História A groupie - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Tags One Direction
Exibições 16
Palavras 5.251
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Chapter One


Fanfic / Fanfiction A groupie - Capítulo 1 - Chapter One

  Eu sabia que teria que acordar quando ouvi o som de chamada do meu Facetime, que insistia em não parar, justo na quinta-feira pela manhã, o único dia nesse horário que eu não tenho aula de nenhuma cadeira da faculdade. Ao perceber que se tratava da minha única familiar viva, que mora em outro país, que me chamava, sentei-me na cama, arrumando um pouco os cabelos e peguei o celular, deslizando o dedo pela tela, a fim de atender a ligação, que julguei ser importante.Minha amada tia Leonor tinha uma proposta de emprego bilionária para mim. Segundo ela, irrecusável.

"Laura, não entenda mal essa proposta. Entenda que você terá todo o tempo que precisar para pensar na decisão. O emprego é magnífico, você apenas terá que assinar um contrato e fazer algumas coisas que não estão incluídas na sua rotina."

"Tia, a senhora tem certeza que vale a pena deixar tudo aqui e cair de cara nessa proposta, não é?"

"Mas é claro que vale! Vamos facilitar tudo, eu compro uma passagem para você e sábado pela madrugada você embarca, podemos fazer esse acordo? Assim você entenderá melhor, além de que, poderá conhecer os meninos com quem trabalhará."

    Depois de tanto insistir eu disse que sim. Ela parecia fazer questão de me ter nesse emprego e, pelas suas explicações, esse deveria ser o melhor emprego do mundo. Eu não queria ir para lá devido ao trabalho, apenas queria sair para me divertir, por que quando se está na faculdade descanso é a última coisa que podemos ter. Levantei da minha querida cama, com uma pantufa de coelhinho, um pijama azul claro com estampa de flores na blusa e com o cabelo todo bagunçado, lavei o meu rosto, escovei meus dentes e disse a mim mesma "você não vai aceitar esse emprego, seja ele qual for".

T  Tomei um café reforçado e fui para o meu sofá de couro, branco e confortável, assistir Meu Passado me condena 2. Peguei a minha mochila, que estava encostada na lateral do sofá, tirei de lá meu caderno de Matemática, uma das minhas cadeiras de hoje a tarde, com o intuito de fazer os deveres, aos quais cada resolução ocupava uma página do caderno. Quando terminei todos os deveres e arrumei meus materiais, preparei carne de frango assada no forno e maionese de massa, queria agradar Luke, meu "colega de casa", ele também estuda, porém hoje ele tem aulas pela manhã e a tarde. Ele sempre vem para casa no intervalo do almoço, e sempre está visivelmente cansado. O garoto sentou-se na cadeira de frente para mim e atacou o frango com as mãos, ele sabe que eu odeio isso e faz apenas por provocação.

"Hmmm meu prato favorito, como foi a sua manhã? "- sorriu

"Tia Leonor ligou, parece que tem uma proposta de emprego irrecusável, o problema é que é na Inglaterra, eu teria que deixar você aqui e largar a faculdade e você sabe o quanto eu lutei pra conseguir tudo o que eu tenho."

" Deixe me ver, você tem uma familiar lá, portanto, você terá uma casa, terá um emprego bilionário" – pronunciou a última palavra gritando – "Você tem sorte... se eu fosse você, eu não recusaria."

" Luke, eu não posso deixar minha vida toda aqui e arriscar um emprego que eu não sei qual é e nem se vai dar certo."

-"Eu sei de tudo isso, mas quem sabe vocês não conseguem um acordo?"

    Luke é um garoto otimista e está sempre de bom humor. Seus cabelos em tom de loiro arrumado em um topete e o piercing no canto da boca rosada dão realce a sua beleza. Seus olhos azuis marcantes fazem com que ele conseguisse qualquer garota que quisesse, mas ele está solteiro e nem pensa em relacionamentos, é reservado. Nossa amizade já tem mais de cinco anos e eu nunca o vi se envolver com ninguém.

