História A ilha dos cristais - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Deuses, Elfos, Magia, Misticismo
Visualizações 1
Palavras 1.473
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Universo Alternativo
Avisos: Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Nudez, Pansexualidade, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Bom pessoal, como sempre, espero que gostem. Está aí o restante do primeiro capítulo.

Capítulo 2 - Como tudo começou -parte 2


Fanfic / Fanfiction A ilha dos cristais - Capítulo 2 - Como tudo começou -parte 2

POV Juan

Me deito de cueca na cama de casal minha e do meu irmão esperando ele ir pro quarto também. Ele estava feliz com a Annye e eu não queria estragar a felicidade dos dois. Pra falar a verdade, eu tinha ciúmes do meu irmão e um pouco de inveja. Ele sempre foi o descolado, o desejado, sempre com uma namorada. Eu, pelo contrario, vivia apenas lendo e namorando inteligências artificiais, que sempre me agradavam e faziam tudo o que eu queria, e isso era chato. Sem perceber, as lagrimas tomam conta do meu rosto. Me viro de bruços e choro com um travesseiro no rosto. Na verdade, nunca quis namorar, nem sentia prazer ao olhar outras garotas. A única pessoa que eu amava, era meu irmão. Vê-lo com Annye me dava um misto de ciúmes, dor, ternura e felicidade por ele. Mas e quanto a mim? Nunca tive coragem de contar o que eu sentia por ele. E agora que ele estava feliz com a namorada, não ia fazer isso. Um trovão ecoa do lado de fora após um relâmpago, cochilo entre as lagrimas e acordo com o barulho da porta se abrindo. Era ele. O vejo se despir para se deitar e me cubro. Quando ele se deita, a energia volta.

-cadê a Annye? –pergunto estranhando o mesmo vir para o quarto.

-o pai dela a buscou. Ele estava super preocupado com ela, e com essa tempestade e queda de energia então, já imagina...

-Kaio, eu preciso te contar uma coisa. –ele me olha com aquele olhar paternal que sempre teve.

-pode falar Juan, sou todo ouvidos.

-eu tenho ciúmes de você com a Annye, porque gosto muito de você. Eu o amo, Kaio. Amo muito, e nunca tive coragem de dizer.

-como assim me ama? Me ama como irmão?

-não seu lerdo. Eu o amo incestuosamente. Sou bissexual. Mas nunca senti muita atração por outras garotas. Você é a única pessoa que me atrai. –choro contando isso a ele.

-Juan, nós somos um só. Lembra quando nós juramos fidelidade um ao outro lá na beira daquele rio, na fazenda da vovó? Aquele pacto ainda está de pé. Eu ainda o amo, você sabe disso.. –sinto os braços do mesmo me envolver e me aconchego nele, olhando seus olhos. Ele me deixa surpreso, com um beijo carinhoso, que me deixa feliz, dando-me a certeza que nenhuma garota o roubaria de mim.

POV Ellen

-Hallelujah! A energia, internet e tudo que há de bom voltaram! –sorrio e pego meu headphone e conecto no notebook para conversar com minha amiga virtual. Conversamos por pouco tempo, pois ela tinha lição de casa para fazer.

Navegando em sites aleatórios na internet, acabo entrando num site de um rapaz que dizia ser um mago. Começo a ler os relatos dele, mas me entedio e começo procurar vídeos de ilusionismo. Queria muito ser ilusionista e ter um numero de circo só meu. Mas, não sabia nem pegar sorvete sem ninguém saber que foi eu.

-Ellen, confere o resultado do sorteio ai pela internet agora. –Gessy me pede sem tirar os olhos da HQ que estava lendo.

-ok, já esta carregando. Bom, os números foram 07, 12, 13, 25, 28 e 55. A gente não teve sorte.

-vamos falar com os meninos amanhã?

-acho que eles já conferiram.

-mesmo assim, amanhã você pergunta.

-ok, ok. –volto aos vídeos de ilusionismo, até que vejo um que talvez seria fácil de fazer. O vejo repetidas vezes ate ter certeza que conseguiria impressionar os outros.

-Maninha, qual a chance de ganharmos na sena algum dia?

-é mais fácil um raio entrar pela janela, queimar seu cabelo e seu computador apenas e ir embora do que ganhar. Tem que ter muita sorte.

-e eu fazer um truque de mag... Ilusionismo?

-é mais fácil ganhar na sena.

-nossa! Sua grossa estupida. –coloco meu headphone e ela fala alguma coisa que eu não escuto. Era chato ter uma vida normal. Se pelo menos eu fosse uma estrela de cinema ou de circo... vou dormir mesmo sem tirar os fones e apago a luz. Gessy fica com raiva e acende a luz do celular.

POV Léo.

Oh noite chata. Primeiro, quando vou entrar na minha rede social, a internet cai. Agora, que tento dormir, a luz volta. Quando vou pro banheiro, está ocupado.

-vai demorar muito Allan?

