História A História em Birdtale - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Undertale
Personagens Alphys, Asgore Dreemurr, Asriel Dreemurr, Chara, Flowey, Frisk, Mettaton, Napstablook, Papyrus, Sans, Toriel, Undyne, W. D. Gaster
Exibições 140
Palavras 1.728
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Romance e Novela
Avisos: Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oiiiiii
Mais um cap
Bateu uma inspiração do capeta aqui
E eu consegui escreber essa fic hoje
Gloriaaaaaa
Tá ficando fodaaaaaa
So eu que estou escrevendo e estou ficando empolgada com a propria historia
VALEU A TODOS PELOS 100 FAVORITOOOOOOOOOS
ISSO É DE GRANDE AJUDA PRA MIM E TAMBÉM O QUE ME DÁ FORÇAS PARA CONTINUAR ESCREVENDO MINHAS FICS.

Capítulo 14 - Ataque


Sans e Frisk observavam o tumulto pela janela, Argent e Malia entraram no quarto e viram os dois olhando para fora. Indo até eles, os pais da garota olham pela janela e avistam o caos que está na vila.

Argent: O que ele está fazendo aqui?

Malia: Quem é ele?

Frisk: E o que ele quer?

Sans: Ele...

Antes de terminar a frase, suas pernas fraquejaram. Se Frisk, Malia e Argent não estivessem ali, ele teria caído com força no chão.

Eles o levaram para a cama e o fizeram sentar, Sans estava fraco para ficar muito tempo em pé.

Sans: Ele... ele está... atrás de mim.

Frisk: Por quê?

Sans: Porque eu sei.

Argent: Sabe o quê?

Sans: Sobre o plano deles.

--------------------=--------------------

Sans estava descendo as escadas para poder ir vigiar Chara, ela era esperta e a maioria dos guardas não se atreve a descer na parte mais profunda da masmorra. Ele era um dos poucos que não tinha medo da genocida, Undyne também não tinha medo dela e desconfiava que Sans estava do lado de Chara.

Ele tentou várias vezes, sem sucesso, convencer Undyne de que ele não tem nada a ver com Chara. Mas a líder da guarda real se recusa a escutar.

Sans vem fazendo uma ronda noturna para se certificar de que Chara não iria conseguir fugir.

Chegando na entrada de sua cela, ele pode escutar duas vozes, uma era de Chara e outra era de Asriel.

Ele se perguntava por que diabos Asriel estava lá, não era seguro o futuro rei estar ali em baixo. Sans ia entrar para tirá-lo dali quando prestou mais atenção na conversa.

Chara: As coisas estão indo como planejado?

Asriel: Perece que sim. Asgore não suspeita de nada.

Chara: Claro que não. Como ele poderia suspeitar que o sei próprio filho o trairia. É genial.

Asriel: Tudo para te fazer feliz.

Chara: Para te fazer feliz também Asriel. E o saco de ossos sorridente?

Asriel: Nem imagina.

Chara: Ótimo. Vou pegá-lo quando chegar a hora e ele vai pagar pelo que fez.

Asriel: Enquanto a Delfim?

Chara: A sacerdotisa? Vamos dar um jeito nela também, o mais rápido possível.

Sans estava escutando tudo o que eles diziam, percebeu que Asriel estava saindo e se escondeu nas sombras, fechando suas asas negras e o observando cautelosamente.

Quando Asriel passou por ele, Sans saiu de seu lugar, mas acabou por fazer barulho. Asriel parou imediatamente, se virou e olhou para Sans, seus olhos ardiam em fúria, ele não teve outra escolha a não ser correr dali o mais rápido que podia.

Voou por cima do príncipe e saiu em disparada pelas escadas da masmorra, Asriel voou atrás dele, ambos eram rápidos e fortes. No ar, eles trocavam golpes, Sans sabia que não suportaria por muito tempo e fugiu, no momento era a melhor coisa a se fazer.

O futuro rei o perseguiu até que eles estava fora da área do monte Ebott, Asriel lançava ataques furiosamente enquanto Sans desviava.

