História A Grande Profecia - Parte 2 - Capítulo 56


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Crônicas dos Kane, H2O, Meninas Sereias, Magnus Chase e os Deuses de Asgard, Once Upon a Time, Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos, Winx Club
Personagens Afrodite, Amós Kane, Annabeth Chase, Apollo, Bloom, Capitão Killian "Gancho" Jones, Carter Kane, Cleo Sertori, Darcy, David Nolan (Príncipe Encantado), Emma Gilbert, Emma Swan, Eros (Cupid), Hades, Henry Mills, Icy, Jason Grace, Magnus Chase, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Neal Cassidy (Baelfire), Nico di Angelo, Percy Jackson, Personagens Originais, Peter Pan, Piper Mclean, Quíron, Regina Mills (Rainha Malvada), Rikki Chadwick, Sadie Kane, Silena Beauregard, Sr. Gold (Rumplestiltskin), Stella, Stormy, Thalia Grace, Valtor, Wendy Darling, Zeus
Tags Anúbis, Bela, Bruno Norgaard, Chase, Kane, Macri Mattos, Margaard, Mistério, Percy Jackson, Wes, Wesbela
Exibições 23
Palavras 2.217
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Fantasia, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hey!
Muito obg por tudo e dessa vez não esperei tantos comentários assim, pq eu to ansiosa e o melhor a fazer agora é postar!
Mais tarde vou postar mais amores <3
Tio do PH para abrilhantar, beijoss e boa leitura!

Capítulo 56 - Tio do Dowich Parte 2


Fanfic / Fanfiction A Grande Profecia - Parte 2 - Capítulo 56 - Tio do Dowich Parte 2

24/11/13 – Domingo – 08:50

Casa de Pietro – Veneza

POV Macri/Marcella Cristina

Pietro me levou até a casa dele. Bom, casa é maneira de falar, já que era uma mansão! Ele nos levou de carro já que demorou mais de 15 minutos para chegar no condomínio. Entramos nele graças aos seguranças que abriram a portaria. Depois ele dirigiu por mais um tempinho e assim mais um segurança abriu um portão da garagem de uma casa. Eu estava meio surpresa com todas essas seguranças. Nunca soube que Pietro era tão assim para ter isso tudo.

- N’hésitez pas.* (Fique à vontade.) – Disse assim que abriu a porta me dando a visão de uma sala de estar luxuosa. Entrei no local e ele fechou a porta. – Beaucoup de choses ont changé au cours de ces dernières années.* (Muita coisa mudou durante esses anos.)

- Percevoir.* (Percebi.)

- En bref je modèle et je vis avec mes amis modèles dans la chambre.* (Resumindo virei modelo e moro com meus amigos modelos nesta casa.) – Explicou.

- Uau! – Exclamei surpresa. – Modèle tourné et me dit pas que, chose affreuse Pietro.* ( Virou modelo e nem me contou, que coisa feia Pietro.) – Ri em seguida suavizando o semblante dele.

- Vous savez maintenant pourquoi il n’ont pas été à la recherche. Je ne voulais pas finir vers le haut avec vos rencontres. Et je sais combien une datation est importante pour vous. Se souvenir de ce que vous avez dit quand nous étions petits. “Je n’est jamais de la manière d’un flirt, au sérieux. Si j’aime la personne permettez-moi d’être heureux avec elle.* (Agora você sabe o porquê de não ter te procurado. Não queria acabar com o seu namoro. E eu sei como um namoro é importante para você. Lembra o que falava quando éramos pequenos. “Nunca me atrapalhe num namoro, sério. Se eu amo a pessoa me deixe ser feliz com ela.”

- II n’a plus d’importance. Même si j’aime la personne, s’il est erroné, continuera dans I’erreur.* (Isso não importa mais. Mesmo eu amando a pessoa, se ela for a errada, continuará errado.) – Suspirei.

- Vous datez ce Norgaard? Lecture d’excuse em son nom, mais je n’aime pas voir de si beau.* (Você namorava esse Norgaard? Desculpa tocar no nome dele, mas não gosto de te ver assim bela.)

