História A Girl Like Me - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Katy Perry, Rihanna, Selena Gomez
Personagens John Mayer, Katy Perry, Rihanna
Tags Jaty, Katyanna, Katycats, Navycats, Navys, Rihkaty, Romance, Traição
Exibições 110
Palavras 4.206
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Leiam as notas finais please<3

Capítulo 25 - Love in secret



                Katy •

        
        Minha vida só não estava perfeita porque eu ainda continuava casada com John.Porque tirando isso, eu não precisava de mais nada.Passava a maior parte do tempo com Rihanna, seja trabalhando ou fazendo outras coisas.Minhas filhas estavam bem, quero dizer, Camille parecia meio para baixo, mas ela nunca me contava nada, então eu não tinha como ajudar.Millena estava a felicidade em pessoa, e confesso que eu estava gostando muito de vê-la daquele jeito, mesmo o motivo de toda a sua felicidade ser Samara, eu havia me conformado com a situação.


        Depois do almoço de inauguração do loft de Rihanna, eu fui para casa, organizei algumas coisas, dei tchau para as meninas que foram a uma festa e fui tomar meu banho.A semana havia sido corrida, e nada melhor que um bom banho de banheira para relaxar.Coloquei uma boa música para agradar meus ouvidos e entrei naquela água maravilhosa.


        Eu estava de olhos fechados, pensando em como o trabalho que eu havia feito tinha ficado bonito.Em como o loft conseguiu ficar a cara da Rihanna, em como eu estava feliz com ela em minha vida…


        -Pensando em mim Katy?-Eu levei um susto ao ouvir sua voz.Ela estava parada na porta de meu banheiro, encostada ao vão da porta, como se já me observasse a um bom tempo.


        -Que susto! - Eu não tive como não sorrir. - O que está fazendo aqui?


        -Vim te buscar, para jantar comigo. - Ela sorriu daquele jeito que só ela sabia fazer. - Mas acho que você está precisando de ajuda ai… - Ela disse totalmente sexy já tirando a blusa e vindo em minha direção.


        - É… - Eu sorri de canto para ela. - Preciso? - Ela tirou seu sutiã.


        -Tenho quase certeza que sim… Mas se me dizer que não… - Ela abaixou sua calça junto com sua calcinha até o chão. - Eu vou ter que dizer que na verdade quem precisa de ajuda sou eu… - Ela entrou na banheira e se sentou. -Mas no final, não vai ter muito diferença… - Ela subiu em cima de mim e segurou meu rosto com as duas mãos.


        -Talvez… - Tentei beijar seus lábios, mas ela recuou. - E como você vai me ajudar? - Eu disse baixinho com os olhos fixos em seus lábios.


        -Que tal assim… - Ela desceu uma de suas mãos até minha intimidade, sem parar de olhar em meus olhos.Eu soltei um gemido curto com seu contato e mordi meu lábio sorrindo.


        -Acho que pode ficar melhor… - Eu disse com meus lábios colados nos dela.


        -Melhor assim?… - Ela me fez soltar mais um gemido ao penetrar em mim.


        -Não… - Eu mordi seu lábio. - Melhor assim… - Eu beijei seus lábios com vontade, desci uma de minhas mãos e a toquei do mesmo jeito que ela fazia comigo, com fome, mas ao mesmo tempo com carinho.


        Nos amamos naquela banheira como se fosse a primeira vez.Tudo era sempre tão gostoso, tão divertido e incrível.Seus toques, seus beijos, seus gemidos…Tão meus, mais ou mesmo tempo tão distantes de mim.Queria poder fazer amor com ela todos os dias, e quantas vezes eu desejasse, sem ter que me apressar com nada, ou me preocupar…


        -Não estou desprezando sua linda banheira, mas vamos ter que sair,temos um jantar a nossa espera e algumas surpresas para você. - Ela disse ao se levantar.


        -Surpresas? - Eu disse feliz ao me levantar.


