História A Lei do Casamento - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Lee Ji-eun "IU", Personagens Originais, Rap Monster, Suga, Uee, V
Tags Baseado Em Fatos Reais, Bromance Jihope, Bromance Namjin, Bts & Gfriend, Bts Bromance, Bts Iu, Bts Longfic, Bts Shonen-ai, Bts Slash, Casamento, Jikook, Menção Minjoon, Menção Sinrin, Yoongi!topsweek, Yoonseok!flex
Visualizações 56
Palavras 1.978
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, FemmeSlash, Festa, Ficção, Fluffy, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Suspense, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá! Olha a surpresinhaaaa 0/ gostaram? Então resolvi fazer isso como agradecimento por estarem acompanhando e comentando <3 sou um amor não é?, e não se preocupem que terá atualização Segunda :* sou foda 8)

Hoje vocês vão rir do Jimin, mas vão chorar também :') mas um choro pela cena linda :')

BOA LEITURA com lençoes E ATÉ LÁ EMBAIXO

Capítulo 28 - Capítulo 27


Fanfic / Fanfiction A Lei do Casamento - Capítulo 28 - Capítulo 27

Capítulo Anterior (Respire)

Hoseok prometeu pra Hyuna arrumar um parceiro rico para ela

Yujin recebeu visita inesperada de sua mãe.

Jimin passa mal e liga pra Yujin.

*

CAPITULO 27: Apoio

“Por favor, não vá”

 

» ♂♂ ♂♀ ♀♀  «

Durante a noite, Jimin em seu segundo sono da madrugada, delira febril e geme o nome de sua irmã como pedido de ajuda.

–– JiSoo-ah... JiSo... –– Ainda dorme, mas sua inconsciência precisava de ajuda por sentir uma pontada forte de dor no interior direito da barriga. –– Sisteeeer. –– Choraminga. Sonhara com o rosto de sua irmã, sempre que precisava contava com sua ajuda. O que lhe restou fora apenas saudades e dúvidas “Por que você foi embora? Por que você me deixou?”

E finalmente acorda e pega seu celular que ficara no estante ao lado, e disca para numero que o “bug” do seu cérebro a chama como um pedido urgente de socorro. De tanto chamar, finalmente a pessoa atende. –– Jisoo-ah... Me ajude! –– Murmura. 

–– Jimin? –– Yujin, acordada, se levanta por se sentir impressionada e preocupada com esse tom de delírio, de que esteja passando mal. Às 02:30h da manhã, Park Jimin precisa de sua ajuda. Park está consciente de que é Yujin, mas orgulhosamente a chama pelo outro nome, o nome de sua querida e amada irmã, quem sente tanto sua falta.

–– Eu não estou bem, está doendo muito minha barriga. Ji Soo-ah –– Sua voz continua em falhas, mas dessa vez emocionado, tentando segurar o choro.

–– Eu vou aí te buscar. –– Age. Jimin desliga primeiro por se sentir fraco, mas tenta se levantar para se arrumar, não quer entrar no hospital de pijama de pinguins.  Não quer se encontrado por sua inimiga assim, todo mal e comovido como um fraco. Ainda com aquela dor infernal, o fazendo andar inclinado até 45ºC consegue trocar suas roupas por seu próprio estilo, mas dessa vez colocara blusa preta de manga cumprida e gola alta, calça apertada e jaqueta de couro por cima.  Tenta também delinear seus olhos com muito esforço, se vendo pálido em seu reflexo do banheiro. Determinado de ficar lindo mesmo doente borra os olhos acidentalmente e resmunga. A pontada fortalece a dor e desiste de passar delineador. O tempo que levou de colocar suas roupas e um tênis, foi o tempo de Yujin se trocar e pegar a estrada pra poder correr e ajudar Jimin.

Jimin adianta mais o tempo, com muita dificuldade sem parar de resmungar, aperta o elevador. Sabendo que o mesmo está embaixo, decide esperar do que enfrentar escadas e dificultar ainda mais seu tempo e reclamar da dor. É orgulhoso, sabe que Yujin está chegando e mesmo assim não quer esperá-la em sua casa, mesmo que tenha pedido sua ajuda.

Quando ele saiu do elevador pra pegar seu carro, Yujin finalmente aparece e o ajuda a entrar no veículo. Mesmo berrando de dor e tentando rejeitá-la, suas pernas movem para ir junto com ela. Parece uma criança birrenta por causa do susto daquela dolorosa pontada. Park percebe que Yujin chegara muito rápido porque ele enrolou se trocar, escovar os dentes e os cabelos e se maquiar.

Já no hospital, o médico revela para o paciente na maca e acompanhante dele, ao seu lado, de que precisa imediatamente fazer uma cirurgia por conta de apendicite.

–– O guardião precisa assinar. –– Avisa um Dr.

