História A irmã mais nova dos Sakamaki - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Azusa Mukami, Beatrix, Carla Tsukinami, Christa, Cordelia, Kanato Sakamaki, Kou Mukami, Laito Sakamaki, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Ruki Mukami, Shin Tsukinami, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Tougo Sakamaki "Karlheinz", Yui Komori, Yuma Mukami
Tags Ayato Sakamaki, Azusa Mukami, Carla Tsukinami, Infantilidade, Kanato Sakamaki, Kawaii, Kou Mukami, Laito Sakamaki, Mukami Brothers, Reiji Sakamaki, Romance, Ruki Mukami, Saga, Sakamaki Brothers, Shin Tsukinami, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Tsukinami Brothers, Yui Komori, Yuma Mukami
Exibições 614
Palavras 3.676
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Festa, Fluffy, Harem, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


MAIS DE 100 FAVORITOS?!?!?!?!?!?!?!?!!?!?!?!?! 😱😱😱😱😱😱😱😱
OBRIGADA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! 😍😍😍😍😍😍😍😍😍😍

Esse especial é para todas as crianças do mundo e para os meus lindos leitores!!!!!!!
Obrigados a todos que favoritaram a fic e que acompanham e comentam nos capítulos! Esse especial é para vocês ;)
Lembrando que o especial não esta ligado a história original da fic então esse capítulo não é uma continuação do último assim como o próximo não vai estar ligado a esse especial.

Boa leitura amores e mil beijocas da tia Migury (づ  ̄ ³ ̄)づ

Capítulo 8 - Especial Dia das Crianças


Fanfic / Fanfiction A irmã mais nova dos Sakamaki - Capítulo 8 - Especial Dia das Crianças

Mais um dia começava na mansão Sakamaki e como de costume todos ainda se encontravam em suas devidas camas aproveitando o dia ensolarado para tirar um cochilo. Bem... Pelo menos quase todos.

-OTOU-SAN!!!!!!!!!!!! – Akemi adentrou o quarto do pai arrombando a porta e logo correndo em direção ao albino que se sentou sobre a cama num pulo após o susto de ouvir sua filha o gritando. A rosada pulou sobre o colo do pai e o chacoalhou sem parar no intuito de acordá-lo. – Otou-san! Otou-san! Otou-san!

-A...Akemi querida? O que houve? – Karl segurou a filha pelos braços a impedindo de chacoalhá-lo mais e então a observou procurando por algum machucado ou algo do tipo.

-Otou-san, você sabe que dia é hoje? – A menina perguntou com um brilho nos olhos e com certa esperança esperando receber uma resposta positiva do mais velho.

-Ahhh... Dia doze de outubro? – Supôs o albino não entendendo o porquê de tanto animo por parte de sua filha.

-Sim, mas o é esse dia? – A menina perguntou já um tanto desanimada.

Ao ver a mudança de humor da filha Tougo entrou em desespero e tentou de todas as formas possíveis se lembrar que dia era hoje. Não era aniversário dela, o mesmo seria só daqui a três meses! Natal? Fora de cogitação! Devia ser um feriado ou algo do tipo? Mas qual?

-É dia das crianças... – Uma voz preguiçosa e sonolenta se fez presente ao lado de Karl que olhou para o filho mais velho surpreso.

-Quando foi que... – Karl iria perguntar a quanto tempo o loiro estava ali a seu lado, mas nem teve tempo de terminar a frase já que o mesmo o cortou.

-Há dois minutos.... – Shu abriu um dos olhos e encarou o pai. – Você ficou encarando o nada por dois minutos.... – Shu voltou a fechar seu olho e se acomodou melhor na cama do pai querendo voltar a dormir.

-Dia das crianças? O que é isso? – A voz de Kanato se fez presente na entrada do quarto e logo todos os irmãos e Yui estavam reunidos no quarto do albino que suspirou ao ver uma “reunião de família” se formando em seu quarto.

-É um feriado em que todos os pais de crianças pequenas devem comprar presentes e brinquedos para seus filhos nesse dia. – Reiji retomou a palavra e explicou ao irmão o “significado” do dia das crianças. – Creio que Akemi já tenha comemorado esse feriado. – Supôs e logo todos os olhares se dirigiram a pequena que ainda estava no colo do pai.

