História A Janela - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Depressão, Família, Incesto, Invasão De Privacidade, Janela, Romance, Segredos, Sexo, Violencia
Visualizações 20
Palavras 1.435
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


E aí gentii, td blz? Bora bater um papo qualquer dia desses? Tédio total aqui.

Vou ver pra estar postando segunda, quarta e domingo, mas n sei se vai dar, mas caso dê, irei definir um horário depois.

Agora, vou dizer e vcs se responsabilizem, ok? ( Da um ok só pra mim n ficar no vaco, vai😂?)

Contém:

- Estupro.

- Sexo ( ainda não sei se totalmente explícito, o que preferem?).

- Linguagem imprópria.

- Violência.

- Adultério.

- Partes de BDSM e DaddyKing.

- Humilhação. Degradação.

- Incesto.

- Anorexia.

- Nojeiras - muitas nojeiras.

Se não se sentir confortável com esses tipos de coisa, pesada, por favor se retire, ou leia por sua conta e risco.

Se gostar, vote e comente. Quero saber se paro com ela ou continuo. - Se esse estilo de história não der certo, eu pretendo não arriscar em fazer outra, mas irei concluir essa.

Caso eu tenha esquecido algo, vou avisar nos cap's, dúvidas?

Plágio é crime e eu denuncio.

Use a sua criatividade pra fazer algo legal, não copie.
Boa leitura!

SEM Revisão!

Capítulo 2 - Capítulo 2 & Avisos


Fanfic / Fanfiction A Janela - Capítulo 2 - Capítulo 2 & Avisos

A porta daqui de casa destranca, fico tensa. – O que que você ta fazendo no chão, maluca? – perguntou minha mãe rindo.

Merda! Estou fazendo o que? Me alongando? Não, sou muito preguiçosa. Cai? Vergonhoso. Catando as coisas pra varrer?

Fui abduzida? Nunca que eu faria isso.

- Perdi meu brinco. – Falo sem olhar pra ela, por que eu disse isso? Eu nem uso brinco!

- Desde quando você usa brinco? – Pergunta desconfiada.

- Eu não preciso usar pra perder. – Realmente, eu encostei, sumiu.

- Senta ai no sofá, vou por as compras na cozinha e já volto, temos algo muito importante que conversar. – Saiu andando, ela esta animada e também escondendo algo, isso já há um tempo, suas unhas não mentem – toda ruída.

Me levanto, olho pra janela e agora a do vizinho está fechada. Saco! Me joguei no chão atoa, podia ter virado de costas, saído da janela, mas não, a idiota aqui se jogou no chão. Nem pra sair da janela eu sirvo. Ajeito o short verdinho-menta que estou vestindo, não sei como esse troço entra tanto na minha bunda, divide tudo, ajeito minha blusa de manga cinza com desenho de um gatinho branco com as orelhas e um lacinho no pescoço rosa, e sento-me no sofá.

- Eu conheci um cara, - começa minha mãe ainda da cozinha. Lá vem. – Há um mês ele foi comprar uma roupa de presente para a namorada e deu problema a uma das atendentes, eu fui chamada. – Legal mesmo, hein, já acabou? – Nós conversamos resolvemos o problema, ele me chamou pra sair e nós viramos amigos! Amigos, sabe? Daquilo que você precisa e ele tem a obrigação de te dar e arrumar. – temos visões um tanto diferentes nesse assunto – Bom, à 3 semanas a gente saiu e ele disse que havia terminado com a namorada, - caminhou até a sala com os olhos brilhando, as mãos juntas batendo... Palminhas? - disse que havia outra ocupando todo o espaço do coração dele e que essa pessoa eu conhecia muito bem. – Suspirou. – Nós começamos a sair e ele me pediu em namoro! – Se jogou no sofá.

- Legal. Posso ir embora? – Pergunto ignorante.

- Filha, conheci um cara. – falou meio irritada – Eu acho que estou apaixonada! – Falou suspirando meio que frustrada.

Minha mãe é morena, tem cabelo preto, é um pouco gordinha, tem uma barriguinha de cerveja, poucas marcas de idade, umas ruguinhas aqui e ali, sorriso de covinha – ele ta morto? É de covinha, cova, coveiro. – Ela está com uma blusa branca de manga curta, a logo Menina-Mulher estampada em vermelho e branco sobre seu seio esquerdo em cima de um bolsinho, calça jeans cavada, cabelo preso em um coque “simples”, que eu não sei fazer, um batom rosa, lápis de olho preto, rímel, base e sombra azul.

- Legal. – Respondo indiferente.

- Como você é seca, garota. – Reclama revirando os olhos amendoados, mas sem perder a feição apaixonada.

Dou de ombros e aperto em meus braços a minha almofada a qual estou abraçada. Sinceramente, eu não ligo se ela está apaixonada, se ela estiver feliz pra mim tudo bem. Ela merece, eu acho.

Ela esta apaixonada depois de longos 8 anos, sei que vai ser difícil pra mim e pro Nando nos acostumarmos com mais uma presença na casa, mas se a deixar feliz, pra mim é só o que importa.

Será que um dia vou me apaixonar? Esquecer todos os meus problemas e me focar em outra pessoa que é tão importante pra mim como eu mesma? Ou será que vou passar o resto da minha vida sozinha, presa na minha própria cabeça afogada em problemas?

- Tenho que ir. – Me levanto e de cabeça baixa corro para o meu quarto.

