História A Gata - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Batman, Gotham, Mulher Gato
Personagens Alfred Pennyworth, Barbara Gordon, Bruce Wayne (Batman), Comissário James "Jim" Gordon, Edward Nashton/Nygma (O Charada), Harvey Dent, Oswald Chesterfield Cobblepot (Pinguim), Selina Kyle (Mulher Gato)
Tags Ação, Aventura, Batman, Luta, Mistério, Mulher Gato, Romance, Suspense, Violencia
Exibições 50
Palavras 1.347
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Saiu capitulo novo! Aeeeee! 😂😂
Espero que gostem! Rsrsrs ❤

Capítulo 9 - Ecos da Morte


Fanfic / Fanfiction A Gata - Capítulo 9 - Ecos da Morte

Nós chegamos tão perto do para sempre, e agora o sempre acabou e nem felizes podemos ser. O que está acontecendo? Porque o meu amor está ecoando por todo o quarteirão.

 

 

Corri até a próxima esquina o mais rápido que pude. Bruce estava prestes a fazer uma burrada, tinha de impedi-lo. Tentei ligar para ele, mas só caia na caixa postal, então testei Henry.

-Selina! Aconteceu algo? -perguntou ele de prontidão como se ja advinhasse que era eu ao outro lado da linha.

-É sobre o caso da Michelle. -comentei. -Acho que isso é uma cilada.

Ele parou por um minuto como se tentasse raciocinar  tudo aquilo e depois riu.

-Por que voce está rindo? -perguntei seria.

-Cilada? Cilada pra quem Selina? A menina foi sequestrada! -ele continuou a rir.

Balbuciei.

-Ja pensou que isso pode não ser sobre a Michelle? -perguntei brava.

-O que? -Ele pareceu confuso.

-E se ela for só uma isca?

-Isca? Isca pra quem?

-P-Por exemplo para o Bruce!

Ele confuso, nao disse nada.

Mas de repente, de repente eu havia criado uma possibilidade magnifica em minha mente. E se isso fosse verdade? Seria loucura?

-Eu nao entendi ainda, Selina.

-O Sr. BlackBerry, ele pode estar usando a Michelle como isca para o Bruce. -minha voz ficou tremula de repente.

-Que absurdo! -replicou. -Como ele usaria a própria sobrinha?!

-Eu nao sei. -disse tentando manter a calma. -Eu o vi entrar no local em que ele disse que a Michelle estava, eu o vi conversar com dois homens suspeitos e eu vi ele se negar a pagar a fiança da Michelle e negar a investigação naquela epoca. -suspirei cansada. -Ele nunca me pareceu um cara de  confiança.

-Selina! Eu estou aqui na delegacia e o Sr. BlackBerry está passando as informações ao Jim, então tira essa ideia da cabeça! -ele falou preocupado.

-Eu nao sei. -neguei com a cabeça, sentando-me a calçada.

-Foi um bom raciocínio, mas sai daí e volta pra casa! Não quero te ver no meio disso. -assegurou.

Eu queria obedecer, gostaria de dizer que a voz dele me acalmou e me deixou segura como em todas as outras vezes. Mas nao foi assim. Eu sentia uma aflição, meu eu dizia que estava certa, que devia insistir nisso.

-Sinto muito. -falei com um tom de lamento -Eu nao posso. -desliguei o celular.

Tentei me acalmar respirando fundo diversas vezes, além de Bruce correr perigo, havia brigado com Henry, hoje não era o meu melhor dia.

Levantei a cabeça para o lado, de onde eu estava era possível ver o galpão. Então levantei ao ver o tio de Michelle entrar novamente, ah, meu Deus! Era ele! Como ele havia chegado tão rápido? O que estava acontecendo? Ele não estava na delegacia? -quanto mais perguntas se acumulavam em meus pensamentos, mais minha aflição aumentava. - Quando Bruce chegasse devia estar aqui para impedi-lo, eu nao sei se ele me ouviria, mas devia tentar. Ah, ja nao sabia mais o que se passava.

Meu coração acelerou quando vi os pés de Bruce aproximarem-se do lugar. Então aproximei-me dele.

-Bruce! -corri em direçao a ele.

-Selina, o que faz aqui? -Ele pareceu surpreso.

-Não entra! -disse ao encostar em seu braço. -Por favor, eu estou te pedindo! Não vai lá! -tentei impedi-lo, mas de fato estava decidido.

-Selina! Tenho a intenção de ir. -ele tentou livrar-se de mim, quando por fim conseguiu.

-Entao, eu vou com você! -retruquei.

Não podia deixá-lo ir sozinho.

-Você não vai, não. -assegurou.

-Tem ideia de como entrar aí? -questionei.

-É... Selina! O Henry disse para você se manter afastada!

