História A história de Laila - E se Freeza tivesse uma filha - Capítulo 25


Escrita por: ~ e ~SOSGOSTOSO

Postado
Categorias Dragon Ball
Exibições 12
Palavras 2.523
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Artes Marciais, Aventura, Comédia, Fantasia, Romance e Novela, Shounen, Super Power
Avisos: Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Fala pessoal, beleza?
James na área. Eu sei estavam com saudades.
Eu to postando esse cap que foi feito por mim e pela Lola.
Me aguardem, pois, o próximo cap é por minha conta.
E antes de começar a ler eu gostaria muito que vcs mandassem alguma mensagem para nossa querida autora. Ela vai fazer uma prova muito importante amanhã e... eu to achando que se ela não passar ela vai postar cap de muito eu muito tempo.
Eu não posso afirmar nada, mas é o que eu acho.

Capítulo 25 - Novos e Velhos amigos


O outro fato que eu vou contar foi no 2º ano fora. Mas antes… eu tenho que lembrar de que esquecemos o Yancha numa cidade, e ele fica nos lembrando o tempo todo.

Voltando… eu começar a partir da hora do descanso.

Eu estava sentada num tronco de madeira, escrevendo em meu bloco de notas.

De repente chega o Kuririn.

 

Kuririn: O que está fazendo?

Laila: Estou escrevendo uma música.

Kuririn: E a melodia?

Laila: Está na minha mente.

Kuririn: Normalmente se faz a melodia primeiro, e depois a letra.

Laila: Eu tenho cara de ser normal.

Kuririn: Não.

Laila: Então eu vou fazer a letra.

Kuririn: E a melodia?

Laila: Como é que eu vou fazer a melodia?

Kuririn: Violão, piano…

Laila: E como eu vou conseguir isso?

Kuririn: É só comprar. Eu sei que você tem dinheiro.

Laila: É pra casos de emergência.

Kuririn: Nem vem que você tem muito.

Laila: Teremos que ver os menores preços.

Kuririn: Mas quanto mais caro melhor a qualidade do violão.

Laila: Nem sempre.

Kuririn: Mas é questão de cordas…

 

Continuamos discutindo o dia todo. Também treinamos, mas foi pouco.

No dia seguinte.

Saímos um pouco da rotina fomos para a cidade mais próxima.

Olhamos um pouco as coisas por ali. E por insistência minha...

 

Tenshinhan: Não precisamos de roupas novas Laila. Devemos usar o dinheiro que temos para coisas mais úteis.

Laila: Roupas são muito importantes. E correção, o dinheiro é meu. Por isso eu decido como usar.

Yancha: Portanto que não esqueçam da minha.

Laila: Você ainda lembra disso?

Yancha: Eu não como vocês que esquecem das coisas.

Kuririn: A gente já pediu desculpa.

Laila: OK, chega de brigas. Todos nós teremos roupas novas.

Tenshinhan: Não.

Chaos: Vai Tenshinhan, o que custa?

Tenshinhan: Ta vai.

Laila: Ganhei.

 

Fomos comprar roupas novas, pense no gasto. E ainda teve o violão. Mas tem problema não, eu tenho alguns cheques.

O Kuririn ficou um tempinho testando as cordas.

 

Kuririn: Manda a melodia.

Laila: La la la lá, la la la lá, la la la la lala, la la lalá… lá lala la la lá…

 

Eu continuei cantarolando e o Kuririn me acompanhava com o violão.

 

Laila: Nossa, você é bom de violão.

Kuririn: E você tem uma bela voz.

Laila: Obrigada.

Kuririn: E então, quer aprender a escrever melodias?

Laila: E, seria bom.

Kuririn: Mas acho que vai demorar muito.

Laila: Ainda temos bastante tempo.

Kuririn: Então a cada demora teremos 2 dias de aula.

Laila: Podemos começar?

Kuririn: Agora?

Laila: É, quanto mais cedo melhor.

Kuririn: Tá bom então. O primeiro passo são as notas…

 

Ficamos horas trabalhando o meu conhecimento em música. A aula toda ela fez só teoria. A teoria é meio chata, mas é necessário.

Estamos falando da Clave de sol, quando o Chaos chegou.

 

Chaos: O que estão fazendo?

Laila: O Kuririn está me fazendo um favor.

Chaos: Qual?

Kuririn: Sem querer ser chato, Chaos. Você não acha que está se metendo onde não foi chamado?

 

Ele foi embora e continuamos a aula.

 

Kuririn: Você está entendendo tudo?

Laila: Sim, de Si pra Dó, semitom.

Kuririn: Vamos parar um pouco, para você não confundir.

Laila: Ok. Ah, e não precisa fingir acha que eu estou cansada, para poder descansar.

 

Seguimos esse ritmo por duas semanas.

