História A lenda de Godshin - interativa. - Capítulo 9


Escrita por: ~, ~Marinilton e ~Pokemaniac97

Postado
Categorias Pokémon
Tags Drama, Interativa, Pesado, Pikachu, Pokémon, Pokémons, Romance, Sangrento, Yaoi, Yuri
Visualizações 37
Palavras 9.798
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, FemmeSlash, Ficção, Harem, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Super Power, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Agradecimento especial ao Anttonny por dar uma ajudinha nesse capítulo, ele possui uma fic, que deixarei o link nas notas finais por não ser permitido aqui.

Espero que curtam, e antes que eu me esqueça, não sei se terá um capítulo do Chronicles essa semana, por eu achar que não há nada que precise ser mais detalhado no capítulo de hoje, mas caso tenha alguma sugestão, avisem-me. ^^

Capítulo 9 - Ataque surpresa! A noite de confusões


Fanfic / Fanfiction A lenda de Godshin - interativa. - Capítulo 9 - Ataque surpresa! A noite de confusões

19/03/2017 - 07:00PM

Mark Kross - Rota 1

— Magikarp, vamos tentar de novo. Pule! — Disse Mark, se dirigindo ao Pokémon que se encontrava a sua frente, deitado ao chão e aguardando suas ordens.

. — Karp. — Disse seu pokemon, que já estava ofegante do treinamento excessivo.

 

Ele realiza o que lhe foi pedido. Ele se prepara, juntando o máximo de energia e pressão que pôde, para então liberar tudo em mais um salto.

Seu corpo ganha altitude no ar, levantando se do solo e chegando a alcançar a altura de uma das árvores ali presente. Depois de chegar ao ápice, acaba perdendo força e desce em queda livre, tocando o chão logo em seguida.

 

— A altura do salto foi de 6,42 Metros. — Anunciou Cyber.

— Parabéns Nylo, foi um novo recorde! Mas não acho que isso será o suficiente para vencer. — Disse Mark.

 

Após ouvir aquilo, Mark senta-se ao solo gramado, perto de seu Magikarp. As suas costas encostam-se em uma das árvores e ele respira fundo, buscando encher seus pulmões com o ar fresco do local. Já que o mesmo estava ali naquele local, junto a seu pokemon por horas em treinamento.

 

— Magikarp karp. — Disse seu pokemon, que se debatia sem parar no chão.

— Ele quer treinar mais. — Traduziu Cyber.

 

Ouvindo isso, Mark apenas sorri para seu Magikarp, aninhando-o no colo em seguida como que para parabenizá-lo por sua persistência .

 

— Você não está cansado? — Perguntou Mark.

 

Não houve resposta, o Pokémon apenas continuou a se debater, como sempre faz.

 

— Mark, o torneio começará em uma hora. — Alerta Cyber, apressando ao garoto.

— Eu sei disso, mas não estou pronto ainda. — Disse Mark acariciando ao seu Magikarp.

— Magikarp. — Respondeu seu pokemon.

 

Cyber aproximou-se de Mark, ao ouvir o que o Magikarp tinha acabado de dizer.

 

— Ele disse que está pronto. — Disse Cyber.

— Tem certeza? — Pergunta Mark um tanto incerto, ainda acariciando a pele escamosa do Pokémon no seu colo.

— Magikarp. — Respondeu o pokemon.

— Absoluta. — Traduz Cyber.

 

Mark sequer imaginava que próximo a ele, escondia-se atrás de uma árvore um garoto de cabelos verdes que estava a observar tudo, todo o treinamento que acabara de fazer. Assim como Mark, o garoto possuía um Porygon e um Magikarp.

Durante suas observações também anotava tudo que acabara de ver sobre Mark durante o seu treinamento.


 

— Certo, esse foi o último. Você observou bem os seus movimentos, né Magikarp? — Perguntou o garoto.

— Magikarp. — Disse o pokemon, como se estivesse afirmando.

— Ótimo, Porygon use o Sharpen e nos tire daqui. — Disse o garoto, olhando para seu Porygon.

— Porygon. — Disse seu pokemon, que começou a aumentar de tamanho.

 

Enquanto o Porygon estava crescendo, o garoto recolheu seu Magikarp para a pokebola.

Mark que não havia percebido nada até então, leva um susto pela reação escandalosa que Cyber teve, onde o mesmo olhou desesperadamente para o meio das árvores a sua frente.

