História A incrível historia das batatas flamejantes - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 2
Palavras 535
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia
Avisos: Canibalismo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - Gritando Na Chuva



Eram um exercito de cem mil homens contra cem mil do outro lado, uma visão de um dia que se entendia durante as horas como a noite mais clara das suas vidas, o céu escuro mas tão claro quanto o destinos de todos que ali estavam, seu comandante agiam como verdadeiras feras humanas, impondo sua fúria a esta batalha que decidiria a forças em que o mundo seria governado. O comante na frente de batalha olha para seu exercito, o céu azul escuro que brilha, o seu rosto rustico com uma imagem que mostrava sua bravura diante de seus homens, com olhos que somente daqueles que abraçam a morte com toda sua vida diante desta podem ter.
Cem mil soldados, em que na parte de trás se amontoavam com lanças e arcos, para alvejarem o corpo do inimigo e de longe lhe perfurarem o coração. Em sua frente ia a parte com espadas forjadas na luz  da brasa ardente de um vulcão que queima os mais fracos de coração e essas espadas neste momento brilhavam ainda mais, sedentas do sangue daqueles que iam enfrentar, e por fim, com eles acabar. E por fim na frente iam as almas de aço e ferro, que não se curvavam nem com o pior dos momentos, com armaduras negras como o céu da noite e nela se mostrava a imensidão do universo e a imensidão de sua força e com corações que ardiam como o fogo ancião, que deu vida aqueles que vivem nesta terra onde a violência é a força de todo coração.
Todos gritavam com toda força e com orgulho o nome de sua nação, do nome de seu deus, o nome que eles e elas amavam de todo coração.
Gritavam com felicidade em seu rosto, com verdade em seu peito, com orgulho no coração.
Gritavam com força que mostrava a todos o seu poder, e a seu comandante, sua criação.
E logo marchavam pela terra, com os pés a cumprir seu destino.
O som de sua marcha ecoavam pela terra, acelerando a cada instante em que se chegavam perto do inimigo, com vontade de mostrar seu valor diante do mundo.
Uma guerra que se iniciava pela vontade dos Lordes
que se estendia pela ganancia dos nobres
Que vivia na mentes do pobres
e por fim,
que acabava com a vida dos homens.
mas não pelo fim se dava essa guerra
mas pela vida daqueles que viviam
que sofriam
e sorriam 
que agora sorriam por dar suas vidas
pela vida daqueles que não podem mais se levantar
que não podem respirar
que já não podem lutar.
Mas a morte de todos será a vida em outro lugar
para poder então lá estar
e então gritar:
"Eu vim para poder te amar!"
E no fim desta sangrenta batalha, neste mar de corpos que almejavam, não a morte, mas a vida, restava um único guerreiro, que estando coberto de sangue seu e de seus inimigos, estando a fúria da chuva, estando de joelho e com suas mão em sua espada para se apoiar, estando a olhava o céu, ele então, ia clamar, dizendo que seu destino ele se fez cumprir, dizendo aos deuses que para casa ele queria ir.
 


Notas Finais


tava ouvindo uma música e deu vontade de escrever isso, finjam que homens são batatas que ai cai dentro da fic :v


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...