História A girl... Right?! - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Star vs. as Forças do Mal
Personagens Marco Diaz, Personagens Originais
Tags Tentativa De Comedia, Tomco, Yaoi
Exibições 61
Palavras 1.091
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Bishounen, Comédia, Fantasia, Fluffy, Lemon, Magia, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oiee 'u'
Não sou muito boa nisso, mas vou tentar fazer essa fic em primeira pessoa.
Até as notas finais ( ´ ▽ ` )ノ

Ps: Escrita pelo celular.

Capítulo 1 - Capítulo 1 - Festa à fantasia, ou não.


Fanfic / Fanfiction A girl... Right?! - Capítulo 1 - Capítulo 1 - Festa à fantasia, ou não.


- Eu não vou fazer isso, Star! Não!

- Por que não? Você prometeu! Vai voltar atrás com a sua palavra?
- Mas eu não achei que teria que usar essa... Essa coisa!
- Ora, coisinha da Terra, é só uma fantasia. Vamos lá! Tenho certeza que vai ficar ótimo em você.

Como chegamos a essa situação? Deixe-me explicar.

Uma semana atrás, recebemos aqui em casa um convite para o aniversário do Tom. Exatamente, "aquele" Tom. Óbvio que eu não queria ir, mas a Star estava obcecada com a ideia de me levar, junto com a cabeça de pônei. Vai saber o que se passa na cabeça daquelas duas. Elas tentaram me convencer a ir a semana inteira, mas como não deu certo resolveram jogar sujo.

Uma coisa que eu vou levar pra vida toda: nunca,  em hipótese alguma, aceite um desafio de alguém que pode usar magia.

Um dia antes da bendita festa, Star "supostamente" já tinha desistido da ideia de me levar. Mas, como último recurso, ela resolveu testar o meu orgulho. Ela me desafiou. Eu recusei na hora, mas estamos falando da Star, ela não desiste tão facilmente. Ela é irritantemente insistente. Sendo assim, ficou me pedindo incessantemente para aceitar o tal desafio. O que incluía desde ele falando sem parar e mordendo a varinha até feitiços (ainda mais) estranhos pela casa.

Não tive nenhuma opção.

E no momento em que ela finalmente disse qual seria o desafio, eu soube que já tinha perdido.
A teoria era simples:
"Quem derrotar o maior número de monstros durante a próxima batalha, ganha."
Seria até legal. E justo, se ela não tivesse aquela MALDITA varinha. E sim, ela usou e acabou com a luta com um único golpe.

Bom saber que a luta dura O QUANTO ELA QUISER.

E agora eu estou nessa situação. Sendo forçado a usar uma fantasia ridícula de garota.
Sim, uma garota. De novo. Já não bastasse a vergonha da primeira vez. Ela ainda teve a coragem de dizer que rosa é a minha cor. Assim ela acaba com a minha masculinidade.
Ah, e tem mais. Dessa vez, não vai ter magia envolvida. É, eu vou ter que deixar aquelas malucas me vestirem e me... Maquiarem.

Eu vou chorar.

-------------^-----------

A festa, por incrível que pareça, não foi no submundo, como no baile da lua vermelha. Foi naquela mesma balada em que eu e Star fomos quando a Cabeça de pônei apareceu pela primeira vez. As nuvens continuavam as mesmas, e a pista de dança também. A maior diferença era que estava com uma decoração típica de aniversário, mas claro, tudo muito luxuoso. Haviam luzes florescentes para todos os lados, além de uma enorme mesa com petiscos dos mais variados tipos em cada canto do lugar. E um bolo gigantesco que estava flutuando acima do salão. É, eu vou ignorar isso.

Mas o mais estranho de tudo, eram os espelhos espalhados pelo local. Eram grandes, daqueles que dá pra ver o corpo inteiro, e ficavam zanzando por aí. Sozinhos. Mais uma coisa que eu vou ignorar.