 

— Cyber o que foi? — Perguntou Mark.

— Alguém está por aqui, eu estou sentindo uma estranha energia vindo dali. — Disse Cyber, olhando para a direção das árvores.

— O que? Quem está aí?! — Gritou Mark.

 

O garoto que estava escondido na sombra das árvores, assusta-se ao ouvir o chamado de Mark. Percebendo que sua presença foi notada, todos os pelos de seu corpo se arrepiam.

 

— Droga! Porygon acelera ai. — Disse o garoto.

 

O Porygon que ainda estava em processo de crescimento, não emite nenhuma reação, continuando apenas o seu trabalho.

Mark se levanta e segue rapidamente em direção ao local que Cyber apontou, com o Nylo em seu colo e Cyber seguindo-o. Ao chegar no local, o outro garoto leva o maior susto, emitindo um grito, como se tivesse sido surpreendido por um monstro.

 

— Desculpa! — Gritou o garoto na defensiva, colocando os braços sobre o rosto, como se quisesse esconder sua face.

— Quem é você? — Perguntou Mark confuso. Fitando o Porygon gigante, que adquiriu seu tamanho graças ao Sharpen, na sua frente.

 

Levado pelo nervosismo o garoto começa a se explicar:

 

— Meu nome é Mack, eu sou um participante do festival de Magikarp como você. — Disse ele rapidamente, fazendo com que Mark não entendesse nada do que ele disse.

— Repita o que disse, devagar por favor. — Disse Mark, com os braços nas costas, não dando a mínima.

— Meu nome é Mack, e assim como você eu sou um participante do festival de Magikarp. — Disse ele, acalmando-se.

 

Mark ignorou a preocupação do garoto, que deveria ter a sua idade e seguiu até o Porygon em sua frente.

 

— Nossa, você também tem um Porygon. — Disse Mark, acariciando o pokemon.

— Porygon. — Disse o pokemon, sem emitir nenhum tipo de emoção.

 

Vendo que Mark não estava com nenhum tipo de raiva, Mack acalmou-se de vez.

 

— A propósito, meu nome é Mark, e esse em meu colo é o Nylo. — Disse ele, virando-se para o outro, só agora percebendo que não havia se apresentado.

— E meu nome é Cyber. — Disse ele, que começou a levitar ao redor de Mack.

 

Dando uma risada ao ver como que Cyber parecia ser divertido, o garoto pergunta:

 

— Como que esse Porygon fala? — Perguntou Mack, acariciando o pokemon e vendo-o reagir carinhosamente.

— Não é só a fala. — Disse Cyber, feliz por receber aquele carinho.

— Meu Cyber também é capaz de emitir emoções. — Disse Mark.

— Nossa! Isso é incrível. — Disse Mack.

 

Mark parou de acariciar o Porygon de Mack, caminhando até o mesmo.

 

— Parece que seremos rivais então. — Disse Mark.

— Sim, mas esquece isso por enquanto e me explica como você fez para ter um Porygon tão incrível. — Disse Mack.

— Não foi nada, eu o ganhei da minha irmã e no começo ele era exatamente como o seu. — Disse Mark.

— Mas Mark é o filho do dono da corporação Silph, eles acrescentaram em mim um sistema de fala e também me deram emoções artificiais. — Completa Cyber.

— Artificiais? — Perguntou Mack.

— É complicado explicar, mas em resumo: ele não sente nada de verdade, ele apenas consegue fingir que sente. Somente um PorygonZ consegue sentir emoções. — Disse Mark.

 

Parando de acariciar Cyber, Mack caminhou até seu Porygon.

 

— Que triste, mas existe algo que me chamou mais atenção. — Disse Mack, que ficou parado de frente para o seu Porygon.

— O quê...? — Perguntou Mark.

— Você é o filho desaparecido do dono da Silph, isso significa que é você que está em todos os cartazes da cidade de Saffron. — Disse Mack.

 

Ao ouvir aquilo, Mark sentiu seu coração falhar uma batida.

 

— O que? Espera ai, você pode me confirmar isso? — Perguntou Mark, começando a ficar trêmulo.

— Claro, afinal eu venho da cidade de Celadon. Eu possuo um Porygon porque eu sou filho do dono da Game Corner e para vir para cá eu peguei o transporte da cidade de Saffron. — Disse Mack.

