História A Irmã - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Tags Harry Potter
Exibições 16
Palavras 2.155
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Aventura, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Saga, Suspense

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem. Por favor favoritem e comentem o que acharam! 😘

Capítulo 1 - Capítulo Um


Capítulo Um

-Alice, vamos! –Dizia minha mãe, Christina, do andar de baixo

Me apressei e fui ver se estava tudo arrumado e certinho para a “viagem”.

Me olhei no espelho uma última vez, eu tinha cabelos curtos platinados (pintados) bem rebeldes e era bem branca. Meus olhos eram castanhos esverdeados, amendoados e brilhantes. Eu estava vestida com uma calça preta rasgada, uma blusa bem larga branca e um Converse vermelho. Bem o meu estilo.

Fui descendo as escadas pensando no dia que eu recebi a carta que mudou a minha vida. A carta de Magia e Bruxaria De Hogwarts. Eu fiquei muito feliz ao saber que era uma bruxa. Sou nascida-trouxa. Ou seja, não sei nada sobre o mundo bruxo. Mas recentemente visitei o Beco Diagonal a procura dos meus matérias. Bem, aquele dia não só foi o dia que eu descobri que eu sou uma bruxa, Dumbledore, diretor de Hogwarts, também enviou uma carta falando um pouco sobre o meu passado, e que tenho um irmão.

Moro em Londres. Meus pais são na verdade pais adotivos, mas sempre encarei isso com muita tranquilidade, não tenho nenhum problema com isso, eu os considero como meus verdadeiros pais.

Ah, esqueci de me apresentar, meu nome é Alice Evans.

-Tenho um presente para te dar antes de irmos...feche os olhos...

Eu fechei os olhos, senti ela colocar alguma coisa em meu pescoço. Quando abri meus olhos vi que era uma corrente muito bonita, em forma de coração.

-Você estava com ele quando a adotamos...ele abre.

Eu abri ele, dentro tinha uma foto de 2 pessoas, eu reconheci eles como meus pais, pois a moça era bem parecida comigo exceto pelos meus olhos, que eram parecidos com os do homem. Era a primeira vez que eu via uma foto dos meus verdadeiros pais.

-Vamos princesa? - Disse meu pai, Daniel, emocionado.

Dei um suspiro longo e disse confiante:

-Vamos!

Seguimos nos três (eu, minha mãe e meu pai) para o carro e fomos para a estação de trem, junto com a carta de Hogwarts havia um bilhete da plataforma 9 ¾.

Chegamos na plataforma 9, dei uma olhada e a seguinte era a 10, não existia plataforma 9 ¾.

Comecei a ficar desesperado, e logo ouvi uma mulher falando alguma coisa Hogwarts e procurei ela.

Logo avistei uma ruiva baixinha e gordinha com quatro outros ruivos e um moreno, eles estavam com malas iguais a minha e corujas

-Percy, você primeiro

O que parecia ser o mais velho foi entre a plataforma 9 e 10, logo passou um grupo de pessoas e quando elas passaram ele não estava mais lá

-Fred, você agora

-Eu não sou o Fred, sou om Jorge, francamente mulher, você diz que é nossa mãe? Não consegue ver que eu sou o Jorge?

-Desculpe, Jorge, querido.

-É brincadeira, eu sou o Fred

Acho que vou me dar bem com esses meninos

Logo os gêmeos desapareceram

-Ehh, com licença...

-Sim querida? Primeira vez em Hogwarts? Eles dois são novos também – Disse a mulher ruiva apontando para 2 meninos, um moreno com cabelos castanhos rebeldes, bem magro, com um óculo redondo, ele me parecia bem familiar. E o outro, um menino alto magro e desengonçado, com sardas e cabelos ruivos.

-Bem, eu não sei como...você sabe...

-Chegar a plataforma? Não se preocupe é só caminhar entre as plataformas 9 e 10, se estiver nervosa vá correndo. Pode ir

-Okay...

Corri e torci para não bater. E não bati.

Avistei um trem vermelho a vapor, um letreiro no alto informava Expresso de Hogwarts e muitas pessoas. Logo todos estavam lá.

Estava quase na hora do expresso partir, me despedi dos meus pais, que estavam meio chorosos, já eu não estava nenhum pouco perto de chorar. Sou coração de pedra.

Me despedi também da Sra. Wealey e entrei no trem, que logo começou a se mover, acenei para os meus pais.

Logo fui procurar uma cabine não achei nenhuma vazia, até ver uma com o filho da Sra. Weasley que estava no primeiro ano e o moreno de cabelos rebeldes, eles estavam comendo vários doces.