A rosada sorriu abertamente e logo concordou de um modo um tanto frenético. A menor se virou para o pai e seu sorriso apenas aumentou e logo ela esticou seus braços para o pai “pedindo” seu presente.

-Ahhh... Bem querida.... Eu.... – Karl não sabia o que fazer. Não tinha conhecimento nenhum sobre o feriado e por isso não tinha presente para dar a filha, mas como falar isso para uma criança de cinco anos?

-Você não vai receber presente.... – Akemi olhou para Shu que mantinha seus olhos fechados e uma expressão desinteressada em seu rosto. – Nós nunca comemoramos esse feriado e não vai ser hoje que isso vai mudar.... – O loiro abriu os olhos e encarou a irmã que estava a ponto de chorar e em um movimento repentino se levantou e saiu do quarto logo sendo seguido pelos irmãos.

-Gomene Akemi-chan... – Laito se aproximou da irmã e fez um pequeno carinho em, seus cabelos. – Mas Shu-kun esta certo dessa vez... – A menina nada respondeu e com isso o ruivo foi embora.

-Que atitude mimada! – Reclamou Kanato seguindo o irmão mais novo sobrando apenas Yui que se aproximou da cama e pegou a pequena em seu colo logo a consolando.

-Não fique assim Akemi-chan. – A loira começou a acariciar os cabelos da menor e logo se levantou indo em direção ao quarto da rosada. – No próximo ano eu prometo lhe comprar uma montanha de presentes!

A rosada apenas concordou, mas continuou com seu rosto escondido no peito de Yui que já se encontrava molhado pelas lágrimas da menina.

-Talvez não seja necessário... – Sussurrou Karl para si mesmo se levantando.

~~*_*~~

A manhã seguiu normalmente e agora todos os moradores da mansão se encontrava sentados a mesa esperando pelo almoço. Um silêncio fúnebre preenchia o local e nem mesmo Akemi se atrevia a quebrá-lo. A rosada ainda esta triste pelo ocorrido de manhã e por isso preferiu seguir seus irmãos e ficar em silencio mesmo com Yui tentando a animar.

Depois de dez minutos nesse mesmo silencio Karl decide quebrá-lo convidando seus filhos a um brinde o que deixou a todos desconfiados.

-E qual o motivo do brinde? – Perguntou Reiji encarando a taça como se pudesse enxergar algo de ruim nela.

-Bem... Creio que seja o melhor modo de nos redimirmos com a Akemi já que esquecemos o dia dela! – Explicou o albino levantando sua taça.

-Nós? – Perguntou Shu imitando o gesto do pai sem muito interesse no assunto.

-Tudo bem... Já que Eu esqueci! – Reformulou a frase e logo todos estavam com as taças levantadas inclusive Yui e Akemi que em vez de vinho bebiam refrigerante mesmo.

-A Akemi! – Começou Karl que dirigiu seu olhar a sua filha que se divertia um pouco coma situação. – E que esse dia seja o melhor de sua infância!

-A Akemi! – Todos repetiram e logo tomaram o conteúdo de suas taças.

Após o brinde o almoço seguiu normalmente, mas algo parecia fora do normal. Um resmungo coletivo escapou dos seis irmãos da mansão que se levantaram um tanto desajeitados da mesa.

-O que foi? – Yui também se levantou e se aproximou de Ayato que mantinha uma das mãos sobre a mesa, para se apoiar, e outra sobre o estômago que parecia estar embrulhado. Mas não era só o ruivo que se encontrava assim e sim todos os irmãos.

-Otou-san? – A rosada se aproximou do pai com certo medo e logo o albino a pegou no colo tentando a acalmar.

-Não se preocupe querida. – Karl sorriu para a filha e se virou para seus filhos que seguiam em direção a saída da sala de jantar. – Não vai acontecer nada contigo.

-O que... Você fez...? – Reiji se aproximou do pai e tentou pega-lo pelo colarinho da blusa, mas falhou e logo caiu de joelho no chão com as mãos sobre o estômago.

