História A História Da Minha Vida - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fall Out Boy, Panic! At The Disco, The Academy Is, Young Love
Personagens Brendon Urie, Dan Keyes, Jon Walker, Personagens Originais, Pete Wentz, Ryan Ross, Spencer Smith, William Beckett
Tags Ryden
Exibições 39
Palavras 2.128
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


ESSE CAPITULO É ESTRANHO PARA CARALHO
(boa leitura e até as notas finais)

Capítulo 27 - Wait, did I just let him .... me?


(Ryan)

-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-

Puxei Gabe para um beijo e ele se deitou por cima de mim na cama.

Encaixei as nossas pernas e deslizou suas mãos devagar até tirar a minha camiseta. Ajudei ele a tirar a dele logo depois.

Eu não sei por que, mas nós dois estávamos um pouco diferentes no quesito sexo ultimamente. Eu o beijava loucamente, ele me beijava loucamente. Parecia que nós tínhamos ganhado uma vontade nova…

Meu dia hoje tinha sido até que normal. Todos menos eu iam passar o dia fora em uma confraternização do trabalho do meu pai e como eu não ia por motivos óbvios, chamei o Gabe para vir aqui. Chamei o Spencer também, mas ele não ia poder vir por que as aulas dele já tinham começado. A minha e a do Gabe só começariam amanhã

Eu só estava aproveitando o meu último dia de férias…

Gabe levou sua mão até o botão da minha calça e depois abriu o meu zíper. Não demorou muito até a sua mão ir para no meu membro. E essa era a parte que eu mais gostava...

Eu e o Gabe não tínhamos regras de preliminares bem definidas. O que era bom. Era mesmo. Não estava reclamando. Conforme o tempo foi passando, eu comecei a colocar mais e mais vontade nos beijos.

Puxei as penas dele para minha cintura.

Eu nunca entendia por que eu amava isso, eu só amava mesmo. Abri o seu o botão e deslizei as minhas mãos por dentro da sua roupa íntima.

Acho que nós dois gememos um pouco. Por incrível que pareça, aquilo ainda me surpreendia. O membro de um outro cara na minha mão… a toque quente, o jeito que tudo se moldava… demorei para me acostumar isso e, é, até hoje era surpreendia. Mas era bom. Era uma surpresa boa.

Nós nos livramos das calças e das roupas íntimas.

Separei nossos lábios e comecei a deixar beijos pelo seu pescoço. Eu sabia o quanto ele gostava daquilo...

Nós gemíamos um pouco mais do que antes agora.

Gabe desceu pelo meu corpo distribuindo beijos por todo ele e depois subiu até os meus lábios de novo. Acho que aquilo foi um pouco mais enlouquecedor do que devia ser para nós dois. As mãos dele pela lateral do meu corpo, o toque quente da boca dele…

- Você é lindo – ele me beijou – demais

Ele me beijou de novo e levou sua mão até o meu membro mais uma vez. Nós gememos.

Nossos membros colidindo com os nossos corpos não deixavam a gente esconder: nós dois estávamos extremamente duros

- Acho que a gente – ele disse entre beijos e gemidos – podia tentar alguma coisa diferente hoje…

- Tipo o que?

- Tipo não sei – ele passou as pernas envolta da minha cintura de novo. Nossos membros se tocando enquanto nos beijávamos, ele mordendo meu lábio inferior… Se eu não terminasse isso logo, eu ia morrer. Eu já conseguia sentir o pré-esperma escorrendo pelo meu membro….  E a porcaria do membro do Gabe estava tão duro se encostando no meu!… - Tipo inverter os papéis… Ryan, é serio… você não sabe o quanto eu morreria para estar dentro de você agora…

Nós dois gememos e voltamos a nós beijar.

Ah, não sei. Talvez não fosse uma boa ideia. Eu acho que não era gay. E nem bissexual desse tipo…

As mãos do Gabe deslizaram até o meu membro de novo e ele começou a brincar com a pontinha dele. Deus, eu ia enlouquecer ali. Eu acho que nunca tinha ficado tão excitado nesse jeito…

- Pode ser. - eu gemi – tanto faz.

Não, espera, eu tinha acabado de concordar em deixar ele me foder?! Não, não, não era uma boa ideia.

Eu estava prestes a protestar contra a minha decisão e dizer que eu tinha voltado atrás, mas ele disse:

- Onde você guardou o lubrificante?

E por algum motivo, a ideia dele se tocando e espalhando lubrificante pelo membro dele me deixou mais excitado ainda…

Eu não respondi. Apenas estiquei a minha mão e abri a gaveta do meu criado-mudo tirando o frasco de lá. Ele o pegou logo em seguida

Isso não era uma boa ideia, isso não era uma ideia…. Eu… eu não era… O que? Espera ai, eu tinha concordando em deixar ele me foder?!…

- Gabe… eu não sei se é uma boa ideia….

