História A Lenda da Liga de Prata - Capítulo 10


Escrita por: ~ e ~Marisvian

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Magia
Exibições 6
Palavras 1.108
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Poesias, Policial, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Meus queridos,me desculpem,sério.
Essa semana foi muito cheia
Quarto Bimestre tá aí manas.
Mas o que importa é que estou aqui né non?
Então vamos logo p capítulo.

Capítulo 10 - Peach


Fanfic / Fanfiction A Lenda da Liga de Prata - Capítulo 10 - Peach


Felícia estava nervosa.
Nervosa por ter marcado um encontro com Soláris,e ela não tinha a mínima ideia do que dizer ou fazer,só deixaria as coisas tomarem rumo próprio.
A oriental era orgulhosa demais para ter marcado se encontrar com a Sherman no parque da cidade,por isso Noshiko se responsabilizou pela filha.
- Bom dia. - Era sábado de manhã,exatamente nove da manhã,e Felícia não sabia como Soláris conseguia estar sempre linda e bem arrumada em todas as ocasiões.
A Sherman usava um short jeans,uma blusa branca sem mangas com o desenho da armadura do Homem de Ferro na parte da frente e na parte de trás,além das simples sapatilhas em um singelo tom de creme.
— Olá.Sente-se. — A Kyoto chega um pouco para o lado,dando espaço para que a amiga se sentasse,e assim ela fez.
Ambas olhavam para a frente,não tendo coragem de encarar uma a outra.Observavam as crianças que brincavam na área reservada para elas,e o quão pareciam felizes e despreocupadas com a vida fora dali.
— Acho que elas não sabem o quão sortudas são por não terem tantas responsabilidades nas costas. — A voz de Soláris soou de modo tão doloroso,que Felícia teve a enorme vontade de abraçar a amiga e dizer que tudo ficaria bem.
Mas ela não a abraçou.
Por que algo dizia que as coisas não continuariam tão bem quanto estavam.
— Elas merecem ser apenas crianças.É  melhor parte da vida de uma pessoa. — Um sorriso debochado brotou nos lábios da filha de Stephen.
— Algumas pessoas não tiveram a oportunidade de aproveitarem a melhor fase da vida. — Felícia abaixa a cabeça,envergonhada. — Você,Adrien e Benny tiveram a sorte de não terem contato permanente com Zardrec.
— Benny? — O ar de seriedade de Soláris se esvaiu,o que fez com que ela soltasse uma risada. — Por um acaso,vocês...
— Transamos? — Felícia assente. — Não.Ele dormiu na minha casa,mas não chegamos nem a nos beijar.
— Você sente algo por ele? — A Sherman morde o lábio inferior,suspirando.
— É difícil dizer,mas sei que quando estou perto dele,eu me sinto uma pessoa melhor da que eu sou normalmente. — Ela finalmente se vira e encara a oriental,olhando profundamente em seus olhos.
— Você é uma pessoa boa.Lhe conheço muito bem para dizer isso. — Novamente,a Sherman ri.
— Talvez não me conheça tão bem o quanto pensa Felly. — Soláris se levanta,ajeita sua roupa e caminha na direção da saída do parque. — Espero que não esteja mais com raiva de mim.
Felícia sorri e se levanta,estalando os dedos das mãos.
— Não se preocupe,não estou.
— Aliás Felly,amei sua calça. — Ambas riram.
— Vá para o Inferno.
— Eu vivo no Inferno.
E assim,Felícia sentia-se melhor.
Fazer as pazes com Soláris foi revigorador.
Elas eram melhores amigas,não ficariam muito tempo sem se falar.
Se amavam demais para deixar que qualquer besteira atrapalhasse a amizade.
                                                                   

(***)