        -Isso mesmo. - Ela me entregou uma toalha.


        -Que surpresa? - Eu disse ao me enrolar na toalha.


        -Surpresas Katheryn,surpresas. - Ela disse meio debochada. - Vem, vamos nos vestir. - Ela disse ao terminar de catar suas roupas do chão do banheiro.


        Assim que entrei em meu quarto havia uma roupa em cima de minha cama.Roupa da qual não lembrava ter colocado ali.


        -Eu não coloquei essa roupa ai.


        -Eu que escolhi para você. - Ela disse logo atrás de mim secando seus cabelos com a toalha.


        -É aquela roupa que você me deu quando ainda estava aqui em casa. - Eu sorri ao reconhece-la.


        -Isso mesmo.Eu sabia que você havia entendido, e que não usaria ela se não fosse uma ocasião especial. - Ela sorriu maliciosamente para mim. - E hoje é o dia de você usar. - Ela veio até mim e me abraçou por trás beijando meu ombro. - Quero você mais linda do que o costume.


        -Eu posso pelo menos saber o porque?


        -Já disse, vai jantar comigo.


        -Em um restaurante? - Eu me virei para ela, colocando minhas mãos sobre seu ombro, enquanto ela segurava em minha cintura.


        -Hum… Não, lá em casa mesmo. - Ela sorriu maliciosa.


        -Então vamos logo. - Eu a empurrei com cuidado. - Que eu to ficando nervosa de tão curiosa.


        Nos arrumamos juntas.Entre brincadeiras, beijinhos e olhares.Só aquela mulher mesmo para fazer eu me sentir tão completa… E olhando para minha vida, eu me pergunto como me deixei levar por tanto tempo.Como me casei com ele, mesmo amando ela.Como pude abandonar meus sonhos por alguém que nem mesmo me escuta ou me entende.E como pudia ainda está com John e ainda vivendo uma vida que não era minha.


        -Eu quero que você fique de olhos fechados ok? - Ela disse antes de abrir a porta do loft.


        -Jura? - Eu disse ansiosa.


        -Juro… E não vai ser por muito tempo…


        -Não sei porque esse mistério todo Rih… - Eu disse como uma criança.


        -É por uma boa causa. - Ela entreabriu a porta. - Vai fecha os olhos.


        -Está bem… - Eu os fechei, mas dei uma espiadinha assim que ouvi a porta se abrir.


        -Sem espiar Katy! - Ela colocou a mão em meu rosto.


        -Ta bem… Mas como vou saber para onde ir? - Eu ouvi ela bater a porta.


        -Eu vou te guiar… - Ela se colocou atrás de mim, tampou meus olhos com suas mãos e foi me levando até onde ela queria.Eu só sabia que estávamos do lado de fora pela brisa gelada que o mar trazia. - Não abre ainda, deixa só eu ascender a luz. - Ela tirou as mãos dos meus olhos, fiquei tentada em olhar, não não olhei. - Pronto, pode abrir.


        Era o tal cantinho misterioso que Rihanna havia pedido para eu não mexer.O cantinho que estava coberto por um pano branco mais cedo na hora do almoço.O tal cantinho que eu não podia nunca nem chegar perto.O cantinho havia se transformado em um sala toda de vidro, teto, porta, parede.E dentro dele haviam varias coisas de desenho e pintura.De imediato eu realmente não entendi aquilo.


        -Uau, ficou maravilhoso. - Foi o que eu disse. - Mas… - Ela riu ao ver minha cara de duvida.


        -Entra… - Ela me deu passagem entrando logo atrás de mim.


        -Essa sala ficou… incrivelmente perfeita… Mas eu realmente não estou entendendo.


        -É para você Katy… -Seu sorriso era o mais lindo de todos. - Esse canto aqui é seu, só seu… - Eu fiquei sem palavras. - Um pequeno estúdio com uma vista privilegiada.


