História A Herdeira de Poseidon - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Afrodite, Annabeth Chase, Apollo, Ares, Artemis, Atena, Charles "Charlie" Beckendorf, Clarisse La Rue, Connor Stoll, Dionísio, Grover Underwood, Hades, Hefesto, Hera (Juno), Hermes, Júniper, Luke Castellan, Nico di Angelo, Percy Jackson, Personagens Originais, Poseidon, Quíron, Sally Jackson, Silena Beauregard, Thalia Grace, Travis Stoll, Tyson, Will Solace, Zeus
Tags Amor, Aventura, Drama, Fantasia, Filha De Poseidon, Hades, Irmã De Percy, Mitologia, Mitologia Grega, Olimpo, Percy Jackson, Poseidon, Profecias, Revelaçoes, Romance
Visualizações 67
Palavras 879
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Fluffy, Luta, Magia, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey! Espero que gostem amorecos!
Boa leitura 💕

Capítulo 11 - Luke, de onde vem esse nome?!


- Por favor... Eu já vou morrer na terça, não adiante isso... ah mais é claro... ele adoraria me matar antes do tempo. - Murmuro e bufo.

- Gente... - Nico olhou parecendo procurar algo. - Meio-sangue...

- Claro né,  a gente tá aqui.

- Não... Não somos nós. - Ele olha para um garota loira ao lado dele. - Hey, qual o seu nome?

A garota parecia estar viajando na sua mente e deu um pequeno pulo quando Nico falou com ela.

- Yasmin... Por quê?

- Qual o nome do seu pai?

- E-eu não tenho pai...

- E mãe?

- Mãe eu tenho.

Nico me deu um olhar de "deixa comigo".

- Então Yasmin... Você parece nervosa, já viajou de avião antes?

- N-não, nunca... - Via as mãos delas tremerem um pouco. Os trovões aumentavam cada vez mais e apertei a mão de Connor.

- Cara, eu não quero morrer... - Falo meio preocupada.

- Calma, você não vai morrer... - Ele diz com uma voz tranquilizadora.

- Sei não hein...

Nico conversava algumas coisas com a Yasmin. Não estava prestando muita atenção.

Depois de algumas horas, finalmente chegamos a Middleton, Wisconsin. Ainda estava escuro, e não fazíamos a menor ideia de onde iríamos passar o resto da madrugada. 

Esse vôo teve muitas turbulências. Nós quase chegamos a cair, mas felizmente isso não aconteceu.

Saímos do aeroporto. Ele ficava meio longe da cidade. Sem saber para onde ir, nós andamos e andamos e misteriosamente, nós paramos em um extenso campo. E ali perto, havia uma casa que parecia abandonada. Andamos a casa inteira e não encontramos ninguém. Entramos em quarto que parecia de criança e nos sentamos no chão.

A Yasmin disse que iria para a casa da mãe... Algo assim. O Nico perguntou se ela queria vir com a gente, mas ela negou a proposta.

- Só que eu que estou morta da viagem? - Disse olhando os garotos.

- Pode dormir Aly...

Deitei nas pernas do Connor e adormeci. 

Quando abri os olhos novamente, ainda era de madrugada eu acho as janelas ainda não irradiavam luz,  a visão ainda estava embaçada. Só consegui ver uns tênis e um par de sapatos sociais, e foi só.

Acordei totalmente e por instinto, peguei meu celular. Eram 10:00 de quarta-feira. 

Me levantei e Nico e Connor ainda estavam dormindo. Decidi não acordá-los e saí da casa. Fui até um riacho que ficava ao fundo e pus-me a observá-lo.

Depois de um tempo, percebi alguém ao meu lado. Não era Nico, não era Connor. E sim, um garoto alto e magro, loiro e olhos azuis.

- Riacho bem bonito né? - O desconhecido falou o observando.

- Sim... Incrível. - Respondi.

- O que faz uma garota em Middleton?

- Ah... Eu... Vim visitar a cidade.

- Ah sim... - Ele não pareceu muito acreditar, mas por fim, ele disse. - Qual seu nome garota?

- Alyssa Jackson. E o seu?

- Ah... Não importa. - Ele sorri.

Do nada, sinto uma vontade forte de entrar no riacho. A água me fazia bem melhor. Sem poder conter a vontade, logo entrei nele e mergulhei.

Fiquei um tempo debaixo d'água. Aparentemente, eu nunca poderia morrer afogada, haha.

Aí me lembrei do garoto, e para não estranhar, fui de volta para a superfície.

- Wow, como consegue ficar tanto tempo debaixo d'água? - Ele perguntou parecendo admirado.

- Ahn... Eu faço aulas de natação, e eu aprendi algumas técnicas... - Mordo os lábios. Eu sempre fazia isso quando ficava nervosa ou quando mentia.

- Isso é muito legal mesmo... Seus olhos são muito azuis, podia se passar por uma filha de Poseidon. - Ele diz rindo.

- Ér, se deuses existissem. - Rio junto a ele.

- Se eles existissem mesmo, acha que estão fazendo um bom trabalho?

Pensei nisso um pouco antes de responder.

- Não, se existissem e as coisas acontecessem por causa deles, eles não estariam fazendo um bom trabalho... Eles irão matar uma garota só porque ela acabou de chegar e não é muito amigável! - Falo meio irada. Aí percebi o que tinha dito.

- Ahn... Agora você está falando como se uma garota fosse morrer mesmo.

- Ér... Empolguei. - Rio de nervosa.

- Você... Sentiria raiva deles?

- Talvez... Eles não poderiam continuar assim, talvez se eles tivessem um novo líder, as coisas melhorassem ao invés de seguir um cara que comanda o céu e se chama Zeus. Talvez se a líder fosse Artémis, ou Atena, talvez as coisas seriam diferentes...

- E se... Os deuses não existirem mais? Se eles simplesmente acabassem?

- Aí é uma coisa meio complicada...

- Mas você apoiaria?

- Não sei... É um assunto delicado e tem que ser pensado bastante antes de obter uma resposta que você julga certa...

- Você queria saber meu nome, certo?

- Sim.

- Pois então, sou o Luke. Prazer. - Ele sorri.

Luke... Tinha visto esse nome em algum lugar, mas sabendo que não iria recordar agora, saio do riacho e me balanço, tentando tirar o máximo de água em mim.

- Se eu fizer uma coisa, você não conta para ninguém?

- Claro.

- Tudo bem. - Numa tentativa de me secar, pois estava meio frio, fiz com que toda água que estava em minhas roupas e cabelo, voltassem para o riacho. Quando olhei Luke novamente, ele não parecia muito surpreso.

- Que... interessante. - Depois, ele murmurou algo que eu não escutei bem, mas ouvi as palavras "Ele", "Aliada" e "Possível". Não fazia a mínima ideia do que isso significaria, mas deixei para lá.




Notas Finais


Espero que tenham gostado! E comentem se estiverem gostando da fanfic.
Até o próximo capítulo! 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...