    Depois de nos alimentarmos e lavar a louça, cuja tarefa hoje deveria ser executada por mim, esperei Luke ir arrumar sua mochila, peguei a minha e tranquei a porta da casa. Sempre vamos andando para a faculdade, por que além de ser a apenas dois quarteirões, ainda faz bem para a saúde, conversamos muito durante esse trajeto e foi assim que nos tornamos melhores amigos, fomos nos conhecendo durante esses cinco anos.

   Estamos diante da faculdade, um prédio grande todo pintado em cor de creme, com aberturas em marrom. Aquela típica faculdade, um grupo de patricinhas de um lado, caras machistas do outro, nerds isolados e eu e Luke fora de tudo isso.

"Graças a Deus semana que vem estaremos de férias e eu não vou mais precisar vir para esse inferno."

"Lucas! – o repreendi com o apelido que dei logo que o conheci – Você tem que pensar em estudar e não nas pessoas que estão aqui."

"Mas já estou cansado Laura, eu não nasci para estudar, nasci para ser rico e lindo."

     Esqueci de mencionar que o único defeito do Luke é se achar demais. O sinal exagerado tilintou avisando que deveríamos nos dirigir até as devidas salas, me despedi de Luke com um beijo em sua bochecha e adentrei na sala maior do local, hora das aulas de matemática, hoje terei três aulas com a senhorita Cestile, digo senhorita por que ela tem apenas trinta anos e, assim como Luke, está solteira. Ela me faz gostar de matemática pelo jeito que dá suas aulas, se precisar ele explica um milhão de vezes com toda a paciência do mundo.

     No intervalo para o lanche Luke se sentou ao meu lado com uma bandeja cheia de fast food, batata-frita e coca-cola. Em pensar que as minhas próximas aulas seriam Química eu perdi toda a minha fome, na verdade, acho que eu viveria tranquilamente sem comer nada durante a tarde toda, ao contrário do meu colega sentado ao lado. Talvez seja por isso que eu sou magra. Esperei Luke terminar sua refeição tão adorada, que ele mesmo se refere como "a única coisa boa nessa universidade, depois da Laura", dei um beijo em sua bochecha e desejei boa sorte na prova prática de educação física, para a qual ele se preparou a semana toda se alongando na sala enquanto eu tentava dormir.

    Segui para a sala 17, no segundo andar, a professora Marquez, cuja matéria é Literatura, largou o livro " A Escada Vermelha", de Oswald de Andrade, escritor do modernismo, assim como espalhou vários outros livros nas classes dos outro dezenove alunos.

    "Quero uma síntese baseada neste livro para a nossa primeira aula após as férias, quem não entregar irá, provavelmente, ficar com nota baixa nesta cadeira. E eu espero ver textos maravilhosos. Vocês sabiam que mais da metade dos alunos que terminam o ensino médio são analfabetos? E eu não digo que não sabem escrever, digo que não sabem interpretar. Eu espero que vocês saibam, de coração." - seja bem vindo sorriso maldoso nessa cara de panela

    Conheço um aluno analfabeto em interpretação, meu colega Collin Souza, que agora estava com a cabeça abaixada, provavelmente pensando em trocar de curso e ingressar em algum que as cadeiras não incluíssem Literatura ou Língua Portuguesa. Ao soar do sinal indicando que estaríamos livres por hoje, segui andando até o portão, onde Luke me esperava escorado na grade.

"Como foi a aula, gatinha?" – se afasta do portão, andando ao meu lado

"Aulas de matemáticas tediosas e com contas de folhas, ganhei um livro enorme para fazer uma síntese e senti pena do Collin por isso."

"E quanto a proposta de emprego milionária e super maravilhosa? Vai aceitar? – ele estava sorrindo, ansioso para que eu dissesse "claro, me mudo para a Inglaterra amanhã".

"Não sei Luke, eu ainda estou pensando. Mas de uma coisa eu tenho certeza, amanhã eu irei para a Inglaterra!"