        -M-meu?… - Eu não sabia o que dizer, estava sem ar e olhava cada cantinho daquele lugar perfeito.
O estúdio era realmente incrível.Todo de vidro, dando realmente uma vista privilegiada.A iluminação era ótima, o espaço também.Tinha mesa para desenho, um cavalete para pintura, telas em branco, cadernos, tintas, lápis, uma estante com revista e livros, entre outras coisas mais.Rihanna realmente havia pensando em tudo, em cada detalhe, aquele era sem duvidas o melhor presente que eu já havia ganhado.


        -E ai… gostou? - Ela perguntou depois de um tempo com certo medo.


        -Eu… - Eu olhei para ela com um sorriso de orelha a orelha e a abracei com força. - Eu não sei o que dizer! - A soltei do abraço e segurei em seu rosto com minhas mãos. - Esse é o presente mais incrível que eu já ganhei na vida. - Eu ainda sorria como uma criança em uma noite de natal. - Me sinto… Não sei como explicar, mas sinto como se pudesse voar… - Eu beijei seus lábios com felicidade. - Você é perfeita! - A abracei outra vez.


        -Posso ser muitas coisas… - Ela se separou do abraço, mas continuou com uma de suas mãos em minha cintura. - Mas perfeita ainda não sou…- Ela disse com aquele sarcasmo sexy e piscou para mim, o que me fez sorrir ainda mais - Só quis te dar algo realmente seu Katy… Algo que você fosse realmente usar com prazer… Além de mim claro… - Eu sorri com seu ultimo comentário.


        -Obrigada Rih...Eu nem mereço nada disso, nem sou tão boa amante assim… - Eu sorri com maldade para ela.- Mas mesmo assim… Obrigada, não só por isso, por tudo…


        -Sei que vai sair bem clichê, mas vou dizer do mesmo jeito… Seu sorriso é tão gratificante, que eu faria qualquer coisa para vê-lo todos os dias.


        -Mas você o vê todos os dias… - Eu soltei uma risadinha com um sorriso no final.


        -Mas não esse ai que estou vendo agora.Esse ai que é só meu, de mais ninguém. - Ela sempre falando com aquela autoridade. - Esse sorriso que foi eu que fiz.Que foi eu quem causou… Esse prazer que sinto ao ver esse sorriso… É… inexplicável, incomparável… - Ela sorriu antes de me dar um beijo selado. -Casa comigo,casa? - Ela disse baixinho com a testa colada na minha. - Casa comigo que eu juro que te faço sorrir assim todos os dias…


        -Só sorrir? - Eu disse mordendo seu labio inferior a fazendo rir.


        -Claro que não, só estou tentando ser romântica  - Ela me abraçou pela cintura com força. - Mas fica tranquila, que se você se casar comigo eu te faço sorrir todos os dias, mas te faço gozar pelo menos três vezes ao dia… -Ela passou a pontinha da língua em minha orelha antes de dizer baixinho. -Gozar sorrindo que é ainda melhor.


        -Assim é maldade…


        -Não… Eu estou falando sério! - Ela se separou de mim olhando fixamente em meus olhos. - Larga ele e casa comigo.Você sabe que vou te fazer a pessoa mais feliz do mundo.


       -Isso é sério?


        -Mais que sério! - Ela estava determinada. - Casa comigo Katy? -Me deixou sem palavras pela segunda vez em menos de dez minutos. - É uma simples pergunta… que só precisa dizer sim ou… não…


        -Eu não… - Eu engoli a seco sentindo meu coração martelar em meu peito.Um filme passou em minha cabeça me fazendo voltar ao passado, naquela cena em que vi Rihanna sentada na escada com lagrimas nos olhos totalmente vulnerável  a ultima vez que a vi quando jovem. - Caso! - Eu sorri aliviada, a fazendo sorrir do mesmo jeito. - Eu me caso com você Rih!


        Acho que quem ficou sem palavras dessa vez foi ela.


