História A Lenda de Finn, O Humano - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hora de Aventura
Tags Hora De Aventura
Exibições 95
Palavras 3.804
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Fantasia, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Super Power, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OlaOla
Aproveitem o cap
E comentem gente, se não eu desanimo

Capítulo 6 - Entre Dormir e Perder Sangue


                               POV FINN ON

                Fui acelerando sem pensar aonde ir, eu não estava nem ai pra essa merda então só acelerei, então vi arvores, eu decidi que era melhor passar na minha casa e na da Marcy para pegar algumas roupas e minhas armas, chegamos bem rápido na minha casa, ela já estava cercada e com caras entrando e saindo com minhas coisa... Foi quando vi mexerem nas minhas espadas, roupas, sapatos, pedras magicas... e na minha toca... MINHA TOCA PORRA!!! Acelerei e deixei a moto fazer barulho eles me viram e começaram a entrar em formação, eu saquei minha espada e fiquei em pé na moto, peguei minha mochila verde e me preparei

 

-Marcy dirigi, vou pegar só o importante

-Finn eu acho que não precisa de tudo isso cara

-A precisa, eles estão mexendo nas minhas coisas, eles pegaram minha toca porra...

-Mas você já ta com um capuz de orelha Finn

-Eu tenho uma longa história com aquela toca vei, e pegaram todos meus itens mágicos, eles não podem ficar com essas coisas

-Então vai rápido Finn, ta na hora de pular

-Falou, já volto vampirinha

-Acaba com eles... Herói

                Ela freou e eu fui arremessado da moto, os guardas levantaram as lanças, eu começo a rodar e corto todas as lanças e pouso pisando na cabeça deles com meu all star, vou pulando de um em um, alguns pulam e tentam me parar mas so dou um soco neles, eu finalmente chego ao lugar aonde estão botando minhas coisas, entre elas tem uma sacola magica, que eu abro e consigo colocar todas as pedras magicas, e a sacola já diminui o tamanho delas, mas ainda faltava roupas e espadas, foi quando alguém atira uma flecha de fogo, que eu pego com a mão, quase que ia na minha orelha, eu olho e vejo parte do exército da Princesa Cachorro Quente, eu nem me preocupo, eles são péssimos em batalha, eles vem me atacar e eu vou batendo neles com uma mão enquanto boto algumas das minhas roupas na mochila, eu levo o máximo delas, eu dou de cara com a mecha de cabelo da Jujuba, estava perdido a algum tempo já... Eu soguei pra trás e bateu na cara de algum guarda, então agora so falta as espadas... Eu dou de cara com um milhão dela, mas so levarei as mais importantes, a espada finn que eu não usava a anos mas era minha então ne, a sangue de demônio, a dourada que já tava comigo, a que tem cabo de madeira, a flamejante... por ultimo encontrei duas espadas memoráveis... A espada de grama que eu perdi quando perdi meu braço... O mago que a fez me deu outra, ele disse que essa eu teria que tomar mais cuidado por que era a ultima e o desenho dessa era melhor que a da última, eu enrolei o bracelete que virava espada num pano.... E quando eu estava indo vejo a espada de Billy... eu não poderia deixa-la aqui.. botei na junto das outras em uma caixa e sai andando, quando eu estava saindo peguei a moto do Billy, eu sai quebrando a garagem, e mais guardas apareceram, eu peguei uma das espadas aleatoriamente, veio a espada Finn, eu me senti conectado com ela, eu cortei e me movi com mais facilidade, abri passagem fácil, mas no meio do caminho apareceu um robô rosa, tive que parar na hora, os guardas fizeram uma roda gigante, do peito do robô abriu uma tela e era Jujuba

 

-Oi Jujuba, veio me visita, eu ficaria e serviria um chá mas to de saída viu

-Finn eu estou pedindo que se entregue

-Não rola... Fala um número de 1 s 7

-6 por que?