    Eu estou decidida a ir, não por causa dessa proposta maluca, somente para tirar férias, e no final de tudo não aceito o emprego. Tirei meu Iphone do bolso e chamei minha tia no facetime, mas como ela deveria estar trabalhando a esta hora não atendeu nenhuma das minhas chamas. Entrei depois de Luke em casa, fechei a porta e joguei minha mochila no sofá, segurei meu "colega de casa" pelo pulso e o guiei até meu quarto, fazendo com que ele sentasse na minha cama, subi em uma cadeira e retirei a mala grande e cheia de poeira de cima do guarda-roupa, a limpei, deixando a vista a torre Eiffel estampada. Pedi para que meu agora ajudante abrisse a mala e colocasse tudo o que eu lhe alcançasse lá dentro, peguei muitas roupas de inverno, por que a Europa nessa época do ano é incrivelmente gelada, o lado bom é que neva, ao contrário do Brasil.

    Sapatos, escova de dente, creme dental, shampoo, praticamente tudo o que eu preciso para me manter saudável e limpa. Depois de arrumar a mala, chamei minha tia novamente enquanto colocava meu celular carregar. E para a minha surpresa, ela atendeu a ligação esta vez, e levei um susto ao ver que quem a acompanhava era Simon Cowell.

"Olá Laura! Você havia me chamado mais cedo, não? – perguntou minha tia – Eu estava trabalhando, na verdade, estava acompanhando Simon em uma reunião. Mas afinal, o que você queria, querida? – falou toda enrolada nas próprias palavras."

  "Olá tia, bem... eu havia chamado a senhora para comunicar que embarco amanhã ao meio dia para Londres."

"Isso é... ótimo!" – diz Cowell – "Coincidência ou não, amanhã os meninos estarão de volta. Eles estavam em turnê, o último show está quase acabando. Teremos uma surpresa para você, mas vou esperar você chegar."

  " Tá, já que querem me matar de curiosidade, não posso fazer nada. Até amanhã."

    Tia Leonor encerrou a chamada. Luke pareceu ler meus pensamentos, por que nos minutos seguintes ele ficara me perguntando o que será essa surpresa, pra falar a verdade ele está mais empolgado do que eu. Curiosa, sentei no sofá, coloquei o notebook prata sobre as minhas pernas, o abri e digitei a senha "umpinguimbranco", fui ao google e procurei pelos nomes que minha tia havia enviado mais cedo por mensagem, provavelmente seriam de empresários que trabalhariam comigo. Luke se sentou ao meu lado com um hambúrguer nas mãos, acho que esse menino tem um buraco no estômago que faz com que fique sempre vazio.

     Eu procurei primeiro por informações sobre Harry Styles.Olhos verde esmeralda, cabelo comprido com alguns cachos leves, tem um péssimo gosto por roupas, solteiro. Pelos vídeos parece ser um garoto engraçado, sincero, acho que vou me dar bem com ele. Seguindo para Liam Payne, cabelo moreno, olhos castanhos impactantes, em um relacionamento sério com Sophia Smith, a moça parece ser muito querida, ele parece ser o tipo perfeito de namorado. Agora é a vez de Louis, olhos azuis, cabelos morenos, um corpo de dar inveja, vários escândalos e muitas brigas, não parece ser um pessoa fácil de conviver, mas eu gostei dele mesmo assim, tem uma beleza diferente. É a vez do último homem, Niall Horan, irlandês, cabelos loiros e olhos azuis, bochechas rosadas e um sorriso encantador, fofo, tem um jeito de não ser nada tímido, parece ser responsável.

       Nunca vi tanta gente bonita junta na minha vida. Ao pesquisar mais, descobri que eles são uma banda famosa em todo o mundo. Eu seria algum tipo de assessora? Ou, quem sabe, estilista? Luke começa a rir escandalosamente do meu lado, apontando para um parágrafo, aonde leio que o tal de Liam tem medo de palhaços. Uou! O senhor Tomlinson supostamente já é pai! E Horan tem um sobrinho muito lindo.Até que eu estou gostando da idéia de trabalhar com esses caras.

