História A História em Birdtale - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Undertale
Personagens Alphys, Asgore Dreemurr, Asriel Dreemurr, Chara, Flowey, Frisk, Mettaton, Napstablook, Papyrus, Sans, Toriel, Undyne, W. D. Gaster
Tags Birdtale
Visualizações 270
Palavras 2.069
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Romance e Novela
Avisos: Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oiiiiiiii povooooooooooo
Eu estou aqui para dar mais um cap de Birdtaleeeeeee
Aproveitem que esse cap eu fiz com muito carinho

Capítulo 13 - A História de Chara


Fanfic / Fanfiction A História em Birdtale - Capítulo 13 - A História de Chara

Sans ainda se sentia meio tonto, ele estava muito fraco, tentou se levantar mas suas pernas fraquejaram, sentou-se na cama antes que pudesse cair.

Frisk estava sentada ao seu lado, brigando por ele ser tão teimoso e cabeça dura, e não ficar na cama para descansar.

Argent estava sentado em uma cadeira que havia trazido da cozinha e observava a teimosia de Sans e a implicância de Frisk para com ele.

O esqueleto ainda queria tentar ficar de pé, mas quando se levantava tinha que sentar novamente, sua cabeça estava girando. Para ele, talvez, se Frisk estivesse certa, ele teria que ficar sentado ou deitado até suas forças voltarem.

Malia, que havia saído do quarto um tempo atrás, entrou no cômodo com um copo de água na mão, ela andou até os dois e se sentou ao lado de Sans, lhe entregando o copo.

Malia: Aqui, beba um pouco... vai se sentir melhor.

Sans, mesmo fraco, conseguiu segurar o copo firmemente.

Sans: Obrigado.

Malia: Não tem de quê.

Ele bebeu um pouco de água, Argent ainda os observava, com a cara de quem queria alguma coisa.

Malia: Eu percebi o seu olhar Argent... está querendo algo.

Argent: A única coisa que eu quero só pode ser concebida por ele.

O caçador faz um movimento com a cabeça em direção a Sans.

Malia: Por que não deixa ele descansar primeiro? Depois os dois conversam.

Sans: Eu sei o que ele quer, não me fará esforço nenhum...

Frisk e Malia: Ah?

Argent: * Sério * ...

Sans: Contar o que aconteceu com Chara.

--------------------=--------------------

O guarda desceu as escadas da masmorra, era a sua vez de levar comida para a prisioneira, ele mal havia entrado no local e já estava tremendo de medo, sabendo que lá embaixo estava a maior assassina que o Underground já viu.

Abriu as portas e entrou na cela, a prisioneira estava de cabeça baixa e os olhos fechados, ele conseguia sentir a aura negra que a envolvia.

Chara: Ora, ora... quem temos aqui?

O guarda levantou sua lança e jogou o prato de comida para perto dela.

Guarda: S-Seu j-jantar está a-aqui...

Chara: * Cara Medonha * Não precisa ter medo meu amigo, não vou te machucar.

O guarda tremia dos pés a cabeça.

Chara: Não se preocupe... EU NÃO MORDO.

Seus olhos ficaram negro e começou a escorrer um liquido negro dos mesmos e da boca, o sorriso doentio foi a gota d'água para o guarda sair dali o mais rápido que podia, depois de ter trancado a sela.

Enquanto ele subia as escadas, podia-se ouvir uma gargalhada que vinha lá de baixo, na escuridão de sua cela.

Chara se divertia muito com o medo dos guardas, principalmente os que chegavam perto dela.

Chara: * Gargalhadas * Minha vingança vai chegar. Isso eu garanto... Sans.

--------------------=--------------------

Frisk: O que aconteceu com Chara?

Sans: Quer mesmo saber?

Frisk: Você a conhece?

Sans: Podemos dizer que sim.

Frisk: Por que não disse nada?

Sans: Achei que não fosse necessário.

Frisk: Está mentindo.

Sans: ...

Frisk: Sans, você pode ser qualquer coisa menos um mentiroso. Eu quero a verdade. Por que não falou dela para mim?

Sans: Porque não é bom você saber.

Frisk: SANS, A VERDADE!

Sans: QUAL SERIA SUA REAÇÃO SE DESCOBRISSE QUE SUA PRÓPRIA IRMÃ É UMA GENOCIDA!?

Frisk: * Espanto * O que você disse?

Sans: Você ouviu, sua irmã é uma genocida.

Malia: Não pode ser verdade.

Sans: Mas é.

Argent: Chara... uma genocida? O que levaria ela a fazer isso?

Sans: Quer mesmo saber a verdade?

Os três se entreolharam.

Frisk: Nos conte o que aconteceu com ela.

Sans: Foi a muitos anos, nós monstros ainda estávamos construindo nossos lares, o monte Ebott é um lugar traiçoeiro, precisávamos tomar cuidado por onde andamos. O filho do rei, Asriel, estava andando nas ruínas, quando encontrou uma menina, tinha cabelos castanhos curtos e olhos vermelhos, ela estava ferida, Asriel a levou até o castelo, o rei e a rainha a acolheram, como se fosse sua própria filha. Ela era uma garota gentil e inteligente, ajudava os monstros quando precisavam.