 

Kuririn: Nossa Laila, estou impressionado. Essa levei 1 ano para aprender.

Laila: Meu cérebro processa muito rápido.

Kuririn: Percebi. Quer treinar um pouco.

Laila: Claro.

 

Começamos  treinar e eu tive a impressão de estar sendo observada.

Treinamos o resto dia.

Chegou a noite, já estava perto da hora de dormir.

Eu estava quase pegando no sono quando eu ouvi passos.

Eu abri discretamente olhos e vi o Chaos saindo de perto da fogueira.

Esperei um tempo para dar a distância certa para seguí-lo sem que ele percebesse.

Ele foi para um lugar escuro cercado por árvores.

Ele estava treinando, não entendia o por quê. Ele já havia treinado o dia inteiro. Parecia estar muito exausto.

Eu fiquei observando-o, até que ele olhou em minha direção.

 

Chaos: Laila.

Laila: Como me viu, está escuro?

Chaos: Seja olhos brilham no escuro.

Laila: Eles estão azuis? - falei assustada.

Chaos: Sim, mas acho que já está virando normal.

Laila: Ufa! - falei aliviada.

Chaos: Por que está aqui?

Laila: Essa é uma pergunta que eu gostaria de fazer.

Chaos: Eu estava treinando. Por que, algum problema?

Laila: Não acha que está se cobrando demais?

Chaos: Não, eu preciso superar meus limites.

Laila: É só um torneio. Ele foi feito para nos divertimos.

Chaos: Mas eu quero ser o melhor.

Laila: Pra que? Pra mim o que importa é estar perto de pessoas que gosto.

Chaos: Você tem razão.

Laila: Vamos voltar?

Chaos: Vamos.

 

Eu e o Chaos voltamos para onde estavam as nossas amigos. Mas…

 

Laila: Ué, onde foi parar o Yancha?

Chaos: E o Tenshinhan?

 

Só o Kuririn estava lá.

Andamos um pouco e vimos os dois, eles estavam treinando.

 

Chaos: Pelo visto ele não fui o único.

Laila: Eu vou fazer eles voltarem num segundo.

 

Eu dei uma mini bagunçadinha no cabelo e fui.

 

Laila: Vocês dois - eu olhei para eles com um olhar bem tenebroso.

Tenshinhan: O que você quer?

Laila: E assim que você fala comigo. Voltem já para ”cama”.

Tenshinhan: E se a gente não quiser?

Laila: Você está me desafiando? - falei com um cara brava.

Yancha: O-o que custa a gente ir Tenshinhan.

Tenshinhan: Eu não gosto de receber suas ordens. Você é muito irritante.

Laila: Agora chega - eu fui na velocidade da luz e comecei a bater no Tenshinhan.

 

Ele desmaiou e eu comecei arrastá-lo.

 

Laila: Você não vem?

Yancha: Claro.

 

Nós voltamos para onde estava o Kuririn e fomos dormir.

No dia seguinte. O Tenshinhan estava todo machucado, mal conseguia levantar.

 

Kuririn: O que houve com você Tenshinhan?

Tenshinhan: Nada.

Yancha: A Laila atacou ele ontem à noite.

Laila: Eu? - falei como se não tivesse entendido nada.

Kuririn: Mas por que?

Yancha: Porque saímos para treinar à noite.

Laila: Desculpa Tenshinhan, quer minhas lágrimas para ficar melhor.

Tenshinhan: Não preciso de você.

Laila: Ok então - falei com uma cara triste e saindo dali.

 

Eu queria consertar a besteira que tinha feito. Eu só queria que ele entendesse as mensagens que eu passo indiretamente.

Eu realmente estava triste. Fiquei andando sem rumo deixando as minhas lágrimas escorrem. Algumas caíram no chão outras dentro do pote. Só pra constar, aquele era o terceiro pote.

De repente aparece a Chaos.

 

Chaos: Que foi Laila?

Laila: Você ainda pergunta. Eu finjo que está do mal, humilhe o Tenshinhan, e não consigo consertar os meus erros. E o pior é que os meus amigos tem medo de mim. Eu sou um monstro - falei abraçando-o e chorando.

Chaos: N-não chore Laila - falou ele corado.

Laila: Snif.

 

Eu fiquei chorando um pouco, mais depois passou.

 

Laila: Obrigada por estar aqui.

Chaos: É sempre um prazer.

Laila: Eu sempre te encho com meus problemas e você sempre me ouve. Eu até fico sem jeito por ficar te enchendo a paciência.

Chaos: Que medo. E o Tenshinhan exagerou.

 

De repente chega o Kuririn.

 

Kuririn: Ah, achei vocês. Vocês demoraram tanto que eu já estava ficando preocupado.

Chaos: Comigo?

Kuririn: Não, com ela.