      "Gostei mais do loiro dos olhos azuis, ele me parece ser meigo." – diz Luke, tirando minha concentração e me dando um susto.

     "Niall. Eu também gostei dele, mas acho que esse tal de Harry tem mais a ver comigo.

      Depois das profecias de Luke dizendo que eu iria ser secretária da banda, viajar o mundo inteiro com eles, casar com Niall Horan e ter quatro filhos e um gato com ele, e após tudo isso eu o esqueceria, eu apenas ri. Ele sabe que eu jamais o esqueceria. Fui até a cozinha e fiz um spaghetti ao molho, que sem querer me gabar ficou maravilhoso, nós comemos em silêncio, Luke por que não fala enquanto está comendo, e eu por que não consigo pensar falando. E eu estava pensando em muita coisa, na longa viagem, em como seria conhecer aqueles garotos, e não posso dizer que por alguns minutos pensei no contrato, qual seria o tal emprego milionário e em o que eu faria em relação a isso?

      Prometi a mim mesma outra vez que, seja lá qual fosse o emprego, eu não aceitaria. Peguei meu Iphone e entrei no aplicativo do twitter, procurando por fãs da tal banda, One Direction,e confesso que me assustei com o imenso número de fã clubes. Elas são engraçadas, fazem montagens iradas, mas brigam muito também. Senhor Tomlinson andou tweetando algumas coisas que o fizeram parecer fofo. E algumas fotos de tirar o fôlego. Senhor amado! Luke me olhava com um sorriso sacana no rosto, ao perceber que eu também o encarava ele sussurrou o nome de Niall, atirei um pedaço de pão nele e voltei a comer.

      Depois de todas as tarefas de limpeza prontas, eu peguei meu livro favorito, ao qual eu era muito apegada e tinha uma pitada enorme de ciúmes. Li umas dez páginas e fui para o meu quarto, coloquei um pijama cor de rosa com algumas caveirinhas no short, deitei na minha cama macia e acabei pegando no sono. Amanhã não será nada fácil.

      O despertador foi quem me acordou no dia seguinte, levantei da cama com a maior má vontade, escovei os dentes, coloquei uma calça Jeans, uma camiseta preta solta e um tênis, caminhei até o quarto bagunçado de Luke, pulei por cima da mochila, do Playstation, de uma pilha de roupas, até chegar em sua cama, e então eu puxei sua orelha com toda a força que tinha, o mesmo acordou gritando.

"Tá maluca garota? O que você está fazendo?"

"Já falei pra você colocar o despertador para funcionar, caso contrário vai ser acordado assim."

      Saí do quarto, novamente pulando por cima de todos aqueles objetos que estavam no chão e fui fazer café e sanduiches, arrumei minha mochila e comecei a comer, por que Luke sempre se atrasa, e se tem uma coisa que eu odeio é chegar atrasada na faculdade. Ele não demorou muito para descer e comer tudo o que precisava. Tranquei a casa, entreguei a chave para ele e seguimos andando para a escola. No caminho, ele falava sobre o jantar de noivado que Horan prepararia especialmente para mim, acho que ele gostou de mais do irlandês, dizia também que era pra mandar mensagens contando sobre a surpresa que Simon havia mencionado ontem.

      Entramos na faculdade e sentamos no nosso banquinho da alegria, um banco branco que a gente senta todo dia enquanto espera as aulas começarem. Algumas meninas passaram por nós, comentando sobre um aluno novo, mas não era qualquer aluno, era o meu ex-namorado. Graças a Deus eu só o verei depois das férias. A maldita campainha tocou, era hora de encarar a professora Fontana, com o sotaque britânico que eu acho maravilhoso, aliás, eu amo Língua Inglesa, e eu sou a única aluna que tem um inglês fluente. As duas aulas com ela passaram rápido, pois tínhamos um exame. A aula seguinte era Língua Portuguesa, copiamos uma folha de conteúdo e ganhamos um trabalho super difícil para fazer em casa.