- Ah… você quem sabe – ele me beijou – mas…. Meu deus, eu faria tudo… tudo mesmo, para você me deixar estar dentro de você, sentir você….

E ele estava jogando sujo. Ele estava fazendo aquela voizinha sexy. Igual a Jac fez aquela vez. E eu era um tonto, eu não conseguia resistir a vozinha sexy. Eu simplesmente precisava colocar toda aquela excitação para fora. Agora.

Eu puxei o Gabe para um beijo. Considerando tudo, acho que ele era mais do que a pessoa certa para fazer esse tipo de coisa comigo.

Nós atacávamos os lábios um dos outros com uma vontade imensa e não era para menos também, nós dois estávamos loucamente excitados... 

Senti o Gabe colocar um pouco de lubrificante na mão dele e logo depois ele foi deslizando bem devagar  com os dedos até chegar na minha entrada. Eu sabia que ele tinha feito isso devagar para eu protestar se quisesse e eu podia ter tirado a mão dele dali, mas eu simplesmente não tive forças para isso.

O gelo começou a tomar conta do meu estômago mas eu nem me deixei atrapalhar por isso. Tudo ali já estava quente demais.

Gabe diminuiu um pouco o ritmo do beijo antes de investir em mim com o dedo. Droga aquilo era estranho. Muito estranho. Eu fazia aquilo com ele mas era diferente. Aquilo era… super estranho. As pessoas realmente faziam aquilo uma com as outras? E sem contar que até que doi um pou…. Caralho!

Parecia que uma corrente elétrica tinha passado por mim. Ai meu deus. Aquilo era… ótimo. O gelado pela sua coluna, as ondas de prazer…

Eu não consegui evitar me mexer e gemer embaixo do Gabe… ele também gemeu

- Poha ryan! Você fica ainda mais gostoso assim!

Aquilo era tão estranho… não… não era certo. Aquele nem parecia o Gabe que eu conhecia… parecia uma outra pessoa (não que eu estivesse reclamando)….

Eu gemi e puxei o Gabe para um beijo.

Ele se ajeitou mais um pouco em cima de mim e colocou mais um dedo perto da minha entrada. Ele esperou o meu consentimento e eu dei. Eu precisava de mais… eu queria mais….

Espera, eu realmente estava deixado ele fazer isso comigo?!

E outra onda de prazer, e outra e outra… aquilo era desconfortável, concordo, mas só até você achar aquele bendito lugar maravilhoso. Droga, eu estava gostando mais daquilo do que eu devia…

E aquilo começou a ir mais rápido e mais fundo e mais rápido e mais fundo e eu queria ainda mais. Eu precisava de mais.

Eu me segurava nós lençóis, na cintura do Gabe, no cabelo do Gabe, qualquer lugar. Eu só precisava de alguma coisa para me segurar e tentar pegar mais de tudo aquilo… eu… eu ia enlouquecer isso sim! E acho que o Gabe também ia. Cada vez que eu gemia, ele me acompanhava.

Até que do nada, Gabe parou o que estava fazendo.

Que?! Ele… ele… parou?! E eu?! Eu precisava de mais! Eu… eu queria mais! Eu… eu… como assim ele tirou os dedos de dentro de mim?!

Eu gemi em desaprovação enquanto ele me beijava. Ele riu. Ah, que lindo. Ele riu! Eu não via graça nisso. Eu ia pirar!

Ele beijou devagar o meu pescoço e foi descendo pelo meu peito com os beijos e com a mão…

- Você fica perfeito assim…. Seus músculos todos contraídos, sua pele quente, sua franja grudada na sua testa…

Aquilo era… era absurdamente bizarro. Mas… eu não tinha forças para nada. Eu só aproveitava cada palavra que ele dizia, cada calafrio que elas faziam dentro de mim… era impossível ficar com os olhos abertos e não gemer a cada uma delas…

Senti os seus lábios nos meus e eu me grudei a eles. Deus como eu queria aquilo. Eu queria…. Eu precisava colocar tudo aquilo que estava dentro de mim para fora…

Percebi que ele espalhava lubrificante pelo seu membro enquanto me beijava. Logo depois eu ouvi o barulho do vidrinho de plástico sendo colocado no chão…

E isso sim era um gelo na barriga de verdade. Aquilo era tão estranho… tão...errado…

Mas o calor da pele dele perto da minha entrada, a mordida que ele deu no meu lábio inferior… era impossível resistir.

Eu queria que aquela sensação de vazio que os dedos tinham deixado fosse embora mas aquilo não era uma boa ideia. Não mesmo… aquilo não eram dedos… era diferente… nunca ia… nunca ia dar…

Mas por que tudo aquilo, mesmo com tanto gelo na barriga, era irresistível?…

Ele me beijou e eu acho que eu segurava um pouco forte demais na cintura dele agora. Minhas mãos provavelmente estavam tremendo muito...