-Eu? – O albino perguntou se fazendo de cínico e se agachou em frente ao segundo filho. – Por que você acha que eu fiz algo?

-O brinde... – Começou Shu levantando o rosto e encarando o pai e a irmã que se mantinha abraçada ao pai com certo medo da situação. Ele sabia que não era culpa dela, mas não tinha como esconder o ódio que estava sentindo naquele momento. – Era apenas uma desculpa....

-Muito bem! – Parabenizou Karl voltando a ficar de pé e logo entregando Akemi a Yui que o olhava com desconfiança. – Tenho que admitir que foi um erro eu nunca ter comemorado esse feriado com vocês antes, mas agora eu posso consertar as coisas.

-Mas.... Nós não somos mais crianças.... – Laito tentou se levantar e ir até seu pai. Seu tom de voz era sério e carregado de ódio o que deixou o clima mais desconfortável que antes.

-Verdade... – Ponderou Karl e logo um sorriso surgiu em seu rosto. – Mais isso não será mais um problema, pelo menos... – O albino olhou para o relógio de parede da sala e seu sorriso aumentou mais ainda. – Não mais....

No mesmo instante todos os seis irmãos gritaram de dor e logo seus corpos começaram... A... Encolher?

Um minuto se passou e tanto Akemi quanto Yui olhavam para os seis irmãos, que agora estavam esticados no chão, cor certa descrença e surpresa. Akemi desceu do colo da loira e se aproximou de um de seus irmãos, para ser mais exata, de Laito.

-La... Laito-nii-san? – A rosada tocou nos ombros do irmão que com o toque deu sinal de vida e abriu os olhos lentamente.

Aos poucos os seis começaram a acordar e logo estavam sentados no chão com ambas as mãos na cabeça.

-Mas o que aconteceu? – Ayato arregalou os olhos ao ouvir sua voz mais fina e infantil e logo olhou para si mesmo. – MAS QUE BOSTA É ESSA?!?!?!

 -Nós... Voltamos há ter dez anos? – Subaru se perguntou olhando para suas roupas que agora estavam grandes demais para si.

-O Kanato não mudou muito nesses últimos anos. – Brincou Laito olhando o irmão que de diferente só tinha a altura.

-CALA A BOCA!

-Meninos, meninos. Parem com isso. – Karl se aproximou dos filhos e tentou acalmá-los, mas tudo que recebeu foi seis olhares furiosos sobre si. – Ou não...

-Qual o sentindo disso tudo? – Perguntou Reiji tentando ajeitar o óculos em seu rosto.

-Isso tem alguma coisa a ver com ela não tem? – Perguntou Shu apontando para Akemi que agora brincava com Laito de “Adoletá”.

-Na verdade não! – Todos ficaram surpresos com a resposta do albino. – Como eu disse antes foi um erro meu não ter comemorado esse feriado com vocês quando ainda eram crianças e por isso resolvi dar uma segunda chance a vocês e a mim mesmo, claro!

-Ah, claro... – Todos os irmãos reviraram os olhos com a respostas do pai, mas preferiram não contestar.

-De qualquer modo, acho melhor os seis trocarem de roupas. – Karl se levantou e foi em direção a saída da sala. – Hoje o dia é de vocês e enquanto o efeito da poção tiver efeito vocês poderão fazer o que bem entenderem.

-Qualquer coisa? – Perguntou Laito parando de brincar com Akemi o que a deixou emburrada.

-Qualquer coisa de criança Laito. – Respondeu o albino que revirou os olhos ao ver o filho inflar as bochechas indignado. – Ah, sim! Yui-san?

-H-Hai?

-Como você é a única que não se transformou em criança gostaria que tomasse contas dos meus filhos, afinal são só crianças. – Brincou levantando as mãos em um gesto de quem não se importavam com a situação.

A loira suspirou e olhou para as sete crianças a sua frente. “O que eu faço agora?”

~~*_*~~

-A-do-le-tá. Le peti. Tole tola. Le café. – Laito e Akemi se encontravam sentados em baixo de uma das árvores do jardim da mansão e brincavam animadamente. Todos os seis irmãos já tinham trocado de roupas e agora “aproveitavam” o dia no jardim onde deveriam se divertir e brincar a vontade, mas nem todos pareciam dispostos a isso. – Com chocolá. A-do-le-tá. Puxa o rabo do tatu. Quem saiu foi tu! – Na última parte tanto Akemi quanto Laito se jogaram para trás e deitaram sobre a grama do jardim rindo animadamente.