       Eu não aguentava mais Luke falando com uma ruiva falsificada na hora do intervalo, e não aguentava mais ficar sozinha naquele pátio. Uma menina sentou ao meu lado e me perguntou sobre a viagem, como se eu não soubesse que foi o Luke que contou pra ela que eu iria viajar, já esperava que ele fizesse isso. Pedi um minuto de licença pra ela e fui até o meu "colega de casa".

"Lucas, eu posso saber o que significa você falando com a ruiva falsificada e com aquela outra menina lá "– apontei – "e com as outras meninas da escola? Você nunca falou com uma menina que não fosse eu antes."

"Amiga, você vai viajar e eu vou estar sozinho. Se tudo der certo, eu perco o BV nessas férias."

"Tudo bem, contanto que não destrua a casa e nem conte as minhas intimidades pra esse tipo de pessoa."

"Não prometo nada, gatinha!"

      Ri do comentário de Luke e voltei a me sentar ao lado da menina, que voltou a fazer perguntas irritantes do tipo "você já foi pra lá antes?", "como é Londres?", eu nunca gostei tanto do sinal da escola como hoje. Eu praticamente voei para a quadra, a cadeira agora é Educação Física, que serão apenas cinco aulas semestrais. O professor colocou os meninos para jogar handball e as meninas para fazer ginástica aeróbica, eu estava rezando para aquela aula terminar o mais rápido possível, não gosto de dançar, muito menos de fazer ginástica, faço isso apenas quando é necessário, prefiro ser sedentária, comer cheetos e tomar um litro de coca cola deitada na minha cama.

     Assim que o sinal soou pela escola, corri em direção a Luke para abraça-lo,a cada minuto que passa eu fico mais nervosa, está chegando a hora. Em casa, comi rapidamente e tomei banho, pois meu voo sairia dentro de uma hora e se eu me atrasasse eu acabaria ficando no Brasil. Tranquei a casa e entreguei a chave para o garoto. Luke pegou a minha mão e contou até três, eu sabia o que isso significava, era o mesmo que dizer "corra o mais rápido que puder!", foi exatamente o que fizemos, como duas pessoas loucas, sem medo de ser atropelados, sem medo de viver, sem medo qualquer. E acabamos chegando na hora ao aeroporto, um representante de Simon já havia reservado a minha passagem, peguei a mesma e o meu passaporte, dei um abraço demorado em Luke, até o serviço de som do aeroporto anunciar o embarque. Nessa hora a minha vontade era de levar o meu colega junto, de ficar e ao mesmo tempo de ir correndo, uma vontade enorme de chorar, mas também de sorrir, um misto de sensações loucas e a dúvida.

"Vai lá gatinha! Vou sentir sua falta. "– disse com lágrimas nos olhos.

"Eu também vou sentir sua falta, Lucas. Prometa que não vai destruir a nossa casa, nem incendiá-la, nem ter um filho com alguma das meninas da escola e que não vai morrer de fome."

"Prometo tudo isso, agora vá! E Lembre-se, fique com o Niall."

      Fiz um sinal feio para ele e o abracei novamente, correndo para a área de embarque em seguida. Entrei no avião, sentando na carreira do meio, coloquei meus fones de ouvidos brancos e pondo pra tocar uma música da One Direction, eu gostei da voz deles, mas a que realmente me chamou a atenção não foi a de Niall, Louis, Liam ou Harry, mas sim a de um outro garoto, provavelmente o menino moreno que eu vi em algumas fotos com eles, magricelo, com olhos castanhos escuros, estilo badboy,todo tatuado, noivo de uma modelo loira. Uma senhora se sentou ao meu lado e virou a cara ao ver a minha roupa de "classe média". É, essa viagem vai ser longa!

