História A história de Maíra Jade - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Futebol Feminino, Jornalismo, Lesbicas, Paris
Exibições 58
Palavras 2.057
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Esporte, Famí­lia, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Alguem??

Capítulo 25 - O jogo II


Fiquei encarando ela sem dizer uma palavra se quer, eu tentava digerir tudo o que ela falava. Mas eu sabia que nós não daríamos certo nunca. Sempre terá a Fernanda querendo atrapalhar tudo e ela sabe muito bem disso.

– Cristiane, você sabe que não vai ser  como a gente imagina né. –

– Claro que vai. Eu juro, esses cinco anos não foram fáceis, eu pensava que a Fernanda me faria feliz, mas infelizmente, não foi o que aconteceu. Quero ficar com você! Principalmente agora que estou perto de me aposentar, vou ter tempo pra vocês. – dizia ela quase implorando.

– Eu não posso. –

– Por que? Vai dizer que está apaixonada pela Fabiana? – perguntou incrédula.

– Porque eu estou muito bem sozinha. É uma paz tão gostosa, não quero a Fernanda me infernizando. E a gente já deu o que tinha de dar. –

Me levantei e sai subindo para sentar mais em cima da arquibancada, sozinha. Precisava pensar o um pouco, vi de longe Cristiane sentar ao lado da minha mãe e da Marjorie. Ela estar muito enganada se tiver pensando que é fácil assim me fazer voltar com ela. Avistei Rebecca falando com minha mãe e elas apontando para mim.

– Ei Jade, vem fazer a maquiagem! – dizia Rebecca. Me levantei e desci novamente nós seguimos para o vestiário. Estava uma bagunça das meninas ouvindo música, "jogando", conversando.

– Bom dia meninas! – falei sorrindo.

– Bom dia. – responderam juntas.

Rebecca mandou eu sentar em uma cadeira que ela improvisou e começou a me maquear, ela era muito rápida, em pouco minutos terminou tudo. Me olhei no espelho da mala de maquiagem dela e dei uma arrumada no meu cabelo.

– E aí Jade. – dizia Fabiana se aproximando.

– Oi querida, dormiu bem? – perguntei sorrindo.

– Dormi sim. Não estou me sentindo cansada e você? –

– Cansada eu estou sim. Mas o sono já passou! – falei me levantando – Tchau Rebe! –

– Ainda bem. Vamos sentar lá fora? – chamou  Fabi. E seguimos juntas para fora do vestiário. Fomos para onde minha mãe e a Marjorie estavam sentadas, a Cristiane ainda estava lá também.

– E aí, estou bonita agora? – perguntei convencida.

– Você é linda de qualquer jeito. – respondeu Cristiane se levantando. Ela cumprimentou Fabi com apertos de mãos e saiu e nós nos sentamos. Eu estava visivelmente sem graça.

– Filha, ela joga na seleção? – perguntou minha mãe surpresa apontando para Fabiana.

– Joga sim. E muito bem! – falei sorrindo

– Muito obrigada! Prazer, Fabiana. –

– Prazer, Luciana. Sou mãe da Jade, tudo bem? Está nervosa? – perguntava mamãe curiosa.

– Tudo ótimo. Na verdade sim, primeiro jogo sempre é muito complicado, e é minha estréia no psg. – falava estalando os dedos.

– Mas vocês vão ganhar, tenho certeza. O time de vocês é forte! –

Marjorie estava inquieta, queria ficar correndo pelo estádio e eu não deixei.

– Para! Ou vou te deixar em casa. – falei séria fazendo ela se sentar.

– Eu quero ir ver minha tia no vestiário, deixa mamãe. – pedia ela levantando.

– Deixa Jade, as meninas vão fazer festa com ela lá. – dizia Fabi

– Vai, mas cuidado. –

Ficamos conversando um pouco, depois Fabiana teve que ir se juntar com as meninas do time. O estádio estava completamente lotado, eu e minha mãe saímos para o local que fica a imprensa, do lado do campo mesmo. Eu tinha que arrumar um lugar pra ela e Marjorie ficarem quand começar o jogo. Cristiane veio em nossa direção segurando na mão da Marjorie.

– Posso entrar no jogo com ela? – perguntou ela.

– Deixa mamãe, por favor! – pedia Marjorie pulando.