-Como ele consegue ficar tão calmo com essa situação? – Subaru se perguntou enquanto observava os dois de longe. Seus olhos foram parar em Shu que dormia tranquilamente perto dos dois irmãos mais novos. – O Shu também?

Subaru estava junto de Yui e Reiji no antigo coreto de pedra do jardim onde Beatrix, a mãe de Shu e Reiji, passava seus dias. Subaru se mantinha sentado nos degraus do coreto e apenas observava seus irmãos de longe. Não tinha muito que pudesse fazer, Não tinha afinidade com Akemi para ir brincar com ela e com Laito, também não tinha a preguiça e o sono de Shu para dormir junto ao mais velho.

Reiji estava lendo um livro ao lado de Yui que se concentrava em tentar costurara um dos vestidos de Akemi que tinha rasgado e ele não tinha interesse em nenhuma dessas atividades.

Ayato estava correndo que nem um idiota pelo jardim com Teddy em uma de suas mãos e Kanato o perseguia gritando e xingando o irmão de todas as formas possíveis. O albino até pensou em ajudar o irmão, mas depois teria que aturar o ruivo e isso também não estava em seus planos.

Soltou um suspiro e permitiu-se deitar sobre o chão gélido do coreto com a cabeça apoiada nos braços. Seus olhos se prenderam no céu cheio de nuvens daquela tarde e logo uma lhe chamou a atenção.

-Um coelho... – Falou consigo mesmo ao ver que a nuvem realmente parecia com um coelho o que o deixou intrigado. Procurou por outras nuvens com formatos diferentes e logo encontrou uma com a forma de urso. – Quem diria.... O Teddy... – Brincou consigo mesmo ao ver o urso de seu irmão nas nuvens.

Yui desviou seu olhar do vestido de Akemi e encarou Subaru que sorri enquanto procurava por mais nuvens com formato de animais. A loira sorriu e logo olhou para Reiji sentado ao seu lado.

“Mesmo sendo uma criança ele prefere ler um livro a brincar” – Pensou enquanto pensava em uma maneira de fazer o moreno se juntar a seus irmãos.

-Ano... Reiji-kun? – A loira começou com certo receio.

-Reiji-kun? Desde quando você me chama assim? –Perguntou desviando o olhar do livro e encarando a loira diretamente nos olhos.

-Bem... É que... – A loira engoliu em seco, mas logo deixou o medo de lado e confrontou o moreno. Em um movimento brusco Yui arrancou o livro das mãos de Reiji e o apoiou em seu colo impedindo que o moreno o pegasse de volta. – Agora que você é uma criança deve aproveitar esse momento! Deixe a leitura para a hora de dormir e vai brincar!

“Eu não acredito que eu disse isso” – Pensou com certo receio enquanto encarava Reiji nos olhos, mas sem demonstrar medo nenhum. Para sua surpresa o moreno apenas suspirou e se levantou indo em direção a Subaru que estranhou a aproximação do irmão.

-Reiji? O que foi? – O albino se levantou e ficou de frente para o irmão que apenas desviou o olhar um pouco corado.

-O... o que você esta fazendo? – Perguntou por fim ainda sem olhar o irmão.

-Hã? Bem... Eu estou vendo as formas que as nuvens fazem. Quer ver comigo? – Perguntou voltando a se sentar e a olhar o céu.

Reiji encarou o irmão por alguns minutos e logo desviou o olhar para o céu.

-Qual a graça disso? – Perguntou ainda encarando o céu a procura das tais formas que Subaru falou.

-Não sei... Só tem..,. – Respondeu dando de ombros e logo apontando para uma das nuvens. – Aquela tem a forma do Teddy! – Reiji olhou a nuvem a qual Subaru aponta e sorriu de leve.

-Realmente... – Reiji concordou e logo se sentou ao lado do irmão.

Logo atrás dos dois Yui observava a cena com um sorriso no rosto. Já estava na hora deles aprenderam o significado da palavra diversão.

