora, não podia ter um monstro la dentro. Era melhor que eu continuasse a me concentrar em pensamentos mais reais. Ao abrir a porta deparei-me com o chao completamente molhado, o cano da pia estava jorrando água. -passei as maos pela cabeça tentando pensar em uma forma de resolver aquilo, mas nao achei uma. Fechei a porta e saí. Eu devia chamar ajuda, afinal problemas de encantamento acontecem sempre. - Abri a porta do quarto, permanecia de camisola, pois não tinha o que vestir. Corri pelas escadas e percebi que não havia ninguém na sala. Comecei a chamar pelo nome de "Bruce",  fui até a cozinha e lá o encontrei, parecia concentrado, nao devia ter atrapalhado seu café da manhã.

-Bruce! -exclamei pela última vez.

-O que você quer Selina? -ele pareceu zangado ainda.

-Há problemas com o encanamento do banheiro do meu quarto! -avisei.

-O que? -ele colocou-se em pé como se estranhasse aquela situaçao.

-Patrão Bruce, devo lembrá-lo que tem reunião hoje as nove com o Sr. D'onovan! -lembrou Alfred.

-O Henry? -perguntei surpresa.

-Sim. -respondeu Bruce. -Sobre o caso da Michelle. -assegurou. -Agora me diga o que há de errado com o banheiro!

-Venha!

Caminhei para fora da cozinha e ele me acompanhou.

Quando chegamos ao quarto ele foi direto ao banheiro, analisou bem a situação e depois virou-se para mim.

-Temos que chamar um encanador! -alertou.

Eu olhei aquele chão completamente molhado, Bruce começou a puxar um pouco da agua com o rodo. Estava curiosa e dei um passo a frente, mas quando encostei meus pes na água gelada logo desiquilibrei-me, por pouco nao escorreguei, mas Bruce abordou minha cintura nao permitindo que eu caísse, afinal ele estava de sapato e tinha menos chances de escorregar. Logo me direcionou para o quarto a fim de me deixar em segurança.

-Está louca? -questionou. -Poderia ter caído! 

Ele levava as coisas muito a sério, não era como se fosse o fim do mundo.

Em seguida o segui até a porta do quarto, estávamos passando pelo batente, quando meus pés ainda umidos escorregaram no chao liso, agarrei-me a Bruce inpensavelmente, pois não queria cair, ele também pareceu desiquilibrar-se. Aconteceu tão rápido que mal pude assossiar, eu acabei por cair por cima dele, e ele agora segurava em minha cintura e eu coloquei minha mao sobre seu peito, nossos rostos a um centímetro e meu corpo estreitou-se sobre o seu. Tentei recuar, mas já estava muito longe para voltar, eu nao sei quem desfaria aquela situaçao, mas estava sem graça para isso. Tentei afastar meu olhar, de repente ouvimos um tossido forçado entao olhamos para baixo da escada. Eu acabei me levantando tão depressa que minha mente pareceu girar, um homem de braços cruzados e expressão séria nos esperava ao último degrau, era o Henry. Senti um frio percorrer meu estomago, fiquei sem graça por ele ter visto aquilo, afinal ele deve ter pensado que eu passei a noite com Bruce.

-Acho que cheguei em uma hora inoportuna. -ele pegou a maleta insinuando sair.

-Não! -gritei e desci as escadas o mais depressa que pudia. -Espera! Eu, não aconteceu nada!

-Eu nao sou tolo, Selina! -ele parecia zangado. -Talvez devemos tratar isso em uma outra hora, Sr. Bruce. -ele olhou para o mesmo com certo ódio.

-Sem problemas. -respondeu irônico.

E eu o olhei com aquele olhar que dizia "Eu vou estrangular você! Por que está fazendo isso?". Hery deu as costas um tanto magoado. Não me importei com Bruce eu só pensei em segui-lo.

-Henry! Espera! -coloquei as maos nas pernas tentando recuperar o fôlego.

-Esperar pra que? -ele virou-se para mim. -Para assistir voces tirando a roupa?

-Está exagerando! -bufei.

-Eu? Eu estou exagerando? -revirou os olhos. -Isso é ridículo! Você, você está de camisola aqui fora! 

Eu olhei para meu corpo, de fato era verdade. Cocei a nuca, ele tinha razão, tudo indicava que eu estava vivendo um romance com Bruce, mesmo que não fosse assim.

-Mas você, você me disse que nós passariamos apenas aquela noite juntos e depois cada um seguiria o seu caminho! -reclamei aflita.

-Nao importa o que eu disse!

-O que isso quer dizer? -perguntei.

Ele apenas revirou os olhos e deu as costas para mim.

-Como acha que eu fiquei com ele sendo que na noite anterior a de ontem eu fiquei com você? -nesse momento ele parou. -Eu nao sou assim! -afirmei, então ele virou-se como se ja estivesse farto dessa discussão.

-Então explica o que aconteceu... -falou como se aquilo não houvesse uma explicação, ele queria me colocar contra a parede, senti isso.

Balbuciei tentando explicar.

-A gente escorregou. -disse confusa.

Ele balançou a cabeça como se desacreditasse, em seguida olhou para o relogio no pulso.

-Você vez eu perder uma reunião. -apontou para a mansao e cruzou os braços chateado.

-Ah é? -dei alguns passos a frente, agora estava perto o suficiente para encará-lo, sabia perfeitamente bem como provocá-lo e parar esta discussão. -Porque você me faz perder a cabeça todos os dias. -sussurrei ao seu ouvido.

Quando afastei-me encarando seu olhar novamente ele envolveu sua mao em minha cintura e me prendeu fortemente contra seu corpo, em seguida precionou seus lábios contra os meus e permiti sua passagem com a língua. Um êxtase enorme se apoderou de meu corpo, é como se eu revivesse todos aqueles momentos ao seu lado, eu sentia falta dele, só precisava lembrar o quanto era bom tê-lo.

Ele me soltou fortemente e me encarou serio.

-Você é só minha, Selina! -ela agarrou em meu braço, eu sorri como se confirmasse aquelas palavras.

Ele tirou o palitor e o envolveu envolta de mim.

-Vamos para casa! -Henry abriu a porta do carro, então assegurei balançando a cabeça e entrei sem pensar duas vezes.

*********************

Chegando ao apartamento tirei o seu palitor de meus ombros, Henry não disse nada durante o trajeto, também, o que diria ele depois daquilo tudo? -suspirei e encarei a cama, sorri ao lembrar de tudo o que a gente vivera ali. - Em seguida tornei a olha-lo, ele parecia querer dizer algo.

-Promete que nunca mais vai voltar para ele? -questionou enquanto encostava sua mao em meu rosto.

-Eu nunca fui dele. -assegurei.

Em seguida ele beijou-me, eu entreguei-me aquele sentimento, estava com saudades do seu beijo, do cheiro,  de seu abraço e tudo que o incluise. Nós fizemos amor e mais uma vez foi maravilhoso. Lembrei sobre o que Bruce disse, sobre nao deixar as pessoas que são especiais para mim partir. Afinal, eu só queria me sentir especial e me sentir em casa.


Notas Finais


~Que esses casais sejam disfeitos e que Bruce e Selina fiquem juntos logo. Amém! Kkk 😂😂


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...