– Pode! Me faz um favor, arruma um lugar bom pra minha mãe e a Marjorie assistirem o jogo, aqui só a imprensa pode ficar. –

– Tem um espaço ali em cima que minha família está lá, se elas quiserem ficar lá com eles, não tem problema! – dizia ela apontando para o local.

– Acho que não é uma boa. Vão ficar falando com a Marjorie, e eu não vou estar lá. – falei preocupada.

– Eu peço pra eles segurarem a língua. E o Carlos não veio, só meus pais, minha irmã, a Fernanda, os pais dela e uns amigos nossos. –

– Beleza. Mas se eu souber que a Fernanda disse algo pra minha filha, eu quebro a cara dela. –

– Ela não é louca Jade. Vamos logo lá dona Luciana, depois eu peço pra alguém ir deixar a Marjorie lá, não vou poder sair de campo. Tchau. – dizia ela saindo em direção aonde iria deixar minha mãe. Elas foram e eu fiquei sozinha com o pessoal da imprensa, peguei meu celular e fiquei olhando o instagram. Cristiane tinha postado uma foto com a Marjorie mostrando a língua com a legenda. "Linda da titia". Curti e a foto e fiquei olhando as fotos dela, as que tinham a Fernanda me dava nojo de olhar.

– Eita que ela passa o dia stalkeando a Cris mesmo. – dizia Juliana rindo. Não sei de onde ela saiu, pensei que não viria hoje.

– Passo nada. Só fui olhar a foto que ela postou com minha filha. E tu nem sabe do babado! –

– Pois me conte agora Maíra Jade! –

– Ela pediu pra eu voltar com ela hoje. Acredita? – falei séria.

– Acredito. Está na cara de vocês que ainda se gostam, eu sempre soube disso. E tu disse o que? – falava ela rindo.

– Eu não quero voltar com ela. A Fernanda sempre vai infernizar, não quero mais passar por aquilo de novo. Estou bem assim! –

– Você tem toda razão. Permaneça assim! –

Não demorou muito e as meninas começaram a entrar em campo. Peguei meu celular e coloquei na câmera para gravar, Marjorie ficava acenando para as pessoas, estava muito feliz de entrar com a tia e eu toda boba gravando tudo. Depois foi uma moça e levou ela e as outras crianças.

– É muito fofa né minha filha, morro de amores! – falei toda derretida.

– É sim. A coisa mais linda do mundo, amo muito! – dizia Juliana tão boba quanto eu.

O primeiro tempo do jogo passou muito rápido, o psg fez apenas 1 gol e o time adversário não fez nenhum gol. Quando o segundo tempo começou, a Fabiana se chocou com Cristiane e as duas caíram no campo, Cristiane parecia não ter gostado nada da queda, quando se levantou foi para cima de Fabi e a empurrou, quase ela caiu novamente e as meninas correram para cima delas, eu fiquei boquiaberta com a cena, e o treinador dela gritava como louco para que acabasse a confusão.

– Que merda é essa cara? – dizia Juliana perplexa também com a cena.

– Também não sei. Que coisa feia, e são do mesmo time. – comentei olhando.

A confusão acabou e voltaram a jogar normalmente de novo, minutos depois uma menina do time Lyon deu uma rasteira em Cristiane e novamente ela se enfureceu e foi pra cima da jogadora, ficou gritando na cara da menina e quase se bateram. Até que o treinador pediu para que a Cristiane fosse substituída. E ela deixou o campo com muita raiva. Nós estávamos perto do banco de reserva, e ela foi se sentar lá e ficou ainda discutindo com o treinador. Depois ele saiu de perto dela e ela começou a chorar. Fiquei com vontade de ir conversar, mas não podia.

– Eu nunca vi a Cristiane desse jeito em campo, e olha que estou há anos nessa parte esportiva. – comentou um jornalista.

Hoje mesmo esta confusão estará em todos sites de fofocas pelo mundo todo. Pelo jeito ela não estava nada bem. O jogo finalmente terminou e as meninas do psg ganharam de 1x0. E eu fui tentar falar com uma das meninas, chamei Fabiana e a Erika e falei com elas, já tinha mais afinidade com elas.