 
— Vamos Soláris,só mais um soco. — A voz de Gabriel já chegava a irritar a garota,que por fim,deu um soco tão forte no saco de pancadas,que o mesmo chegou a rasgar,soltando toda a areia que estava ali no chão. - Foi bem fraco,precisa treinar se esforçar mais.
— Eu só estou me aquecendo. — O suor descia por todo o corpo dela e o som de sua respiração era alto.
Eles estavam na casa dele,desde às nove e meia da manhã,logo após que Soláris saiu do parque.
Gabriel era um bom professor e sabia muitas coisas,a única coisa que o estragava era seu mau humor permanente.
— Realmente espero,por que se na Grande Batalha você lutar assim,não durará nem cinco minutos em campo. — Mexendo no cabelo,o homem senta-se em uma cadeira de praia,bocejando de puro tédio.
Seria mentira dizer que Soláris não ficou chateada com aquele comentário,mas ela era uma boa controladora de sentimentos e não demonstraria isso nem a contra gosto.
— Foi um bom treino,mas poderia ser bem melhor.Agora,iremos treinar seus poderes. — Se passaram mais duas horas consecutivas de treinos,até que ela finalmente parou para descansar.
— Tudo bem,só me deixe beber um pouco de água. — O professor assente,enquanto a garota se abaixava para pegar sua garrafa,levando-a à boca. — Pronto.
A Sherman se posiciona no meio do jardim da parte de trás da casa,esperando as instruções que seriam dadas por Gabriel.
— Gostaria que começasse com algo mais simples. — A cabeça de Soláris se mexe positivamente,assim que ela vê o professor colocando uma enorme mesa na frente dela,com vários objetos sobre a mesma.
O primeiro objeto que ela viu foi uma xícara,e essa seria a que ela usaria.
Vidrou completamente seus olhos no pequeno objeto de porcelana,que em poucos segundos,começou a levitar sobre a mesa em que estava posto momentos antes.
Telecinese.
— Realmente muito simples.Poderia fazer com algo maior?
E dessa vez,o objeto a ser levitado fora dez livros estudantis,daqueles absurdamente pesados que usamos no quinto ano.
— Se puder me mostrar algo mais complexo... — Um pequeno sorriso brotou nos lábios de Soláris.
Os longos e bem pigmentados cabelos da adolescente começaram a se mover agressivamente,enquanto fechava seus olhos.
Levantando as mãos,ela fez uma espécie de token.
Sua mão direita ficou virada para baixo,enquanto a esquerda ficou virada para cima,tendo um espaço entre elas.E ficou alternando as mãos,direta para cima,esquerda para baixo,e assim foi feito mais cinco vezes,até que ela parou,na posição de mãos inicial.
Uma pequena bola de energia foi formada no espaço entre as mãos.Possuia uma cor arroxeada,com poucas partes em um quase imperceptível prateado.
Soláris fez um movimento com as mãos,que insinuava que jogaria a bola de energia escura para frente,mas ao invés da bolinha ir para longe,ela se tornou uma espécie de corrente.
Com movimentos de mão,braços e pernas bem intercalados,a corrente de energia negra começou a seguir os passos da invocadora.
Quando a jovem abriu os olhos,Gabriel teve um leve receio.
Os olhos da garota já não estavam no habitual azul intenso,já estava em um macabro total branco,não se via nada além da coloração branca,nem mesmo raios de Sol passavam,era somente,aquilo.Um branco opaco.
Obedencendo os movimentos de Soláris,a corrente de energia flutuava como se fosse parte do ar,chegando até Gabriel,envolvendo-o,girando ao redor do professor.
— Eu disse que só estava me aquecendo. — Gabriel só assente,com os braços cruzados.
Em todo o tempo de vida dele,jamais havia visto falar de alguém que fosse digno de carregar o poder de Yin e Yang.Todos os que já haviam dito serem nascido dignos,perderam totalmente a sanidade,levando-os a uma morte lenta e dolorosa.
E ali,na sua frente,ele viu.
Viu a Princesa Herdeira do trono de Zardrec,usurfruir de tal poder de uma forma tão natural,como se Yin e Yang fossem parte dela.
Por um milésimo de segundo,pensou no que Soláris seria capaz de fazer com tamanho poder.
Porque todos sabiam que o poder Yin e Yang era só o começo.
O começo para estar em harmonia com Jinx.


Notas Finais


Até novembro gente!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...