História A herdeira do trono - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Levy McGarden
Tags Fairy Tail, Gale
Visualizações 46
Palavras 2.516
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Hentai, Luta, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


HELOOOOOO
espero que ainda estejam vivos, pq por incrível que pareça eu estou kkkkkkk
desculpa o sumiço, nem eu sei pq demorei tanto pra voltar ...
bom, espero que esse cap ajudem vcs a perdoarem meu sumiço <3
adoro vcs <3
boa leitura.

Capítulo 8 - Cap 8


Fanfic / Fanfiction A herdeira do trono - Capítulo 8 - Cap 8

Erza estava agora posta do lado direito do pátio, Jellal que se encontrava a sua frente ainda não havia se movido. Ambos os comandantes começaram a girar em torno do centro do pátio mantendo os olhos grudados no adversário logo a frente, avaliando o oponente.

Jellal era mais alto, mais forte e mais experiente que a ruiva, Erza então estava torcendo para ser mais rápida, sua flexibilidade também a ajudaria de alguma forma, sem contar no estilo diferenciado de luta que sempre treinou, tinha o efeito surpresa ao seu lado. Jellal era membro do exercito a mais tempo do que ela (pelo menos era o que julgava), o que significava que ele contava com sua vitória, a ruiva contava com o fato de que o azulado a subestimaria, acabaria rapidamente com a luta para não dar a ele a chance de se adaptar.

Para aproveitar sua chance então Erza atacou primeiro, se aproximou rapidamente de Jellal e deu um forte soco do lado direito, o qual foi impedido por sua guarda já alta, a ruiva não perdeu tempo e aplicou outro com uma maior quantidade de força aplicada, porem este novamente foi contido pela guarda do azulado, e isso se seguiu enquanto a ruiva o golpeava. Mas até o momento tudo ia exatamente com a ruiva avia planejado, agora que o azulado estava com a guarda um pouco mais elevada e com seus olhos seguindo seu punhos, Erza aplicou um chute frontal nas costelas do azulado o mandando pra trás fazendo com que perdesse o equilíbrio  momentaneamente.

Jellal estava surpreso, o azulado não conseguiu acompanhar os golpes da ruiva facilmente, a sucessão de socos seguido do chute ocorreram em questão de segundos, enquanto ela terminava um o outro já estava o acertando, e ele tinha que admitir, a ruiva possuia uma força monstruosa, enquanto levava os golpes os sentia ficarem mais fortes gradualmente, ele não sabia definir qual sua força total. Agora que tinha recuperado novamente o equilíbrio, olhou a ruiva no exato momento em que sua perna voltava ao chão e a ruiva se posicionava em guarda novamente.

_ Agora que a dama deu o pontapé inicial, podemos continuar com nossa dança?_  perguntou Jellal sorrindo para a ruiva.

_ Muito cavalheiro de sua parte me deixar começar, mais creio que cavalheirismo não ganha lutas_ constatou a comandante ignorando a ultima sentença expressa por ele, na visão dela era bobo e desnecessário esse tipo de comentário.

_ Creio que não.

Dito isso, agora era a vez de Jellal de começar a "dança", ao estar próximo o bastante da ruiva desferiu um golpe duro mirando em sua mandíbula, o qual foi parado pela mesma, o azulado desferiu então mais alguns, no sexto golpe, Jellal mirou o soco nas costelas de Erza, que se encontravam desprotegidas por conta da guarda alta da mesma. O azulado então sem perder tempo aplicou na ruiva uma rasteira que a mandou para o chão com um baque surdo.

_ Sorte a minha que cavalheirismo é sempre um opção_ disse ele enquanto estendia a mão para a mulher que agora o encarava do chão, a qual aceitou sua mão e o puxou com força o tirando do chão e o jogando para trás com o impulso de suas pernas.