– Estou aqui com a Fabi e a Erika, meninas o que vocês acharam da partida? – perguntei olhando para elas. Estavam visivelmente cansadas

– Foi puxado, mas nós merecemos ganhar. Treinamos muito para ter essa vitória. – dizia Erika um pouco ofegante e Fabi apenas concordava.

– Parabéns pela vitória meninas, vocês mereceram. Obrigada! –

Logo elas foram puxadas para dar mais entrevistas, olhei para os bancos de reserva e Cristiane não estava mais lá. Olhei por todo o campo e vi vários repórteres em cima dela atrás de fofoca, certamente.

– Se eu não conseguir falar com a Cristiane, o Mário vai arrancar minha cabeça! – comentou Juliana chateada quando viu a multidão ao redor dela.

– Quando ela for pro vestiário, tu aproveita e vai atrás! –

– É o jeito. Ela ainda tava chorando até agora pouco. Vi o povo atrás dela e ela não queria falar com ninguém. – dizia ela rindo. – Mas comigo ela tem que falar. –

– Ela está muito estressada, e é por que vai se aposentar. Imagina nós, que temos que ralar muito ainda. – falei rindo. Depois fui até aonde mamãe e Marjorie estavam, o estádio já estava ficando vazio. As pessoas só falavam da confusão no jogo, o assunto vai render muito.

– Olá pessoal! – falei entrando. Fernanda me fuzilou com os  olhos, mas não disse nada. Todos estavam usando camisa do psg, menos eu e minha mãe.

– Oi minha linda, quando tempo! – dizia dona Anna, mãe da Cristiane. Ela me deu um abraço forte e beijou meu rosto. Era um amor de pessoa.

– Muito tempo né. Como a senhora está? E o senhor, Carlos? – perguntei a eles. E os dois sorriam para mim.

– Estamos preocupados. A Cristiane fez aquela confusão no jogo, ela deve estar com algum problema. – dizia dona Anna preocupada.

– Sim. Ela chorou muito depois que foi tirada de campo, fiquei com vontade de ir conversar, mas não podia. – comentei

– Eu vou atrás dela, saber o que meu amor tem. Tchau – disse Fernanda se intrometendo na conversa.

– A Fernanda é ciumenta, não liga não Jade. – dizia o senhor Carlos.

– Eu conheço essa cobra. Ops, a Fernanda. – falei rindo e todos riram também.

– E a nossa boneca, está linda demais né! – dizia dona Anna pegando Marjorie no colo e deu um beijo no rosto dela.

– Nunca vou entender porque o Carlos fez aquilo. – dizia o pai de Cristiane.

– Ele não faz falta nenhuma na vida dela. – falei séria.

– Ei, podemos ir? Estou cansada filha. – dizia minha mãe.

– Podemos sim. Vamos! –

Nos despedimos de todos e saímos, quando estávamos saindo da arquibanca, vi de longe Cristiane e Fernanda conversando no banco de reserva. Elas pareciam estar brigando na verdade, Fernanda chorava e ao mesmo tempo falava. Nós passamos por elas e pude ouvir Fernanda falar de mim.

– Você nunca deixou de gostar dessa qualquer aí! Vocês se merecem, espero que se fodam! – gritava apontando para mim. As pessoas que ainda estavam no estádio pararam para olhar pra mim. Senti uma raiva muito grande e não pude ficar calada.

– Você está falando de mim? – perguntei indignada

– Sim, vai fazer o que sua vagabunda? – perguntou se levantando e Cristiane segurou ela pela braço.

– Filha, vamos. Deixa ela falar sozinha. – pedia minha mãe nervosa. E Marjorie já estava começando a chorar.

– Eu só não vou quebrar essa tua cara nojenta, porque estamos aqui. E elas estão comigo! Mas tu fica esperta. – gritei saindo em direção ao portão de saída. – Calma filha, ela é louca. Não precisa chorar ok? –

– Vai se foder vagabunda! Engravida do irmão da própria namorada e quer ser santa agora. Vadia do caralho, estão vendo essa repórter aí de merda? Além de sapatão, é cachorra e fica com homem casado também. – gritava ela descontrolada, e nós continuavámos andando. Minha vontade era de voltar e quebrar a cara dela, se eu estivesse sozinha, faria isso. Todos ficavam olhando para mim, como se eu fosse realmente o que ela estava falando.


Notas Finais


Continuo?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...