        Ficamos nos olhando por alguns segundos, ambas sorrindo e rindo ao mesmo tempo.Como se tentássemos absorver toda aquela felicidade que estava no ar, saindo da gente como um brilho infinito… Nos beijamos com um beijo selado mas bem demorado.Nada mais era preciso naquele momento, apenas a proximidade de nossos corpos abraçados e nossas bocas coladas.Não sei se durou dez segundos ou dez minutos.Mas o tempo foi bem aproveitado para conseguirmos absorver aquela nova coisa entre nós.


        -Eu juro que te amaria aqui mesmo agora, nesse lugar, em cima da mesa, no chão ou na parede. - Eu conssegui sentir o desejo em sua voz. - Mas eu fiz o jantar, e quero comer com você…


        -Você fez o jantar? - Eu achei aquilo engraçado.


        -Fiz… Segui uma receita que vi na internet, confesso que está muito bom.


        -E o que foi que fez?


        -Camarão… Não lembro o nome da receita, mas tem molho branco e muito camarão. - Ela disse totalmente sexy.


        -Não fala desse jeito Rih… Se não vou ter que recusar o camarão e vou direto para o prato principal. - Eu molhei meus lábios.


        -Então vamos comer, antes que minhas horas na cozinha tenham sido em vão…


        Que noite maravilhosa era aquela? Um estúdio de presente, um pedido de casamento, um jantar delicioso a luz de vela naquela varanda em frente ao mar, uma conversa maravilhosa sem fim, olhares de tirar o folego, carinhos em baixo da mesa, e um beijo para sobremesa.Eu nunca senti essas coisas na vida, nunca fui tão amada como era com ela, nunca fui tão desejada, e nunca foi tão recíproco.Aquilo sim era ser feliz, aquilo sim era amor de verdade.Rihanna e eu nos amamos com carinho, nos comemos como animais, depois nos amamos como animais e nos comemos com carinho.Com ela era tudo sempre… tudo muito bom… tudo muito gostoso… tudo muito tudo.Não tinha como não ama-la, como não me sentir a mulher mais poderosa de todo o mundo… Seus beijos, suas caricias, suas palavras, fossem elas de amor ou palavões, todas sempre me faziam me sentir esplêndida.


        Depois de estrearmos de fato todos os cantos daquele loft, tomamos um banho gostoso, nos jogamos em sua cama ainda nuas e apagamos abraçadas como se nunca mais fossemos nos ver.



          Millena •

        Sem ao menos pensar, Samara e eu fomos para minha casa.No caminho trocamos algumas palavras, entretanto em momento algum falamos sobre oque iriamos fazer.Mas a gente sabia, sabíamos o que ia rolar, sabíamos e queríamos.Meu pensamento estava longe, ou melhor perto.Samara estava ao meu lado, olhava para mim a cada segundo com um sorriso tímido no rosto, assim como eu.Sempre me lembro do passado, em como eu a queria longe de mim, hoje em dia, quando ela está ao meu lado eu já acho longe.


        Chegamos no condomínio, o taxi parou em frente à minha casa, segurei em sua mão tentando passar confiança, mas acho eu estava mais nervosa que ela.


        -O que … que vamos fazer agora? – Sussurrei ao lado dela ao caminharmos em direção a porta.


        -Eu não sei.O que quer fazer? - Olhava para mim demonstrando o quão tímida estava naquele momento.


        -Vamos - Pensei em milhares de coisas - Podemos assistir algum...


        -Filme - Completou o que eu iria dizer.


        Entremos em casa em passos leves.Eu sabia que minha mãe não estava em casa, mas confesso que gritei por ela na sala só para ter certeza que estávamos sozinhas.Samara estava tensa, parecia que queria dizer algo, porém se manteve calada por alguns minutos.


        -Está tudo bem amor? - Acariciei sua mão que eu ainda segurava.


        -Es-tá tudo, tudo bem sim…


        -Estou me sentindo uma idiota… - Sorri para ela, subindo a escada.


        -Não está sozinha nessa. – Ela riu ao subir comigo.


