História A Impossible Dream - Capítulo 50


Escrita por: ~

Postado
Categorias Batman, Esquadrão Suicida
Personagens Bruce Wayne (Batman), Coringa (Jack Napier), Harleen Frances Quinzel / Harley Quinn (Arlequina)
Tags Batman, Bryan, Coringa, Jozer
Exibições 65
Palavras 1.297
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Voltei!!!! Hoje o capítulo e a maior parte um sonho do Bryan espero que gostem bjs

Capítulo 50 - Pesadelo


P.O.V Bryan

sonho... 

Abro meus olhos lentamente por conta da pela melodia que ecoava pela casa, mas ao me sentar na cama percebo que não era meu quarto, eu nunca havia visto antes, o quarto onde estava era inteiro branco, a cama tinha lençóis brancos de seda fina e um par de travesseiros também brancos, logo à frente havia uma enorme janela que dava vista a uma pela praia, me levanto calmamente e me direciono até a janela onde as cortinas finas batem em meu corpo por conta do vento formado pelas ondas, coloco a cabeça para fora procurando pela dona da voz bela que ainda podia se ouvir pelo cômodo onde me encontrava, mas infelizmente não encontro ninguém apenas uma praia deserta com as águas cristalinas, começo a me virar devagar mas sou interrompido por mãos quentes e macias que me abraçam por traz 

— Você não vem comer amor ? - pergunta uma voz doce atrás de mim

Me viro delicadamente ficando de frente com a pessoa que tanto tentava esquecer, seus cabelos não eram mais verdes, obtando por um castanho claro e loiro nas pontas dando um ar angelical a Jozer, seus olhos transbordavam doçura e alegria que pela primeira vez estavam sem sombra escura, seu sorriso  doce coberto por um delicado gloss rosa, sua pele levemente rosadas nas maçãs do rosto, ela vestia um pijama rosinha com um coração no meio onde tinha escrito " viver em armonia e paz", lentamente suas mãos tocam meu rosto passando o calor delas ao meu corpo, percebo que suas unhas não estavam mais pontudas e sim quadradas pintadas em um delicado rosa claro

— Amor ? - ela pergunta me tirando de meus desvaneios 

— Eu - digo piscando duas vezes tentando me estabelecer direito 

— O almoço está pronto, eu fiz seu prato favorito - ela diz sorrindo para mim e pegando em minha mão para me levar onde provavelmente estaria a comida 

Ela me guia pela casa de praia até uma bela cozinha onde sentia o cheiro delicioso de comida caseira feita na hora, ela vai até as panelas feitas de barro e pega com uma concha um pouco de purê de mandioquinha com salsa e coloca em um prato de porcelana que estava perto dela, da a volta na bancada e pega um copo e uma jarra de suco com melancia, coloca o suco no copo e me entrega 

— Está ótimo - digo assim que domo o primeiro gole 

— Que bom que gostou amor - ela sorri e me entrega o prato repleto de comida deliciosa 

Ela começa a se movimentar para uma porta de vidro, então resolvo seguir ela, chegando no local encontro uma mesa redonda de vidro onde se encontravam duas crianças adoráveis correndo em volta da mesma 

— Crianças agora vamos parar de brincar e vamos comer, a mamãe fez um purê de mandioquinha bem gosto pra vocês, quem vai querer ? - ela fala se agachando para ficar na altura das duas garotinhas loiras que se parecinham com ela 

— Eu eu eu - as duas falam  pulando encanado levantavam o braço 

— Então vamos sentar minhas flores - ela diz e coloca as duas crianças em suas cadeiras

Depois de ajeita-las ela vem em minha direção e se senta em uma cadeira ao meu lado, enquanto ela comia ela dava comida as duas loirinhas 

— Olha o avinhazinho - ela diz levando a colher até a boca de uma delas, enquanto eu fica petrificado olhando a cena 

— Não vai comer amor ? - ela pergunta olhando para mim com olhar de gato sem dono misturado com preocupação 