- C’était un flirt, mais ce qu’il a fait...je ne peux pas regarder son visage. Mais j’aime toujours beaucoup...je ne sais pas quoi fraire Pietro!* (Não era bem um namoro, mas o que ele fez...eu não consigo mais olhar para a cara dele. Mas eu continuo amando muito ele. – Uma lágrima passou pelo meu rosto. – Eu não sei o que fazer Pietro!)

Pietro me abraçou e eu retribui deixando escapar mais algumas lágrimas. - Qu’une glace?* (Quer um sorvete?)

Sorri e me desvencilhei dele. – Je veux bien, merci.* (Quero sim, obrigada.)

- Laissez-nous ravir madame palhaça.* (Vamos nos deliciar senhora palhaça.) – Disse tocando meu nariz com o dedo.

- Je veux juste faire Mr Clown modèle.* ( Só quero fazer isso senhor palhaço modelo.)

- C’est nouveau.* (Essa é nova.) – Ele riu. – Madame palhaça

- Tourismologist.* (Turismóloga.) – Completei.

- Tourismologist? Est déjà dans I’université?* ( Já está na faculdade?)

- Non, mais je vais fraire.* (Não, mas vou fazer.)

- Je vais prendre la glace et puis je vais prendre une douche, vous pouvez obtenir la volonté.* (Vou pegar o sorvete e depois vou tomar um banho, pode ficar à vontade.) – Disse depositando um beijo na minha testa em seguida.

- Ok, je vais attendre.* (Ok, vou te esperar.) – Falei e ele saiu da sala.

Logo em seguida voltou com um pote de sorvete de baunilha e chocolate nas mãos junto com duas colheres. Me entregou e depois foi tomar seu banho.

Me sentei no sofá e comecei a comer o sorvete. Estava distraída até que uma pessoinha ficou assustada por me ver.

- Macri o que você está fazendo aqui? – Matt, irmão mais novo de Henry perguntou.

Fiquei surpresa. – Digo o mesmo sobre você. – Falei notando que ele estava de roupa normal, nada especialista.

- Seu avô me pôs numa missão na Terra.  – Se explicou enquanto se sentava ao meu lado.

- Não me diga que você é modelo. – Comentei brincalhona.

- Mas eu sou. – Ele soou mais sério.

- Porque? Não que você não seja lindo, mas

- Eu sou lindo é? – Ele começou a se gabar.

- Ai deuses, não me complique Matthew. – Respondi rindo em seguida.

- Pensei que estaria acabando de gravar o filme. – Ele soou pensativo pegando a colher de minha mão e começando a comer o sorvete.

- Nem pensar novinho, esse é do Pietro. – Respondi afastando o pote dele.

- Ah então é amiga do italianinho?

- Sou. – Respondi na cara dele e me virei comendo mais um pouco do sorvete.

- De quem você não é amiga Macri? – Ele soou brincalhão.

- Posso fazer nada se tenho facilidade em fazer amizades. – Ri.

Ele soltou uma risada abafada, mas logo foi censurada por um garoto um pouco que aparentava ser mais velho que a gente, moreno de barba feita.

- Esse é Danilo Rosso. – Matt disse.

Me levantei do sofá colocando o pote na mão de Matt. – Prazer, Marcella Cristina Mattos. – Dei um sorriso fraco assim que Danilo pegou a minha mão.

- Prazer. – Disse com sotaque britânico soltando minha mão em seguida. – Matt o que falamos sobre trazer amigas

- Ela não veio comigo. – Matt interrompeu Danilo que ficou surpreso.

Peguei meu pote de sorvete com Matt.

- Então veio com quem? – Danilo arqueou a sobrancelha.

- Comigo. – Pietro disse com uma toalha sobre a cintura deixando seu peitoral nu.

- Você fala inglês? – Perguntei surpresa.

- Algumas coisas. – Respondeu.

- Pensei que fosse amiga do Matt. – Danilo soou pensativo.

- E sou, nos conhecemos da américa. – Inventei.

- Você conhece o Matt? – Pietro me perguntou.

