História A guardiã das almas - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Mitologia Japonesa
Personagens Personagens Originais
Exibições 4
Palavras 1.264
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Cross-dresser
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas do Autor


Oiiiin pessoinhas!! Espero q gostem ok? Quem quiser pós comentar sua opinião! Eu ficarei muito feliz!! Bjinhos até as notas finais!!...

Capítulo 1 - O portal.


Fanfic / Fanfiction A guardiã das almas - Capítulo 1 - O portal.

A claridade suave do sol tocava gentilmente o rosto adormecido de Misuki, o que a fez abrir os olhos, e com um movimento lento e arrastado, pegou o celular em cima do criado-mudo, conferindo a hora, esfregou os olhos com as costas da mão, e franziu a testa, tentando enxergar os pequenos números na tela do aparelho, quando deu um pulo, percebendo que já estava quase atrasada para a escola.

     Tomou um banho rápido, escovou os dentes, nem se quer tomou café da manhã, passou um pente em seus cabelos curtos, extremamente finos e lisos, ajustou a gravata do uniforme em frente ao espelho, finalmente  estava pronta.
  Desceu as escadas quase correndo, deu um beijo em sua mãe, que lavava os pratos, e correu pela sala, saindo de casa, e montando sua bicicleta rosa.
   Não podia se atrasar, não naquele dia! Haveria um passeio escolar no qual a professora Tatsuki levaria todos os alunos de sua sala para fazer uma visita a um museu, e o ônibus que os levaria, tinha horário pra sair da escola.
  Pedalou o mais rápido que pode, e conseguiu chegar ao colégio a tempo da chamada, e junto aos outros alunos, adentraram no ônibus, que não demorou muito para chegar até o tal museu.
    Passeavam bastante entre os corredores impecáveis e silenciosos, ouvindo as explicações da professora Tatsuki, e do  funcionário do museu que os guiava, mostrando as estátuas de pedra que simbolizavam deuses e antigos guerreiros antepassados.

   Misuki dedicava sua atenção única e exclusivamente às palavras do guia, que contava a história do grande Deus felino Haru, que tomava a forma de um imenso tigre branco, o guardião de todos os anjos, os maus e os bons. Assim como os anjos bons, os demônios também eram considerados anjos, e para que eles não viessem até a terra, e interferissem na vida e nas escolhas dos seres humanos, trazendo o mal e quebrando o equilíbrio, o grande tigre Haru, sacrificou sua eternidade, aprisionando todos os 50 demônios dentro de seu próprio corpo, e para que não mais saíssem, ele acabou petrificando a si mesmo, transformando-se em pedra, tornando assim, impossível libertarem-se novamente.

     
      - Porém, nada e assim tão simples! - completou o guia com o dedo indicador levantado. - Diz a lenda, que a serpente das trevas, Yuma, que também era uma das guardiãs, tentou retirar o lacre mágico criado por Haru para transformar-se em pedra e aprisionar os demônios, evocando um ritual mágico, porem, sem sucesso, a essência de Yuma era impura demais para que conseguisse retirar o lacre de Haru, então ela roubou a filha do rei Itsumaga, a bela e virgem  Aika, e a sacrificou, derramando seu sangue inocente pela estátua, para selar um feitiço que ela colocara, no qual devia ser iniciado com o sangue de uma virgem, e terminado com o beijo de uma virgem! Porem tal beijo nunca foi consumado, já que Yuma descobriu que o beijo deveria ser dado, pela mesma jovem da qual o sangue foi derramado, mais a bela Aika já havia morrido, e Yuma espera até os dias de hoje, o nascimento da reencarnação da princesa Aika, para que o feitiço seja finalmente concluído, e os demônios finalmente libertados! - disse o guia apontando para a enorme estátua de Haru, um enorme e assustador tigre de pedra.

