História A guerra do OlimpoHunhan - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Lu Han, Sehun
Tags Hunhan, Mitilogia, Yaoi
Visualizações 1
Palavras 1.776
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Lemon, Luta, Misticismo, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Pessoal, esse e o próximo capítulo serão apenas para apresentar os personagens principais(Luhan e Sehun). A história começará a se desenvolver a partir do capitulo 3.

Capítulo 1 - Luhan


Fanfic / Fanfiction A guerra do OlimpoHunhan - Capítulo 1 - Luhan

LUhan

Aqui estou eu, vendo cinco filhos de Hermes com seus corpos fortes nús enquanto se banham na cachoeira, mas somente o dono de cabelos laranja vivo prendia meus olhares por mais que poucos segundos.

Sendo filho de Afrodite, conquista-lo não seria difícil para mim. Um olhar e um sorriso aqui, uma reboladinha e um biquinho ali e pronto, tenho qualquer mulher ou homem que eu quiser. Então porque estou os olhando e não investindo no menino alto que eu tanto desejava? Bem, riam de mim se quiserem, mas por algum motivo não quero usar minha abilidade de sedução para conquistálo, quero conseguir ele por esforço próprio. Pois é, não sei o que deu em mim.

Devo ter passado muito tempo pensando, quando olhei para os cinco meninos novamente eles haviam saído da água, estavam vestidos somente com bermudas e toalhas em cima dos ombros enquanto riam de algo que com certeza era uma piada que algum deles havia contado, filhos de hermes são extremamente brincalhões. Agora colocavam as blusas laranja que diferenciava os filhos de Hermes dos outros, isso é a minha deixa para ir embora. Silenciosamente desci da árvore que me escondia e com passos leves e rápidos saí do local aproveitando o fato dos irmãos estarem distraídos com uma brincadeira de ''lutinha''.

Assim que me aproximei do chalé em cores de azul-claro e branco senti o costumeiro cheiro doce que eu e meus irmãos naturalmente temos. Sabendo usa-lo podemos usar para seduzir e manipular, já que ele cria uma espécie de névoa na mente das pessoas, as deixando a nossa mercé. 

Perto da porta havia um garoto que usava uma blusa rosa-bebê, que era uma espécie de uniforme para os filhos de afrodite. Quando ele se virou para mim pude ver que era o JeongHan, apesar de já o ter reconhecido pelos cabelos loiros e um tanto longos. O mais velho de nós estava arrumando os panos de seda cor-de-rosa que enfeitavam a entrada.

-Precisa de ajuda?- Perguntei subindo as brancas escadas de mármore.

-Eu responderia sim á dez minutos atrás, onde você estava pirralho?- A voz melodiosa do mais velho estava bem humorada, o que deixava claro que eu não estava levando uma bronca por ter sumido no dia da limpeza semanal. Quando eu ia dar uma desculpa, e não a verdade, os cinco garotos que estavam na cachoeira passaram por nós, ele me olhou, provavelmente assimilando o cheiro da floresta misturado ao meu cheiro natural de chocolate. Ele levou a mão ao meu cabelo e tirou uma peguena folha que pelo visto estava presa ao meu cabelo.

-Olhando os garotos de Hermes tomando banho de novo Luhan? Que feio.- Ele disse com um sorrisinho arteiro que me deixou levemente corado.

-Para, eu não tenho culpa dele sempre tomar banho com os irmãos.-Disse com voz manhosa, ele riu, provavelmente do meu dengo.

-Eu acho que você nem devia ver ele tomando banho, é invasão de privacidade- Como se nós, ou qualquer um dos nossos irmãos tivesse moral para falar de respeitar a privacidade dos outros. Eu adimito, somos os maiores fofoqueiros que você vai conhecer na vida.

 

-Mas saindo desse assunto, deixamos as cortinas do banheiro para você lavar.-Ele disse terminando de lustrar o ''10'' que enfeitava nossa porta, o ouro branco brilhava quando o sol batia, dando, na minha opinião, um efeito lindo.