-E daí? Eu nao quero! -o encarei de forma franca.  -Já sei como entrar! -completei ao juntar as maos.

*******************

Ele não teve escolha, precisou aceitar a minha ida. Com a minha ajuda ele entrou no galpão, estava feliz por não ter o deixado entrar só e por ter conseguido o que queria, mas também com medo. O galpão era vasto e não era amplo em visão, havia alguns corredores estranhos e escadas. Caminhamos por ali em baixo e nao havia ninguem, ela só podia estar lá em cima. Mas Bruce parou por um instante e voltou-se para mim.

-Eu nao posso deixar você fazer isso. 

Franzi a testa tentando entender aquelas palavras.

Quando Bruce fez um olhar de pena e levantou a mao para mim, senti ela colidir contra meu nariz, o impacto fora tao forte que nao suportei, acabei por desmaiar.

*******************

Acordei com uma luz forte em meu olhar, quando minha vista se acostumou com aquilo foi que minha mente retomou os sentidos. Eu olhei para mim mesma e estranhei ao ver aquela cena, estava sentada sobre uma cadeira e presa com uma corda em volta. O que era aquilo? Por que estava presa? E por que Bruce me bateu? -tentei me soltar, mas a corda era forte. - Olhei para o alto quando escutei uma voz.

-Se você der um passo a frente, eu atiro! 

Não era a voz de Bruce, parecia que algo estava precionado contra a boca de quem falava, deveria ser um dos capangas.

Ele não me deixou subir com ele! -ainda tentava me soltar, mas parecia ser inútil. -O -que significava aquilo? Bruce havia me traído? Em pensar que pensei a toda hora nele...

Ouvia algumas vozes ainda, o eco do lugar me permitia escutar mais ou menos o que estava acontecendo.

Quando ouvi a porta do balcão abrir, me encolhi na cadeira, parei de tentar me soltar e de fazer barulho. Devia ficar quieta, só agora tinha noção do quao perigoso foi topar essa ideia. Minha pele ficou gelida. Com cautela inclinei-me sobre uma divisória para observar, a porta não havia sido aberta, mas sim arrombada e aqueles sapatos... Só podiam ser de Henry! O que ele estava fazendo aqui? Ah, meu Deus! Ele estava aqui por mim, tinha certeza. Que foi que fiz? Agora mais do que nunca precisava soltar-me.

 

(Narrador) 

Henry subiu as escadas desesperado para encontrar Selina, não havia percebido que ela estava no térreo. Sacou a arma e ao subir as escada deparou-se com dois capangas apontando a arma para Bruce, quer dizer, agora os dois apontavam as armas para ambos enquanto Michelle estava amarrada a uma cadeira e amordaçada. Henry viu-se obrigado a soltar a arma ao chao, não tinha muita escolha.

Um dos capangas chegou mais perto de Bruce apontando a arma para ele, o obrigando a caminhar para uma direção contrária. Porém Bruce, com sua habilidade, quando o assassino apontou a arma em sua direçao, ele desviou sua cabeça para um lado e afastou a arma. Viu que o outro capanga atiraria nele e rolou para trás da cadeira de Michelle, assim este acabou por acertar a bala na parede. Escondido atras da cadeira atingiu com um tiro o capanga que ele havia derrubado, depois quando o capanga restante pensou em atirar em Henry surpreendeu-se ao ver que ele já tinha uma arma apontada para sua fonte e havia sido mais rápido ao puxar o gatilho, entao o segundo capanga caiu ao chao.

-Conseguimos!  -comemorou o advogado ao perceber que os capangas estavam mortos ao chao.

Bruce saiu detrás da cadeira, o coração de Michelle acalmou-se aos poucos ao perceber que estava salva e em seguida ele lhe tirou a mordaça e soltou seus braços que estavam presos com a corda. Eles deram um abraço profundo, enquanto que Henry encaminhou-se até a janela.

-A polícia está virando a esquina! -contou ele enquanto os ponbinhos abraçavam-se.

Michelle curiosa correu para a janela para comprovar a chegada da policia, Bruce ficou de costas para a porta e o advogado aproximou-se dele.

-Finalmente! -falou Bruce aliviado.

​Mas para a surpresa de Henry que o viu, o Sr. BlackBerry entrou pela porta armado, e vendo aquela cena o advogado nao pensou em dizer mais nada a nao ser gritar:

-Bruce!

Selina já no térreo estava desesperada por ter ouvido os disparos anteriores e ao ouvir este último sentiu uma forte pressão em seu coraçao, ficou preocupada e angustiada. O que estava acontecendo? Quem havia sido baleado?


Notas Finais


~Sr. BlackBerry tem um Doppellganger?
~Por que Bruce Wayne bateu em Selina?
~Quem levou o tiro?
Amanhã, no Globo Repórter! Hausuahusa


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...