História A Herdeira: Prisioneiro de Azkaban - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Tags A Herdeira, Cassie, Harry Potter, Sirius Black
Exibições 20
Palavras 2.975
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Escolar, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Como prometi, o segundo capítulo!

Capítulo 3 - Capítulo III - A Descoberta


Fanfic / Fanfiction A Herdeira: Prisioneiro de Azkaban - Capítulo 3 - Capítulo III - A Descoberta

 

Logo depois da aula de Lupin, os alunos iriam para Hogsmeade, Rony e Hermione saíram na frente para entregar suas autorizações, deixando Cassie e Harry sozinhos na sala com Lupin.

-Seu maior medo é Sirius Black? -Harry comenta esperando a amiga guardar suas coisas.

-Cale a boca, o seu são os Dementadores! -Ela retruca.

-Os Dementadores podem nos matar! -Ele tenta justificar.

-Se esqueceu que Sirius é um condenado? -Ela pergunta irônica.

-Um velho parado perguntando porque você estava aqui não me dá muito medo! -Harry comenta ajeitando o cabelo.

-Ainda bem que é o meu medo, e não o seu! -Cassie revira os olhos antes de continuar- E Dementadores não são nem de longe um dos meus maiores medos!

-Nossa, desculpa "A CORAJOSA"! -Ele tira sarro enfatizando o "a corajosa".

-Nada que um "Expecto Patrono" não resolva! -Ela revida.

-Um o que? -Pergunta confuso.

-É um feitiço, depois de explico! -A garota fala- Vai para Hogsmeade?

-Não, meus tios não me autorizaram! -Ele diz mudando seu semblante.

-Mary, como uma boa mãe nem leu o papel antes de assinar! -A garota brinca, mas quando vê que a risada de Harry fora forçada fica séria novamente- Quer saber? Eu também não vou!

Lupin começa a tossir como se estivesse engasgado, Harry o olha antes de responder.

-Não precisa desistir da sua viajem só para ficar comigo! Pode ir, de verdade! -Ele diz passando as mãos pelo cabelo.

-Faria isso quantas vezes fosse necessário! Somos melhores amigos, e melhores amigos não desistem dos outros! -Ela diz confiante- Eu não vou e você não vai me fazer desistir disso!

Harry franze a testa antes de continuar a conversa.

-Você é a melhor amiga que alguém poderia ter! -Potter diz a abraçando.

-Eu sei! -Diz jogando os cabelos para trás- Vai indo na frente, eu tenho uma coisa importante para resolver, e depois te procuro para fazermos alguma coisa!

-OK! Até mais! -Ele se despede vendo a morena sair rapidamente da sala.

-São amigos há muito tempo? -Lupin pergunta assim que o barulho dos passos de Cassie não são mais audíveis.

-Desde o primeiro ano... -Harry diz devagar.

-E conhece a mãe dela? Quero dizer, a adotiva?

-Só quando ela a vem buscar nas férias, uma mulher linda, alta de rosto fino e cabelos castanhos claro! Se não me engano o nome dela é Mary ou Emma, alguma coisa assim... -Ele responde tentando lembrar-se da mulher- E a Marlene era mais linda ainda! Longos cabelos negros como o breu, olhos azuis como o mar, e um corpo esbelto. Na realidade, ela é Cassie se parecem bastante!

-Então ela clareou o cabelo... -Lupin sussurra.

-O que? -Harry pergunta.

-Nada... -Ele sussurra- Me siga Potter!

 

 

 

 

"Antes de ir para Hogsmeade me encontre no lado oeste da ponte da escola –Snape"

Cassie lia repetidas vezes o bilhete que encontrara dentro de seu livro de poções, esse fora um dos motivos para ter ficado, alguma coisa a dizia que não deveria contar a ninguém, porém, outra dizia para ela não ir. Mas como a curiosidade bateu mais forte, Cassie resolveu ir ao encontro de Snape.