                                                                          • • •

      Londres é uma cidade cheia de luz, principalmente as onze e meia da noite, que foi exatamente a hora que o avião pousou. Minha tia e Simon me esperavam no aeroporto com uma plaquinha " seja bem-vinda Laura", corri até tia Leonor e a abracei, afinal fazem dezessete anos que estamos longe uma da outra, conversando apenas por uma tela de celular, depois de tanto tempo esse abraço foi muito bem vindo, e foi a melhor sensação que eu pude sentir, não queria mais solta-la, assim que terminei o abraço, Cowell veio em minha direção. Uau! Ele era forte e nossa, e usava um perfume muito marcante!

       Luke! Pensei em ligar para ele, mas a essa hora ele deve estar bebendo com as piranhas da escola e provavelmente perdendo o BV. Segui minha tia até o carro preto dela e, agora sim, férias! Durante a viagem, Simon me apresentava cada local pelo qual passávamos, cada rua, cada monumento, e com toda a convicção, essas serão as melhores férias da minha vida.

       Paramos em frente a uma mansão com paredes brancas e aberturas pintadas com verniz, com portões enormes e seguranças por todos os lados, um dos quais abriu o portão para que minha tia entrasse, desci do carro dando de cara com um jardim bem cuidado e cheio de vida e um trilho de pedras cristais, que da acesso a porta, então eu e minha tia seguimos o senhor Cowell para dentro,dando de cara com algumas paredes de vidro e uma casa bem arrumada, com empregados específicos para cada setor, e do andar de cima vinha um barulho enorme, música alta e batidas, algumas risadas também. Simon pediu para que eu me sentasse no sofá em tom de marrom enorme da sala.

" Esses barulhos são aquelas cinco crianças lá em cima, antes que pergunte. Você já deve saber que o seu contrato de trabalho é com a One Direction, mas eu ocultei um pequeno detalhe, que eu terei que falar agora. Zayn Malik é um ex-integrante, mas ele também participa do contrato, ele continua pagando. Outra coisa, só duas meninas aceitaram esse trabalho, a primeira se demitiu após três dias e a segunda se demitiu após duas semanas."

      Assenti com a cabeça e fui levada por ele até o quarto de onde sai todo aquele barulho. Ao abrir a porta dei de cara com cinco garotos rindo e dançando e um notebook tocando "outside", assim que me viram, o que julgo ser Liam correu até o notebook, parou a música e o fechou, ele veio até mim estendendo a mão e se apresentando, o menino que tem uma pinta no pescoço e tatuagens nos braços. O rapaz de cabelos cacheados veio até mim se apresentando como Harry, ele tem um sorriso realmente bonito e simpático, até me elogiou.

     O próximo a se apresentar era o moreno que eu vi no avião, Zayn, o ex-integrante, ele era muito magro e era um menino gentil. Agora era a hora do loiro de olhos azuis pelo qual Luke era apaixonado, Niall, que agora sorria me abraçando, seu cheiro era muito bom, parecia ser cereja, e ao me soltar pude ver suas bochechas ficarem vermelhas. O senhor simpatia chegou se apresentando como Louis Tomlinson, estendendo a mão e fazendo cara de pouco amigos, pude perceber que Cowell fazia sinais para ele, tentando tornar o garoto mais simpático.

     Assim que Simon e tia Leonor saíram do quarto, vieram muitas perguntas, as quais eu respondi ordenadamente, Louis era o único que não perguntava nada, como se não tivesse se importando com a minha presença. Liam sugeriu que eu também fizesse perguntas sobre eles, se fossemos trabalhar juntos teríamos que nos conhecer melhor, concordei com ele, e nada melhor do que começar pelo mister simpatia.

"Lewis, quantos anos você tem?"

"24"

"James, já teve alguma namorada desde o começo da banda?"

"Não, ninguém me quer"

"Como vocês preferem que eu chame vocês?"

"Pode me chamar de Payno" – falou Liam

"Me chame como quiser, deixo a sua escolha" – foi a vez de Harry.

" Minha mãe me chamava de lindo quando eu era criança, eu acho bonito, pode me chamar assim" – Niall disse brincando.