–– Ela não vai assinar –– Protesta Jimin –– Eu assino! –– Yujin segura sua risada por achar graça seu nível de orgulho e arrogância, mesmo doente.

–– Sem guardião pra assinar, não posso te levar pra cirurgia, você quer morrer? –– Adverte médico.

–– Eu assino –– Decide Yujin e pega formulário da enfermeira presente e cumpre sua palavra, mesmo aos berros do Jimin de negar esta ação. E então Jimin é levado para sala de cirurgia, mas no caminho é acompanhado por ela.

–– Espere, espere um pouco –– Implora Jimin para pararem de empurrar a maca, com decisão de quebrar pelo menos um pouco o seu orgulho, tudo pelo medo e insegurança de ficar sozinho. –– Yujin-ah... –– Desentendida, se aproxima e pega sua mão por ver os mesmos estendidos –– Promete, promete que não vai embora? Não me deixe, huh? –– Kim percebe seu desespero assim que com essa maneira de pedir e suas mãos firmes segurando a sua.

–– Está bem –– Promete, mas Park sente que não deixara esperanças de que vai realmente esperá-lo. Os médicos continuam empurrando a maca e Jimin continua berrando.

–– Por favor, não vá! –– E foi com eles, vendo Yujin parada por não poder entrar.

Depois da cirurgia, o paciente Jimin tenta dormir na maca de um quarto VIP - pela insistência do mesmo, já que tem dinheiro. Achando que ficara sozinho, se surpreende ao sentir alguém puxar sua coberta para cobri-lo do frio.

–– Huh! –– Se assusta, mas se alivia por ser Yujin. Se sentindo um pouco desconfortável por se lembrar que implorava pra ficar, vira o rosto e finalmente abre o coração –– Obrigado.

–– Eu não podia te deixar sozinho –– Confessa e senta no sofá do lado.

–– Se quiser ir pra casa... Eu posso me cuidar aqui... Sozinho. –– Yujin sorri bem fraco quase não sendo percebido, pelos seus dramas. –– Depois de todo mal que te fiz...

–– Depois que engravidei, passei a olhar o mundo com amor –– confessa. –– E você ainda é um irmão pra mim. –– Jimin hesita percebendo ser o errado e egoísta. Sim, por mais que tente se livrar disso, esse sentimento de egoísmo ainda permanece nele sem saber até quando. Como se fosse uma cola que precisa arrancar de seu coração. Com dificuldade, ele senta escorando suas costas nos travesseiros, pra olhá-la.

–– Eu... Eu sinto muita falta dela. –– Kim entende que falara de sua irmã. –– Ela sempre me socorria. Ela era a única que sabia que eu era gay e nunca me perguntou nada. –– Ela se impressiona, pois sua melhor amiga nunca contara isso. Respeita segredos dos outros e isso, Yujin compreende, pois faz o mesmo. –– Era como se por eu ser assim fosse coisa mais normal do mundo para ela. –– Seus olhos lacrimejam, está emocionalmente fraco pela saudade e culpa, embora achasse que maior parte da culpa fosse de Yujin –– Por que ela me deixou? –– Finalmente a olha –– Por que ela foi embora assim? Ela não estava com depressão, parecia tão feliz como noiva, ou talvez, parecia ser infeliz demais sendo irmã de um gay. –– Jimin também não sabia que ela estava noiva, somente depois que ela morrera.

–– Não diga isso Jimin-ssi.

–– Se você insiste que não tem nada haver com isso, porque vocês discutiram? Por quê? –– Ela hesita e responde. De fato ele ainda não sabe que estava grávida. Ninguém sabia.

–– Apenas nos desentendemos. Quem não briga?!

–– Qual foi o motivo? –– Seu olhar implora como um coitado. Ela ia dizer, mas com palavras certas para que ele não entenda mal, “Jimin...”, mas é impedida. –– Esquece. Nunca vou entender mesmo.

–– Eu te levo pra casar.

–– Assim que eu peidar? Nem pense em ficar aqui! –– Cruza os braços, emburrado. Não podia levantar sua voz, pois doeria a região costurada e seria desconfortável ela ouvir soltar os gases. –– Obrigado por hoje, mas... Vaza! Quando eu sair eu ligo pro Hoseok, pra me buscar.

–– Me desculpe a pergunta... Ele é seu melhor amigo, não é?

–– Sim, e daí? –– Arqueia sobrancelhas.

–– Não é nada... –– Se levanta pensando que Hoseok ainda não contara que JiSoo estava grávida, e se contasse, talvez Jimin nunca iria comentar pra ela sobre –– Durma bem, huh? –– Com dificuldade, volta a deitar sem vê-la sair do quarto. Pelo desinteresse de ser deixado, ela sai do quarto pra voltar pra casa, ainda no meio da madrugada.