Quando finalmente chegou na ponte, ela o encontrou encostado em uma das pilastras que sustentavam a ponta encarando o horizonte.

-Professor? -Ela diz calmamente.

-Ele sabe? -Snape pergunta sem virar para encará-la.

-Desculpe, não entendi. Quem sabe o que? -Ela diz com um meio sorriso, porém seu corpo formigava de medo.

-Você sabe muito bem sobre o que estou falando! -Ele diz elevando a voz e virando-se para encará-la- Ele sabe?

Cassie o encara por alguns segundos tentando imaginar porque ele estaria tão bravo, e então sua mente se clareia como o nascer do sol. Ele sabia sobre Black ser seu pai. Snape e Cassie construíram uma relação praticamente paternal nos últimos anos, e não era segredo de que Snape não gostava de Sirius ou qualquer um que fosse da turma de James Potter. E descobrir que sua quase filha era na realidade filha de um de seus piores inimigos, não deveria ser uma coisa simples.

-Não. Eu e Emme somos as únicas que sabemos, -Ela para por um momento- e agora você!

Os dois ficaram em um profundo silêncio por vários minutos, o olhar decepcionado de Snape sobre Cassie era quase insuportável.

-Olha, me desculpe! Eu não tenho culpa de ter o pai que tenho! -Ela diz se aproximando- Eu não contei porque não quero que me associem a ele! -Ela mente descaradamente, mas pela cara de Snape estava dando certo.

-Pensei que confiasse em mim, até para contar que é filha desse traste! -Ele diz a última parte com nojo na voz.

-Eu confio, e muito! Mas sei de suas desavenças com Sirius, e não queria que isso atrapalhasse nossa relação, você é muito importante na minha vida! Esteve aqui quando poucos tiveram coragem. Você pode não ser meu pai de sangue, mas sempre será o meu pai de coração! -Cassie diz sinceramente.

-Eu sei, mas ainda estou chocado com tudo isso! -Ele diz virando novamente para apreciar a paisagem.

Cassie senta no parapeito olhando para a mesma direção.

-Ele era uma pessoa tão má assim? -A garota pergunta depois de um tempo- Não que eu me importe, mas gostaria de saber sobre como ele realmente era!

-Gostaria de poder lhe responder, mas não era amigo dele, comigo ele era a pior pessoa de todas, juntamente com James e Lupin! -Ele diz num murmúrio.

-Por que será que ele fez o que fez? Ele sabia que seria pego, e mesmo assim o fez! -Ela diz dando uma risada falsa.

-Eu não sei! -Ele diz e vira para encarar o semblante triste da garota- Só sei que ele perdeu a chance de ter a melhor filha de todos os mundos.

Ela o encara por alguns minutos, apesar de todos os desencontros, ter Snape em sua vida melhorou e muito o seu psicológico. Ele não era a pessoa fria e calculista que todos diziam, na verdade ele era a pessoa que mais amava no mundo.

-Você é o meu malvado favorito! -Ela diz antes de o abraçar.

-E você é uma pirralha irritante! -Ele diz bagunçando os longos cabelos negros da garota.

Estavam tão concentrados no olhar um do outro que não perceberam a aproximação repentina de Harry e Lupin.

-Resolveu a "coisa importante"? -Harry pergunta totalmente irônico.

Snape que antes estava sorridente e descontraído, mudou seu semblante rapidamente para a cara fechada de sempre.

-Estava me espionando? -A garota pergunta brava, eram poucos os momentos que tinha com Snape e quando aconteciam, sempre alguém atrapalhava.

-Lógico que não! Eu e o professor Lupin estávamos conversando quando vimos vocês na maior intimidade, se abraçando e de segredinhos! -Ele retruca.

-Nossa Harry, vai dormir, vai! Acho que o Dementador está sugando muito mais do que suas boas lembranças! -Ela diz começando a ficar vermelha- E quer saber? Estou começando a ficar cansada dessa rixa idiota de vocês! Boa tarde.