- Infelizmente. – Soei baixo.

- Também não sou muito feliz em te conhecer Macri. – Matt respondeu sentido.

Revirei os olhos.

- Macri? – Pietro perguntou.

- Junção de Marcella Cristina. – Expliquei lançando um olhar reprovador a Matt.

- Pensei que só seu irmão te chamasse assim. – Pietro soou pensativo se referindo a Eros.

- Irmão? – Matt estava espantado.

- Marcella? – Ouvi uma voz reconhecida que estava um pouco assustado ao me ver.

- Giovanni? – Estava surpresa.

- Quem você não conhece Macri? – Matt comentou.

Giovanni entrou na sala com uma mala de rodinha na mão.

- Como Giovanni te conhece? – Pietro perguntou.

- Acabei de chegar de viagem do Brasil. Ela estava lá. – Giovanni explicou.

- Pensei que você fosse da américa. – Danilo me fitou acompanhado dos outros.

- Eu era. Agora moro no Brasil e estou a passeio aqui. – Inventei.

- Garota você viaja! – Um garoto claro disse ao entrar na casa com uma mala nas mãos.

- Mario tenha modos. – Danilo censurou ele.

O tal garoto pegou a minha mão e me girou me fazendo rir. – Sou Mario Lovo, a senhorita é muito linda.

- Pode parando com isso porque a Marcella é minha amiga. – Pietro me puxou para ele, me fazendo bater sobre seu peito.

- Aposto que conheço ela a mais tempo que você. – Matt me puxou.

- E eu conheço ela do Brasil! – Giovanni me fez me soltar de Pietro e Matt e me puxou fazendo com que a gente caísse no sofá, derrubando o sorvete nele.

- Desculpa. – Falei ao me levantar dele um pouco envergonhada.

- Ta chega! – Danilo gritou me puxando para ele.

- Eu não sou um peão para ficar rodando na mão de um e de outro ta! – Gritei já esgotada me soltando do mais velho.

Mario riu. – A senhorita é bem direta. Gostei. – Ele continuou a rir.

- Giovanni vai trocar de blusa e Pietro coloque uma roupa! – Danilo mandou e os dois saíram rapidamente. – Matt faça companhia a sua amiga, mas só por hoje. Mario vamos até o meu quarto, temos que conversar.

Assim os dois saíram. E Matt se sentou ao meu lado no sofá.

- Seu amigo é sempre assim? – Perguntei enquanto fazia desaparecer o sorvete do sofá.

- Você ainda não viu ele bravo. – Matt comentou com a colher na mão. – Faz aparecer outro sorvete.

- Ok. – Assim fiz e começamos a comer.

- Pietro não sabe da verdade né? – Matt perguntou.

- Não e vai continuar assim Melody. – Soei firme.

- Pode ficar tranquila que eu não vou contar nada Neinths. – Ele retrucou.

- Ta parecendo o seu irmão. – Comentei rindo.

- Aposto que você me daria mais chances do que a ele. – Disse na minha cara.

- Você não esquece isso né? Só foi uma vez na minha vida, quer dizer...não só foi uma mesmo. – Fiquei confusa.

- Eu não contei a ninguém, mas se quiser eu falo com o Jonathan, ele vai adorar saber que você quebrou uma regra de Magix.

- O que você quer Matthew? – Fui logo no assunto.

Ele deixou escapar um sorrisinho. – Agora estamos falando a mesma língua.

- Ta, mas antes de qualquer coisa. Me diga uma coisa, meu avô está aonde? E como está Magix?

- Normal, tem dias que não vou lá, porque? Tem algo errado? – Ele ficou surpreso.

- Não sei, só não tenho notícias de lá há um bom tempo. – Comentei.

- Desde que voltou de sabe-se lá aonde? – Perguntou de cenho franzido.

- Já foi explicado que eu estava

- Macri eu sei de tudo sobre você, seu avô me contou. – Me interrompeu.

- Sabe? – Estava mega surpresa.

- Semideusa, maga, guardiã, você mora na Terra junto com o seu primo que também é semideus igual ao Brandon. – Ele disse me dando um tilt na cabeça.

