História A história mais chata do mundo - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Biografia, Bullying, Não-ficção, Vida Escolar
Visualizações 6
Palavras 769
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Romance e Novela
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 10 - 10


                                                                                                          #10 
 
 Bom,agora vamos falar dos micos que eu paguei,esse com certeza vai ser o que vai fazer ou vocês rirem(se forem demônios que vão arder no inferno na primeira gargalhada)ou fazer vocês terem peninha de mim(se vocês não forem idiotas o suficiente para não rirem disso)ou fazer vocês dormirem(o que eu quero que vocês façam). 
 
 O primeiro de todos foi ainda no ensino fundamental onde era dia de piscina,(ainda me arrependo de ter ido para aquela piscina idiota,duas vezes)eu não preciso dizer muita coisa,só que eu era um garoto gordo e feio que era extrovertido,ou achava que era,o problema é,quando você é gordo,já sabe né?,e banha se mexendo para todos os lados,(mas como vocês vão ficar na água,ninguém vai prestar atenção nisso)é aí que vocês se enganam,era o último dia de aula,todos estavam se divertindo,e o meu erro foi sentar,apenas sentar,sabe aquelas linhas no seu corpo,nenhum garoto da minha classe tinha isso,eu era o único gordo daquele lugar,então todos começaram fazer piadas de gordo comigo,basicamente,nunca mais fui para um dia de piscina nem para um parque aquático,e isso rola até hoje,mesmo eu sendo magro e desnutrido. 
 
  A segunda vez ainda foi nessa escola,que vou chamá-la de caverna da bruxa,devido ao fato de ver aquela bruxa que era o embryonic beast,mas não foi aí que eu a conheci,antes eu frequentava aulas de reforço,ainda não entendo porque a minha mãe teve a brilhante idéia de me colocar naquele lugar que não trouxe nada de bom para mim,uma vez em uma das festas de cosme e damião,eles deram alguns sacos com doces para todas as crianças,e um garoto que até hoje me lembro o nome,(mas não direi,lógico)foi descuidado e perdeu a pipoca dele,e depois a embryonic beast resolveu perguntar com a voz bem alta,e depois de duas vezes perguntando,ela começa a olhar para mim,apenas porque eu estava comendo a pipoca do meu irmão que ele não quis,e é claro,quem foi definido como culpado?(adivinha),não só ela não me deixou participar das brincadeiras como também conseguiu convencer os outros de que fui eu,alguns idiotas passavam por mim e ficavam me acusando que eu tinha roubado aquela porcaria de pipoca,e a única coisa que aquele reforço me trouxe foi o costume de ter a sensação de ser excluído,afinal,ficava de castigo quase todos os dias naquela m#rda de reforço. 
 
 Mas o que realmente é uma história que eu nunca contei para ninguém,foi que em uma das brincadeiras na aula de educação física,estátua,eu acabei meio que “quase” passando uma das piores vergonhas da minha vida,a minha sorte foi que o professor me ajudou e ninguém notou,pra não ficar enrolando,direi de uma vez,eu acabei fazendo xixi na calça enquanto tentava não me mexer,eu estava apertado para ir ao banheiro,mas não consegui dizer a tempo para o professor,e o prêmio era uma caixa de chocolate,naquele tempo eu ainda gostava disso,mas o que realmente me matou de vergonha,(e tudo por culpa da embryonic beast)foi que quando eu troquei as minhas calças que minha mãe havia trago de casa até a escola depois que a embryonic beast ligou para casa,ela pediu que todos os alunos me saldassem com uma salva de palmas por ser muito “dedicado”,eu fui aplaudido por fazer xixi nas calças,e isso é um fato. 
 
 
 Bom,não tinha realmente muitos micos para contar,já que eles não foram muitos,mas posso expandir esse capítulo falando de uma coisa que realmente eu não gostava,e que até hoje considero um mico,torcer o pulso jogando futebol,(exato,eu jogava essa porcaria),com o passar dos anos pararam de me chamar porque parece que todo mundo deletou da mente que eu sabia jogar,então eu tinha que provar sempre que eu sabia,embora não fosse difícil provar,era também muito chato devido ao fato de que algumas pessoas sempre queriam que eu não jogasse,mas sem querer viajar muito,foram exatamente duas vezes que eu torci o pulso jogando futebol,a primeira delas foi na educação física,o pior é que eu não consegui pedir ao professor para que me liberasse,porque eu ainda tinha que compensar a falta na aula anterior,e não era fácil,ainda bem que ele não pediu para fazer flexões. 
 
 Na segunda vez foi jogando futsal,e eu era o goleiro,porque o desgraçado do treinador pediu para eu substituir o garoto que estava de goleiro,(e olha que eu era um dos jogadores em campo)só defendi uma bola e meu pulso já estava doendo,aquela foi a última vez que eu torci o braço,tiveram outras duas mas eu não lembro como foi,isso sim foi um mico,e eu digo que foi um mico porque o treinador depois disse que não me substituiu pelo goleiro porcaria nenhuma,me mandaram embora e desde aquele dia,não jogo mais futebol e nunca jogarei.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...