História A Kiss Before She Goes - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias My Chemical Romance
Personagens Bob Bryar, Frank Iero, Gerard Way, Mikey Way, Personagens Originais, Ray Toro
Tags Frerard, Humor Negro, Mpreg, Romance
Exibições 24
Palavras 3.558
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Festa, Ficção, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


LEITORES MARAVILHOSOS DE MEU CORAÇÃO!
Tia Mary está viva e com capítulo novo! Sei que quebrei o prazo, mas me perdoem, okay? Vida tá difícil, mas eu não abandono vocês não!
Olha lá, quero agradecer demais por todo o amor que vocês derramam por esta história, é demais! Agradeço pelo comentário e pelos novos favoritos: Elena_Gilbert_ e larikika. MUITO AMOR PARA VOCÊS! <3 <3 <3
MIL BEIJOS E BOA LEITURA!
P.S: recadinho especial nas notas finais ;)

Capítulo 4 - Capítulo Quatro - True Time


Fanfic / Fanfiction A Kiss Before She Goes - Capítulo 4 - Capítulo Quatro - True Time

 

A Kiss Before She Goes

Capítulo 04 – True Time

 

Ao sair do consultório obstétrico, Evelyn despediu-se dos rapazes e eles seguiram para a soundcheck. Enquanto ela continuaria seu trabalho incluindo marcar os exames de Gerard, os dois homens iniciariam o seu trabalho do dia. Gerard e Frank respiraram fundo antes de entrarem no táxi, e já no interior do veículo, suas mãos acariciavam uma à outra de maneira delicada e cheia de apoio e cuidado. Conforme já tratado, agora que o bebê é mais que uma realidade e o pré-natal iniciou, é hora da verdade. A começar pela banda.

- Acha que eles ficarão muito surpresos? – Gerard olhava para o rosto de Frank, um tanto apreensivo.

- Bem, não é a mesma coisa que falar “Trouxe doces para vocês”. - e o rapaz riu seguido por uma gargalhada espontânea de Gerard.

- Não. Mas, não creio que haverá problemas.

- Problemas não. Digo, só teremos dificuldades se por acaso tivermos de interromper a turnê. Somos uma banda, então o que nos afeta musicalmente também os afetará.

- Isso é.

- No mais, pessoalmente falando, eu acho que eles vão gostar. – Frank deu uma boa respirada e soltou o ar dos pulmões com alívio. – Eles sabem sobre a gente. Sabem que não é palhaçada. Sabem que a gente aproveita a loucura do palco para exteriorizar o que explode aqui. – e apontou para o coração. – Em mim e em você.

- Eu sou tão sortudo. Você é a melhor coisa que já me aconteceu. Eu te amo, Frank. – Gerard ficava emocionado novamente. – Malditos hormônios! – e riu ao ser abraçado por Frank imediatamente.

- Eu te amo, Gerard. Quanto tempo perdemos, poderíamos ter resolvido isto muito antes.

- Tudo tem uma hora.

- E a nossa chegou. – ambos sorriram e trocaram um beijo rápido. O taxista os avisava:

- Chegamos, senhores.

 

Gerard e Frank entraram na casa de shows e foram recepcionados com largos sorrisos pelos responsáveis pela casa e foram conduzidos até o interior onde ficava o palco e puderam ver certa movimentação dos rapazes mexendo em cabos, afinando instrumentos, checando o som e algumas luzes brincando sob suas cabeças.

- Hey! – Gerard e Frank acenaram e Ray foi o primeiro a olhar e gritar de volta:

- Hey! E aí?

- Tudo bem. Desculpa a demora, mas acompanhei Gerard no médico. Aliás, médica. – Frank dizia se aproximando e esticando-se para subir no palco com um impulso. Gerard estava atrás dele e ameaçou fazer o mesmo, e o menor se transtornou: - TÁ DOIDO? Sobe pela escada lateral! Jesus Cristo! – Frank arregalou os olhos e Gerard riu, balançou a cabeça e caminhou até a escada lateral.

- Ih, pelo jeito é grave. O que foi, Gee? – Mikey ajeitava o baixo junto ao seu corpo e olhou preocupado para o irmão. Os outros aguardavam.