— Claro, eu só estava distraído com você dando comida para as duas ali - eu digo apontando com a cabeças para elas enquanto comia uma colherada de barreado de carne que estava dos deuses 

— Des de quando você cozinha e gosta de crianças - pergunto com a boca cheia de comida 

— Desde sempre amor - ela diz com aquele ar inocente passando a mão nos cabelos loiros das garotinhas ao seu lado 

— Mamãe Jozer canta a música Gangsta pra gente!!! - as duas crianças que até agora eu não sabia o nome pediram a Jozer que se levanta delicadamente e se posiciona na frente a mesa 

— I need a gangsta, to love better, than all the others do, to always forgive me, ride or die with me, that' sust what gangsters do... - ela cantava com sua voz angelical encanto andava em passos curtos em volta da mesa 

Ela continuava a cantar mas aos poucos a sua voz foi ficando retorcida e demôniaca, em passos duros e rápidos ela pega a faca sobre a mesa e começa a dançar e cantar novamente, o tempo começa a ficar frio e escuro, o mar cristalino e sereno, fica negro e tempestuoso, ao voltar o olhar para a Jozer vejo a mesma fincar a faca no coração de uma das crianças fazendo com que a mesma desse gargalhadas com o sofrimento e medo da outra pequena irmã, ela retira agressivamente a faca do coração da pequena vítima fazendo sangue respingar eu seu rosto agora pálido, a tempestade em nossa volta só piora ficando mais forte e denebrosa, a chuva forte espalhava o sangue pelo chão junto a uma tinta marrom que saia do corpo da Jozer mostrando o seu verdadeiro eu, a mesma leva a faca até a boca lambendo o sangue que continha na mesma deixando seus lábios ensanguentamos, e em um piscar de meus olhos eu vejo a pequena cabeça da outra irmã rolar até os meus pes, me fazendo levantar em um pulo e correr dali o mais rápido e ofegante

— Amor volte aqui !!!!!! - eu escuto a Jozer gritar mas não conseguia ver ela 

Corro o máximo que consegui até não ver mais a casa ficando no completo deserto da praia, olho em volta , árvores destruídas e caídas no chão e ao meu olhar um mar sangrento, chego mais perto da beira mar para ver se realmente era sangue, e sinto a água vermelha cubrir meus pes e voltar às mar, até que sinto uma mão pesada e forte em um de meus ombros, me viro bruscamente dando de cara com a Jozer, que agora estava com os cabelos molhados e com sangue escorrendo pelas mãos e pelo rosto 

— Não fuja mais, assim você deixa a mamãe irritada - ela diz na ironia com seu sorriso macabro nos lábios, olho rapidamente para suas mãos onde se encontrava uma faca e meu coração disparou 

— Por por porque fez isso ? - gaguejo em quanto recuava para trás 

— Isso o que Bryan ? - ela bate a faca na cara como se estivesse pensando 

— Você pensou o que? hum?  - ela pergunta chegando mais perto de mim 

— Que poderíamos ser uma família feliz ? - recuo mais percebendo a sua alteração de humor 

— RESPONDE!!! - ela grita apontando a faca para mim 

— Si si sim - eu digo fechando meus olhos esperando ela me matar, mas ao abri-los lentamente não encontro ela na minha frente, olho em volta e também não encontro 

— Penso errado - escuto sua voz é sinto o ferro afiado perfurar as minhas costas e meus corpo perdendo os sentidos... 

Sonho of 

Acordo em um pulo na cama, estava todo melado e suado por conta do pesadelo, passo as mãos por meu rosto retirando o suor e coloco a mão no meu coração sentindo o batimento acelerado que o mesmo obtinha. 

Fecho meus olhos tentando me acalmar novamente e dormir mas não consigo então resolvo levantar para tomar um banho, mas assim que me viro para pegar a minha camisa encontro Jozer com uma camisola preta de seda deitada ao meu lado 

— Sentiu minha falta - ela fala abrindo aquele sorriso que me faz arrepiar...

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...