História A Hick in The City. - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Aquarius, Aries, Bickslow, Cana Alberona, Câncer, Capricórnio, Chelia Blendy, Elfman Strauss, Erza Scarlet, Evergreen, Gajeel Redfox, Gemini, Grandine, Gray Fullbuster, Igneel, Jellal Fernandes, Jude Heartfilia, Juvia Lockser, Laxus Dreyar, Layla Heartfilia, Levy McGarden, Lisanna Strauss, Lucy Heartfilia, Lyra, Macao Conbolt, Makarov Dreyar, Mavis Vermilion, Meredy, Mirajane Strauss, Natsu Dragneel, Silver Fullbuster, Sting Eucliffe, Taurus, Virgo, Wendy Marvell, Yukino Aguria, Zeref
Exibições 257
Palavras 1.305
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Ecchi, Escolar, Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Estou de volta! Depois de quase uma semana, mas cheguei. Feliz dia das crianças a todos que tem um espírito de criança como eu mesma tenho. Obrigado a todos que comentaram no último capítulo. Boa Leitura 😘

Capítulo 12 - Capítulo 11- Declaração?


Fanfic / Fanfiction A Hick in The City. - Capítulo 12 - Capítulo 11- Declaração?

Natsu P.O.V ON:
-Eu não vou para o hospital!-A Lucy falou.
-Vai sim, seu tornozelo está inchado. Você tem que cuidar disso.
-É só por gelo.
-Nada disso. Você vai agora, eu vou levar você.
Me levantei e ajudei a loira a se levantar, ela colocou o braço do meu ombro e eu coloquei o braço em volta da sua cintura, peguei a mochila dela e coloquei nas minhas costas, enquanto eu segurava a minha, com a mão livre.
Nos aproximamos do pessoal e a baixinha de cabelos azuis, olhou preocupada para  a Lucy.
-Lu-chan o que aconteceu?
-Não é nada demais, o meu tornozelo só está inchado.
-Eu não diria que isso, não é nada demais.-Eu falei.-Vou levar ela no hospital, pra ver o que aconteceu de verdade.
-Não é nada pra se preocupar.
-Erza!-Chamei a ruiva, que me olhou.-Pode nos levar até o hospital?
-Hospital?!-A Hisui perguntou se aproximando.-Você está bem, Natsu?
-Estou sim. A Caipira Loira que não está.
-E o que aconteceu?-A Juvia quis saber.
-Ela acabou levando um carrinho no futebol hoje, e machucou o tornozelo.
-Eu levo vocês sim. -A Erza falou.-Vamos.
Começamos a andar em direção do carro da Erza, que estava no estacionamento do colégio.
-Acho melhor, você ligar pro seu irmão. O Sting vão ficar preocupado.
-Aquela Abelha nem se lembrou de mim hoje.-A Lucy murmurou.-Eu vou sim.
Chegamos no carro da Erza, coloquei a Lucy no banco de trás e me sentei no banco do passageiro, assim que a Erza ligou o carro e começou a dirigir, logo pude ouvir a Lucy falar no celular.
-Oi Sting... Eu quero te avisar que eu estou indo no hospital.... Não grita no meu ouvido!....Eu machuquei o meu tornozelo, só isso....Eu não estou sozinha, a Erza e o Algodão Doce estão comigo....Sting, cala a boca!...Tá bom, fala pra Mavis Ok.... Problema seu se vira.... Eu vou desligar, beijos. Pronto avisei.
-Você e o seu irmão não se dão bem, né? -A Erza perguntou.
-Nós damos sim é que as vezes o Sting me tira do sério.
-E a Mavis não? -Perguntei.
-Não. A Mavis é um doce de pessoa. Além do mais é a minha irmãzinha mais nova.
-Eu bem que queria ter uma irmã mais nova.-A Erza falou.-Mas eu já fico feliz em ter a minha prima.
-E quem é a sua prima, Erza?
-A Chelia.
-Sério? Eu nem imaginei. Vocês não são nem um pouco parecidas.
-Aí que você se engana, querida Luce. A Chelia e a Erza são igualzinhas no humor, as duas são bravas e totalmente irritáveis.
-O que quer dizer com isso, Natsu?!-A Erza falou brava.
-Não quis dizer nada.
Não demorou muito e a ruiva estacionou no estacionamento do hospital, tirei o cinto e sai do carro e fui ajudar a loira, entramos no hospital e vimos quanta gente estava na sala de espera. Uma enfermeira se aproximou da gente e a Erza logo se pronunciou.
-Moça será que podia nos ajudar? A nossa amiga está com o tornozelo inchado, será que podia verificar?
-Claro, venha comigo Senhorita.-A enfermeira falou olhando pra Lucy.
A loira se soltou de mim e começou a se apoiar na enfermeira, que levou a Lucy até uma quarto, me sentei do lado da Erza.
-Natsu, eu juro que se não te conhecesse desde pequena, eu falaria que você está gostando da Lucy.