- Bem, não digo que é grave, mas é algo que chegou para ficar e eu terei de adotar novos hábitos pelos próximos seis meses. – Gerard se aproximava e ficava no centro do palco. – E após seis meses, adaptar-me para o resto da vida.

Ray, Mikey, Bob e James se aproximaram ainda mais e Frank ficou ao lado de Gerard, de frente para eles.

- Parem com esse mistério! – Bob era enfático.

- Eu... aliás, eu e Frank precisamos contar algo. – Gerard colocava a mão na cintura e coçava a cabeça violentamente, puxando alguns fios de cabelo, como era seu costume quando estava para falar algo.

- O que foi? Finalmente vocês tomaram vergonha na cara e resolveram se assumir? – Mikey riu alto e os outros sorriram.

- Isso é uma das verdades. – Gerard sorriu torto.

- Sério? – Ray olhava desconfiado. – Vocês dois já tentaram nos enganar várias vezes, nem sei se acredito não.

- Pois é. Eu acho que estão de sacanagem com nossa cara. Vocês são muito filhos da puta. Eu amo vocês, mas sempre fazem esta brincadeira. – James riu e todos caíram na gargalhada.

- Caras, é sério. E temos como provar. A situação ficou séria, caralho. Séria! – Frank mudou um pouco a postura e Gerard encostou um pouco mais nele, tirando alguns papéis do bolso interno da jaqueta.

- Ih, muito mistério... Só não me diga que está morrendo, pelo amor de Deus. Não estou pronto para ser filho único. É sério. – Mikey fazia uma careta e Gerard abria os papéis.

- Eu e Frank realmente decidimos assumir o que sentimos um pelo outro e por tanto tempo tratamos levianamente. É sério, único e nós queremos ter uma vida juntos. Ainda mais depois da surpresa que veio para nossa vida.

- Ai, meu Deus... – Ray olhava no papel, de relance, e percebeu ser algo com alguma imagem, um borrão e lembrou de quando sua tia noticiou que estava grávida e veio com um dos exames para mostrar para a família. – Vocês vão ter um... um...

- Bebê! Sim! – Frank dizia abertamente e com um largo sorriso. – Estamos grávidos! Aliás, Gerard está, ele carrega nosso filhote.

O espanto foi tanto que por alguns segundos, cada um dos rapazes ficou em silêncio, olhando um para o outro e repassando, indo e vindo, os exames de Gerard e a imagem da ultrassonografia. A data era atual, horário, nome do Gerard e da médica. Forjar algo desta magnitude para enganá-los não seria do feitio deles. Então, realmente era verdade. Verdade! E eles explodiram em cumprimentos, risos e se dispuseram a abraçar Gerard e Frank:

- Cara! Que loucura! Parabéns! Será um tremendo bebê de puro sangue rockeiro, graças a Deus! – Ray os abraçava forte e firme, Gerard e Frank se alegravam. Em seguida, veio James e Bob.

- Olha, vocês tentaram fugir do inevitável. É lógico que isto iria acontecer. Parabéns de verdade! – James os sufocava com o abraço e contra seu peito. – Seremos um bando de tios bobos para este mascote.

- Caras, parabéns, juro que não pensei que viveria para ver isso, mas cá estamos. Fico feliz, parabéns. – Bob sempre foi o mais objetivo, mas não deixava de esboçar sorrisos gentis e abraçou cada um dos pais orgulhosos.

- Mikey? Você vai ficar aí plantado? Agora eu sou oficialmente da sua família. Ou quase. – Frank riu e todos acompanharam.

- É que... que... – Mikey olhou com olhos marejados para o irmão. -... eu sempre desejei a felicidade do meu irmão, e agora eu tenho certeza de que ele a conquistou. Eu estou feliz, muito feliz! É que nos pegou de surpresa.

- Ah, Mik... – Gerard o abraçou e beijou-lhe a bochecha e em seguida, Mikey abraçou Frank.

- Sei que serão os melhores pais do mundo! – Mikey abraçou-os novamente.