        Minha cabeça estava girando, eu não sabia se realmente colocava um filme para ver, se saia agarrando ela assim que entrássemos no quarto, ou se simplesmente… deixava acontecer…


        Chegando em meu quarto eu ascendi a luz e tranquei a porta, estávamos sozinhas, mas mesmo assim era melhor prevenir.Senti frio em minha barriga, minhas mãos gelaram, e meus pensamentos estavam coberto de expectativas.Será que ela sentia a mesma sensação, será que estava tão ansiosa como eu?


        Samara se sentou em minha cama enquanto eu fui procurar o controle da televisão.Eu realmente não fazia ideia de onde ele estava.


        -O que está procurando? – Ela perguntou com a voz tensa.


        -O controle… Será que Camille roubou outra vez? Maldita! – Eu parei de procurar me encostando a penteadeira.


        -Você quer muito ver televisão?


        -Não sei… Você não quer? – Eu disse nitidamente nervosa.


        -Sei lá.


        -Você não está ajudando Samara! – Eu disse mais nervosa que antes.


        -Olha, vamos tentar relaxar ok? – Ela se levantou, veio em minha direção e pegou em minha mão. – Eu vou tomar um banho no seu banheiro, enquanto isso você… – Ela pareceu não saber o que dizer. – Você faz o que achar melhor. – Ela sorriu maliciosamente e foi para meu banheiro me deixando sozinha naquele quarto enorme.


        Eu estava me sentindo ainda mais idiota.Lembro  que era tão fácil brigar com ela, era tão fácil ofende-la.Eu era tão determinada quando se tratava de uma discussão.Mas agora? Que as coisas são bem mais simples, e mais gostosas também, eu fico agindo como uma retardada que não sabe o que fazer.Estou com ela a mais de um mês, as vezes parece que estamos juntas desde a eternidade, mas as vezes, parece que só faz cinco minutos, como naquele momento em que não fazia ideia de como agir.Respirei fundo e pensei em mim mesma antes de estarmos juntas.Tentei lembrar de como eu conseguia agir, em como eu consegui ser tão corajosa, e como era fácil fazer o que vinha a cabeça, sem medo de errar ou de exagerar… Foi ali, naquele momento em que senti algo queimar dentro de mim, a coragem veio com tudo, eu tinha que ser eu mesma, apenas isso.


        Liguei o som em um volume mediano, ajeitei minha cama e deixei o quarto a meia luz, não tinha que ter medo do que ia acontecer, eu sabia que ela queria tanto quanto eu.E ficar com vergonha não ia ajudar em nada.


        Eu tirei minha roupa, ficando apenas de calcinha, caminhei lentamente até o banheiro e abri a porta com calma.Lá estava ela, atrás daquele vidro molhado, se banhando como uma sereia.Seu copo ainda não era nítido, apenas sombras e imaginação.Confesso que paralisei um pouco, não sabia se falava ou se só entrava dentro do box, mas tentei me manter firme e fui dando pequenos passos sem dizer nada.


        Quando estava próxima o suficiente para abrir a porta de vidro, Samara se virou a abrindo primeiro, seu sorriso era de orelha a orelha.


        -Pensei que não viria nunca… – Ela disse ao pegar em minha mão e me puxar para dentro.


        -Sem rodeios a beijei com vontade, queria poder descarregar um pouco toda aquela energia.


        Seu corpo estava nu e molhado, seus seios se encostaram nos meus, sua barriga na minha… Minhas mãos em suas costas… Tudo aquilo era tão delicioso, tão perfeito… Samara se separou do beijo com calma, mas ainda permaneceu com seus braços em minhas costas.Me olhou com aquele olhos verdes e aquele sorriso de tirar o folego.


         -Eu vou dar banho em você… – Ela disse como uma criança feliz me soltando. – Vai… tira isso. – Ela mesma abaixou minha calcinha até o chão, se levantando em seguida e me empurrando para o chuveiro. – Vou fazer como fazia com minhas bonecas. – Ela disse com um sorriso na voz.


