História A HUMANA QUE DESARMOU O YOUKAY FRIO - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Inuyasha
Personagens Ayame, Bankotsu, Inu no Taishou, Inuyasha, Izayoi, Jaken, Kaede, Kagome Higurashi, Kagura, Kanna, Kirara, Kohaku, Kouga, Miroku, Myouga, Rin, Ryuura, Sango, Sesshoumaru, Shippou, Toutousai, Youkai Satori
Tags A Humana
Exibições 33
Palavras 2.197
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Mistério, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Yoo minna ^^ vim antes do previsto hehe, com mais um capítulo pra voceeês, estam felizes ? e.e
Não sei o que opinar sobre esse e.e então me digam se tem algo de muito ruim ta 😅
Ah! E obrigada pelos comentários no capítulo anterior, vocês fazem eu ter vontade de escrever 💜

. . . B o a L e i t u r a . . . 💙

Capítulo 16 - SEMANAS(parte lll)- Sebastian


Fanfic / Fanfiction A HUMANA QUE DESARMOU O YOUKAY FRIO - Capítulo 16 - SEMANAS(parte lll)- Sebastian

                  Depois do treino eu estava exausta, fui tomar um banho e iria dar uma passadinha na biblioteca, pra pegar um livro, os dias aqui estão começando a ficar parados, sempre a mesma coisa.

No corredor eu estava olhando pra umas pinturas na parede, tinha uma de uma mulher que parecia acompanhar nossos passos, cheguei mais perto e foi como se ela estivesse me observando, ela era linda, e tão real, usava um vestido curto e roxo com uns detalhes em branco, um vestido de empregada sexy; seus longos cabelos também roxo, ela tinha orelhas de " Coelho? ", presas de vampiro e olhos lilases, usa uma meia rosa que vai até sua coxa... cheguei mais perto e coloquei a minha mão sobre a dela, " quente ", fiquei assustada, era como se ela estivesse viva, me afastei.

- como nunca a vi antes?- cochichei pra mim mesma, escutei uns barulhos vindo do escritório de Sesshoumaru, desviei a atenção, quando olhei de volta, ela não estava mais ali - co. como?

Fui seguindo em direção ao escritório, nunca fui de fazer isso, mas dei uma espiadinha pela porta entreaberta.

Sesshoumaru : - Eu não me importo, e se ela...

Satori: - E se ela souber? Meu filho, você gosta dela, não gosta?- falou se aproximando de seu filho - Você tem que contar pra ela, ela precisa saber o que está acontecendo - " haha ela mesma já me contou " - Sesshou...

Sesshoumaru: - Não, ela... Ela vai querer ir embora... Não sei se quero... - seu sussurro foi tão baixo que eu quase não escutei - não suportaria ver ela indo... - agora sua voz foi decidida e forte - Ela não pode saber.

Satori: - E quando a princesa chegar? O que vai dizer a ela? e à Rin?

Sesshoumaru: - É... Mas eu não consigo...

Eu não aguentava mais tanto segredo... Quando dei por mim, já havia escancarado a porta e estava com uma postura de soldado convincente.

- o que eu não posso saber? Que você tem uma noiva? - todos ali presentes ficaram boquiabertos, olhei em volta e percebi que seus avós também estavam lá, juntamente de alguns soldados " ops " - pois saiba você, que eu já sei.... E já faz um tempo, e não desisti... Nem sei se vou. Sesshoumaru, eu te amo, não sei como isso está acontecendo, não sei se você sente isso também, mas eu não ligo, sei que é por uma boa causa essa sua união com a princesa...- eu dei uma pausa, estava de olhos fechados e pulsos cerrados, sentia as lágrimas invadindo meus olhos, e meu coração acelerando, ele nada dizia, ninguém nem se mexia. Eu tinha que falar enquanto conseguia me segurar - MAS EU NÃO VOU INSISTIR PRA SEMPRE, EU NÃO SUPORTARIA - quando dei por mim as palavras estavam saindo gritadas, mas não porque eu queria - as vezes eu nem consigo dormir, fico imaginando vocês junto, isso porque nem sei como ela é... Mas um dia desses eu sonhei, se ela for como no meu sonho, ela é realmente linda, e vocês teram uma família, pela qual eu não farei parte - agora eu fitava o chão, e mais parecia estar falando comigo mesma, enxuguei minhas lágrimas sem nem me importar se eles ficariam com pena da menininha estar chorando, escutei passos chegando perto de mim. Fitei aqueles olhos ambares chegando perto.

Sesshoumaru: - Rin...

Não suportava mais isso, sai correndo dali estava indo em direção à um lago fora do palácio, um que eu havia visto meu sonho, quem sabe é real, quem sabe isso me aliviará... Passei despercebida pelos guardas.