- Co-Como você sabe?

- Seu avô me contou tudo Macri, você acha que eu to aqui porquê? – Ele levantou do sofá e me deu as costas.

- Meu avô não sabe que venho aqui. – Me levantei do sofá assustada.

Ele se virou para mim. – Macri eu sei de Asgard. – Minha boca ficou entreaberta surpresa. – Seu avô é neto de Odin, ele me contou tudo.

- Então você é de confiança. – Soei pensativa.

- Antes eu não queria ajudar, mas seu avô me pediu e também era uma forma de castigo. – Ele soou baixo.

- O que fez Matthew? – Cruzei os braços e fitei ele.

- Não começa Neinths. – Ele revirou os olhos.

- Ta, foi mal. Mas então vovô sabe que venho aqui e que Pietro é meu amigo?

- Sabe, porque eu acho que isso é ruim? – Ele me perguntou.

- Porque tanto meu avô quanto minha avó estão sendo controlados por pessoas.

- Hã? – Ele não entendeu.

- Minha avó é a diretora Faragonda, outro segredo e esses nórdicos do mal estão controlando eles, pelo que me lembro.

- Então você está falando que Faragonda e Paladino estão sendo controlados e por isso que Magix corre perigo?

- Sim Matt, estou falando exatamente isso! – Exclamei começando a sentir um pouco do peso das minhas consequências.

- E porque você está aqui e não em Magix?

- Eu sei, estou fazendo tudo errado, mas eu não sei o que fazer. Como meus avós podem voltar ao normal? Eu não sei Matt! – Abracei ele.

- O que está acontecendo aqui? – Pietro nos fitava.

Me separei de Matt. – Nada, sabe só abraçando um velho amigo.

- Isso. – Matt disse.

- Ta, Matt você poderia nos dá licença? – Pietro pediu.

- Não, Macri é minha amiga também. – Ele soou firme.

Olhei para os dois que não paravam de me fitar esperando alguma resposta. – Os dois ficam, eu preciso ir ao banheiro. Onde é?

- Seguindo no corredor primeira porta a direita. – Pietro disse.

- Obrigada. – Passei e entrei no banheiro.

Pude ter um tempinho em paz e assim que sai dei de cara com Giovanni.

- Hey toma mais cuidado. – Disse me segurando se não ia cair feio.

- Você fala inglês e me deixou falando italiano mais ou menos porquê? – Perguntei assim que me separei dele.

Ele riu. – Me desculpe, mas você falando italiano é tão...

- Estranha? – Interrompi ele.

- Belíssima era o que eu ia falar. – Me corrigiu.

- Ah.

- Você poderia me ajudar numa coisa?

- O que? – Perguntei curiosa.

Ele pegou a minha mão. – Vamos até o meu quarto acho que você vai me ajudar muito. - Assim ele me levou para um quarto gigantesco! Tinha tanta coisa no quarto que fiquei bugada, sério nem o quarto do Brand que é cheio de frescura tem tanta coisa. – Qual roupa eu boto hoje?

Eu ri. – Isso é sério? Você é que é o modelo, eu não. – Ri mais um pouco.

Ele se aproximou. – Você já foi modelo que eu sei. – Soou sério.

- Co-Como? Matt contou? – Perguntei surpresa andando até a porta.

- Está trancada. – Ele disse com a chave nas mãos.

- O que você é? – Perguntei logo tentando me desbloquear.

- Isso não importa Macri, o que importa é que você não vai sair daqui. Não quer que Pietro ou Matt saibam de tudo ou pior corram perigo.

- O que você é?! – Soei mais firme.

Ele se virou para mim com um sorrisinho irritante no rosto. “Pera...sorrisinho irritante? Isso é familiar.” – Sou tio do seu ex-marido. – Disse como se estivesse saboreando as palavras. Meus olhos se arregalaram imediatamente.


Notas Finais


Eeeeeeita!
Mais tarde vou postar mais <3
O que acharam?
Até lá!
Beijoss*
Macri


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...