Ela sai andando em passos lagos e fortes pela velha ponte deixando Snape encarando Lupin e Harry com o semblante mais frio possível.

 

 

 

 

As horas se passaram rapidamente, depois do acontecimento na ponte, Cassie fora para o local onde as corujas e escreverá uma carta para sua mãe.

Querida Em,

Sei que vai ficar muito preocupada. Mas o professor Snape descobriu sobre meu pai. Mas acho que ele não vai contar para ninguém! Ele é uma ótima pessoa, muito diferente do que você e os outros falavam! Ele é quase que um pai para mim, e eu confio muito nele.

Espero que entenda! Te amo.

Com carinho, Cassie

Ela vai até Spodet, e começa a acariciar a coruja ruiva com os enormes olhos azuis. Depois um tempo agradando a coruja, ela amarra a carta no animal, que em pouco tempo, sai voando indo entregar para o destinatário.

Assim que a coruja some de sua vista, Cassie sai da Torre andando lentamente pelos corredores do castelo, que antes, tão vivo, agora estava silencioso e sombrio, mas não deixava de ser belo e encantador.

-Hey, Cassie! -A alta voz de um garoto ecoa pelo local.

Assim que reconhece a voz, a menina começa a andar mais rápido, mas antes que pudesse escapar, o garoto a empurra para dentro de uma sala que estava perto.

-O que você quer Potter? -Ela pergunta brava, encarando o garoto encostado na porta.

-Quero saber o que estava fazendo com Snape na ponte mais cedo! -Ele responde cruzando os braços.

-Nada que te interessa! -Ela responde ríspida tentando passar pela porta.

-Você não vai sair até me explicar o que você estava fazendo lá! -Harry diz sério.

Sem responder, a garota dá meia volta e senta em cima de uma das mesas observando a sala. "É a sala do professor Lupin" ela pensa vendo o material sobre a mesa.

-Cassie... -A voz calma de Harry a chama depois de vários minutos em silêncio- Eu não quero te pressionar nem nada assim! Mas você está muito estranha ultimamente, sempre sumindo e reaparecendo, com medo de tudo, sempre preocupada... E está passando muito tempo com o Snape!

-Não é nada! Você realmente não precisa se preocupar! -Cassie responde firme tentando se convencer do que falava.

-Então por que não quer me contar? -A expressão dele passa para magoado em segundos- Pensei que fôssemos mais do que amigos! Que confiasse em mim, mas vejo que não!

A garota abre a boca para falar, mas nada sai. Entendia a frustração do amigo, ela realmente não estava facilitando as coisas.

Antes que eles pudessem dizer qualquer coisa, a porta se abre, e Lupin aparece não muito feliz.

-Harry, fora! -Ele diz firme, e quando Cassie também se levanta ele continua- Você fica!

Harry a olha espantado, Lupin normalmente era a pessoa mais calma existente, e naquele momento, isso estava muito longe.

Assim que os passos de Harry não são mais auditivos, Lupin fecha a porta a trancando logo em seguida e dá voltas pelo local batendo a varinha nas mãos repetidas vezes.

-Sabe, eu sempre achei que te conhecia de outro lugar, em outra época. Mas sinceramente, isso NUNCA passou pela minha cabeça! -Ele dá uma risada fraca- Confesso que foi muito inteligente de sua parte esconder isso de todos, creio que esteja com medo de descobrirem! Mas agora que ele está a solta, imagino como deve estar sua cabeça, ele deve ter tentado fazer contato...

-Ele não sabe! -Cassie o interrompe já entendendo sobre o que se trata a conversa- Ele pensa que a filha dele está morta.