Enfim, isso não é importante agora. Sabe por que?

Porque parece que a Star mentiu quando disse que era uma festa à fantasia.

Bem que eu estranhei quando elas abriram o portal ainda com roupas normais de festa, sem nenhuma fantasia, dizendo que iriam se arrumar com magia quando chegassem.

Ótimo. Deve ser a influência daquela Cabeça de pônei.

Eu sentia os olhares de várias pessoas voltados para mim. Que vergonha.

Esquece a história de chorar. Eu vou é cometer um assassinato aqui. Vou matar aquelas duas.

Elas pareciam estar animadas demais. Como se estivessem ansiosas. Parecem que não perceberam a minha intenção assassina. Bom, assim vou poder me aproximar sem levantar suspeitas.

Foi quando um daqueles espelhos passou por mim, bem na minha frente, e eu pude ver como eu estava, já que aquelas malucas não deixaram eu ver antes. Prendi a respiração ao ver a imagem refletida.

Se não soubesse que sou eu, provavelmente acharia que era uma garota. Uma bela garota.

A roupa consistia basicamente numa blusa de tecido leve, branca de manga comprida com uma fita no pescoço. Talvez fosse seda, eu não sei. Uma saia de cintura alta vermelha e azul, meias 7/8 pretas com detalhes em renda e sapatilhas pretas com um salto baixo.

Elas colocaram aplique no meu cabelo, deixando ele extremamente longo. E prenderam em um rabo de cavalo alto. Passaram maquiagem também. Minhas bochechas estavam rosadas, meus lábios brilhantes e meus cílios longos. Até meus olhos estavam diferentes, pareciam mais felinos eu acho. Deve ser por causa daquele lápis que inventaram de passar em mim.

Admito que fiquei impressionado.

- Gostou?
Ouvi a voz da Star atrás de mim. Olhei para ela e vi que ela parecia ansiosa, mas nervosa também.

Observei em volta e constatei que Cabeça de pônei não estava por perto. Suspirei.

- Se disser que não estaria mentindo. - Sorri e ela me acompanhou. - Mas não pense que não estou irritado. De onde você tirou isso, Star?!

- Mas não foi minha ideia! - Defendeu-se. - Mas foi divertido. E você fica lindo assim! Mas ainda prefiro você de rosa... - Ela pareceu viajar um pouco. Depois olhou pra mim de novo. - Mas, mesmo assim, por que não aproveita a festa? Diversão, Marco, diversão! - E me empurrou até a pista de dança.

Resolvi me render. Não havia o que fazer. Se eu fosse embora, Star ficaria triste, e eu não queria ficar sentado em uma mesa sozinho vendo todos se divertindo.

Ao que parece, ninguém me reconheceu aqui. Então resolvi agir como uma garota apenas para não passar vergonha. Star pareceu entender e dançava junto comigo, me ensinando alguns passos. Não podia dançar como um garoto vestido dessa forma. Então comecei a entrar no personagem.

Inventamos até um nome pra mim: Maya. Lembro que minha mãe disse uma vez que me daria esse nome se eu fosse menina.

Com o tempo fui me soltando. E em pouco tempo estava totalmente à vontade. Foi mais fácil do que pensei que seria. Já testava alguns passos improvisados, e via Star rir e bater palmas, me acompanhando animada.

Em algum momento, ela disse algo sobre estar com sede e foi até uma das mesas pegar uma bebida, me deixando sozinho. Não me importei muito e continuei dançando.

Não tinha notado que alguém me observava até sentir uma presença nas minhas costas e escutar uma voz conhecida.

- Me daria a honra de uma dança, jovem dama?

Era ele. O Tom.


Notas Finais


Ahhhhhhhhh que nervoso!
Gente, desculpa mas não tem como não shippar esses dois. Principalmente depois de friendenemies <3 eles cantando juntos foi tão... Huh! *se abraça* (* ̄ii ̄)
Até ~ヾ(・ω・)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...