_ Sorte a minha que você é meio idiota mesmo_ falou a ruiva se levantando, olhou para o azulado que ainda se encontrava no chão e lhe deu um sorriso de escarnio_ com essa sua força de vontade em me levar pra cama vai ser meio difícil de ganhar a luta, diferente de você não tenho essas distrações em minha mente_ "mentir é feio Erza, faz com que o nariz cresça, só espero que o meu não faça com que minha cara caia de tão grande que ele vai ficar, muito mentirosa" pensava a ruiva enquanto o olhava de cima, sua face, é claro não demonstrava nenhum sentimento se não antipatia, avia aprendido desde cedo que demonstrar o que se passa em sua cabeça não faz bem em uma luta, ou seja, não fazia bem na vida.

_ Isso é golpe baixo comandante_ ele disse enquanto jogava o peso de seu corpo para trás e o impulsionava pra frente com suas pernas para então estar novamente em pé_ minhas intenções para com você, para seu desprazer, não interferem em meu desempenho na luta, e eu estou apenas começando.

_ Então espero que você tenha a capacidade de me entreter com a luta_ disse ela alargando seu sorriso.

Erza observava calmamente Jellal avançar até ela, ele vinha agora com um sorriso em lábios, parecia até um maniaco, enquanto desviava dos golpes tentados pelo mesmo pensava em como lutadores homens eram óbvios, eles tentavam de alguma forma tentar ganhar baseado somente na força, sem se preocupar em como, mas sim com, o azulado não era diferente, seus golpes eram fortes e certeiros, mas eram desmazelados de certa forma, não tinham o toque de perfeição esperados pela ruiva.

Os golpes do comandante começaram a ficar repetitivos, um sucessão de socos fortes direcionados em sua mandíbula, logo depois as costela para então tentar aplicar um chute, a ruiva estava ficando entediada, estava na hora de revidar e mostrar como um comandante deveria lutar. 

Quando o azulado foi aplicar um soco de direita direcionado novamente a mandíbula de Erza, ao invés de apenas levantar a guarda para se proteger, a ruiva interceptou o soco, usou a perna do azulado que estava de apoio com "banquinho" e assim que saiu do chão usou suas pernas como impulso (tendo a mão como apoio) conseguindo então envolver o pescoço do azulado com as pernas, as quais enrolou fortemente envolta do pescoço dele, as mãos de Jellal envolveram as coxas da ruiva fortemente tentando se livrar do aperto causado por ela.

Após ficar alguns segundos em cima dele, a ruiva pendeu seu corpo para frente, fazendo com que ele perdesse assim o equilíbrio, quando ele estava quase no chão, Erza desvinculou suas pernas do pescoço do azulado saltando para se salvar da queda, o que não ocorreu como ela imaginava já que para sua surpresa, antes de Jellal atingir o chão, ele postou suas mãos a frente do corpo e se pôs de pé antes que a ruiva atingisse o chão, e desferiu um chute nela enquanto ela ainda estava no ar, a jogando assim para a esquerda do pátio.

Erza sentiu seu pulmão contrair, suas costela doíam e o corpo formigava, ela parecia sentir cada célula de seu corpo, ela realmente amava isso. A dor parecia tornar sua existência real, fazia com que ela se sentisse viva, algumas pessoas chamariam isso de masoquismo, mas isso nada mais era que a satisfação em se sentir viva, ter a certeza de que seu corpo era digno de sofrer, pois afinal, quando paramos de sofrer e sentir dor, isso não significa que já estamos mortos?

Jellal observou a ruiva se levantar com a mão fazendo pressão em suas costelas, o azulado esperava não ter pego pesado demais com a ruiva, afinal, mesmo sendo uma guerreira não deixava de ser mulher. Erza não demorou a dirigir seu olhar ao azulado, seus olhos pareciam queimar, transmitiam uma mensagem bem clara para o azulado, e seus lábios levavam um sorriso, um sorriso que cortava seu rosto de forma macabra, pela primeira vez na luta, Jellal se esqueceu que estava lutando com uma mulher, melhor com um humano, no momento ela parecia mais um demônio.