~~*_*~~

-AYATO!!! DEVOLVA O TEDDY!!!!!! – Já fazia quase dez minutos que Kanato corria atrás do irmão e mesmo assim ainda não conseguira seu amigo de volta.

-VEM PEGAR! – O ruivo gritou de volta e correu mais rápido ainda indo em direção onde Akemi, Laito e Shu estavam.

Ayato desviou de Laito e Akemi, que agora brincavam de “Escravos de Jô”, e correu até Shu na intenção de pular o irmão, mas seus planos foram por água a baixo quando o loiro acordou e de sentou o que fez Ayato tropeçar sobre o mesmo e cair de cara no chão.

-OE SHU! Quem mandou você acordar?! – O ruivo se sentou ao lado do irmão que apenas o encarou sem interesse algum. Kanato aproveitou o momento de distração do irmão e pegou Teddy de volta. – OE!

-Você esta bem Teddy? – Perguntou Kanato abraçando o urso com força.

“Estou sim Kanato. Na verdade foi até divertido” – Respondeu o urso, mas como sempre somente o arroxeado o ouviu.

Ao ver que não tinha nada de errado com Teddy Kanato decidiu se juntar a seus irmãos Laito e Akemi na brincadeira.

-Tsc, viu o que você fez!? – Perguntou Ayato para o loiro que apenas deu de ombros e voltou a se deitar no chão.

O ruivo bufou e se aproximou dos irmãos também querendo participar da brincadeira.

-A brincadeira é bem simples. – Começou Laito entregando um pedaço de madeira para Ayato e Kanato. – Vocês vão movimentar a madeira de acordo com a música. No inicio vocês só terão que passar o graveto para o lado, por exemplo: a Akemi-chan passa para mim, eu passo para o Ayato-kun, o Ayato-kun para o Kanato-kun e o Kanato-kun para a Akemi-chan!

-Por que eu tenho que passar para ela?!

-Não seja chato Kanato-kun é só para seguirmos a ordem. Voltando... Seguiremos assim até chegar à parte da música em que os movimentos mudam!

-Isso é muito complicado! – Reclamou Ayato se jogando para trás ficando deitado na grama. Os olhos do ruivo brilharam ao ver as maçãs vermelha na árvore o que o fez se sentar na mesma hora. – Eu tenho uma ideia!

~~*_*~~

-Isso não vai prestar... – Sussurrou Shu para si mesmo ao ver Ayato e Laito subindo cada vez mais a árvore.

Os dois ruivos acabam por decidir que um lanche da tarde seria uma boa ideia, mas em vez de irem buscar algo na cozinha decidiram pegar algumas maçãs da árvore. Akemi e Kanato observavam os dois bem abaixo dos mesmos, o que só reforçava o pensamento de Shu.

-Nee.. Kanato-nii-san? – Chamou Akemi desviando o olhar de Laito para o irmão a seu lado.

-O que foi?

-Será que eles vão conseguir? E se eles caírem?

-Nesse caso acho melhor sair daqui de baixo. – Kanato apertou Teddy contra seu peito e se afastou da árvore ficando a uns três metros da mesma.

Akemi olhou Kanato por alguns segundos e então voltou a observar Ayato e Laito, mas alguém acabou por puxa-la pelo pulso a afastando da árvore.

-Shu-nii-san? – A rosada olhou para o irmão sem entender o motivo do mesmo a tirara de lá.

-Melhor esperara aqui... – Disse o loiro a fazendo sentar um pouco mais afastada da árvore e logo se deitando sobre o colo da irmã que apesar de ser bem menor o acomodou muito bem.

Não levou muito tempo e todos os presentes no jardim ouviram o som de algo quebrando sendo seguido de dois gritos de crianças. Yui, Reiji e Subaru; que ainda estavam no coreto, correram em direção aos gritos e encontraram Ayato e Laito caído no chão com as roupas rasgadas e sujas.

-Mas... O que ouve aqui? – Perguntou Yui se aproximando dos dois ruivos que mantinham uma expressão de dor em seus rostos.