A intensa luta assustou os pássaros e fez com que fugissem.

Distraído, Asriel acertou em uma das asas de Sans e ele caiu no meio da plantação de trigo.

--------------------=--------------------

Sans: Querem me matar. Eu sou um obstáculo para o sucesso deles.

Frisk: Foi por isso que você caiu.

Sans: Tenho tentado evitar Asriel o máximo que eu pude. Mas também venho tentando atrapalhá-los.

Argent: Como assim, atrapalhá-los?

Sans: Chara e Asriel querem matar Delfim, a nossa sacerdotisa, ela pode prever o futuro e se ela ver o que eles irão fazer, vai avisar a Asgore. Depois que minha asa foi curada com a ajuda de sua filha eu ficava na entrada das ruínas. Se Asriel aparecesse, eu iria intervir e fazê-lo dar meia volta. Mas ele nunca apareceu.

Malia: Quer dizer que a sacerdotisa está salva?

Sans: Por enquanto.

De repente, pode-se ouvir uma explosão próxima da casa, Frisk foi com seu pai até a janela. Uma das casas estava em chamas e havia pessoas lá dentro.

Argent: Eu tenho que ir.

Sans: Eu também vou...

Sans tenta se levantar, mas é impedido por Frisk e Malia.

Frisk: Não, Sans. Você precisa descansar.

Malia: Frisk tem razão, você não está em condições...

Sans: É por minha causa que ele está aqui! É por minha causa que ele está ferindo pessoas inocentes! Eu devo detê-lo.

Frisk: Sans, você mal consegue ficar de pé.

Sans: Eu sei, mas não posso ficar parado enquanto Asriel está destruindo esta vila!

Argent: Não precisa se preocupar com isso.

Argent aparece na porta com a sua crossbow em mãos.

Argent: Eu vou dar um jeito nele.

O caçador sai em disparada para fora da casa.

Frisk: Pai!

Frisk vai atrás dele.

Frisk: Eu também vou.

Argent: Não, é muito perigoso.

Frisk: Mas eu quero ajudar.

Argent: Vai me ajudar ficando aqui e cuidando da sua mãe e de Sans. Está bem?

Frisk: Está bem.

Ela retorna para o quarto, Sans e Malia estavam esperando por ela, sabiam da resposta de Argent.

Sans: Não se preocupe Frisk. Seu pai é bom no que faz. Ele vai conseguir.

Malia: Assim espero.

--------------------=--------------------

Argent saiu para fora de sua casa, pegou um apito de madeira entalhada e assoprou. De início, apenas chamou a atenção de Asriel, mas depois, o monstros percebeu para que o apito foi usado.

Toda a equipe de Argent estava lá, com suas armas equipadas e carregadas, Asriel olhou a sua volta, todos estavam preparados para atacá-lo, apenas esperando as ordens de Argent.

Um sorriso formou em seu rosto, ele olhou para o caçador que possuía a crossbow em mãos, se olhar frio que não mostrava uma gota de misericórdia fez com que Asriel desse um sorriso ainda maior, para ele, Argent seria um grande adversário.

Com sua mão levantada, ele esperou pelo momento certo. O único gesto de abaixar o braço, faria com que a sua equipe abrisse fogo contra o monstro e não parariam até segunda ordem.

Ele observava Asriel com cautela, prestava atenção a cada pequeno movimento feito por ele. Argent era paciente, ele poderia esperar a noite toda até Asriel fazer um movimento em falso. Sua equipe, pronta para o sinal, apontava com suas armas para o monstro.

Argent sabia que se ele mandasse atirar, teriam mais de oitenta por cento de chance de acertá-lo em cheio, sua equipe tinha os melhores atiradores da região, ele havia treinado todos eles para esse serviço e sabia que eles não o desapontariam.

O caçador percebeu o movimento em falso de Asriel e com agilidade, abaixou o braço, segundos depois, flechas e balas voaram em direção ao monstro.

