História A guerra dos tempos - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 17
Palavras 674
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Fantasia, Ficção
Avisos: Heterossexualidade, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Introdução


- Vamos, está na hora - gritou Liríus se levantando de seu trono, que era feito de ferro e metal, que transmitia qualquer informação sobre todos os planetas da galáxia através de um sistema digital muito avançado - já levaram os chips SN para o setor Áureo como ordenei? 

- Sim - ouviu - se do fundo do setor 

  Liríus e mais ou menos 12 homens se dirigiam por um largo e longo corredor, dando passos largos com extrema velocidade. Pararam atrás de uma enorme porta laranja, que se permanecia lacrada até que Liríus passou um cartão de cor acinzentado que mais ninguém em todo o planeta possuía.

     O setor era espaçoso, e não possuía muitas coisas o ocupando, as únicas coisas que estavam ali era um painel com vários botões alaranjados e, uma alavanca que se destacava por ser o único objeto vermelho do local. Mais ao fundo estavam três cabines em formatos de tubos, que pelas reações das pessoas que estavam ali, se deduzia que sua função era desconhecida, somente Liríus o comandante do planeta e Kroos um senhor com idade avançada que esbanjava em sua face um grande conhecimento tecnológico, não pareciam confusos, pelo contrário aparentavam estar decididos e determinados.

   - Está tudo pronto - disse Kroos- posicione - se. 

    Após ouvir isso o comandante se dirigiu até uma das cabines, a abriu, entrou e acomodou- se, em seguida fez um gesto com a cabeça dirigido a Kroos, que no mesmo instante puxou a alavanca.

  Luzes azuladas tomaram o setor, o desespero tomou os homens, pois não conseguiam enxergar seu comandante, apenas o que acionara a máquina não se desesperou, apenas ficou em pé, admirando os clarões azuis.

  No entanto, não demorou muito para tudo cessar, depois de alguns instantes foi possível ver Liríus ainda dentro do tubo, o que acalmou os que lá estavam, mas o que deixava o fato mais estranho era que as outras cabines estavam ocupadas, e todos ficavam com mais curiosidade ao perceber que os outros dois apresentavam as mesmas características físicas de seu comandante, desde a cor da pele negra, os cabelos escuros, o formato do rosto ao olhar forte e entimidador esverdeado. 

  - Deu certo! - exclamou Liríus, fechando a porta da máquina e andando em direção a Kroos.

   - Sim, meu senhor - respondeu Kroos - agora não falta mais nada.

   - Mas Kroos, sei que são versões de mim mesmo, mas é seguro confiar neles ? 

  - Claro que sim! - falou confiante -  até a forma de pensar são baseadas nas suas, quando estiverem na Terra agirão da forma como o senhor agiria. 

 - Então ótimo - falou satisfeito com a resposta que recebera - irei para a nave, lembre - se que deve me mandar para o tempo terrestre futuro, dos outros dois mande um ao presente e outro ao passado. 

  Kroos fez um gesto com a cabeça, concordando com o plano, enquanto observava Liríus entrando na nave, que estava destinado a Terra.

   Após perceber que já estava tudo certo acionou um botão, fazendo com que as postas externas se abrissem e liberasse a nave ao vazio do espaço. 

   Continuava o velho senhor a observar o seu comandante indo embora, por um lado confiante de que dias melhores viriam, mas por outro com medo e preocupação com as responsabilidades que caíra sobre seus ombros, pois com a ausência de Liríus ele deveria liderar, entretanto mesmo sabendo que a ordem foi dada pelo seu comandante não fazia idéia de como o seu povo reagiria, se o apoiaria ou o chamariam de usurpador.

  Após tantos questionamentos percebeu que não enxergara mais a nave, passou um tempo procurando, mas entendeu que não seria mais útil ali, e se dirigiu para fora do setor, acompanhado pelos mesmos homens que o levara antes, chegando até o setor Real subiu os três degraus que o distanciara do trono, de lá de cima olhou pelas grandes vidraças e se encantou com a vista, após admirar pós alguns segundos, sentou no trono e se sentiu como um Deus. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...