- Assim seja! Se depender de nossa vontade... – Gerard sorria e pegava a mão de Frank.

- Mas, quando souberam? – Ray os olhava com curiosidade. – E, você já disse para a Evelyn?

Gerard e Frank gargalharam alto e se contiveram ao ver que alguns olhares no fundo se projetarem para a frente.

- Eve foi o estopim disso tudo. – Gerard tentava conter o riso juntamente com Frank.

- Aquela garota é o Lúcifer de nossas vidas. – Frank ria novamente e todos gargalhavam. – Lúcifer no bom sentido, já que este nome tão recriminado quer dizer anjo de luz. Com um pouco de traquinagem, mas ainda assim uma guardiã linda, forte, poderosa e iluminada. – Frank piscou e Gerard sorria juntamente com os outros.

- Vamos contar tudo, inclusive sobre a consulta de hoje, o que pode implicar na turnê e... – Gerard suspirou um pouco. - ... Frank também conversará com Jamia. – e todos ficaram mais sérios. – Bom, mas vamos do começo. Contarei quando e como descobri a gravidez.

Os rapazes sentaram no palco e logo Gerard pôs-se a contar-lhe sobre o descobrimento da gravidez, a conversa com Evelyn, como contou para Frank e sobre a primeira consulta do pré-natal. Uma boa hora se passou desde que tudo foi relatado e os rapazes entenderam sobre os próximos passos. Ainda devia conter discrição e os garotos os certificou disso. Afinal, até que Gerard voltasse em consulta com Joan, nem eles tinham certeza da continuação da turnê. E por fim, ainda havia o rompimento do noivado de Frank. Muitas coisas sérias.

Foi uma passagem de som diferente de todas em suas vidas. Gerard cantava com mais emoção e Frank tocava ainda mais empenhado. Os sorrisos dos dois alegravam suas almas e a de seus amigos, bem como os carinhos e alguns beijos; eles não se importavam mais em esconder, aliás, não havia mais motivo algum para esconder. Estava tudo leve, com a rotação ideal, como se o mundo houvesse conspirado em favor daquele momento. Nada mais poderia ser tão perfeito.

 

 

Os rapazes se despediram ao término da soundcheck, por volta de quatro da tarde. Porém, Gerard e Frank sabiam que aquela noite deveriam ficar separados.

- Vamos de táxi e em Jersey nos separamos, só hoje. – Gerard disse sério e Frank suspirou. A tensão era visível no rosto do guitarrista. – Não vou acionar a Eve, tadinha.

- Não, não. Ela já tem muita coisa e por mais que sempre seja solícita, podemos voltar tranquilamente. – ele suspirou fundo. – Eu estou nervoso.

- Eu não esperaria menos.

- Eu pensei que seria mais fácil, sabe? – Frank mordia os lábios.

- Nunca é. Mas se sairá bem. Você se importa com ela, a conhece tão bem quanto qualquer pessoa e não quer que ela se machuque. Machuque demais. Porque, inevitavelmente, uma dor vai surgir. – Gerard passou os dedos no rosto infantil de Frank. – Sei que irá falar de um modo claro e objetivo, exatamente como você é, mas sem perder o espírito de menino, com estes olhos carinhosos, cheios de verdade e ternura.

-Para, Gee! – Frank o puxou para um abraço. – Daqui a pouco quem vai ficar um derretido sou eu. – e riu. Gerard o apertou contra si, sorrindo abertamente.

- Só quis te dar um apoio moral muito merecido, cheio de verdade. Você é o melhor homem que existe.

- Depois de você. – Frank o olhou e sorriu.

- Empatamos! – Gerard sorria e aproximou-se dos lábios de Frank.