-So um segundo- Abri a maleta de espadas e contei... A 6 espada era a de grama

                Eu olhei para a braçadeira e pensei bem no que ia fazer.... Eu deixei ela escolher e uma hora ou outra eu teria que colocar no pulso mesmo, eu levantei da moto, joguei meu capuz de orelhinhas para trás e botei a toca de orelha, eu deixei parte do meu cabelo pra fora, olhei na tela que refletia minha cara, tem bem mais estilo do que quando eu era garoto, eu olhei pra braçadeira e respirei fundo... a coloquei lentamente, quando a coloquei ela começa a mudar de cor, ela se torna branca com um desenho de folha verde, eu sinto alguma coisa entrando na minha pele, faz cosquinha.... Mas quando percebo são raízes... não machucaa e do nada paro de senti-las... olho e vejo e folha brilhando, ergo minha mão com a braçadeira e vejo a espada se formando, eu esperava a espada verde mas ela se transforma em uma katana com uma lamina prateada e alguns detalhes de folha por toda a lamina, com o cabo verde, agora o cabo era de duas mãos, eu seguro e a olho, aparece uma mensagem na espada, uma mensagem do mago da grama “Esta espada é um presente para aquele herói que aprecia a verdadeira arte de lutar com honra, que seus sonhos dem a força para sua lamina e sua honra dem a lamina mais fina e precisa...” E a mensagem some... So tenho a agradecer a ele, eu entro em posição e olho pro robô

 

-Jujuba você esta dentro dessa tranqueira gigante?

-Sim por que?

-Eu vou te dizer pra sair dai mas ai não ia ter graça

-Como?

                Eu movi a lamina em direção ao robô, comecei a me mover rápido e cortei o robô ao meio, eu soltei de volta a moto, eu abaixei a espada e senti sua leveza, ela era bem leve, eu a guardei e esperei, o robô se desmontou e Jujuba estava mesmo la dentro, so que eu cortei bem até de mais, parte da roupa dela foi cortada, a parte de cima do vestido ia caindo, subi na moto e cheguei a tempo, dei um lacinho na parte de trás transformando o vestido num tomara que caia

 

-Você pode não me querer como herói, mas eu ainda tenho respeito viu...- E sai em disparada

                Alguns guardas pensaram em me seguir mas já era tarde, olhei e vi Marcy em pé batendo o pé e com os braços cruzados, eu cheguei perto e quase deixei minha mochila cair, ela simplesmente me deu um soco, eu olhei tentando pensar o que tava rolando, ela subiu na outra moto e falou pra irmos na casa dela, então acelerou, eu estava com um certo peso nas costas então tava difícil acompanhar, mas quando eu cheguei perto ela nem olhou direito na minha cara... Eu sei que vai dar merda mas vou tentar ne vei...

 

-Tudo bem Marcy

-Está ótimo Finn

-Marcy?

-FALA!!

-Calma... Oque ta erado? Eu fiz alguma coisa?

-FEZ SIM!

-Oque?!

-Falou com a Jujuba, e eu ouvi

-E eu falei alguma coisa errada?

-Se falou alguma coisa errada?!?!

                Ela acelerou e nem olhou pra trás, então finalmente vimos a caverna, e claro, cheio de guardas na entrada, Marcy parou a moto e saiu flutuando, eu segurei ela pela mão e olhei em seus olhos vermelhos, ela soltou um rugido monstruoso mostrando as presas... Mas nem mudei minha cara, ela me olhou assustada pela minha falta de reação

 

-Marcy, me promete que não vai matar ninguém

-Não vou prometer nada- Ela se solta do meu braço e sai voando

                Ela voou o mais alto possível e de lá vi ela invocar o machado dela, e de repente ela solta o corpo dela, ela começa a cair em queda livre e se prepara pra bater com tudo no chão com o machado, então apenas escuto a som do impacto que faz guardas voarem de um lado para o outro, e começo a ir até lá e de longe vejo Marcy atacando guardas sem parar, um voa para perto de mim e vejo que ela está batendo com a parte sem lamina do machado, mas está realmente batendo pra derrubar eles, eu me aproximo e vejo que são muitos guardas, procuro ver Marcy no meio de tudo aquilo, procuro de um lado pro outro até que noto um vulto passando, som seus cabelos negros e seus olhos vermelhos, ela se movia tão rápida que parte do brilho de seu olhar não a acompanhava, eu estava tão deslumbrado que não notei quando ela me empurrou pra dentro da cavernam, ela anotou um bilhetinho que grudou na minha testa “Veja se não a ninguém dentro da casa, se tiver o massacre!!” Eu fui entrando e tinha alguns caras, saquei minha espada de grama e eles se assustaram, abri porta pra porta, 3 deles passaram, ficaram 3, um deles veio me atacar quando ataquei ele com a parte sem corte, eu bati direto na nuca dele, os outros dois vieram com espadas grandes, eu as quebrei em  4 pedaços, então os joguei pra fora pela porta, eu ouvi passos no segundo andar, subi e quando cheguei tinha um guarda segurando o Hambo, eu mataria ele pra poupá-lo da dor, mas ele também estava mexendo nas calcinhas dela... Eu puxei uma cadeira e me sentei com o apoio das costas na frente, ele ia sacar a espada quando eu fiz um gesto de “Espera ai” Ele me olhou com medo, eu ouvi os paços na escada, ele começou a suar, ele ia pular pela janela quando chutei o guarda-roupa pra fechar a passagem, ele jogou pra mim, eu apenas devolvi pra ele, e ai Marcy entrou... Ela olhou pra ele, ela não esboçou reação, o cara tava com uma cara de morri, eu tentei permanecer serio, Marcy andou lentamente até o cara, pegou o Hambo e o entregou pra mim, então ela se virou já com os olhos todos vermelhos e começou a virar um demônio, o cara começou a se aproximar do cara, que já estava quase desmaiado, ai ela so o pega como se fosse so um brinquedinho começa a rugir como se fosse engolilo, ele desmaiou na hora, ela o arremessou pela janela, ela ficou pequena de novo e me encarou, ainda com raiva