-Tudo bem.- Entrei no lugar organizado pela limpeza recente e com cheiro doce que nós exalavamos. Acho que os produtos não conseguiram tirar este cheiro que estava impregnado no lugar.

Passei pela mesa de maquiagens e as com objetos e produtos para cabelo, entrei no banheiro exageradamente grande cor-de-rosa com enfeites dourados onde Valentina tomava banho. Nem eu nem ela nos preocupávamos com isso, aqui era comum até andarmanos nús na frente um dos outros. Uma vez isso acarretou uma situação constrangedora. Mas isso é história para outro dia.

-Luhannie, pega pétalas para mim porfavorzinho?- Ela sempre é assim, Valentina é a mais nova de nós, tendo apenas 12 anos, ela foi traga para cá mais cedo que a maioria. Meti a mão em um cesto enfeitado com fitas que estava com pétalas de rosa pela metade, peguei um punhado e joguei pela água da banheira, após ouvir um agradecimento da pequena eu peguei as cortinas que estavam amontoadas no canto da parede e saí. Peguei um pouco de sabão e sai com os panos embaralhados no braços.

A caminhada até o lago foi rápida, comecei pelas cortinas rosa-escuro, pois eram mais pesadas, depois lavaria as cortinas de renda branca. Sempre preferi fazer o dificíl primeiro. Depois de duas horas, e muitas músicas cantaroladas eu estava esfregando em uma pedra a última cortina, as outras estavam estendidas em um galho um tanto fino, balançando de leve com a brisa que passava. Eu estava cantando baixinho uma música que dizia ''Eu perdi minha mente no momento em que te vi'' ou algo assim, sinceramente não sei como a aprendi. Deve ser uma dessas músicas que faz sucesso e então você acaba gravando porquê derrepente está tocando em todo lugar, inclusive no bar na frente da sua casa. Bem, não tem um bar na frente da minha casa, mas isso não vem ao caso.

-I lost my mind neoreul cheoeummannasseulttae

(Eu perdi minha mente no momento em que te vi)

Neo hanappaego modeungeoseun get in slow motion

(Exeto você tudo ficou em câmera lenta)

Naege malhaejwo ige sarangiramyeon

(Diga-me se isso é amor) 

Tá, adimito que a música é legalzinha. Pensei enquanto cantava.

-Que que é isso? Tá apaixonado Luhan? Ah, é mesmo, você está.-Nunca me arrependi tanto de ter contado algo para BaekHyun, essa peste vai me atormentar eternamente. Ou pelo menos até eu conseguir alguma coisa.

-E você, desde que chegou no acampamento, a cinco anos atrás, fica suspirando por aquele filho de Hefesto. Moral para falar de mim você não tem.- Disse tirando a cortina da água e pendurando com ela ainda meio encharcada, tenho muita preguiça de torcer para depois pendurar.

-É diferente. Ao contrario de você, eu não tenho cheirinho de chocolate com morango nem voz enfeitiçada para fazer macho cair aos meus pés.- Tá, nesse quesito ele está certo.

-Isso pode até estar certo, mas você é bonito, já é meio caminho andado.-Disse agora me sentando ao lado do meu amigo. Minha amizade com o Baek é forte, ele foi o primeiro a vir falar comigo quando eu cheguei no acampamento, completamente confuso e com sete anos de idade após fugir de casa por causa de uma briga boba com meu pai e ser atacado por um cachorrinho que soltava fogo pela boca.

-Eu e todos os meus irmãos Luhan.-Bem, isso é verdade, Apolo é o Deus da beleza masculina, todos seus filhos e filhas são lindos, não muito diferente dos filhos da minha mãe.

-No que isso te impede de... Ah não.- Três vilhos de Ares, vindo diretamente para cá sorrindo, coisa boa que não é. BaekHyun aparentemente pensou a mesma coisa, sua mão foi para dento da blusa onde ele provavelvente escondia uma adaga. Quando eu levei a mão a coxa, percebi que havia deixado meu chicote no chalé. Éra só o que me faltava mesmo.