Tranco a porta, me jogo na cama que range com peso do meu corpo. Uma lágrima escorre pelo meu olho esquerdo, mas logo trato de a “secar” passando a mão. Meu quarto é branco com detalhes em rosa e vermelho, minha cama é branca, meu travesseiro vermelho, meu lençol rosa. Tenho um baú no canto do quarto, ele é branco com detalhes rosa, dentro está cheio de bonecas quebradas e deformadas. Há no pé da minha cama meus peluches uma ursa Pooh que eu sempre achei que era urso, os desenhos me ensinaram isso, mas agora, nem sei se o que eu sei é verdade.

Meu guarda-roupa de solteiro, branco com detalhes rosa. Já disse que odeio rosa? Pois bem, eu odeio rosa! Meu criado-mudo que fica ao lado da cama também branco com de lhes rosa. Na primeira gaveta, guardo minha agenda azul, meus cadernos de passatempo, na segunda, alguns jogos de tabuleiro, quebra-cabeça, damas, monopoly, dados, Jogo da vida, etc, Na terceira gaveta, fotos, e vídeos, na última gaveta, os presentes junto do meu diário a tanto tempo abandonado. Tenho dois diários, um para coisas felizes e outro para coisas tristes, um para alegria outro pra dor, um para força outro pra fraqueza. O diário que a muito foi abandonado foi presente, presentes esses que me recuso usar. Esse diário era o da alegria, mas me trousse tanta tristeza e desgraça que... Suspiro... arrependo-me profundamente de tê-lo aceito.

- VENHA JANTAR, MANU. – Chama minha mãe da sala.

- NÃO QUERO! -Respondo me cobrindo pra dormi.

- Mas filha... – Começa já atrás da porta. Como chegou ali? Não sei.

- Hoje não, mãe. – Não a deixo falar. – Hoje não.

Fecho os olhos e acomodo-me na cama, logo caindo de um precipício fantasiado de um sono profundo.

- Oi, minha princesa. – Falou papai me dando um forte e apertado abraço.

- Oie, papai. Voltou pra casa? – Pergunto esperançosa. Mamãe e ele brigaram a um tempo e agora ele não mora mais aqui. Ele ficou um tempão sumido.

Mamãe brigava com ele quando invadi a sala assim que a rota me deixou e corri para dar um abraço Nele que me pegou no colo.

- Foi mal, baixinha. – Responde me apertando ainda mais em seus braços.

Meus olhos lacrimejam. Ele me abandonou, outra vez.

- Me põe no chão. – Cruzei meus bracinhos, irritada.

- Calma, filha. Desfaz esse biquinho se não fica sem presente. – finge ameaçar. Ele nunca não me daria o meu presente, nem se não quisesse me dar.

Sorrio para ele, mostrando a falta de um dos meus dentinhos da frente, voltando a enlaçar seu pescoço com meus bracinhos. – Prontinho, papai. Cadê meu presentinho? É de comer?

- Não, não é de comer querida. Foi o titio Anderson que mandou te entregar.

- Quem é o titio Anderson, papai? – Pergunto franzindo as sobrancelhas, ao não reconhecer o nome.

- É o irmão do papai. – Falou.

- Por que eu não conheço ele? – Perguntei confusa.

- Conhecer conhece, mas você era muito pequena para lembrar. – Explica.

- Cadê meu presente? – Pergunto sorrindo ansiosa, decidindo ignorar o fato de não tê-lo visto nunca.

- Em cima da sua cama. – Minha mãe fala pela primeira vez desde que cheguei, abrindo um leve sorrido.

Me balanço pra o papai me por no chão e corro para o meu quarto. Achando um livrinho rosa com cadeado em cima da minha cama. Minha cor preferida! Me jogo na cama e me pergunto, o que é isso e para o que serve.

- É um diário, querida. – Diz mamãe entrando no quarto e me abraçando por trás após sentar na minha cama.

- E para o que serve, mamãe? – Pergunto virando-me para ela.

- Pra você desabafar, contar suas alegrias e suas tristezas, seus segredos. – sorri – E o melhor de tudo, só você pode ver e ler o quem tem dentro. Aqui está a chave. – Pega na gavetinha do troçinho quadrado do lado da cama.

- Não vou escrever nada triste nele. Só quero guardar coisas felizes. – Amplio meu sorriso de janelinha.

[...]

A madeira do chão range me causando calafrios na espinha. – Onde você ‘tá, bonequinha? Não pode se esconder de mim para sempre! – Gargalha.

- 1, no armário não esta, - mantenho minha mãozinha na boca, me impedindo de fazer barulhos – 2, debaixo da cama? Oh, também não. – minha respiração acelara, ele está perto, estou debaixo do lençol, dentro do baú. – 3... – A tampa se abre, sinto uma mão me puxar pelos cabelos tirando meus pés do chão, dos meus olhos escorrem lágrimas grossas ao encontrar com o seu olhar. – TE ACHEI! – Grita gargalhando.

Levanto-me da cama em um pulo, com minha respiração e as batidas do meu coração acelerados. – Não, não, não, não, não, não... – Repito me escondendo de baixo da cama. – Vai ficar tudo bem. – Me encolho, deixando as lágrimas correrem livremente pelo meu rosto.

!


Notas Finais


Sabe o que eu esqueci de citar, nos avisos? Pode conter cenas de pedofilia, mas nada de cenas detalhadas, OK?

Já reparou que você descobre tudo oq vai ter na história lendo os avisos? Chega ser chato, por isso que eu pulo avisos, mas me sinto na obrigação a da-los ( Há pessoas que leem).

E Aí, oq acharam? Se gostou comente ou favorite para q eu saiba. Obg!

Vou ver pra estar postando segunda, quarta e domingo, mas n sei se vai dar, mas caso dê, irei definir um horário depois.

Bjinhos😚😘😙 com chocolate🍫!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...