-O que! Só pode ser piada, eu gostaria daquela caipira, nem em sonho.
-Você fala como se gostar de alguém, fosse horrível.
-Não é horrível, mas eu não sirvo para ficar amarrado em alguém.
-Namorar, não é se amarrar. É bem diferente.
-Eu não vejo diferença nenhuma.
-Eu não vou mais falar nada pra você, sobre esse assunto. Mas um dia você ainda vai se apaixonar por alguma garota.
-Eu duvido.
A Erza soltou um suspiro e não voltou a falar mais nada, alguns minutos depois a enfermeira que havia atendido a Lucy se aproximou.
-São vocês que estão, acompanhando a Senhorita Heartfilia, certo?
-Isso mesmo.-A Erza falou.-Ela está bem?
-Está sim, apenas torceu o tornozelo e terá que ficar uma semana com uma tala para se recuperar.
-Podemos vê-la?
-Claro. Me sigam.
A enfermeira foi andando na frente, enquanto a Erza e eu a seguíamos, ela abriu uma porta branca, e vimos a Lucy sentada na cama de braços cruzados.
-Pelo jeito, não é só colocar um gelinho, né Caipira?-Eu falei.
-Não enche, Algodão-doce!-A loira falou irritada.-O que está fazendo aqui ainda? Eu posso muito bem, ir pra casa sozinha.
-No estado que você está, eu meio que duvido.
-Não me importa, se você dúvida ou não. Além do mais eu vim de carona com a Erza e não com você.
-Tem razão. Mas mesmo assim eu fiquei, você é minha quase amiga.
-Não chega nem a quase, talvez 5% de amiga.
-É um progresso.
-Enfermeira.-A Erza falou.-A Lucy já pode ir pra casa?
-Claro. Mas precisa descansar e não fazer muito esforço.-A enfermeira falou.-Tudo bem, Senhorita Heartfilia?
-Tudo sim. Entendi tudinho.
-Ótimo.
Assim que saímos do hospital a Erza dirigiu até a casa da loira, que não falou nada o caminho inteiro, assim que chegamos eu ajudei ela a sair do carro e fui com ela até a porta.
-Então nós despedimos aqui.
-Graças a Kami-sama.
-Não seja tão rude, Loirinha.
-Não estou sendo rude, apenas sincera. Então até algum dia, Dragneel.
-Até amanhã, Luce.
Ela abriu a porta e entrou, olhei pra trás e vi que a Erza me esperava então entrei no carro e ela dirigiu até a minha casa. Entrei em casa e vi a Chelia sentada no sofá comendo alguma coisa.
-Cheguei!-Falei.-Chelia, cadê a Wendy?
-Está na cozinha, ela disse que ia fazer uma torta de chocolate.
-E você não vai ajudar ela?
-Eu adoraria ajudar, mas eu não sei cozinhar.
-É verdade, você é péssima na cozinha. Vou pro meu quarto.
Subi as escadas e fui direto para o meu quarto, tomei um banho rápido e fui mexer no computador, onde eu fiquei jogando vários jogos on-line, até que minha barriga roncou de fome, desci as escadas mãos parei ao ouvir o que a Wendy e a Chelia falavam.
-É o seu primo, Wendy.-A Chelia falou.
-O Natsu? Você está gostando dele?
-Sim. Mas não fala nada pra ele.
-Por que não?
-Porque ele nunca ficaria comigo, eu sou muito nova pra ele.
-4 anos de diferença. Nada de mais.
-Mas não é só isso. Ele tem aquela amiga a tal Hisui que também gosta dele e ele fica flertando com aquela loira.
-Você pode ficar com ele sim. Você é bonita e conseguiria conquistar ele.
-O Natsu me vê como uma criança, Wendy. Uma criança, claro que eu não tenho chances.
-Não fica assim.
-Eu só preciso aceitar, que ele não é pra mim apenas isso.
A Chelia gosta de mim? A melhor amiga da minha prima, a menina que eu considero uma irmã menor gosta de mim? Mas eu não sinto nada por ela a não ser carinho de um irmão mais velho. Desci as escadas e elas pararam de conversar, a Wendy me olhou sorrindo.
-Oi, Natsu-san. Chegou faz tempo em casa?
-Oi, Wendy. Sim, eu estava no meu quarto, mas desci pra comer alguma coisa.
-Então come, a torta da Wendy. -A Chelia falou.- Ela está ótima, eu pelo menos comi uns quatro pedaços.
-E pra onde vai tanta comida assim? Você é tão magra.
-Talvez eu só não tenha tendência de engordar. Que bom. Porque se não eu seria uma baleia de tanto que eu como.
Nos três rimos do que a rosada falou, sai da sala e fui para a cozinha onde peguei um pedaço da torta. Sinto muito Chelia mas eu não posso corresponder seus sentimentos por mim.
Natsu P.O.V OFF
            "A amizade é um amor que nunca morre."
            Mário Quintana


Notas Finais


Até o próximo capítulo ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...