Frisk: Você chegou a conhecê-la direito?

Sans: Sim... e quase fui enganado e usado por ela.

Malia: Como se conheceram?

Sans: Foi alguns dias depois que ela apareceu, eu e meu irmão estávamos brincando na neve, nosso pai já tinha saído para trabalhar e nós não podíamos ficar com nossa mãe, então ficávamos até tarde sozinhos. Meu irmão estava fazendo um boneco de neve quando suas crianças apareceram, eu pude reconhecer que era Chara e Asriel, os dois não largavam um do outro. Eles perguntaram se podiam brincar conosco, claro, eu e meu irmão aceitamos. Com o tempo, fomos nos tornando amigos próximos, Chara e Asriel iam nos visitar todos os dias e nos fazer companhia até nosso pai chegar.

Frisk: E o que você quis dizer com "quase fui enganado por ela" ?

Sans: Ela havia dito uma coisa para mim, algum tempo depois que nos tornamos amigos.

--------------------=--------------------

Sans estava sentado na escada de sua casa, ele observava Asriel e seu irmão fazendo anjos na neve e bonecos, Chara estava do seu lado, apenas mexendo com um monte de neve que ela havia juntado.

Sans: Chara, algum problema?

Chara: Não é nada.

Sans: Essa cara diz alguma coisa a mais.

Chara: Não é nada, Sans.

Sans: Nossa você é bem chata, até os ossos.

Chara: * Risos * ...

Sans: Fala o que está acontecendo, ou eu vou fazer cócegas em você.

Chara: Não se atreveria...

Chara nem terminou de falar e foi atacada por cócegas que Sans fazia em sua barriga.

Sans: E agora, vai dizer.

Chara: * Gargalhadas * Tá... tá... então para...

Sans parou.

Chara: Sabe, eu estava pensando... no mundo.

Sans: No mundo?

Chara: É... no mundo, eu quero mudá-lo.

Sans: Sério? Que legal.

Chara: Eu queria saber... se você me ajudaria com isso.

Sans: Claro, pode contar comigo.

Chara deu um sorriso para Sans.

--------------------=--------------------

Sans: Naquele dia, eu pensei que ela queria mudar o mundo para melhor. Para falar a verdade o jeito dela me fascinava, eu até cheguei a me apaixonar por ela.

Frisk: * Ciúmes * Sério?

Sans: Eu conheço essa cara, Frisk. Não me diga que está com ciúmes só porque eu disse que eu já havia me apaixonado pela sua irmã?

Frisk: * Brava * Não...

Argent: Poderia continuar?

Sans: Ah sim... Chara e Asriel sempre nos visitavam, até um dia em que eles não apareceram. Eu fiquei preocupado, estava com meu irmão dentro de casa, ele estava brincando de desenhar quando ouvimos gritos vindos de lá de fora. Eu sabia que tinha algo errado, pedi para o meu irmão se esconder enquanto eu ia lá fora ver o que estava acontecendo. Quando eu saí, fiquei horrorizado, havia poeira de monstro em vários lugares, minha cidade estava completamente deserta, tinha rastros de alguém que havia passado por ali, eu sabia que havia um genocida entre nós e teria que descobrir quem era. Naquele tempo, eu já tinha sido escolhido com juiz, então sabia que esse genocida misterioso iria aparecer no corredor do julgamento, me teletransportei para lá e aguardei. Algum tempo depois eu pude ouvir passos, ele estava entrando no corredor, me preparei para atacá-lo, mas quando vi quem era, me espantei.

--------------------=--------------------

Sans estava no corredor, esperando o assassino, ele olhava fixamente para a entrada do corredor, pode ouvir passos ecoando no local, preparou-se para atacar, mas abaixou a guarda quando viu que era.

Chara.

Suas mãos estavam cobertas de poeira de monstro e ela tinha uma faca na mão, tinha um sorriso doentio no rosto e olhava para Sans fixamente.

Sans: * Espantado * Chara...

Chara: Olá Sans

Sans: O-Oque... está... fazendo...?

Chara: Apenas o que eu sempre quis... mudar o mundo.

Sans: E-Eu pensei que...

Chara: Achou mesmo que eu queria mudar o mundo para melhor? Você é patético Sans.

Sans: M-Mas... por que...?

Chara: Porque esse mundo merece ser mudado.

Sans: PARA QUÊ!?

Sans simplesmente se enfureceu.

Chara: Ora, ora... para poder dar a esse mundo o que ele merece, precisamos apagar a existência dos monstros e dos humanos.

Sans: VOCÊ É DOENTE!

Chara: Não meu querido Sans. Eu só quero mudar o mundo. Você não disse que me ajudaria?

Sans: Não vou ajudar você a destruí-lo.