        -Não quero ser sua boneca. – Eu disse também como uma criança.


       -Quer sim. – Ela sorriu ao pegar o shampoo. – Depois de hoje você não vai mais querer outra vida, pode ter certeza. – Ela disse rindo e colocando o shampoo em sua mão. – Vem, vou lavar seus cabelos, se vira.


        Fiquei de costas para ela, sentindo seus toques em meus cabelos… delicados, mas firmes… mãos perfeitas.Depois foi a vez dela, eu fiz questão de entrar com tudo na brincadeira e também lavei os seus.Estávamos rindo, e fazendo penteados com a espuma e dançando com a música que estava de fundo.Parecíamos duas crianças de sete anos quando tomam banho juntas.Estava divertido e engraçado.


        Depois chegou a hora do sabonete, mas preferimos fazer nós mesmas.Eu me ensaboei e ela, ela mesma.Nos enxaguamos como disputando a água, como duas meninas brincando.Eu a empurrava, enquanto ela tentava me fazer cócegas.Nunca havia tomado um banho tão bom em minha vida…


        Entre risadas, banho tomado e brincadeiras, nós nos olhamos um pouco sem folego pelas cócegas.


        -Eu amo você. – Eu disse ainda sem ar olhando em seus olhos, um sorriso lindo se abriu em seus lábios.


        -Eu também, também amo você. – Foi o que ela disse antes de vir para cima de mim e me beijar com tudo.


         Samara me encostou na parede e me beijou com tanta vontade que eu quis entrar dentro dela.Nossas bocas se moviam rápido e com desejo.Nossos corpos colados um no outro, aquilo era coisa de outro mundo.Com uma mão eu busquei a bica do chuveiro para fecha-la, com a outra eu apertava suas costas querendo fazer nossos corpos serem apenas um.Abri a porta do box entre beijos, quase caímos ao sair de dentro dele.Não queríamos nos largar, era como se estivéssemos em fusão.Fomos derrubando quase tudo pelo caminho, foi mais difícil do que eu pensei, achei que não iriamos conseguir chegar em minha cama…


        Caímos juntas em minha cama.Samara por baixo, eu em cima dela.Nos ajeitamos sem parar de nos beijar… Ela se sentou, eu estava em seu colo, suas mãos em meus seios, as minhas em seus cabelos…


        Eu não sabia muito bem o que fazer, estava me deixando levar pelo instinto.Queria ela em mim, mas também me queria nela…


        E tudo foi acontecendo como em um filme, ou até mesmo um conto de fadas mais quente.Nossa sintonia, nossas vontades, até nossos lugares mais sensíveis.Foi como descobri-la e me descobrir ao mesmo tempo.Seus toques completavam os meus, como os meus os dela.Nos amamos com tanta intensidade, desejo, pureza e luxúria, que acho que mais ninguém no mundo conseguiria fazer igual.


        Aquela era a minha primeira vez, não só com Samara, mas na vida mesmo.Eu nunca imaginei que seria assim, eu realmente tenho muita sorte de ter aquela garota comigo.


        -Por favor… – Eu disse totalmente sem forças depois de tanto nos amarmos. – Diz para mim… que isso não vicia… – Ela soltou uma risada também sem ar antes de responder.


        -Acho que é meio tarde para pensar nisso. – Ela disse ao subir em cima de mim.


        - Se eu ficar viciada a culpa é sua.


         -Até aqui, você quer jogar a culpa em cima de mim? – Ela disse em um tom sexy rebolando levemente em cima de mim.


       -Claro, a culpa é toda sua por ser tão… – Eu disse já segurando em sua cintura.


        -Tão? – Ela disse rebolando ainda mais.


        -Tão… – Eu sorri maliciosamente ao me aproximar de seu ouvido e sussurrar. – Tão gostosa… – Eu disse sem pudor.