Com mais agilidade que as flechas, Asriel se envolveu em chamas, criando um escudo de fogo que nenhuma flecha ou bala poderia atravessar.

O grupo de caçadores não desistiu de atirar, na fé de conseguirem acertar algum ponto fraco do escudo, mas sem sucesso, toda a munição foi gastada e eles não haviam conseguido fazer um arranhão em Asriel.

Aquilo era um problema.

Argent sabia que ficar ali era perigoso. Ele percebeu Asriel preparar-se para usar sua magia.

Argent: RECUAR! SE PROTEJAM!

Todos se esconderam atrás dos escombros, tempo ilo suficiente para Asriel usar seu poder e chamas eram lançadas para todos os lados.

Argent: Isso é um problema.

Caçador: O que vamos fazer senhor?

Argent: Não sei, nunca combatemos um monstro com poderes de fogo antes. Não sabemos como atacar.

Ele teve que tirar o pé do lugar onde estava, o fogo atravessou segundos depois.

Argent: Droga!

--------------------=--------------------

Frisk e Malia olhavam o que estava acontecendo pela janela. Seu pai estava passando por uns maus bocados, aquele equipe era a melhor da região e eles não estavam conseguindo combater um monstro.

Sans podia ouvir os sons de lá de fora, ele estava deitado, respirava pesadamente, o uso de sua magia o debilitou mais do que ele esperava. Pode ouvir a voz de Argent gritando lá fora.

Argent: RECUAR! SE PROTEJAM!

Eles estavam com problemas, precisava ir lá e ajudar.

Frisk e Malia estava espantadas com o acontecimento quando ouviram o som da porta se abrindo. Frisk se virou e viu que Sans não estava na cama e a porta do quarto estava aberta.

Ele havia saído.

Frisk: SANS!

--------------------=--------------------

Argent pode ouvir os gritos que vinham de dentro de uma casa próxima, havia pessoas lá dentro e a casa estava em chamas.

Argent: Precisamos tirar aquelas pessoas de lá.

Caçador: Como?

Argent: Chame a maioria e diga para eles distraírem o monstro, vou com mais três para a casa e retirar aquelas pessoas de lá.

O homem obedeceu e foi chamar o resto, Argent fez sinal para mais três de sua equipe para segui-lo.

Eles quebraram a porta e entraram, tinha fogo por todos os lugares, algumas das vigas já não estavam suportando o peso do andar de cima, Argent e mais um subiram para o outro andar enquanto os outros procuravam por sobreviventes no andar de baixo.

No andar de cima os dois se separaram e cada um foi para um lado, Argent abriu a porta que dava para um quarto infantil, ele pode ouvir duas crianças chorando, entrando no cômodo avistou um menino e uma menina.

Ele foi até as duas.

Argent: Você estão bem?

Menino: Sim.

Menina: Eu estou com medo.

Argent: Vai ficar tudo bem.

Ele pegou as crianças no colo e quando foi sair do quarto, uma viga se soltou e caiu no chão, quebrando o piso. O buraco feito era muito grande, Argent não iria conseguir pular para chagar na porta.

Os outros já haviam saído da casa e esperavam ele do lado de fora.

Eles estavam presos e uma viga estava para se soltar em cima deles.

Sans entrou pela janela, pegando os três passou voando pela porta, a viga se soltou e o quarto todo ficou em chamas. O fogo avançava enquanto ele atravessava a casa para chegar até a janela. Ele conseguiu passar pela outra janela a tempo.

Colocou os três no chão.

Menino: Obrigado.

Menina: Muito Obrigada.

As duas crianças correram para seus pais que estavam ali.

Sans bateu suas asas e ficou de frente para Asriel.

Sans: JÁ CHEGA, ASRIEL!

Asriel: Olá, Sans. Até que enfim você apareceu.

Os dois se encaram, o fogo ardendo em seus olhos, eles estavam preste a colidir um com o outro.

Sans e Asriel iriam se enfrentar.


Notas Finais


Tchauuuuuu
Bjs para todooooss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...