Lupin abre e fecha a boca repetidas vezes procurando palavras, e então Cassie continua "Cassiopéia, filha de Sirius Black, está morta para todos. Depois que minha mãe morreu e Emmeline tomou a minha guarda, ela achou mais seguro, então ela mudou meu nome para Cassie e arrumou um trabalho qualquer. Tudo para me proteger, e para protegê-lo, afinal, poderiam me usar contra ele." A menina respira fundo antes de continuar, nunca havia falado isso com ninguém além de sua mãe. "Mas ninguém pode saber disso! Tipo, NINGUÉM!"

-Eu estou com muita raiva, e ao mesmo tempo feliz! -Lupin diz com um sorriso no rosto- Cassiopéia está viva, e na minha frente! Você não tem noção de como a sua morte foi lamentada, por todos, principalmente por mim! E agora você está aqui!

O homem corre até a menina lhe dando um abraço apertado que a faz perder o fôlego.

-Tá, tá! Legal, eu sei, bem emocionante! Mas você vai ter que guardar segredo absoluto sobre isso! -Cassie diz cortando o contato físico.

-Eu sei que você passou muito tempo se escondendo, mas você não precisa mais! -Ele tenta convencer a menina.

-Não! E isso não está aberto a discussão, é MINHA decisão, e ela já está decidida! Você e eu não iremos falar nenhuma palavra sobre isso! -Cassie diz séria enquanto caminha até a porta.

-Não poderá esconder isso para sempre, é direito dele saber! -Lupin fala com um tom diferente na voz.

-Enquanto puder, irei esconder isso! -A morena diz saindo da sala sem antes murmurar um Boa Tarde!

 

 

 

 

Os dias passaram rapidamente, Harry e Cassie não estavam se falando direito, e Rony e Hermione achavam isso muito estranho. Afinal, eles eram os que mais se falavam no grupo, aqueles que não calavam a boca um minuto sequer.

O mesmo acontecia com Cassie e Lupin, a garota sempre inventava um jeito de fugir de suas aulas, e quando era obrigada a participar, passava 90% do tempo brincando com sua varinha ou rabiscando algum papel aleatório.

Porém tudo muda quando a mulher gorda -aquela que tranca a Sala Comunal da Grifinória-, é atacada por ninguém menos que Sirius Black. Quando fora encontrada atrás de um quadro com vários hipopótamos e girafas, deixou bem claro que o prisioneiro a atacará e que ele estava dentro do castelo.

Naquela noite, o caos se instaurou, todas as saídas e entradas da escola foram trancadas e todos os alunos foram alojados no Salão Principal por medidas de segurança. No meio da noite, Harry pensará que fora o único que ouvirá a conversa estranha entre Dumbledore e Snape, mas na realidade, Cassie que estava na cama ao lado, também ouvirá. Mas como os dois eram orgulhosos demais, não iriam voltar a se falar tão cedo... Ou não

 

 

 

 

Os jogadores da Grifinória e da Lufa-Lufa estavam posicionados no campo perto de suas respectivas vassouras.

-É uma Firebolt? -Um dos jogadores da Lufa-Lufa pergunta para Cassie, que apoiava seu corpo na vassoura.

-Oi? Quê? -Cassie pergunta olhando confusa para o jogador.

-A vassoura!

-Ah sim... É o último modelo da Firebolt! -Ela responde passando a mão no rosto como se estivesse com sono.

-Deve ter custado uma fortuna... Queria uma dessas! -Harry diz se aproximando com a sua Nimbus 2000, ele estava tentando se aproximar da menina, mas Cassie era cabeça dura e não permitia.

Cassie dá de ombros, e estala as costas apoiando novamente na vassoura.

-Cansada? -Lupin pergunta surgindo do nada.

-Demais! -Ela reclama massageando as têmporas.

-Espero que esteja bem o suficiente para fazer um bom jogo! -Ele diz a encarando sério.

Antes que pudesse responder, Dumbledore aparece e faz o típico discurso de amizade, companheirismo, e respeito. Logo depois, a professora toma seu lugar e manda todos ficarem nos seu lugares.

