História A irmã Sakamaki - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Personagens Originais, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Yuma Mukami
Tags Demon, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki
Visualizações 146
Palavras 1.007
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Famí­lia, Harem, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Preparem os lencinhos

Capítulo 20 - Nos despedimos


Fanfic / Fanfiction A irmã Sakamaki - Capítulo 20 - Nos despedimos

O... O que aconteceu...?

Voltar pra casa?

Esta bem...

Mas como vim parar aqui?

Demon abriu os olhos e se viu no sofá, talvez tenha cochilado sem querer, não se lembrava de muita coisa do que havia acontecido ontem.

Se sentou e viu Carlos descendo as escadas. Olhando para seu visual, parecia que iria sair para caminhar e ainda estava muito bonito.

Demon: -Vai sair? –Perguntou se sentando e o vendo abrir um largo sorriso no rosto enquanto caminhava até ela.

Carlos: -Vou caminhar, você vai querer vir comigo? –Perguntou e ela assentiu logo desaparecendo e voltando poucos minutos depois.

Estava com roupas de ginástica e ainda de preto, por causa do luto que estava. Sabia que iria suar muito com aquela roupa, mas pouco se importava.

Enquanto caminhavam, passaram pela mansão Sakamaki e a vampira acabou parando e ficou observando sem dizer nenhuma palavra.

Percebendo aquilo, o loiro parou também e segurou a mão da garota o que fez com que ela desviasse o olhar da mansão e olhasse para ele.

Carlos: -Você vai querer voltar? –Ela negou com a cabeça e quando os dois iam recomeçar a andar, Ayato apareceu em sua frente com um olhar preocupado.

Ayato: -Demon! Onde você se meteu todo esse tempo? –A ruiva pensou em responder, mas depois percebeu que a história não havia pé nem cabeça então decidiu ficar quieta.

Logo, Laito apareceu com uma cara tristonha e abraçou a mais nova fazendo com que soltasse da mão de Carlos, que por sua vez, apenas ficou olhando a cena.

Laito: -Não acredito que nos abandonou Bitch-nee-chan –Falou em um tom manhoso enquanto a abraçava mais forte.

Não demorou para que Reiji e Kanato chegassem também e a arrastassem para dentro ignorando e deixando Carlos ali, agora sozinho.

Mas antes que a vampira pudesse entrar definitivamente no lugar, um tiro passou raspando por ela e acertou seu amigo, que caiu no chão.

Se soltando dos braços dos irmãos, ela correu até o corpo do loiro. Ele tinha um sorriso nos lábios, e um buraco de bala no peito.

Ainda estava vivo, mas não por muito tempo.

Lançando um olhar mortal para o segundo irmão mais velho, ordenou que ele salvasse o garoto. Mas ele, alegando não cumprir ordens dela, não fez absolutamente nada.

Carlos: -Tudo bem Demon... Não me incomodo em morrer... Agradeço por você ter me feito companhia.... E-Estava tão... sozinho –Ele perdia o ar aos poucos enquanto falava, por mais que a de olhos verdes implorasse para que ele parasse de falar, aquilo parecia tão doloroso tanto para ele, quanto para ela. Parecia que tinha sido ela, a tomar um tiro no peito.

Carlos: -É aqui que nos... despedimos... Mas não... pra sempre ouviu? –Seu sorriso se alargou mais ainda, enquanto a garota não aguentava mais segurar suas lágrimas.

Calos: -Esta tudo... bem... Saiba que... –Ele tirou lentamente um papel do bolso e deu para ela e logo continuou –Eu te... admi...

Antes que pudesse terminar a frase, outro tiro foi disparado e acertou sua cabeça, sujando a garota de sangue e tudo a alguns metros de distância.

Lágrimas escorriam pelos olhos arregalados da menina, que não conseguia mais se mover. Segurava aquele papel com força, o amaçando.

Seus irmãos, pareciam indiferentes a cena, como se não fosse nada demais. Logo decidiriam entrar para dentro da mansão, deixando a irmã sozinha ali.

Um grito, que estava preso na garganta da garota a anos, finalmente se soltou. Foi tão estrondoso e alto, que acabou assustando todos que o ouviram.

Logo em seguida, ela deu um murro no chão. Não ligava para a dor que estava sentindo... Aquilo parecia tão injusto para ela.

As lágrimas não paravam de cair, ela negava com a cabeça... Se negava a acreditar que havia perdido seu amigo, que ficou com ela na perda de 4 outros amigos queridos.

Se sentia tão desnorteada e perdida, não sabia mais o que fazer sem ele ali para reconforta-la nos momentos tristes.

Claro que ela sabia que eles se conheciam a pouco tempo, mas aquilo que a vampira sentia quando estava com o garoto... Era algo fora do comum.

Sentia que tinha uma amizade de anos com ele, sentia que eram velhos amigos que se conheciam a vida toda... Mas claro que isso não era bem a realidade.

Começou a se lembrar que seus irmãos e Yugi estavam desaparecidos... Lembrou-se de como aquela bagunça começou... A muito tempo a trás...

Mas seus pensamentos foram interrompidos pelo som de passos que se aproximavam dela, não era só de uma pessoa, mas sim de umas três.

Demon não quis nem levantar a cabeça para saber quem era, mas logo o som começou a parar e ela não pode conter a curiosidade e olhar.

Se surpreendeu com o que viu.

Ali parados, estavam Shu, Subaru e Yugi. Estavam com uma aparência cansada, como se não dormissem a dias. E essa era meio que uma verdade.

Yugi: -O que aconteceu aqui? –Perguntou olhando para o corpo morto. A pergunta acabou fazendo com que a vampira olhasse para baixo, continuando com suas lágrimas a cair.

O mais velho pegou delicadamente a mais nova no colo, ela pensou em recusar mas... Precisava de algum consolo e não podia negar aquele. Apenas o que fez foi se aconchegar mais no colo do mais alto.

 O platinado puxou o moreno para dentro da mansão, ali ficaria mais confortável e pronto para descansar mais, já que ele foi o que menos conseguiu dormir.

O mais velho levou sua amada para seu quarto. E ali, deitou-a na cama e ficou ao seu lado fazendo carinho em sua cabeça.

Sabia que não era hora de ser preguiçoso e que dependia dele dar todo o apoio possível para a pequena, que estava em uma situação tão difícil.

Ela então decidiu abrir o papel que Carlos havia lhe dado e logo de cara reconheceu a letra de Ruki, o que a fez estranhar muito.

Por que Carlos estava com um papel escrito por Ruki?

Sem demora, ela se prontificou a ler.


Notas Finais


Aqui estou eu!
2 horas depois!
Com muitas tretas e uma dor no coração.
Agora não podem reclamar dos caps atrasados viuuuu???
Bye bye!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...