-um pouco.

-eu falei pra você não comer tanta lasanha, mas você teimou... lá do quarto dá de sentir o cheiro.

-eu nem estou fazendo o número dois. –ele mente.

-anda logo que eu estou apertado.

-usa o banheiro da cozinha.

-você sabe que ele está com defeito na descarga.

-enche o balde.

-tá bom, tá bom... –reviro os olhos. Desço para o banheiro da cozinha com uma toalha e entro. –droga de banheiro. Nem tem esposa... mas ele vai ter troco. Tomo um banho rápido, me segurando pra não pensar nos seios da namorada do meu irmão. Ela era muito gostosa. Quando termino, vou de sunga para a cozinha, pegar algo para beber. Bebo um copo de leite morno e vou para o quarto novamente. Tiro a sunga e no exato momento Allan sai do banheiro.

-amanhã se quiser fazer isso de novo, acorda cedo.

-eu vou fazer isso. Pode ter certeza. -o pirralho diz todo manhoso mordendo o lábio ao olhar pra minha bunda. Pequeno assim e tarado. Não tenho preconceito, mas não quero que ele seja gay como os gêmeos. Me sinto desconfortável com eles, e enfrento o preconceito. Uma vez um ex-amigo meu me perguntou: "que vergonha né? Ter dois irmãos gays" e eu respondi: "vergonha é você. Rouba, não consegue carregar e a mãe tem que ficar indo na delegacia te buscar, seu idiota." Depois daquele dia, não falei mais com ele, mas o importante é o agora. Me deito nu na cama e me cubro. Vou tentar dormir.

Pov Allan

Agora, um garotinho não pode nem fazer suas necessidades em paz, o Léo vem bater na porta. Insisto pra ele ir ao banheiro do primeiro andar. Aquilo era constrangedor. Ele queria usar o banheiro aqui de qualquer jeito, mas eu não ia deixar. Quando saio, ele está se enxugando, aquele bundao branco, digno de ator de cinema, mas mais branco que qualhada. O que as meninas vêem em bunda de menino? Um dia, quando entrei no quarto dos gêmeos, os dois estavam tirando foto um da bunda do outro, eles me mandaram não contar pra ninguém, e eu, como não sou bobo, passei a ganhar dinheiro com isso. Outro dia, a Annye chegou em casa, e ao abraçar o Juan, apalpou a bunda dele com tanta força que achei que ia rasgar o calção do coitado, depois ficou sabendo que estava pegando no bumbum do cara errado. Fiquei rindo dela por dias, a chata resolve namorar o cara que tem um gêmeo idêntico e não aprende a diferenciar os dois. Me sento na cama e pego o celular. Meu irmão dorme na parte de cima do beliche, por que mesmo com a grade, minha mãe tem medo que eu caia. Fico jogando, tentando bater o recorde do meu irmão, mesmo que isso fosse meio impossível, já que ele era praticamente um gênio no Sniper. Desisto após algumas tentativas e vou dormir, tendo um sonho estranho. Já estou tendo esse sonho a vários dias. Nele, me afogo em qualquer quantidade de água, mas num instante a mesma começa flutuar ao meu redor, e uma prancha de surf aparece na minha frente. Quando toco nela, ela se dissolve se transformando em um tubarão, que fica flutuando ao meu redor. Na testa dele tem uma safira, azul, tudo muda, estou no meio de uma sala com um pilar, nele, está a safira da testa do tubarão.

-PEGUE ELA ALLAN! PEGUE ELA!

Sorrio e me aproximo, quando a pego, a sala se enche de aranhas, piranhas, ariranhas e outras "anhas" e "não-anhas" acordo gritando com o Juan me fazendo cócegas e me mandando acordar. Já de manhã? Ainda bem que hoje é sábado. Ou não, lembro que tenho reforço. Me levanto e ao ir para o banheiro, o Leo está se vingando da noite anterior. Choramingo um pouco mas ele, assim como eu era duro e chato. Eu não admitia, mas nessa casa, o único legal é o Juan. Depois de fazer minha higiene matinal, pego uma fatia de pão e passo manteiga. A fatia cai da minha mão com a manteiga pra baixo. Se gatos caem em pé, e a manteiga cai pra baixo, o que acontece se passarmos manteiga nas costas do gato? Melhor não pensar nisso agora. Deixa que os gêmeos cuidam da fatia no chão. O Kaio parece determinado, mas a Gessy e a Ellen entram na cozinha meio tristes.

-o que aconteceu meninas? Tomaram banho de lesmas?

-antes fosse... -Ellen quase chora.

-Meu Quente Hefesto... se a Ellen diz isso... o que foi que aconteceu?

-07, 12, 13, 25, 28 e 55. Lembra al... -ela é interrompida por gritos de felicidade de Juan. O que ninguém entendeu, já que nossos números não eram aqueles.


Notas Finais


Amo vocês. Retribuam isso com comentários, por favor!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...