E então, enquanto ele beijava o meu pescoço de uma forma carinhosa, ele se forçava e se forçava cada vez mais pela minha entrada e eu juro que achei que nada daquilo ia dar certo...

Deus, eu acho que nunca quis tanto sair correndo na minha vida. Aquilo era insano… não era uma bo… PUTA QUE PARIU.

Eu achava que tinha sido atingido por um raio antes e eu não podia ter estado mais enganado. Isso era ser atingindo por um raio. O membro dele acertando aquele bendito lugar… era… meu deus….

Doía e era quente e desconfortável, mas até isso era bom…. Era…. Tudo era… uma porcaria de bom.

- Você é apertado para caralho!

E eu acho que nem tinha mais noção de o quanto eu gemia. E nem se eles estavam altos ou baixos também. Eu tinha perdido a noção de tudo.

E eu me mexia e me mexia por que, caramba, eu precisava de cada partinha do Gabe que ainda não estivesse em mim… eu só… eu precisava…

E ele gemia, e eu gemia…

Gabe começou a ir mais rápido e quando eu achava que eu não podia enlouquecer mais, ele levou a mão até o meu membro junto com a minha.

- Meu deus… Caralho!…  – eu gemi

- Poha Ryan!

E ele me beijou mais uma vez.

Eu conseguia sentir o meu membro todo molhado de pre-esperma e lubrificante nas mãos dele, e eu conseguia sentir… meu deus. Eu conseguia sentir tudo…

- Eu estou perto – eu disse

- Eu também.

E foi assim. Me desfiz nas nossas mãos e ele dentro de mim.

Eu tinha até esquecido dessa parte de ‘dentro de mim’… mano, isso era tão… absurdamente anormal.

Não é para menos, mas pelo amor, acho que esse for o melhor orgasmo que eu e o Gabe já conseguimos ter transando juntos.

Depois que tudo acabou, eu percebi o quão esgotado eu estava. Meu coração parecia estar fora do meu peito, minhas pernas eram um nada, e nem sei a condição que estavam meu lábios.

- Você está bem? - Gabe perguntou

- Aham… - respondi - ...puta que pariu...

Ele me beijou

- Você foi ótimo. Você é ótimo.

E eu não sei se não disse nada por que não sabia o que dizer ou se era por que eu não conseguia dizer nada mesmo.

Na verdade, eu nem sabia o que pensar. Eu estava me sentindo completamente exposto agora. E era… sei lá. Estranho. Aquilo realmente tinha acontecido?… mas foi…. foi… não foi ruim.

- Vamos tomar banho Gabe?

Estamos todos sujos, suados e fedendo a sexo mesmo…

- Vamos. – e ele me deu um selinho rápido e a gente foi.

Antes disso, tirei o lençol da cama e coloquei na maquina de lavar. Não seria legal se alguém visse a sujeira que ele estava. Devíamos ter usado camisinha. Fazia menos sujeira...

Confesso que foi difícil e estranho para andar, mas depois de um tempo passou um pouco.

Eu e o Gabe tomamos banho e eu me senti na obrigação de fazer ele ter uma relação mais séria comigo agora. Afinal, é, eu tinha… bom, você sabe o que aconteceu. Não era qual quer coisa. Não para mim.

E ele retribuiu todos os beijinhos aleatórios e os todos carinhosos de cintura.

Depois que saímos, voltamos para o meu quarto e conversamos e assistimos TV um pouco.

Ele encostou as costas no meu peito…

- E então… o que achou de tudo aquilo?

- Para falar a verdade, não sei.

Acho que a minha ficha não tinha caído ainda.

Ele riu

- Tudo bem – ele se virou para me selinho e, bem nesse momento, Heisel abriu a porta do quarto.


Notas Finais


OI
NÃO FOI CULPA MINHA A ANOTHERDRIZZLE ME FEZ ESCREVER ISSO KKKKKK
Sabe, é sério. Procurem ali nos favoritos a Mari (AnotherDrizzle) hduiahsiuah ela que me fez ler a Fic que me inspirou a escrever esse capitulo (sim foi uma fic) kkkk essa menina só me leva pro mal caminho msm u-u
Ela nunca da sinal de vida aqui mas ok KKKKKK Sabe quem me fez ver o video de Girls/Girls/Boys pela primeira vez não estando nada psicologicamente preparado? sim ela. To com "trauma" até hoje kkkk eu sou só uma pessoa inocente num mundo pervertido kkk
Enfim, minha indignação a parte
DIGAM O QUE ACHARAM MEUS CHAPAS <3
Comentem comentem comentem
Até a próxima :3
(e não fiquem curiosos vou postar rapidinho prometo <3)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...