Chegando lá fiquei admirada, era mesmo verdadeiro, e era tão grande. A água corria indo em direção ao que acho que é a cidade, as árvores em volta todas cheias de cor, a luz refletia um azul maravilhoso, tão calmo; ao longe conseguia-se escutar o cantar dos pássaros. Sentei numa pedra e fiquei olhando o céu.

- Rin, é mesmo você?

- quem... Quem é?

- sou eu, não se lembra?

- Essa voz... Mas você é um sonho.

- Nossa, obrigada - dito isso escutei sua risada que era muito boa por sinal - nem pra tanto.

- não, eu te conheço do meu sonho, cadê você? - falei rindo.

- olhe pra trás

Olhei, ele era lindo, usava uma roupa social com gravata e tudo, e uma luva branca na mão direita apenas, seu cabelo nem comprido nem curto, de tons escuros e uns fios caídos em um de seus olhos avermelhados. Bem alto e bem magro, ele estava em cima de um galho fino da maior árvore, mas ele não parecia se importar, num pulo desceu gracioso e pousou no chão como se nada tivesse acontecido.

- agora você pode me ver? - concordei com a cabeça, eu estava pasma - aquilo não era bem um sonho, eu estava ampliando seus horizontes - disse isso com um sorrisinho pelo qual não sei explicar - posso chegar perto? - novamente só concordei com a cabeça - não tenha medo de mim, lembra que eu falei que te salvaria?

- hai... Me salvar de que? Quem é você? Como sabe quem sou?...

- calma, você terá muito tempo pra me encher de perguntas... Mas vou me apresentar. Olá- fez uma reverência - sou Sebastian, um demônio do bem - levantou apenas a cabeça e me ofereceu seu melhor sorriso, eu estava encantada - ando te observando, você não sabe, mas eu sei o futuro, e você pode saber também, basta me seguir.

- não se curve, não sou princesa - falei extremamente corada - olá Sebastian, sou Rin como você já sabe - falei com un sorriso, mas logo ele desapareceu, dando lugar à um rosto sem expressão - a mera humana - fitei o chão, mas com a mão com luva ele fez eu erguer a cabeça novamente.

- não diga isso com essa carinha... É a melhor humana que já conheci. - esse comentário me fez sorrir de verdade. - agora me diga, o que esta fazendo aqui fora? Não sabe que é perigoso?- ele fez um silêncio e olhou pro castelo - e estão te procurando.

- é perigoso, mas já estou acostumada.... Estão me procurando? É...- me lembrei o porquê que sai correndo - eu passei pelos guardas sem ninguém ver...

- por que esta fugindo? Eles lhe trataram mal?

- iie... Falei coisas demais, fiquei constrangida e sai correndo sem direção...

- te entendo menina...

- você que me bisbilhota, sabe o que esta acontecendo?- fiz cara de confusa

- não, só mantenho contato com você - falou com aquele sorriso de novo.

O resto do dia passei com ele.

Ele me mostrou os lugares que estava usando pra aparecer no meu sonho.

- então era tudo real?

- claro mocinha, não mostro o que não se pode conhecer - disse rindo e com cara de quem sabe de tudo.

- então tudo o que sonhei é o que pode acontecer?

- tipo isso...

- é...- ele me encarou, mas eu não conseguia, " será que pergunto? "

- é? Diga! Sei que quer perguntar algo

- o sonho de um casal e os filhos... Foi você que me mostrou?

- não, mas se quer saber se vai acontecer posso tentar lhe ajudar

- COMO - me exaltei sem querer na hora da pergunta

- me conte o sonho.... Minha "mãe" me disse que você um dia irá prever o futuro... Mas eu entendo sonhos.

- sua mãe? Prever? O que? Você possui poderes?

- calma ainda vou explicar tudo, nem que seja por sonho - sorriu - agora só me conte o sonho.

Então eu contei. Não sei o porquê, mas sinto que posso confiar nele, ele até me fez esquecer um pouco do palácio e tudo o mais.

- aaaah! Uma das crianças, como você me contou... A que te via, era seu filho - ele estava raciocinando enquanto falava, com as mãos no queixo - mas não mostra quem é o pai, e possivelmente as crianças são mesmo do casal... Sesshoumaru né? Não parece ser bem um casal com essa mulher, mas eles tem uma ligação forte... - ele pensou e pensou - acho que é só isso que consigo dizer do sonho. Gomen.

- hmhm, isso já é o suficiente. - sorri pra ele, era como se ele tivesse desvendado mais do que o necessário.

Fomos andando, estávamos perto castelo ainda. Paramos em uma grande pedra, ouvimos barulhos de passos, possivelmente é eles à minha procura.

-- Sesshoumaru on --

" Ela sabe? ".

Suas palavras ficaram na minha cabeça. " me ama? Então porquê saiu correndo? ", Rin é uma garota tímida, deve ter sido isso, agora ela sumiu, e já é final de tarde...