Chara: Que pena, Sans. Pensei que fôssemos amigos. Ou mais que isso. Mas não importa mais, você terá o mesmo destino que os outros. Adeus, Sans.

Chara avançou contra Sans, ela ergueu sua faca pronta para atacá-lo. Quando chegou perto dele, Sans desviou e voou pelo corredor, pousando do outro lado. Ele invocou alguns osso e atacou Chara, a mesma desviou de seus ataques com facilidade.

Chara: Desista, Sans. A alma de um monstro não pode derrotar uma alma humana.

Sans: Eu não vou desistir, por todos aqueles monstros que você matou!

Ele invoca dois gaster blasters dos dois lados de Chara, ela consegue se esquivar dos ataques e avança em direção a Sans. Chara dá golpes sucessivos enquanto Sans se esquiva de sua faca. Ele podia sentir uma aura negra envolver Chara, como se algo estivesse controlando-a.

Chara: Desista, você sabe que não pode aguentar.

Sans: Eu resistirei até minhas ultimas forças!

Chara: E quando você cair, eu vou atrás do seu irmão.

Aquela foi a provocação necessária que Chara precisou fazer para a fúria de Sans aumentar, ele atacou Chara sucessivamente, Sans conseguiu feri-la e deixá-la cansada.

Chara: Eu não vou perder.

Sans: Você já perdeu Chara, acabou.

Guardas entraram no local e algemaram Chara para levá-la à sua cela.

Chara: VOCÊ ME PAGA, SANS! EU VOU ME VINGAR! DE UM JEITO QUE VOCÊ VAI SOFRER! ATÉ SEU ÚLTIMO SUSPIRO!

--------------------=--------------------

Sans: Depois daquele dia, eu me preocupei em vigiar Chara todos os dias, com medo de que ela escapasse e causasse o terror novamente em Underground.

Malia: Não pode ser... nossa filha...?

Argent: Ela simplesmente fez isso? Ela não disse algum motivo para exercê-lo?

Sans: Não, ela só disse que queria mudar o mundo, exterminando os humanos e monstros.

Frisk: Não acredito que ela fez isso.

Sans: Mas fez. O passado não pode ser mudado.

Frisk: Mas o futuro pode ser remodelado.

Sans: ...

Argent: O que quer dizer filha?

Frisk: Que precisamos mudar a mente de Chara.

Sans: ISSO É LOUCURA! CHARA É UMA DOENTE SEM CORAÇÃO!

Frisk: Diz isso pelo que ela fez ou por que ela traiu seu coração naquela época?

Sans: ...

Frisk: Eu sabia...

Sans: Frisk... eu...

Malia: Eu vou para cozinha, vou fazer algo para jantarmos.

Argent: Preciso rever meus mapas.

Os pais de Frisk saíram do quarto deixando os dois sozinhos.

Frisk: Por que, Sans...?

Sans: * Choro * Ainda dói pensar no que ela fez com todos nós, dói pensar que ela fingiu ser minha amiga, dói pensar... que ela quis mesmo matar a mim e meu irmão, mesmo nós a acolhermos como se fosse da família, dói pensar em um amor destruído por um pensamento ruim que domina alguém...

Frisk: Sans...

Sans: * Sorriso Forçado * Tenho sorte de te conhecer, você fez muito por mim e eu agradeço, mas você fez algo mais...

Frisk: * Sussurro * Sans... me desculpa...

Sans: Você roubou meu coração.

Frisk: * Espantada * ...

Sans: Tudo o que você fez por mim fez com que eu esquecesse o que me aconteceu e me fez olhar para outra pessoa... você. Frisk, você é inteligente, é gentil, é bondosa... essas são as suas qualidades que te fazem tão perfeita, e que fez com que eu caísse no amor com você.

Frisk: Sans...

Sans puxou Frisk para perto dele, segurou seu queixo e fez ela olhar nos seus olhos, lágrimas escorriam pelas suas bochechas, seus rostos foram se aproximando lentamente, eles fecharam os olhos quando seus lábios se tocaram, para eles foi um beijo mágico, profundo e apaixonado, eles queriam que durasse uma eternidade mas faltou-lhes ar. Os dois se separaram, olhavam um para o outro até que ouviram um barulho vindo de lá de fora.

Com um pouco de dificuldade Sans se levantou e ele e Frisk foram para a janela, os dois olharam para a vila e viram algumas casas pegando fogo, Sans avistou algo voando sobre a vila.

Ele pode reconhecer as asas brancas da criatura que voava no céus, Asriel, e sabia o que o príncipe queria.

Asriel estava ali para matá-lo.


Notas Finais


Aeeeeeeee
Povo, esse tempos eu vou tentar atualizar as fics mais rápido, tá?
APROVEITANDOOOOOO
COMECEI MEU CAMAL NO YOUTUBE ME AJUDEM SE PUDEREM
IGNOREM O FATO DE EU SER RETARDADA
TCHAUUUUUUU
https://m.youtube.com/my_videos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...