-Olha só, é a primeira vez que vejo a princessinha desarmada.-Revirei os olhos e segurei o braço do Baek, que já havia tirado a adaga e estava se levantando.

-Ele não vale o esforço BaekHyun, e quanto você Alec, não uma arma para polir ou algo assim?-Perguntei me levantando e indo até as cortinas vendo que estavam quase secas, bem, o sol estava forte esses dias.

-Na verdade eu tenho sim, vem até a floresta comigo que eu te mostro.-Ouvi a voz com um tom de malicia. Eu juro que me deu ânsia.

-Erre os Korakas-Pode parecer bobo, mas para os gregos não tem coisa pior que ouvir um ''vá para os corvos''. O Baek olhou para mim com uma cara de ''você enlouqueceu? Ele estava andando na minha direção e eu tinha certeza que ia avançar em mim. Minhas unhas começaram a crescer se transformando em verdadeiras garras, uma habilidade dos filhos de Afrodite, unhas que crescem e se tornam tão resistententes quanto diamante.

-Maninho, o que está acontecendo aqui?- Quando olhei era o JeongHan, mas agora ele não estava sozinho. Andava grudado com um garoto alto de cabelos negros que usava uma blusa vermelho-sangue que entrelaçava sua cintura em um aperto leve e protetor. Choi Seung Cheol, professor de esgrima e o ''líder'' do chalé de Ares. A visão do irmão mais velho provavelmente intimidou os outros três, Alec que antes estava pretes a me atacar se afastou. Seung olhou para ele fez um gesto com a cabeça indicando o caminho que levava em direção aos chalés, os três foram sem contestar, apesar dos olhos estarem praticamente pegando fogo. Hoje o chalé de Ares vai ter uma briga das boas. Ele falou algo no ouvido de JeongHan que acenou com a cabeça, recebeu um celinho e foi solto. Seung olhou para nós e se despediu sem palavras, apenas com um aceno com a cabeça e saiu em passos firmes pelo mesmo caminho que os irmãos.

-Ele pediu desculpas pelo comportamento dos irmãos e disse que... vão ter a punição adequada por intimidação e tentativa de ataque a alguém mais frágil. Ou alguma coisa assim.-Ouvi o Han falar enquanto se aproximava de nós. 

Passamos um tempo conversando, quando as cortinas secaram as dobramos juntos, Baek teve que voltar ao seu chalé para ajudar os irmãos com os mais novos(Apolo é o Deus com mais filhos pequenos por aqui). 

Penduramos as cortinas no nosso banheiro, arrumamos os cabelos um do outro após nosso banho. Ele estava com um trança simples feita por mim, eu estava com cachinhos leves. Brincamos de desfile com a Valentina usando as roupas e sapatos que tinhamos no armário. Bem, em resumo matamos o tempo até a hor que nossos outro irmãos começaram a aparecer, o que significava que estava na hora do jantar.

Não tinhamos tantos irmãos quanto as pessoas normalmente esperam da Deusa do sexo, eu, JeongHan, Valentina, Liam, Mark, JiSoo, Milenne, Katy e Melody. Sinceramente, Ares tem bem mais. Por falar neles. Assim passamos pelo chalé 5 ouvimos os gritos de Seung e barulho de coisas quebrando. Nada fora do comum, Han parou por um segundo, mas depois deu de ombros seguiu caminho, como conselheiro do nosso chalé ele liderava a fila.

A nossa mesa estava, como sempre, bem feliz. Mas eu estava... como se diz... Ah é, ''com a cabeça nas nuvens'' olhando para a nuca de Sehun, o filho de Hermes que tanto me chamava a atenção.


Notas Finais


O próximo é a apresentação do Sehun. E eu sei que devia estar atualizando minha outra fic, e vou fazer isso logo okay? Okay! Bjs e amo vcs.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...