-Está pronta? -Harry pergunta passando pela amiga- Tente esquecer de tudo, e focar no jogo.

"Três" Grita a professora segurando a gole.

-Com eles me encarando não será fácil! -A menina responde apontando aos professores secando a dupla.

"Dois" Ela grita novamente.

-Só relaxe! -Ele diz bagunçando os cabelos da menina.

"Um e..." O silêncio reina "JÁ!!!"

A gole é jogada para cima juntamente dos balaços.

Os artilheiros e os batedores voam rapidamente em direção às bolas.

Cassie voa em direção a gole, e em poucos segundos consegue dominá-la, ela voa rapidamente em direção ao gol, driblando alguns jogadores lufanos, e depois de alguns segundos consegue marcar os dez pontos fazendo a Grifinória sair à frente da Lufa-Lufa.

No decorrer do jogo, Grifinória marcava mais e mais pontos em cima da Lufa-Lufa, que não estava nos seus melhores dias, diferente de Cassie, a baixinha estava inspirada, de 10 em 10 pontos, a menina já havia marcado 170 pontos contra a Lufa-Lufa.

-HARRY, O POMO! -Cassie grita assim que sente o zunido da bolinha em seu ouvido.

Nesse meio tempo, a gole passa voando na sua frente, e a garota saí em disparada atrás da bola. Mas de tão concentrada que estava, não percebeu o balaço vindo em sua direção, e quando notou a sua aproximação já era tarde, seu corpo e a vassoura já estavam caindo para fora do campo e atrás das arquibancadas.

-Meu Merlin... -Cassie geme com a mão na cabeça sentindo um líquido escorrendo, a queda não fora bonita.

Ela levanta ainda com a mão na cabeça, e vai em direção à sua vassoura que havia caído um pouco longe.

-Pelo menos não quebrou... -Diz para si mesma analisando a vassoura.

Quando posiciona sua vassoura para voltar ao jogo, Cassie percebe um homem magro e maltrapilho a encarando não muito longe, achando que era uma ilusão, ela coça os olhos e quando volta a olhar para o lugar, ele não estava mais lá.

-Eu devo estar delirando... -Sussurra para si mesma, e olha novamente para o local antes de voltar ao jogo.

Quando volta ao campo, os torcedores da Grifinória comemoram gritando. Sem perder mais tempo, Cassie avista a gole e voa atrás dela, e assim que consegue dominá-la novamente, a menina vai em direção ao gol, desviando de alguns lufanos.

Não muito longe, ela avista Harry e Cedrico pau-a-pau para agarrar o pomo.

Driblando o goleiro, ela põe força no braço e atira a gole marcando dez maravilhosos pontos.

Poucos segundos depois, ouve-se uma grande exclamação, Cassie varre o campo com os olhos e tenta ver o que estava acontecendo, quando olha para cima, vê Harry correndo atrás do pomo e Cedrico na sua cola, como os dois subiam rapidamente em pouco tempo, eles não eram mais vistos.

Todos soltaram uma exclamação de espanto, o que acontece em seguida, fora tão rápida que nem o melhor apanhador conseguiria acompanhar.

Cedrico estava descendo, e atrás dele vinha o corpo em alta velocidade de Harry, ao lado sua vassoura também caia rapidamente.

Então Dumbledore alcança sua varinha e grita um feitiço que Cassie não conseguiu reconhecer. Rapidamente, o corpo de Harry começa a desacelerar como se estivesse sendo puxado por um paraquedas.

Todos começam a murmurar olhando para Cedrico, como se ele fosse o culpado.

-Não fui eu! -Ele grita.

-Então quem foi? -Cassie grita de volta voando para perto dele, seus olhos transbordavam de pura raiva.

Antes que ele pudesse responder, o céu é tomado por sombras pretas.

-Foram eles! -Ele diz apontando para o céu.

Eram eles, os terríveis Dementadores. 

 

Notas Finais


Por favor, comentem! :D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...