 

-Pode sair do quarto Finn?

-Por que?

-Vou arrumar minha mala e tomar um banho

-Ok vou ficar la em baixo esperando...

 

                Fiquei la olhando pela janela os caras começaram a se reagrupar e sair aos poucos, eles começaram a fazer uma organização e se arrumaram em fila reta, so faziam isso quando princesas apareciam, eu sai com a espada flamejante na mão, me sento na escada esperando, e la no fundo vejo as princesas sendo seguidas por algum cara que se escondia de baixo de uma roupa toda preta... Quando elas chegam vejo 5 princesas contando com Jujuba, que já estava com outro vestido...

 

-Oi princesas

-Finn saia da frente, isso é uma ordem

-Vocês sabem minha resposta

-Finn não vinhemos discutir e nem lutar com você, vimos ver Marceline

-Piorou o caso, ela ta meio irritada- Foi quando um sabonete bate na minha cabeça- Viram isso? Ela ta indignada comigo

-Finn, saia da frente ou vai se machucar

-Queria saber quem era o cara atrás de vocês de qualquer jeito mesmo- Eu tiro a espada que já começa a pegar fogo

-Finn te apresentamos um caçador de demônios profissional

-Ola

-Como vai garoto- Ele falou com uma voz roca- Preciso ser rápido por que meus filhos estão no carro

-A você é pai? Po cara eu te diria pra tu voltar mas imagino que elas tenham pago adiantado

-Sim, vim so finalizar a vampira- Ele saca uma besta com estacas de madeira, ele pega todas e derrama água...

-Deixa eu adivinhar... Água benta?

-Errou, suco de alho benzido

-KRALEO, Você veio realmente pra matar... MARCYYY- Gritei

-Fala Finn- Ela aparece na janela so de toalha quase mostrando os peitos

-Em primeiro lugar para de se exibir com esses peitões, e dois, esse cara ta afim de te matar

-A eu to me arrumando, resolve que jaja eu saio

-Mas jaja amanhece Marcy

-A então vamos dormir aqui? So hoje, por favor vai

-Tá, vou resolver isso e já entro

-Ok, Beijos humano

-Beijos vampira

                O cara começa andar na minha direção e saca uma espada, eu começo a andar na direção dele, eu so tenho que derrubar ele o mais rápido possível... Eu me movo com velocidade máxima na direção dele, e ele vem com tudo, batemos as espadas e um grande impacto ecoa em toda a caverna, começamos a trocar ataque, ele desvia com mortais e movimentos incríveis, eu desvio sempre por pouco, começo a me mover mais rápido, então a espada dele começa a derreter, ele aponta a besta pra minha cara, ele esta preste a atirar...

 

-Não o machuque- Jujuba grita

                Ele atira mas desviando o olhar, e nesse momento corto a estaca e me aproximo, ele em um segundo pega uma bombinha na mão dele. Ele joga na minha direção e explode em uma fumaça que cobre tudo, em saio rápido de la e vejo ele que estava apenas esperando eu sair de lá, ele começa a tirar com a besta, consegue me fazer alguns machucados, eu faço um movimento com a espada e lanço uma rajada de fogo em formato de meia lua, ele pega um frasco de alguma coisa e joga, o fogo congela, eu fiquei surpreso e cai, e antes dele se mover pra me atacar eu levanto as mãos...

 

-Eu tenho uma pergunta rápida

-Garoto estou com preça...

-Isso que acabou de jogar... Aonde você achou, comprou ou sei la...