"Bom, eu não tenho apelidos, então me chame de Zayn"- deu um sorriso

" Eu não quero nem que você fique aqui quanto mais me de apelidos"

       Lewis se levantou, tirando a poeira das calças, passou por mim e saiu do quarto. Fiquei parada por alguns segundos com a boca aberta, eu sabia que um ser humano podia ser arrogante, mas não sabia que seria a esse ponto. Harry achou uma boa idéia se fossemos para a sala ou para a área da piscina, na parte de trás da casa, na verdade ele estava tentando deixar tudo menos tenso. Descemos as escadas de mármore escuro com corrimãos de metal, Niall ria de uma piada sem graça que Liam acabara de contar, eu até tentei rir, mas a reação de Louis e sua resposta a minha pergunta não saiam da minha cabeça. Passamos pela sala, onde a arrogância em pessoa não se encontrava, e fomos parar na parte traseira da casa, nas espreguiçadeiras que estavam em volta da piscina.

      Peguei meu celular e disquei o número do menino Lucas, que agora já deveria estar dormindo, ele demorou alguns minutos, mas na minha décima sexta ligação ele atendeu, me dando uma bronca no começo, por tê-lo acordado e por ele estar de ressaca, mas logo ele demonstrou estar preocupado, me pedindo como tinha sido a viagem, se os caras eram legais, bem... Não falei nada sobre o senhor arrogante Tomlinson, apenas disse que sim. E não poderia faltar a pergunta sobre Horan. Após isso, descobri que Luke havia dado uma festa, beijado a garota mais oferecida da faculdade, bebido um pouco mais do que deveria e agora está com dor de cabeça. Encerrei a ligação, deixando-o descansar, do que ele dizia ser a melhor noite de sua vida. Coloquei o celular no bolso, ainda com um sorriso no rosto.

"Namorado?" – pergunta Liam.

" Não, colega de casa."

       Expliquei a eles toda a situação, como havia conhecido o meu garoto, que morávamos juntos, íamos para a faculdade, eu fazia comida para ele, e contei também que eu estava com o coração apertado por deixá-lo no Brasil, mesmo que por pouco tempo. Contei que ele tinha uma paixão platônica por Niall e tudo o que ele havia me falado sobe, beijar, casar, comprar um gato e ter filhos com o loiro, que por sua vez estava rindo. Zayn sugeriu que dá próxima vez que eu viesse a Inglaterra, trouxesse meu melhor amigo junto, e olha! Não é uma má idéia.

      Eu estava achando tudo isso muito bom, até Liam tocar no assunto do maldito emprego/ contrato, que eu prometi que não aceitaria, mas que agora estou pensando melhor e ainda estou em duvida, e foi exatamente isso que respondi a ele, que pareceu estar meio chateado. O garoto me explicou que eles estão a muito tempo procurando alguém para esse serviço e nenhuma garota nos oito meses aceitou, apenas desistiram ou nunca concordaram, como foi o caso de Annelise Courtney, que ficou apenas duas semanas no emprego. É a chance da minha vida, o melhor emprego que alguém pode querer, na questão financeira, mas eu não sei o que eu tenho que fazer.

      Trabalhar com a One Direction é o que muitas meninas querem, mas então por que recusam essa chance? Simon apareceu na porta de vidro, que ligava a cozinha a parte externa da casa, veio caminhando até mim lentamente, assim como minha tia, que se sentou na beira da piscina, o chefe sentou-se ao meu lado e pegou a minha mão, o ato me fez arregalar os olhos. Lembrei das palavras de Luke "Deixe me ver, você tem uma familiar lá, portanto tem casa, você terá uma casa, terá um emprego bilionário,você tem sorte... se eu fosse você, eu não recusaria".No entanto, eu teria que trabalhar com o senhor Louis, e isso seria o maior desafio da minha vida.