-Com licença, eu posso me sentar com vocês? -Perguntei

-Claro - Os dois disseram juntos

-Meu nome é Alice

-O meu é Rony – Disse o ruivo

-Harry – Disse o moreno

Logo começamos a conversar, nós demos muito bem.

Nós ouvimos uma batida na porta e um menino que parecia que ia chorar perguntou:

-Vocês viram um sapo?

Nós negamos com a cabeça, e ele chorou

-Perdi ele!

-Ele vai aparecer- consolei

-Se você ver ele...

-Não sei porque ele está chateado, se tivesse um rato iria quer perder ele o mais rápido possível. Mas trouxe o Perebas então não posso falar nada. Tentei mudar a cor dele para amarelo, mas não deu certo. Olhem.

Rony apontou sua varinha para Perebas.

A porta da cabine abriu outra vez, o menino do sapo estava de volta, mas agora com uma menina já com as vestes de Hogwarts, com cabelos cheios.

-Alguém viu um sapo? Neville perdeu o dele-Tinha um tom de voz mandão

Não fui com a cara dela

-Já dissemos a ele que não vimos o sapo- Eu disse fria.

-Você está fazendo magicas? Quero ver! - Ela disse se sentando

-Está bem... Sol, margaridas, amarelo maduro, torna amarelo esse rato burro!

Não aconteceu nada, ela falou que ia fazer um feitiço e arrumou os óculos do Harry. Ela se chamava Hermione

Chegamos em um assunto de Casas, eles (Hermione e Rony) falaram que gostariam de ir para Grifinória, e o Rony falou que odiaria ir para Sonserina

 Ela falou que estávamos quase chegando, para colocarmos os uniformes.

Os meninos saíram para mim colocar o uniforme e invertemos depois. No tempo que eu estava me vestindo eles arrumaram briga com um tal de Draco Malfoy

Logo o trem parou e nós descemos, vi um homem GIGANTE e muito barbudo, que Harry conhecia, ele falava para os alunos do primeiro ano seguir ele. Nós íamos de barco, fui com Harry e Rony.

Já em Hogwarts, Hagrid nos apresentou a Professora McGonagall, que nos explicou algumas coisas. E foi fazer alguma coisa.

Um menino de cabelos loiros bem claros, que pareciam oxigenados e ter passado um pote de gel falou:

-Fiquei sabendo que Harry Potter está ente nós, sou Draco Malfoy

Fique pensativa, Potter? Esse é o meu sobrenome, acho que ele deve estar falando do meu irmão, será que meu irmão é o Harry?!

Rony deu uma risada baixa, por causa do sobrenome do menino, mas ele escutou

- Acha o meu nome engraçado, é? Nem preciso perguntar quem você é. Meu pai me contou que na família Weasley todos têm cabelos ruivos e sardas e mais filhos do que podem sustentar. 

Eles começaram a discutir, Draco percebeu minha presença e deu uma olhada de cima a baixo para mim, depois sorriu

- E quem seria essa linda dama? –Ele disse ainda olhando para mim

Eu fiquei corada, os meninos já ficaram vermelhos de raiva

-Fica longe dela Malfoy! – Os dois meninos disseram

O Draco só riu olhou para mim e piscou.

Nesse momento um tomate sentiria inveja de mim.

-Você não vai demorar a descobrir que algumas famílias de bruxos são bem melhores do que outras, Harry. Você não vai querer fazer amizade com as ruins. E eu posso ajuda-lo nisso

Harry deu uma patada em Malfoy que doeu até em mim. Depois disso MCGonagall chamou eu e Harry falando que precisávamos conversar.

Nós dois só seguimos ela, ela falou que estávamos indo à diretoria e logo comecei a pensar se eu tinha feito alguma coisa. Mas já tinha chegado lá e estávamos na frente do que eu achava ser o diretor. Um homem com óculos de meia-lua, um nariz que parecia estar quebrado e cabelos e barbas pratas enormes.

- Olá, sou o diretor da escola, Dumbledore.

-Olá – Eu e Harry dissemos em uníssono

- Não precisam ficar com medo, vocês não fizeram nada

Dei um suspiro aliviada

- Por onde começar? Eu vou ser bem direto.... Vocês são irmãos.

Um silencio adentrou a sala, eu e Harry nos olhamos, raciocinamos um pouco e falamos:

- O QUE?!

-Bem, há 10 anos, quando Harry tinha 1 ano e Alice alguns meses um bruxo muito poderoso e mal, Voldemort, matou Lilian e Thiago, e tentou matar o Harry, mas não conseguiu, só consegui se auto destruir e fazer uma cicatriz no Harry, já Alice, antes de “morrer” Voldemort lançou uma maldição nela que não sabemos qual é, então o mundo bruxo acha que seus pais e Alice morreram e só Harry sobreviveu.