   - bom, como podem ver, essa é a suposta forma do grande deus felino Haru! Diz a lenda, que essa é sua forma original! Aproximem-se! - ele disse chamando os jovens alunos para perto da estátua. Todos observavam os detalhes, quando a professora Tatsuki percebeu que já eram 1:30 da tarde, e todos deviam ir almoçar antes de continuar com o tour pelo museu.
    Todos dirigiam-se até a porta de saída quando Misuki escutou alguem chamá-lá.
     Olhou para trás, não havia ninguém, mais era como se algo a conduzisse com um imã. Ela logo separou-se do grupo de alunos, caminhando involuntariamente até a estátua do grande tigre.
    Ela aproximou-se da estátua, ainda com a impressão que ouvia seu nome, em uma voz dentro de sua cabeça. Ela olhou de lado, pelo canto do olho, e percebeu que todos os alunos já haviam saído, ela estava sozinha naquele corredor, e sentia algo estranho, quase inexplicável, sentia-se atraída pela aquela imagem, apenas caminhava lentamente, quase como se tivesse sendo hipnotizada.
    Aquela voz no seu estranha em seu subconsciente, a convidava.

       -Misuki...Misuki...Misuki...

A voz parecia cada vez mais alta, quando dua linha de pensamento, foi cortada por um tropeço.
    O pequeno degraul na frente da enorme estátua de pedra , topou na ponta do sapato de Misuki que andava hipnotizada em direção ao animal de pedra, fazendo-a escorregar, saindo do transe. Misuki tentou equilibrar-se mais foi em vão, quando recobrou a consciência, já estava no ar, caindo de cara no monumento de pedra.
    Acidentalmente seus lábios tocaram a boca do animal de pedra, cortando o lábio superior e a gengiva de misuki, fazendo-a sangrar.

      - Aaaai droga!! - Ela resmungou colocando depressa as duas mãos na boca tentando conter a dor e o sangramento, quando percebeu, um brilho muito forte começar a surgir do objeto de pedra em sua frente. Quando encarou a cena, seus olhos se fecharam imediatamente, pois a claridade era muito intensa, havia muita luz, e de repente, milhões de vultos negros saiam de dentro da estátua, as luzes e o barulho eram insuportáveis! Era como se houvessem milhões de gritos desesperados ao mesmo tempo, de repente... Tudo cessou. Misuki sentiu uma tontura, todo ficou escuro,ela desmaiou.

      Misuki abriuos olhos, extremamente confusa, seu lábio latejava e ela tinha uma leve dor de cabeça. Seus olhos reconheceram o ambiente, estava no hospital.

     - Aaaaaiiiin Misuki!!! Você acordou!! Como você está? Como diabos isso foi acontecer com você? Nós ficamos preocupadas! - dizia Sawa Toryuamma, a melhor amiga de Misuki.

      - O que aconteceu? - resmungou Misuki, tentando não forçar muito a boca que doía horrores.

    - Eu que te pergunto!! - Disse Sawa com as duas maos na cintura.

   De repente o doutor adentrou o quarto, junto à Kami, a mãe de misuki, que  falava sem parar, e Misuki mal prestava atenção. De acordo com o depoimento de Misuki, que dizia : "apenas desmaiei " o doutor concluiu dizendo que obviamente se tratava de uma possível queda de pressão ou algo assim, apenas recomendou umas vitaminas, e injeções, logo após a garota teve alta, saindo do hospital com a professora Tatsuki, Sawa e sua mãe. Antes mesmo que saíssem da calçada do hospital, um dos maqueiros veio correndo em sua direção, com um pequeno gatinho branco nas mãos.

     - Por favor senhora! - disse dirigindo-se a mãe de Misuki. - Esse gatinho é seu? É que desde que os paramédicos foram buscar sua filha na ambulância, avistamos esse gatinho na porta do museu, e quando chegamos aqui no hospital, inacreditavelmente o gatinho estava na porta do hospital! Ele não parou de miar enquanto sua filha estava sendo atendida e medicada, tentamos levar ele pra longe mais ele sempre volta! Deduzi que fosse de vocês! - explicou o rapaz com o gatinho na mão, que miava impaciente.

      - Não senhor! Não temos animais! - Disse Kami.
   
      - Mãe podemos ficar com ele? - perguntou Misuki, num tom manhoso.
   Kami pensou por alguns segundos, mais logo assentou com a cabeça, não conseguia dizer não a sua única filha. Elas levaram o pequeno gatinho branco.

.
.
.

*CONTINUA* 


Notas Finais


Oiiiie espero do fundo do cotação q BCS tenham gostado! Esse cap. Foi mais sô uma introdução pra vcs entenderam algumas coisitas! O próximo vai ser melhor!bjus comentem por favor!! ❤❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...