_ Finalmente parece que a luta está começando de verdade_ disse a ruiva o encarando e abrindo o sorriso um pouco mais, se é que isso era possível, o que fez com que o azulado tivesse vontade de sair daquele pátio imediatamente, seus instintos gritavam por isso, mas Jellal os ignorou e continuou parado esperando o ataque vir até ele.

Os ataques da ruiva estavam agora mais rápidos e certeiros, ela lutava de forma selvagem e elegante ao mesmo tempo, Jellal estava aguentando bem, parava todos os golpes que conseguia e devolvia uns poucos, se ele quisesse realmente ganhar aquela luta deveria mudar o rumo das coisas, porque do jeito que elas estavam indo ele com toda certeza não iria ganhar.

Jellal então se concentrou e olhou novamente para a ruiva, se realmente queria ganhar aquela luta teria de apagar de sua mente com quem estava lutando. Ao desligar a parte do cérebro onde se identificava as pessoas, a parte que o azulado usava para definir a pessoa com inimigo ou aliado, sua capacidade de luta aumentava, porém vinha também com trabalho e prestar mais atenção em si mesmo do que no adversário, se Jellal se descuidasse mesmo que por um segundo a pessoa que era seu oponente podia acabar morrendo.

Erza estava já em tal ponto que não sentia quando era atingida por Jellal, seu sentidos pareciam desligados e aquilo a estava deixando brava, não queria não sentir a luta, pelo contrário queria sentir aquela luta em cada célula de seu corpo. Se preparou para atacar novamente o azulado, mas desta vez algo estava diferente, algo que a fez parar no meio do caminho, algo que a fez hesitar, olhou para o azulado novamente, a ruiva sempre levava seus instintos muito a sério, já tinha perdido a conta de quantas vezes eles já a tinham salvo.

O azulado ao notar a hesitação de seu oponente atacou sem pestanejar. Erza que não estava pronta para esse tipo de investida se esquivou por pouco, o punho de Jellal passou raspando por seu rosto, deixando um leve corte no mesmo. A comandante levou a mão até o corte que no momento ardia, a ponte de seus dedos saíram vermelhas, ela então sorriu ao leva-los a boca manchando assim sua boca de sangue.

_ Você me cortou_ disse ela sorrindo enquanto ele se virava para ela sem expressão no belo rosto_ será que devo devolver o favor?_ falou enquanto começava a andar calmamente até ele logo depois inciando uma corrida, ao chegar até ele desferiu uma série de golpes no azulado, aos quais eram devolvidos na mesma moeda.

Ambos perderam a conta de quanto tempo ficaram naquela troca de golpes, a luta seguia equilibrada, nas poucas vezes em que um dava um guinada não demorava até o outro fazer a mesma coisa, eles estava lutando a mais de horas, e seus corpos só começavam a dar sinais de cansaço agora, ambos já respiravam com dificuldades e mesmo assim mantinham o percurso da luta e alto nível, sem deixar a desperdiçar os anos de treinos regulares que ambos tiveram.

Se antes eles trocavam ferpas durante a luta, agora eles poupavam energia para poder derrubar o adversário, nenhum tirava os olhos da luta, do oponente. Os pensamentos que antes rondavam suas mentes agora já não existiam, o mundo deles agora se reduzia apenas aquele pátio, aquela luta. Os dois comandantes estavam cobertos de suor, encharcados, a umidade presente na roupa parecia fazer com que seus golpes fossem mais lentos e cansativos, não demorou muito até que ambos já estivessem quase cambaleando.

A lua já se fazia presente no céu e nenhum dos dois desistiu da luta, não queria dar o braço a torcer, estiveram naquilo o dia todo, naquela troca incessante de golpes e mais golpes, "pelo menos assim vou conhecer essa pessoa melhor" era o pensamento que eles compartilhavam, para lutadores, nada melhor que uma boa luta para conhecer seu aliado. Suas mentes agora mais calmas, sustentavam a luta de forma singela, elas já não faziam planos para ganhar a luta, mas sim para aguenta-la. 