Laila: Obrigada por se preocupar, mas eu estou bem.

Kuririn: Vamos voltar.

Laila: Tudo bem.

 

Voltamos pro grupo.

Ficou um clima chato entre mim e o Tenshinhan. E pra quebrar o gelo.

 

Laila: Gente eu tive uma ideia para o próximo destino.

Chaos: Qual?

Laila: A Torre Karin.

Kuririn: O Goku falou sobre ela.

Yancha: Parece que lá tem a água dos deuses, que deixa você mais forte.

 

Laila: É isso mesmo. Vamos?

Tenshinhan: É claro que sim.

Laila: Partiremos amanhã de manhã.

Meninos: Claro.

 

No dia seguinte.

O Tenshinhan insistiu que saíssemos cedo.

Ficamos viajamos por uns 4 dias. Já que duas pessoas não podiam voar.

Finalmente chegamos.

 

Upa: Quem são vocês?

Laila: Não lembra de mim, Upa?

Upa: Hum… Ah, você é aquela garota que estava com o Goku. Mas seu cabelo não era verde? E se eu me lembro bem a cor dos seus olhos eram azuis.

Laila: É isso acontece comigo às vezes. É bom tomar cuidado comigo se eu estiver de olhos azuis.

Kuririn: Ela não está brincando, toma cuidado mesmo.

Upa: Ei eu me lembro de vocês dois - falou ele apontando para o Yancha e pro Kuririn - Vocês estavam comigo e com o Goku quando fomos ver a vovó Uranai.

Yancha: Agora eu me lembrei.

Tenshinhan: Será que a gente pode subir logo?

Laila: Upa, a gente vai indo. Vamos nos encontrar com o Mestre Karin.

Upa: Ta, Tchau pessoal.

Laila: Prontos para escalar?

Kuririn: Não.

Tenshinhan: Não é mais fácil ir voando.

Laila: Por respeito aos nossos amigos e por regras da torre, não. A torre nunca terá fim para aqueles que não vão escalando.

Yancha: Temos que escalar tudo isso?

Laila: É.

Kuririn: É muito alto?

Laila: Nem tanto. Eu já escalei isso daí nem demorou tanto. Quer dizer, mais ou menos - eu lembrei que estava com o Goku nas costas quando escalei.

Tenshinhan: Vamos logo.

Laila: Desse jeito eu serei a primeira - falei pegando impulso numa árvore para escalar a torre. Eu sou boa dos Parkour.

Tenshinhan: Ei, não é justo. Você já foi uma vez.

Laila: Mas o Mestre Karin gosta de mim, quem sabe ele me não me dá a água de novo - falei subindo a torre e olhando para baixo.

 

Logo, todos estavam correndo(subindo) para me alcançar.

Eu estava na frente, e o Tenshinhan logo atrás de mim. E teve uma hora que o Kuririn quase caía. Então eu pulei para ajudá-lo. Daí o Tenshinhan passou na frente.

Demoramos, mas chegamos.

 

Mestre Karin: Laila, que bom te ver.

Yancha: Um gato?

Laila: Ermitão.

Tenshinhan: Eu cheguei primeiro.

Laila: Eles querem a água dos deuses.

Mestre Karin: Podem pegar, é aquela - falou ele apontando para um jarro.

 

Os meninos correram, mas o mestre pegou primeiro.

 

Chaos: Você não disse que podia pegar.

Laila: E pode. É só tentar.

Mestre Karin: Isso mesmo.

Laila: Para ficar mais justo, iremos três contra quatro. Yajirobe! - chamei ele.

Yajirobe: Acabou de chegar e já está gritando.

Laila: Quer nos ajudar?

Yajirobe: Não.

Laila: Então vamos eu e você Karin.

Mestre Karin: Não sei se está pronta.

Laila: Eu também não.

Mestre Karin: Pega - falou ele jogando o jarro.

 

Eu peguei, tremendo, e todos ficaram com o coração na boca.

 

Chaos: Não faz mais isso, por favor.

Yancha: Você quase nos matou do coração.

Laila: Até eu me surpreendi. E agora, tentem me pegar - falei correndo pela torre.

 

Eu e o Mestre Karin ficamos fazendo vários passes e fizemos os meninos correrem bastante.

Passaram três dias.

E o Tenshinhan conseguiu pegar.

 

Kuririn: Ah não.

Laila: Parabéns Tenshinhan.

Tenshinhan: Obrigado - falou ele.

 

Ele bebeu a água rapidamente.

 

Mestre Karin: E vocês três, vão desistir?

Chaos: Mas ele já bebeu.

Laila: Ele pode fazer mais.

Yancha: Eu não desistir.

Kuririn e Chaos: Eu também não.

Laila: É assim que se fala.