O beijo doce foi longo e logo após se distanciarem, acenaram para um táxi. Ao entrarem e sentarem, Frank disse o trajeto e o caminho seguiu silencioso. Ele foi deixado na casa de Jamia e ao se despedir de Gerard, o beijou levemente, prometendo ligar após a conversar com a noiva. Gerard assentiu e seguiu no veículo o qual Frank observou distanciar-se rapidamente. O jovem contraiu um pouco os lábios e caminhou em direção à varanda, soltando altos suspiros antes de apertar a campainha e rememorou a ligação feita na parte da manhã de hoje, antes de Gerard acordar e eles irem para a primeira consulta. Falou com Jamia e a voz da noiva estava alegre e fresca, transparecia felicidade ao ouví-lo dizer que queria falar com ela e era importante. A jovem não se intimidou com o apelo, afinal, da última vez que ele fez isto, o noivado veio em seguida, então o assunto de casamento pode ser a pauta. Ela o aguardava feliz e Frank sentiu uma pontada no coração.

Sabia o quanto desejava o bem de Jamia e o quanto o relacionamento deles contribuiu para ele ser a pessoa que é, e sobretudo as experiências, os momentos com a jovem encantadora e doce. Seu amor por ele sempre foi genuíno, bem como o amor de Frank embora houvesse um acordo verdadeiro entre os dois. O relacionamento possuía seu compromisso de fidelidade, porém havia a parte a qual Gerard pertencia e jamais foi ocultada.

Jamia sabia o quanto Gerard significava na vida de Frank e o quanto ele sentia-se inteiro por isso. Possuía noção da profundidade do compromisso profissional, mas sobretudo, a ligação amorosa, carinhosa e protetora de um para com o outro. Óbvio que sabia dos momentos a sós dos dois e não fazia questão de saber detalhes, não era preciso e tampouco de bom tom. Ela sabia e isso bastava. Sabia e continuava com Frank pois, ele e ela possuíam suas ligações. Se um dia um amor prevaleceria ao outro, este era o risco que todos corriam.  Ou então, a vida trataria de fazê-los seguir desta maneira até o mundo acabar.

Naquela noite, a verdade viria à luz. A verdade simples que, Frank e Gerard possuíam uma ligação mais profunda e agora, estava sacramentada pela vinda de um bebê.

- Frank? Hey! – Jamia estalava os dedos na frente de Frank que piscou rapidamente e a olho assustado. – Hey... Tudo bem?

- Hey! – ele sobressaltou-se pela surpresa de estar tão longe em pensamento.

- Parece que alguém estava sonhando acordado. – a jovem de pele translúcida e cabelos incrivelmente lisos e negros na altura do queixo lhe sorria com lábios rosados.

- Apenas disperso. – Frank sorriu levemente e a noiva lhe deu um beijo rápido, puxando-o para dentro da casa.

- Venha, entre.

Ele entrou e colocou as mãos nos bolsos, Jamia estranhou a retração.

- O que foi? Está nervoso?

- Um pouco. – ele tentou sorrir.

- Hum, bem... deve ser importante mesmo. – ela caminhou até o sofá e ele a seguiu, sentando e imitando seus movimentos. – Está com fome?

- Não, eu almocei bem e depois comemos mais um lanche na soundcheck, estou bem, obrigado.

- Okay... Bom, estou pronta e curiosa, o que é que tem para me dizer? – ela ergueu levemente as sombracelhas e juntou as mãos. Frank a olhava e mentalmente tentava pensar numa maneira de dizer tudo, porém não havia. Só existia uma maneira, sua maneira e ponto final.

- Gerard está grávido. – ele disse de sopetão e a noiva o olhou espantada.

- Sério?!

- Sim, eu soube anteontem. – ele engoliu seco.

- Meu Deus! Eu jamais pensei nisso, sério. Estou pasma! – ela colocou a mão no rosto e Frank permanecia impassível. – Gerard sempre disse que não pensava em se casar, ter filhos então... E será o primeiro de todos. Por essa eu jamais poderia imaginar, mas parabéns para ele.

- Sim, er... Foi uma baita surpresa, eu fiquei em estado de choque, Eve me ajudou a voltar à realidade com um copo de água. – Frank riu involuntariamente lembrando da cena e Jamia o acompanhou.

- Aposto que ela jogou a água ao invés de te dar para beber.

- Lógico, né. – e ambos riram.