-Eu disse que não ia prestar.... – Comentou Shu se aproximando junto de Akemi que segurava uma de suas mãos a apertando de leve por conta do susto que levou.

-É CLARO QUE PRESTOU! OLHA! – Ayato esticou a mão e mostrou a única maçã que ele conseguiu pegar da árvore.

-Nossa... Com certeza valeu a pena isso tudo. – Ironizou Reiji que revirou os olhos ao ver o irmão o encarando com ódio.

~~*_*~~

-Então Ayato-nii-san e Laito-nii-san subiram na árvore para pegar maçãs, mas eles acabaram caindo. Mas Ayato-nii-san conseguiu pegar uma, mas todos os nii-san disseram que não valeu à pena. Mas Ayato-nii-san disse que valeu sim! Ai eles começaram a discutir e a Yui-san teve que brigar com eles e ela disse que eu e o Shu-nii-san fomos os únicos a nos comportarmos. Ai o Reiji-nii-san e o Subaru-nii-san começaram a discutir com a Yui-san por que eles também tinham se comportado e que também deveriam ser.... Uhmhg....Uhmdbh.... – Akemi, que até o momento relatava sua tarde com os irmãos ao pai, teve sua boca tampada por Subaru que já estava vermelho de raiva por ter que ouvir a voz da menina por tanto tempo.

-Akemi querida acho que já deu, não? – Karl falou um tanto surpreso com o relato da filha.

A tarde já havia chegado ao vim e agora todos os nove moradores da mansão estavam na sala de jantar esperando pela janta. Depois do ocorrido na árvore Yui achou melhor levar todos para dentro o que os fez passar o resto da tarde na sala de jogos.

Akemi finalmente se livrou da mão de Subaru e voltou a falar com o pai.

-Mas Otou-san.... Eu ainda não contei o que aconteceu na sala de jogos.... – Reclamou a menina fazendo uma expressão de cachorro sem dono para o albino.

-A... Amanhã você me conta querida. – A rosada apenas concordou e voltou a se sentar de frente balançando as pernas para frente e para trás ansiosa pelo dia de amanhã.

-Ano.. Tougo-san? – Yui, pela primeira vez em dez minutos, se pronunciou dirigindo seu olhar para o albino mais velho.

-Sim Yui-san? Algo lhe incomoda?

-N-Não é isso. É que eu gostaria de saber quando o efeito da poção vai passar ou os meninos vão ficar assim para sempre? – A loiro perguntou dirigindo seu olhar para Ayato que estava a seu lado.

-Eu gosto dos nii-san assim. Por mim eles poderiam ficar assim para sempre! – Comentou Akemi esticando os braços para o alto com animação.

-MAS NEM MORTO! EU QUERO VOLTAR AO NORMAL! – Gritou Kanato exigindo voltar ao normal.

-Não se preocupem com isso meninos. Se eu não me engano o efeito da poção vai passar as... – Karl encarou o relógio da sala e sorriu o que deixou os seis meninos apreensivos com a resposta. – Agora!

No mesmo instante uma dor de estômago atacou os seis irmãos que se contorceram nas cadeiras e em questão de segundos seus corpos começaram a crescer e suas roupas a rasgar o que levou Karla tampar os olhos de Akemi que até então encara os irmãos com curiosidade.

Yui, completamente envergonhada, tampou seus olhos com suas mãos e se levantou ficando com as costas encostadas na parede.

-Por favor... Coloquem uma roupa antes de jantarem. – Pediu a loira ao ouvir as vozes dos rapazes de volta ao normal.

-Ah... Que isso chichinashi? Via dizer que não gostou do que viu? – Provocou Ayato se aproximando da loira e a encurralando.

-Ayato? – Karl chamou pelo filho que lhe dirigiu o olhar confuso. – Devo lhe lembrara que agora você tem uma irmã de cinco anos?

-Opa... Foi mal. – O ruivo se afastou de Yui se saiu junto dos irmãos para colocar suas devidas roupas. Ao ver que só tinha os três ali Karl destampou os olhos de Akemi que o olhou confusa.

-Otou-san? Por que você tampou meus olhos?

-Por nada querida... Por nada....


Notas Finais


Desculpe qualquer erro e espero que tenham gostado ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...