-Eu mesmo fiz garoto, é uma magia so minha

-Produz pra vender?

-Claro garoto, tenho que ganhar a vida, as pessoas usam pra todo tipo de coisa...

-Quero comprar algumas...

-Que tal assim, se você vencer te dou uma dúzia de graça...

-Feito...

-Podemos continuar agora?

-Com certeza...

                Ele do nada saca mais uma besta, então começa a atirar, eu seguro a espada de fogo em apenas uma mão e invoco a espada de grama que surge na minha outra mão, começo a correr em direção as estacas e a corta-las, ele começa a se mover para os lados e a jogar bombas, mas as estavas acabam e ele saca uma espada que tem a base normal e em cima tem uma cruz, é bem estranha a espada, então ele parte para o ataque, eu guardo a espada de fogo e vou pra cima com tudo de novo, eu me movo rápido de novo, e uma brisa ecoa na caverna, eu sinto ela, e muitos morcegos também, eles começam a ir em direção a saída, contra o matador de demônios e as princesas, mas eles nem encostam em mim, me movo rápido e em um piscar de olhos estou com a espada perto do assassino, quando os morcegos terminam de sair as paredes brilham num tom cinza, eu estou com a espada bem proxima ao pescoço do assassino, e as princesas estão com uma cara de frustradas

 

-Eai garoto, como ta a cara delas?

-De frustradas...

-Tão com cara de que querem reembolso

-Querem nada, eu avisei que não tinha

-E eu queria saber como vai ficar os 12 frascos- Falei afastando a espada dele e a guardando

-Eu te dou eles agora, nem imagino oque quer com uma coisa dessas...

-Pretendo congelar o inferno com elas...

-Gostei garoto

                Ele me entregou os frascos de bom grado e saiu, cumprimentou as princesas que entenderam a situação dele, eu fiquei lá encarando elas, jujuba não expressava reação alguma, as outras quatro sorriam, eu não entendi o sorriso e me virei...

 

-Você ainda é um herói não é finn- Uma das princesas falou

-Sou sim... por que?

-Por nada, so para garantir que não tínhamos que nos preucupar

-Verdade?- Dou um sorriso de canto e continuo andando

-Finn- Jujuba da um passa para a frente- Eu ainda o quero como meu Rei...

-Jujuba... Você sabe que isso não vai acontecer, eu já fiz minha escolha, eu escolhei quem eu amo

-Eu sei mas... Eu não desisti... Vou te trazer de volta

                Eu não olhei para trás e entrei dentro da casa, eu não queria mais assunto, fechei a porta e cai no chão na mesma hora, eu estava exausto da luta, venci mas me machuquei muito, não havia como eu aguentar aquele tanto de estacas, estava quase desmaiando quando vejo Marcy descendo as escadas, ela levanta meu rosto e me beija, eu continuo acordado, ela me deita no sofá e tira toda minha roupa, ela começa a me lamber e me sinto melhor, a vejo pegando minha sacola de pedras magicas, ela pega a cinza de paralisia, eu estava quase saindo quando ela a coloca em minha testa... E eu fico paralisado, ela lambe os próprios lábios e chega bem do meu ladinho e sussurra

 

-Vin... gan... ça- Ela começa a lamber minha orelha e passar as unhas com leveza entre meu rosto, então ela começa a mexer na mecha do meu cabelo e a dar leves mordidas em minha orelha, ela começa a descer e chega na minha blusa, ela a tira lentamente de mim eu já estou sem camisa e ela começa ca me lamber todo, então sinto ela segurando minha mão, ela a aperta muito, ela sai de cima de mim e vai para o canto, ela tira a pedra de minha cabeça e se senta bem no cantinho...

 

-Finn, eu preciso ir dormir...

-Mas oque foi isso agora então?

-Eu estava... Perdendo o controle e decidi parar, não quero te machucar

-Marcy... Eu não tenho medo do que pode acontecer

-Mas eu tenho, eu posso te matar sem querer

                Eu me levando e vou ate ela, pego uma faca e a aponto para meu peitoral

-Se eu tivesse medo de perder um pouco de sangue com qualquer coisa eu não teria virado herói e não teria me apaixonado por você

-Mas se apaixonar não tem nada haver com perder sangue

-Eu sei... Mas ti faz feliz beber do meu sangue?

-Se me faz feliz? Que droga de pergunta é essa Finn

-So responde

-Sim me faz feliz, me faz sentir como se a única coisa que importasse fosse eu e você...