- Mas... – Jamia entortou um pouco a cabeça e Frank aguardou, talvez a pergunta a seguir lhe daria o empurrão para completar o que iniciou, afinal “Gerard está grávido... e o pai sou eu”. - ...vocês não terão problemas para seguir turnê? Pode ser perigoso para Gerard e o bebê.

- Ah, logo saberemos disso. Ele fará exames mais detalhados para saber se não corre nenhum risco e se podemos manter a agenda e fazermos algumas adaptações para seu maior conforto.

- Entendi. Bom, isto é realmente importante. Muito, por sinal. Mudará a vida dele, pode afetar vocês como banda, além da notícia para a família, mídia, fãs. E... – Jamia engoliu seco, a pergunta que estava presa na garganta já possuía resposta, embora tivesse de perguntar do mesmo modo. - ... ele disse quem é o pai?

- Jay, eu acho que você sabe quem é... não sabe? – Frank respondeu devagar e estreitou um pouco os olhos, Jamia reconheceu o tom de voz do noivo e imediatamente colocou a mão no rosto de forma angustiada.

- Eu... eu s-sei. Deus do céu, Frank. – Jamia levantou do sofá e ficou de costas para ele por alguns segundos. Frank coçou a testa e aguardou-a. – Como... como vocês irão lidar com esta notícia, este acontecimento? – ela virou-se para ele.

- Eu assumirei esta criança abertamente, não tenho motivo para esconder.

- Acontece que para todos os efeitos você tem uma noiva e engravidou o seu amigo. – os olhos de Jamia marejaram e Frank sentiu o coração apertar.

- Jay, eu sei. Mas, as coisas terão de mudar, aliás, já mudaram.

- Disso eu não possuo dúvidas. Já pensaram em como será até o nascimento da criança e depois? – a voz da jovem saía embargada.

- Como assim?

- Oras, você precisará dar uma assistência mais especial para Gerard, é um período único e ele está sozinho, por assim dizer. Vai que acontece algo... – Jamia suspirou e voltou a ficar de costas para ele. Frank levantou-se e foi até ela.

- Jay, eu sei que é difícil, está complicado demais falar com você sobre isto, mesmo com toda a nossa trajetória até aqui. Afinal, é um bebê que virá, um filho ou filha e é para sempre. Um pedaço meu e de Gerard. E isto me leva a outro ponto, muito, extremamente importante. – Frank titubeou em passar as mãos nos braços dela e fazê-la virar-se, e decidiu aguardar.

- Fale. – Jamia disse em tom exausto e virando para ele.

- Eu quero e preciso ficar ao lado de Gerard. – ele suspirou. – Eu amo este bebê desde o minuto que soube que existia. – Frank suspirou uma vez mais e olhou ternamente para Jamia. – E eu amo o homem que está carregando esta criança. Eu amo demais. – Frank desabou no sofá e olhou para o chão, não conseguiu esconder a emoção, muito menos reprimí-la. Deixou as lágrimas correrem por seu rosto.

Jamia observou-o e fechou os olhos pesarosamente, deixando suas lágrimas escorrerem também, quentes e espessas carregadas de dor agridoce. Frank voltou a olhá-la e ela abriu os olhos, secou o rosto usando os dedos e suspirou longamente. Respirou fundo e sentou-se ao lado de Frank.

- Eu sei que o ama, sei o quanto ele é importante para você e agora vocês terão um bebê. Nada poderá ser como antes, como é agora. – a jovem olhou para o teto e voltou a olhá-lo. – Eu, apesar de tudo, ainda possuía esperanças de um dia nos casarmos e termos filhos, nossa casa e uma vida simples como qualquer pessoa por aí. Este era o meu conto de fadas. Eu esperei isso, ainda mais depois do nosso noivado.

- Jay, a última coisa que eu queria nesta vida era te machucar de algum modo...

- Frankie, a menos que fôssemos feitos de pedra ou robôs, em qualquer situação ou circunstância, sempre nos machucamos ou nos magoamos de alguma forma. E eu nunca fui enganada por você, só não esperava por esta grande surpresa, ainda mais vinda de Gerard. É uma loucura.

- Sim, é. Mas se tornou a loucura mais linda da minha vida. – Frank sorriu involuntariamente e Jamia fungou, olhando-o.