- será que ela não saiu do castelo? Já procuramos por tudo quanto é lado meu filho...

- os guardas não à viram - falei seco.

- mas ela é pequena e pode ter passado despercebida... Ela deve estar bem, é uma das nossas melhores soldadas e é sacerdotisa...

- ELA NÃO É NOSSA SOLDADA, só treina... mesmo que possa se defender, não conseguiria se estivesse mesmo em perigo. - fiquei encarando o portão - MANDE CHAMAR ZERO, HARADA E YURA - gritei para uma das serviçais - É PRA ONTEM! - ela saiu correndo, uma youkai da velocidade.

Em questão de minutinhos eles estavam do meu lado.

- vamos procurar ela lá fora. Satori acha que ela passou despercebida pelos guardas. - chamei uma outra serviçal - olha quero que que coloquem mais dois guardas na frente do portão - ela concordou e foi avisar Izayoi, já que ela quem organizava isso. - vamos três.

Nós saímos e escutamos barulhos de conversa, sem o muro do castelo conseguíamos escutar mais ao longe. Fechei meus olhos para me localizar, Harada fez o mesmo. " Cascata, rio, homem... " fui pensando tudo o que ouvia. " HOMEM? ", sai correndo e eles vieram atrás.

- ela deve estar no rio, mas não da pra saber se esta em perigo... Tsc.

Chegando lá vi um homem diferente, não era deste povo, mas Harada arregalou os olhos

- Se. Sebastian?

- quem é?

- o filho da...

- da?

- não lembro... Ele é ruim, mas não está fazendo mal a ...ela? - ele parecia bem confuso.

- O QUE VOCÊ QUER COM ELA? - gritei e os dois me encararam

- NÃO TE INTERESSA - Rin respondeu corada.

- Saia de perto dela - dei um passo ameaçador.

- calma rapazes, senhorita - curvou-se para Yura - estávamos apenas conversando... - encarou Rin e sorriu - o que fiz de tão mal? - pra Rin seu sorriso era consideravelmente carinhoso/delicado, mas ao se virar pra nós, era um sorriso psicopata. Ele colocou a mão no bolso e tirou de lá uma faquinha de sobremesa, dessas que usamos pra comer mesmo. - desculpa pequena - ele cochichou pra ela enquanto a fazia de refém.

Em cima da grande pedra ele se impulsionou pra trás e pulou, eu sai correndo e apenas vi Rin caindo, mas ela segurou uma brecha, estendi minha mão pra ajudá la a subir, " por favor, não caia no penhasco ", sua mão estava escorregando da minha.

- Sesshoumaru - ela me abraçou bem forte quando percebeu que eu estava com ela nos braços, levei ela pro seu quarto, e perguntei se estava tudo bem ela concordou confusa.

- por que ele fez isso? Antes de vocês chegarem estava tudo bem... - ela esta sentada abraçada em suas próprias pernas, com olhos fixos na parede...

- não sei, ignora ele.

- Rin, não quero você andando com ele, nem chegue perto, não à fara bem...ele quer algo de você... - Harada estava sério

- ele?

- não... - ele parecia estar se lembrando de algo. - ele não, ELA. - eu estava começando a ficar confuso.

-- Sesshoumaru off --

- ela? - perguntei ainda confusa, mas foi como um estalo no cérebro - a mãe dele?

- sim! Rin não saia mais sozinha, esta bem?

- hmhm Hai!

- amanhã falamos disso...

Sesshoumaru estava apenas nos encarando, possivelmente sem entender nada. - vamos dormir, já passou .

- bye Rin, mata ne - Harada-Kun veio e me deu um beijinho na testa.

- hmhm, bye bye Harada-Kun - sorri docemente pra ele, que devolveu.

Ele saiu do meu quarto e Sesshoumaru também estava indo, mas eu o segurei pela mão

- não vá, fique aqui comigo, onegaishimasu

- está bem - ele respondeu depois de um tempo.

Fui tomar meu banho, mesmo que com um certo medo de ele sair. Quando voltei para minha cama ele ainda estava lá, agora me fitando. Eu trajava um quimono laranja curto, e percebi que ele me olhava com um certo desejo, então usarei isso à meu favor, claro.

Deitei do seu lado, nem encostada nem "longe", estava quase que de costas pra ele, coloquei uma das pernas pra cima, formando quase que um quatro com as pernas, eu estava deitada de bruços. Meus cabelos estavam encobrindo meu pescoço, mas senti ele escorregando, então senti o toque de Sesshoumaru na minha nuca, ele se aproximou mais de mim, ficamos deitados de conchinha.

- você não tem jeito. - falou isso e eu não consegui dizer nada. Apenas sussurrei um

- oyasumi - e dormi.

-> . . . C o n t i n u a . . . <-


Notas Finais


*VOCABULÁRIO*

onegaishimasu= por favor.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...