Em dado golpe Erza se desequilibrou e caiu para frente, levando assim Jellal consigo para o chão. A ruiva estava extremamente cansada, seus músculos tremiam em espasmos constantes, sentia sua cabeça latejar, mas não sentia o chão gelado abaixo de si, sentia algo quente, e que respirava descompassadamente, levantou sua cabeça e viu o rosto de Jellal conforme seu peito subia e descia, sem forças para ficar envergonhada ou brava, pendeu a cabeça novamente, provavelmente nunca admitiria para ele, mas seu corpo era confortável.

Jellal sentia a ruiva deitada em cima de si, se fosse em outra situação agora provavelmente seria o momento em que ele estaria se esforçando para não pensar em besteiras, mas no momento não tinha forças para tal ato. O azulado se sentia de certa forma confortável ali, o contrate de temperaturas rentes ao seu corpo o agradavam, o calor de Erza sobre si, o gelado do chão a suas costas e a temperatura de seu próprio corpo pareciam casar e formar uma sensação agradável. 

_ Até quando pretende me usar de travesseiro?_ perguntou o azulado sem olhar pra ela, estava com muita preguiça para levantar sua cabeça. 

Erza virou seu rosto para ele, o azulado ainda se encontrava totalmente estirado no chão não se movera um centímetro desde que haviam caído, a ruiva então sem coragem para perder tal chance, espalmou as mãos no peito do azulado e se sentou nele, com uma perna de cada lado do tronco abaixo de si, com uma das mãos espalmada agora no centro do peitoral de Jellal, levou a outra até seus cabelos tirando os vários fios que se soltaram durante a luta os empurrando para trás.

_ Por que? Você não gosta quando as mulheres ficam por cima Jellal?_ o azulado ficou de boca aberta, totalmente sem reação, a ruiva por sua vez começou a rir e se jogou para lado caindo no chão ao lado de Jellal, _ você luta bem_ disse a ruiva um tempo depois de ficar no chão apenas observando as estrelas.

_ Você que o diga_ falou Jellal ainda um pouco vermelho por conta do momento passado a não muito tempo atrás que não sairia assim tão fácil de sua memória_ teve um momento em que eu realmente achei que você era um demônio que queria estraçalhar meu corpinho_ declarou agora rindo um pouco.

_ Desculpa por isso, eu normalmente me empolgo durante as lutas_ respondeu a ruiva sem expressão_mas você também, no meio da luta você... Sei lá, não consigo explicar, você só mudou.

_ Acontece quando levo meu oponente a sério de mais_ disse dando de ombros _mas em, você muda completamente durante a luta né? Fica doida, meio maníaca.

Erza olhou para Jellal, seu rosto de perfil era bonito também, mas porque demônios ele tinha que ser tão idiota? A ruiva começou a rir, melhor gargalhar, oque sobressaltou o azulado ao seu lado que agora a encarava.

_ Dessa vez foi quase_ declarou ainda rindo _ admito que chegou bem perto_ disse agora se levantando, Jellal ainda sem entender nada se sentou e observou a ruiva que agora estava de pé a sua frente_ que bom que posso sempre contar com sua estupidez, se não eu realmente estaria em maus lençóis_ se virou e caminhou até a saída, antes de chegar na porta se virou para trás_ obrigada pela luta comandante Jellal, quem sabe da próxima vez podemos lutar usando armas.

E saiu deixando um Jellal completamente atônito sem entender nada.

_ O que acabou de acontecer?_ se perguntou em voz alta.

 

 

 

 

 


Notas Finais


Esperam que tenha gostado, o próx cap eu já quero começar a primeira etapa do torneio, vo tenta não demora tanto dessa vez kkkkkkkk

bjs <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...