JiSoo aparece sentada no sofá onde estava Yujin pra observar o pensativo de seu irmão mais velho. Continua com cabelos pretos e longos, com o mesmo vestido rosa de tom claro que usara no seu ultimo dia de vida. Está feliz pelos dois estarem juntos novamente, mesmo da pior situação. Está aliviada por não haver discussões e por ele ter pensado nela primeiro pra ser socorrido. Ama os dois e quer vê-los em paz como antes, como irmãos mesmo não sendo de sangue. Então mesmo que ele não a ouça, nina para que ele caia no sono, pra não ter que sofrer com dor da cirurgia.

–– Seureureureureu-seureureu. Gipeul-jameul jalgeoyeyo. Seureureureureu... –– Canta com linda voz de harmonia e amor, fazendo o fechar os olhos sonolentos finalmente se entregando ao sono. 

 

♣♥

Outro dia, Yujin vai à procura do proprietário de seu apartamento para acertar com ele o fim do contrato de aluguel para então se mudar pra outro lugar. Já que o salário dela abaixou um pouco por questão de ser transferida para administração, teme que fique apertada financeiramente, já que seu bebê está crescendo. 

–– Boa tarde –– Cumprimenta ela assim que chega à cabine de administrador de seu proprietário.

–– Até que enfim apareceu, Kim Yu Jin-ssi –– Disse com sorriso agradável. Ela estranha seu bom humor quando se senta.

–– Como o contrato do aluguel está chegando ao fim, vim encerrá-lo. –– Ele franze sobrancelhas.

–– Você quer encerrá-lo? Mas você não pagou mais um ano adiantado?!

–– Eu paguei? –– Estreita os olhos.

–– Sim, aqui no sistema consta que o pagamento está no nome de Kim Yu Jin. –– A professora fica impressionada.

–– Um ano? Que impressionante –– E então em sua mente duvidosa há uma pergunta “quem será?” –– Isso não é um engano?

–– Claro que não. De qualquer forma, vou desconsiderar seu pedido de encerramento –– Sorriu com simpatia. –– É só assinar a renovação –– Oferece pra ela o papel e caneta para mesma assinar e assim ela fez depois de uma longa hesitação.

–– Kamsahamnida –– Agradece com sorriso e hesita na possibilidade de ser seu irmão ou seus pais.

De qualquer maneira, se sente agradecida por alguém de bom coração, pois ao contrário ela estaria arrumando suas mudanças para alguma casa que tenha ao menos conforto para dois: pra ela e seu bebê.

Feliz por alguém ter abençoado-a com o aluguel, entra na loja de roupas para grávidas e caminha diretamente para um manequim, vestida por um conjunto de roupas para grávidas de aproximadamente oito meses. Com a mão livre, toca a barriga da mesma, ansiosa para sentir isso com amor, de sua própria barriga. Não vê a hora de sua barriga crescer e finalmente ter o bebê em seus braços.

 

♂♂

De noite, Hoseok visitando seu amado em seu apartamento, espera o mesmo terminar de tomar banho, para juntos, saírem. Então aproveita o tempo e vai a geladeira comer alguma coisa. Escolhe uma lata de refrigerante e acaba cortando o dedo ao abrir. Deixa a lata na mesa e procura algum adesivo de curativo em alguma gaveta do quarto dele. 

Ao encontrar o que procurava, descobre um papel dobrado, amassado, no mesmo lugar. Aquilo chamou sua atenção porque sente que seja a mesma folha que seu amado amassara e jogado no chão, por ter recebido de Yujin. Apanha a folha e descobre que é rascunho daquele contrato de Yujin, mas o que o decepcionou, foi reconhecer a letra de seu amado na sugestão cinco “Ser compromissada somente à Min Yoongi, sem direito de se casar” e sua assinatura, mesmo não tendo assinatura dela.

–– O que é isso? –– Magoado em descobrir que ainda não a superara e que a quer como amante, começa a sentir raiva dele e de tudo. Como poderia imaginar se não fosse por esses papeis que ainda a quer? Achara que tivesse feito se esquecer dela, acreditando em suas palavras, mas fora enganado. Hoseok não quer deixar nada barato para os dois.

Finalmente, Yoongi sai do banheiro enrolado de toalha na cintura, de cabelos molhados e pingando no chão. Desconfiado em ver seu amado sério e triste, para os passos e o encara.

–– O que é isso? –– Pergunta Hoseok, estendendo a folha aberta –– Você pode me explicar o que isso significa?

O que dizer? Que ele não superou Yujin e quer os dois? O que fazer pra não magoá-lo sendo que já está fazendo?  Como isso vai terminar?

*

 


Notas Finais


Gostaram? Não se esqueçam de comentar >.<

A música que JiSoo cantou pro Jimin (ta marcado na parte, só abrir o link quem quiserem) é da Iu - Kness
https://youtu.be/YqSfxUUKsmQ?t=248 (muito emocionante :') quase chorei) mas essa musica é dos dois.

Obrigado meus amores, até segunda :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...