- Vê? Este é você, eu sabia que ficaria bobo com uma notícia desta e não esperava outro comportamento. Mesmo que tenha imaginado que fosse eu a engravidar, enfim...

- Caralho, que conversa pesada. – ele colocou a cabeça entre as mãos e respirou fundo. Jamia apoiou a mão direita sobre as costas dele. – Eu sabia que seria difícil pra porra, mas está me matando.

- Não se culpe.

- Não estou me culpando. – ele levantou o olhar para ela. – Não sinto a necessidade de pedir desculpas ou perdão até porque sempre tivemos um relacionamento aberto, todos sabiam destas implicações, o risco de acontecer de um lado ou de outro. O fato é que, o momento aqui e agora ficou tenso, pesado de uma forma que não imaginei. Está difícil e estou sofrendo por isso, por você.

- Não sofra em dobro, deixe que cada um sofra o próprio sofrimento. – Jamia parecia exausta. – A criança nada tem a ver com nossas escolhas e merece ser bem recebida.

- Jay, creio que está mais do que claro o quanto tudo mudou a partir de agora. – a voz de Frank saiu baixa, mas firme e Jamia assentiu à afirmação. – Nós não podemos seguir deste modo.

- Eu sei. – o tom foi firme.

- Eu quero dizer que você é uma mulher sensacional e fui altamente privilegiado por compartilhar estes anos com você. Levo comigo tudo de bom de você e com absoluta certeza, passarei estes valores para meu filho. Eu afirmo todo o meu carinho por você e meu desejo de vê-la feliz e realizada.

- Eu também fui privilegiada, você é uma força da natureza, um ser humano maravilhoso, único, autêntico. Agradeço pelas marcas que imprimiu em mim. Me ajudou a ser quem sou.

Os dois se entreolharam e com lágrimas nos olhos se abraçaram fortemente.

- Obrigado, obrigado por tudo! Obrigado por me amar. – Frank dizia entre o choro aberto.

- Eu é quem agradeço. Obrigada por cuidar e me amar. – Jamia o apertava contra si.

Frank e Jamia permaneceram deste modo por tempo imensurável. Era único. Necessitavam exteriorizar a emoção, transparecer os sentimentos, exalar a verdade. Acima de tudo, necessitavam sair daquela sala com a certeza de que, embora não fossem mais um casal, eram pessoas que traçaram uma trajetória linda e repleta de respeito por anos. Aquele momento necessitava estar marcado em suas mentes e coração da única forma que existia. Com verdade, carinho e amor. E foi exatamente assim que aconteceu quando Frank saiu da casa de Jamia. Olhando para o céu, ele acenou para a atual ex noiva e ela retribuiu, ele colocou as mãos no bolso e seguiu pela rua, andando sem preocupação, deixando as  memórias daquela noite irem e virem na sua mente.

Oficialmente, a história com Jamia havia terminado. Já com Gerard, iniciava uma nova fase. Uma extraordinária fase. Frank sorriu e seu coração aqueceu de alegria.

 

O capítulo quatro terminou ;)

 


Notas Finais


Gostaram, lindíneas e lindíneos?
Espero que sim. Não se acanhem, usem a caixinha de comentários para soltar o verbo! :D
Agora, preciso muito da atenção de todos vocês, pois tenho uma indicação a fazer. Já sei que se está aqui é porque gosta deste casal mais perfeito do mundo e com um bebê a tiracolo, então NECESSITO recomendar a leitura da mais nova MPreg da minha linda-miga-madrinha, WantedKilljoy21 ;). Tá aqui ó: https://spiritfanfics.com/historia/house-of-wolves-6955537. LEIA! Está no comecinho, fresquinha!.
E também tem uma completaça: https://spiritfanfics.com/historia/a-second-chance-4636120.
Plots completamente diferentes mas super bem escritos e que vão mexer com você! Me agradeçam depois! ;)
MIL BEIJOCAS ESTALADAS E ATÉ A PRÓXIMA! (Juro que não demorarei tanto, sério) AMO VOCÊS!!!!!!!! <3 <3 <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...