" Amanhã, na primeira hora da manhã nós teremos uma reunião na minha empresa para discutir sobre o emprego. Quero lembrar desde agora que você terá o tempo que precisar para decidir isso. Pois é o seu futuro!" – disse Simon – "Não quero que se arrependa depois, como as outras duas. Louis levará você. E você vai dormir aqui hoje, você já conhece o seu quarto."

"Mas... e a casa da minha tia? Por que não posso dormir lá? Não me entenda mal, eu amei a sua casa, tudo muito organizado, muito bonita, limpa, mas eu me sentiria melhor com a presença da minha tia."

" Quanto a isso, querida, sua tia mora aqui também. Nós entramos em um relacionamento pouco tempo depois que ela se mudou para cá e foi trabalhar na Cowell's publishing."

      E só foi me contar isso agora? Digno tia! Nem o questionei a respeito de Tomlinson me levar para a reunião, sei que não vai adiantar em nada. Me despedi dos garotos que estavam ali fora comigo, esperei até que eles saíssem com a Lange Rover prata que um o menino de cabelos cacheados dirigia, desejei boa noite para o casal e fui para o quarto o qual os meninos estavam fazendo algum tempo atrás. Coloquei um pijama de manga comprida, nessa estação do ano neva por aqui, peguei duas cobertas no armário, deitei minha cabeça no travesseiro macio de gel e, cansada da viagem, peguei no sono em menos de um minuto.

       Barulhos de panelas ecoavam pela casa, fazendo com que eu me acordasse, esfreguei os olhos e sentei na cama, esperei algum tempo crendo que o senhor Cowell, ou meu tio, acordasse e fosse ver o que estava acontecendo, mas ele não o fez. Peguei um abajur de cima da mesinha, ao lado da minha cama, levantei cuidadosamente tentando não fazer nenhum barulho, e do mesmo jeito segui os ruídos, que agora já não eram mais de panelas e sim de vidro, pratos mais especificamente. Deduzi que alguém estava comendo, mas como eu tenho um alto nível de curiosidade, fui até a cozinha, me deparei com Louis comendo alguma coisa que eu não identifiquei o que seria.

        Várias questões surgiram na minha cabeça, mas eu preferi ficar quieta e parada no lugar que eu estava, sem pensar soltei o abajur de gesso, que caiu no chão, e sem muito barulho se partiu em mil pedaços, não consegui esboçar nenhuma reação, a não ser a de ficar olhando para o abajur, ou melhor, o que sobrou dele. A minha primeira reação, minutos depois, foi pegar uma vassoura, na ala de limpeza da casa e limpar tudo, cada pedacinho de gesso e vidro, pegar do chão e colocar no lixo, enquanto Louis ria debochado.

" Me deixa adivinhar, você pensou que alguém invadiu a casa e veio ver, e esse abajur era pra me matar caso eu fosse um ladrão e quisesse atacar você."

"Era a intenção. O que você faz aqui?" – Questionei irritada

"Simon não contou? Vou te levar para a reunião amanhã.'

" Isso eu já sabia".

" Então por que pergunta?"

     Terminei de recolher os cacos e varrer toda a sujeira que eu havia feito, tomei um copo de água para me acalmar um pouco, por que esse cantor me deixa com os nervos a flor da pele. Ele é arrogante demais. No mesmo tempo em que meu coração se acalmou, eu reuni forças e saí andando, mas para a minha surpresa, o garoto Tomlinson estava me seguindo e segurou o me pulso. Por alguns segundos eu pensei que ele fosse me tratar com carinho, me dar boa noite ou qualquer coisa do gênero, talvez fosse dizer alguma coisa descente, mas eu estava redondamente enganada.

      Desde quando ele costuma ser educado? Eu não o consigo imaginar tratando alguém com carinho, nem sequer com respeito.

"Dá próxima vez venha com um travesseiro, o efeito será o mesmo e ele não vai quebrar, eu te garanto."- Louis pronunciou com um sorriso debochado.


Notas Finais


Olá pessoal! Espero que gostem dessa fic. Deixem nos comentários opiniões positivas e negativas, caso as tenham. Beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...