Mestre Karin: Mas antes, descansem um pouco.

Laila: Mestre Karin, posso falar com você?

Mestre Karin: Pode.

 

Andamos um pouco.

 

Laila: É que… - falei um pouco corada tocando os dedos uns nos outros.

Mestre Karin: Diga.

Laila: Eu queria saber se... eu poderia fazer uma visitinha pro Goku. Vai por favor - falei com cara de cachorrinho pidão.

Mestre Karin: Sinto muito Laila. Você não pode atrapalhar o treinamento de Kami sama.

Laila: Entendo - falei com uma cara de decepcionada.

Mestre Karin: Daqui à um ano você o verá de novo.

Laila: 1 ano e dois meses. É muito tempo, eu sinto falta.

Mestre Karin: Eu até queria te ajudar, mas não posso.

Laila: Eu vou ter que me contentar com esse 1 ano.

Mestre Karin: Vamos continuar o treinamento dos garotos.

Laila: Tá.

 

Voltamos para perto dos garotos.

 

Laila: Vamos continuar.

Meninos: Sim.

 

Treinamos mais dois dias, até que…

 

Chaos: Por que não dividimos a água? Não precisa ter um ganhador.

Laila: Seria interessante, não é Mestre.

Mestre Karin: É, podem pegar.

 

Eles dividiram a água e eu sugeri:

Já que estão todos mais fortes, por que não fazemos uma corrida de descida e subida na torre?

Chaos: Vamos um de cada vez, assim só precisaremos de um cronômetro.

Laila: Eu tenho um.

Tenshinhan: Eu começo.

 

Fizemos a corrida, mas eu fui. Não estou no nível dos meus amigos.

Já estávamos indo embora e o Mestre Karin nos deus as sementes.

Seguimos um caminho qualquer, paramos à noite.

Eu acordei à noite e vi o Tenshinhan, sozinho, sentado num tronco não muito longe. Eu me levantei e fui andando até ele.

 

Laila: Tenshinhan, por que ainda está acordado?

Tenshinhan: Não te… - ele olhou meus olhos azuis - Eu vou me deitar - falou ele se levantando do tronco.

Laila: Espera - eu segurei o braço dele.

Tenshinhan: O que eu fiz agora?

Laila: Senta aí, eu quero conversar com você.

Tenshinhan: Ta - ele se sentou no tronco.

Laila: Seja sincero, você tem medo de mim? - falei de cabeça baixa.

Tenshinhan: Não.

Laila: … - eu olhei nos olhos dele.

Tenshinhan: Um pouquinho.

Laila: Eu sabia. É por que eu sou um monstro, não é?

Tenshinhan: É, também.

Laila: As pessoas sempre fugiram de mim por causa da minha aparência.

Tenshinhan: Não, mais. Agora você não tem mais aquela aparência monstruosa. Seus chifres desapareceram, não tem mais cauda, e seu rosto está igual a de um humano.

Tenshinhan: Por que você me odeia tanto

Tenshinhan: Sabe quem era o melhor aluno do Tsuru, antes de você chegar?

Laila: Não.

Tenshinhan: Sabe quem era o amigo que o Chaos mais gostava? Também era eu. Eu era sempre o melhor antes de você chegar. Algumas pessoas começaram a ignorar minhas opiniões, pois diziam que as suas eram melhores. Eu passei de melhor para pior em três dias.

Laila: …

Tenshinhan: Eu insistia para o Chaos vir para as aulas do Mestre Tsuru. Mas ele só veio quando você chamou. Você tomou tudo que era meu.

Laila: Desculpa, nunca quis machucar ninguém. Eu nunca fiquei feliz vendo alguém triste. Se bem que naquela época eu não me importava com ninguém.

Tenshinhan: Eu nunca consegui entender como era tão boa em tudo.

Laila: Eu sei que eu que perguntei, mas… por que respondeu? O Tenshinhan que eu conheço não responderia isso.

Tenshinhan: Você não vai lembrar de nada amanhã, está de olhos azuis.

Laila: É uma coisa engraçada, sabe. É que meus olhos começaram a ficar azuis a noite naturalmente. Mas é bom se precaver comigo.

Tenshinhan: Não, você me enganou?

Laila: Sim, e eu adorei ter te enganado - falei abraçando-o.

Tenshinhan: … - ele ficou sem palavras.

Laila: Agora eu sei seus motivos, e entendo…

Tenshinhan: …

Laila: Amigos - falei soltando ele e estendendo o braço.

Tenshinhan: … Amigos - falou ele apertando minha mão.

 

Eu fiquei muito feliz de ter me acertado com o Tenshinhan. Agora eu ganhei mais um amigo.

 


Notas Finais


Vai Lola tu consegui.

(Notas do autor)

Xau até semanaa que vem.
Eu acho.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...