-E quando foi que descobriu que meu sangue era bom?

-Foi a primeira vez que senti seu cheiro e vi que você era único

-Único Humano?

-Sim... Quer dizer, não, mais ou menos, é que você é mais que isso pra mim entende...

-Oque eu sou então?

-Você é... A primeira e a ultima vez que vou me apaixonar...

-Não entendi- eu falei me deitando na perna dela, eu brincava com os cabelos dela e ela nos meus

-Um vampiro so se apaixona uma vez, Não importa pelo que ou quem seja, será para sempre, eu achei que já havia me apaixonado antes por outras coisas, mas quando notei estava apaixonado por um garoto, foi o amor mais ilógico em meus milhares de anos

-Pelo que você achou ter se apaixonado antes?

-Muitas coisas, mas lembro da primeira e da penúltima

-Primeira...

-Foi Simon... Ele era como um pai por mim, e eu o amo mas não o amor de vampiro, é mais um amor de agradecimento...

-Profundo, e a penúltima

-Achei que era Ash, mas era so uma mentira pra eu ter como passar o tempo, e que deu muito errado

-E doeu muito quando descobriu que não era amor?

-Muito...

-Mas e agora? Qual a diferença? Por que sabe que eu sou o seu ultimo

-Por que não importa oque esteja acontecendo, por sua causa eu não consigo me controlar direito mais, nem pensar, ainda mais quando você esta em perigo...

-Eu não sabia... Mas acho que não precisa se preocupar comigo, sei me cuidar

-Eu sei disso idiota, mas eu ainda sinto medo

                Então vejo seus olhos rubros ficarem com um brilho mais claro... Ela olha nos meus olhos e vejo que tem um reflexo azul nos dela, ela esta com as bochechas coradas, e eu não paro de encarar seus lábios, que agora cinzentos com algumas gotas de sangue por algum motivo me atraem, eu deitado nas pernas dela começo a me levantar mas já indo em direção a ela, ela não recua então encostos nossos lábios, que se encontram eu um toque suave, eu me movo um pouco e começo a morder os lábios dela, e os puxo lentamente, ela solta um sorriso e quando eu largo os lábios dela ela morde os meus, eu sinto o sangue escorrendo, ele quase caia quando Marcy finalmente passa a língua, então me levanto e estendo a mão pra ela, ela segura e começa a levitar, eu a levo até o sofá, mas ela se nega, começa a me puxar para o quarto, chegando lá ela para de flutuar e tira minha blusa, ela se deita na cama e me chama, eu deito ao lado dela e fico la esperando...

 

-Finn, eu posso... Tomar um pouco do seu sangue?- Ela fala corada e escondendo a cara entre o cabelo

-Pode sim

-Finn se eu perder o controle você pode me bater com força..- Eu peguei no queixo dela e me aproximei

-Eu confio em você...

                Ela da um leve sorriso e me beija, se afasta lentamente, eu aproveito para tirar a roupa dela ela ficou so de sutiã, mas eu não queria ele ali, eu envoquei a espada de grama no meu pulso cortei o sutiã, o joguei na parede, em seguida jogo a espada que segura ele na parede, Marcy olha pra mim com uma cara de “Exibido....” Eu dou uma risada leve, ela olha pra mim com insegurança, eu tiro meu cabelo de cima do pescoço e ofereço pra ela, ela vem lentamente e o morde com carinho, eu solto um gemido abafado, ela começa a sugar lentamente meu sangue, ela começa a enfiar as unhas nas minhas costas, ela arranha mas sem deixar sangrar... Eu começo a abrasa-la com um dos braços, enquanto a outra mão entra por dentro de sua calcinha, começo a brincar com seu clitóris, ela tentava gemer mas estava muito ocupada, passamos horas ali, ela já estava ficando com as pernas dormentes, ela envolve a perna dela entre as minhas, finalmente me sinto cansado, ela nota e começa a tentar se separar mas não consegue... Eu tiro minha mão de seu íntimo, e chupo meus dedos para limpá-los, então começo a fazer cafune nela, que se assusta e fica sem entender... Então eu sussurro

-Vai ficar tudo bem... Não se preocupe....- Falo sem parar o cafune- Eu sei que é difícil pra você, eu vou descansar e quando você quiser parar eu vou estar te esperando, quero que me abrace e durma comigo....           

                E aos poucos começo a perder a consciência, sinto meu corpo mais leve, me sinto meio tonto, até que não aguento e desmaio....


Notas Finais


Obrigado por ler e comenteeeeem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...