        Nos amamos mais algumas vezes até realmente esgotarmos todas as nossas energias.Dormimos uma em cima da outra, queríamos nunca mais termos que nos separar.Eu nem se quer desliguei o som ou desliguei a luz do banheiro… Tudo ficou como estava.


        Eu amava aquela garota, mas que tudo em minha vida.E o melhor de tudo, é que eu sabia que era totalmente recíproco.


        Quando acordei e olhei para o lado, lá estava Samara, me olhando como um anjo.Me senti a pessoa mais protegida e amada do mundo.


        -Bom dia. – Ela disse baixinho e sorrindo.


        -Bom dia… – Eu selei seus lábios-Acordou a muito tempo?


        -Não… deve ter uns vinte minutos…


       -Porque não me chamou?


        -Porque você é linda dormindo… – Ela disse ainda sorrindo.


        -Linda é você…. – Eu a abracei e beijei seus lábios outra vez, estávamos em paz e harmonia ali naquele momento, mas alguém bateu com força na porta.


        -Millena? Millena? – Meu pai disso do lado de fora. – Tá acordada Millena? – Eu entrei em desespero. – Deve tá dormindo… – Ele disse ao tentar abrir a porta, mas não conseguiu.


       -Amém que a porta está trancada. – Samara disse com a cara pálida de susto.


       -Vai, vai se vestir que eu tenho que dar um jeito aqui…


        Enquanto nos vestíamos arrumamos a bagunça que fizemos, colocamos tudo no lugar, e ainda ajeiramos a cama, para parecer que duas pessoas tinham apenas dormido nela.Quando estávamos quase acabando minha irmã bateu na porta.


        -Millena? – Camille disse em tom alto. – Acorda Millena!


        -Vai, deita lá. – Eu disse para Samara baixinho. – Finge que está dormindo, meu pai pode tá com ela.


        -Anda Millena, acorda! – Ela gritou mais uma vez me fazendo ir até a porta, eu a destranquei e a deixei entrar, a primeira coisa que ela fez foi dar uma geral no quarto. – Ué não rolou nada? – Ela disse baixinho assim que eu bati a porta.


        -Samara? – Eu a chamei a fazendo abrir os olhos e se virar para gente, seu sorriso entregava tudo.


        -Hum… Safadinhas vocês em.Aposto que fizeram uma bagunça e arrumaram tudo em cinco minutos. – Ela disse como se já tivesse feito o mesmo.


        -Como sabe? – Eu disse assustada.


        -Sabendo maninha. – Ela me abraçou pelo lado. – Mas a parada está séria, a minha mãe, ela… Ainda não voltou e o meu pai ligou para casa da Bonnie e a empregada disse que não tem ninguém lá.E que ela chegou lá as oito horas e já não tinha ninguém…


        -Ai senhor, será que aconteceu alguma coisa? – Eu senti meu coração se apertar só em pensar.


       -Não sei, mas o meu pai está bem irritado, saiu do meu quarto como um furação, e acho que foi atrás dela.


        -E ele sabe onde ela está?


       -Ele não quis me falar nada, apenas ficou xingando-a loucamente… Estou com medo dele fazer alguma coisa.


        -E o que vamos fazer?


        -Eu não sei. – Ela parecia mesmo muito nervosa.


        -Olha gente… Sei que vocês estão nervosas, mas não podemos fazer nada.Acho melhor a gente descer, tomar nosso café e esperar por notícias.


        -Que café o que, não consigo comer nada, eu estou preocupada, tenho medo dele perder o controle como daquela vez.


        -Desculpa, mas estou morrendo de fome.


        -É eu também… – Eu senti minha barriga reclamar.


        -O que seja, vamos descer, que eu vou pensar em alguma coisa.Acho que vou ligar para tia Rihanna, será que ela pode nos ajudar?


        -Boa, vamos descer e lá de baixo você liga.
 


Notas Finais


Gente...A fic já está chegando ao fim,só faltam mais alguns capitulos 😢


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...