Nós ficamos quietos até Harry me abraçar, fiquei feliz com essa atitude e correspondi.

Logo estávamos na frente da escola inteira esperando para ser selecionados

Rony e Herminone foram para Grifinória, Draco foi para Sonserina

-Potter, Harry- McGonagall falou

As quatro mesas se encheram de sussurros

Harry era famoso por ser o menino que sobreviveu, mas só algumas pessoas sabem que ele tem uma irmã viva, todos acham que ela está morta, ou melhor, que eu estou morta.

O Chapéu falou algumas coisas, vi Harry mexendo ele parecia falar “Sonserina não, Sonserina não ”o chapéu se decidiu:

-Grifinória!

Todos da Grifinória amaram a notícia, fiquei muito feliz por ele, mesmo não sabendo nada das casas, acho que essa vai ser uma boa casa para ele.

-Evans, Alice

Novamente muitos sussurros (o dobro de sussurros que teve para Harry) e caras de espanto, ficavam olhando para Harry e para mim. Pelo jeito, eles sabiam o sobrenome da minha mãe. Só dei uma risada baixa e sentei no banquinho. O Chapéu disse:

-Mais uma Evans, vejo que você vai causar muitos problemas e intrigas, é muito rebelde, mas muito inteligente, esperta e astuta, bem ambiciosa. Bem é essa não é decisão difícil, melhor que seja... Sonserina!

A mesa inteira da Sonserina explodiu em palmas.

Andei para mesa da Sonserina receosa, passei pelo Harry, que me lançou um olhar calmante. Logo fiquei feliz e sentei na mesa da Sonserina...Ao lado do Draco

-Que sorte a minha de ter você na Sonserina e ainda é uma Potter. – Draco deu um sorriso maroto para mim

Não falei nada só sorri. Dumbledore falou mais algumas palavras e logo apareceu um banquete esplendido na nossa frente. Conversei com algumas pessoas da Sonserina e elas não pareciam ser tão ruins como Rony descreveu.

Quando o jantar terminou os monitores de cada casa direcionou os alunos do primeiro ano para o salão comunal da casa

Segui o monitor da Sonserina para o que parecia ser as masmorras, e era realmente as masmorras. Quando o monitor abriu a porta eu fiquei boquiaberta, lá era muito lindo e chique, verde e prata, segui para os dormitórios das meninas, que era também maravilho e com as mesmas cores. Lá já estavam todos os materiais e o uniforme da Sonserina

Conversei um pouco com as meninas, até que não eram tão chatas e metidas como o Rony descreveu. Mas é claro que tinha uma exceção, e ela se chamava Pansy Parkinson. Já estava me irritando com ela, só falava do Malfoy, eu já não aguentava mais, dei umas indiretas para ela, umas morais aqui outras ali, e ela já estava vermelha de raiva. Bem que o chapéu disse que eu ia causar confusão. Coloquei meu pijama e dormi. Amanhã começava as aulas.

Acordei com uma vozinha muito irritante. Pansy. Só não soquei ela... ah, espera eu soquei. Todas as meninas estavam olhando para mim e para Pansy. A Pansy tentou me dar um tapa, mas eu segurei o braço dela e comecei a apertar bem forte.

-Não mecha comigo, principalmente de manhã. – Falei fria

Soltei o braço dela, que estava quase roxo. Sai da minha cama e fui para o banheiro sem olhar na cara de ninguém. Fiz minhas higienes e coloquei o uniforme que tinha levado para o banheiro. Tinha ficado muito bonita com ele. Deixei meu cabelo solto e meio bagunçado. Coloquei um All Star preto e fui tomar o café da manhã. Sai do banheiro, quase todas as meninas já tinham saído do quarto, só faltava uma menina, ela tinha o cabelo inteiro colorido e era bem bonita, tinha olhos castanhos, tinha me dado bem com essa menina noite passado, seu nome era Jessica se não me engano, olhou para mim e deu um sorriso.

-Olá, gostei do que fez com a Buldogue, ela merecia – Disse ela

Eu ri

-Gostei do apelido

-Bem, vamos tomar café? Já está na hora, vou te apresentar meus amigos, se você quiser...

-Quero sim, obrigada!

Nós duas fomos conversando, quando chegamos no Salão Principal todo mundo me olhava, não sei se é por causa de eu ser a irmã, supostamente morta, do Harry Potter, ou se é por causa de eu já no primeiro dia em Hogwarts já arrumei briga.

Pelo jeito, eu ia deixar Hogwarts mais animada, se preparem, pois Alice Evans veio para causar.


Notas Finais


Espero que tenham gostado. Por favor favoritem e comentem o que acharam! 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...