 

Sentindo-se sem reação, Cyber foi para perto de seu treinador para tentar acalmá-lo, onde Mark apenas o abraçou de volta, junto ao seu Magikarp que também estava ali.

 

— Bom, acho que voltarei para o local do torneio. Você parece ser um cara legal, mas eu não mexeria com os caras da Silph. Afinal eles são bem poderosos, se eu fosse você, começaria a treinar pesado pois se livrar deles não será fácil. — Disse Mack, montando em seu Porygon

 

Apenas abaixando a cabeça, Mark transmitia medo, lembrando-se de todo o sacrifício de sua irmã e tudo que passou para chegar alí.

 

— Te vejo depois, desculpe-me se te assustei. Vamos Porygon. — Disse Mack enquanto seu pokemon começava a levitar.

 

Depois de alguns instantes ele desapareceu no ar, deixando Mark ali, completamente confuso.

 

O sacrifício da minha irmã, tudo que eu quero experimentar e que minha irmã deu sua vida para que isso se torne real está próximo de desabar e eu ainda estou no começo da minha jornada. Ainda nem tenho uma insígnia! — Pensou Mark.

 

Cyber vendo Mark parado e pensativo, decidiu afastar-se de seu abraço e olhar em seus olhos.

 

— Ficar pensativo agora não ajuda. — Disse Cyber.

— Eu sei, mas e se eu for pego? Quer dizer, e quando eu tiver que voltar para Saffron para lutar no ginásio? — Perguntou Mark.

— Até lá já estaremos fortes o suficiente. — Garante Cyber.

 

Sem saber o que fazer, Mark decidiu apenas tentar ignorar isso tudo e caminhar de volta para o local do torneio.

 

— Vamos Cyber, é melhor esquecer isso por enquanto. Nylo volte para a pokebola, te chamarei em breve. — Disse Mark, pegando a pokebola em seu bolso.

— Magikarp. — Respondeu seu pokemon.

 

Ele fez a pokebola crescer para o tamanho de seu palmo e recolheu-o, guardando-o em seguida.

 

19/03/2017 - 08:00PM

Festival de Magikarp

 

Havia um gigante campo aberto, com uma arquibancada montada e com um pequeno palco de apresentações. O palco ficava de costas para as árvores da floresta da Rota 1, com um lindo e extenso rio correndo pelas laterais e com a arquibancada de frente para o palco, tendo também a visão do rio na lateral. Todo o show parecia ser bem famoso na região, afinal, havia muita gente reunida sendo que o local era literalmente no meio do nada, e também por aquele não ser o tipo de competição que passava na televisão.

Inclusive a equipe Yan estava ali para assistir, já que os mesmos se depararam com tudo montado enquanto estavam no caminho de Pewter, o que causou uma pequena discussão entre os membros da equipe na arquibancada.

 

— Eu quero chegar na porra da cidade de Pewter logo. — Disse Yan, que relutava enquanto estava sentado com os outros.

— Está escuro Yan, mesmo que continuássemos iríamos acampar. — Disse Hector.

— Sem falar que não é todo dia que temos um show gratuito e clássico dessa região para assistir. — Disse Gary.

 

Lucy continuava de cara emburrada e sem falar com Yan, o que deixava o clima tenso entre os membros do grupo.

 

Maldito. — Pensou Lucy.

Nossa, esses caras são mesmo insuportáveis. — Pensou Yan.

 

Morrendo de raiva, Yan levantou-se daquela arquibancada junto ao Abra que estava sempre em seu ombro, caminhando em direção a floresta. O ato de Yan chamou a atenção dos membros da equipe, que já acostumados com a atitude as vezes infantil dele, o que fez com que todos apenas ignorasse-o, deixando-o partir.

 

— Qual é o problema desse cara? — Perguntou Gary, vendo Yan indo embora.

— Relaxa, apenas assista ao espetáculo. Ele deve estar querendo apenas chamar a atenção de novo. — Disse Hector.

 

Incomodada com todo esse clima, Julie decide tentar mudar de assunto.

 

— Eu sempre me apaixono por todos os Magikarps que vejo aqui. — Disse Julie.

— Verdade né? Você mora aqui pertinho. — Disse Lucy, tentando fazer o mesmo que Julie.

— Sim. — Respondeu Julie, sorrindo para a garota.

 

Enquanto Yan caminhava, retirando-se do local, até no caminho ele se deparar com: Kamui, Prunella e Alex, que estavam um pouco distante, o que acabou fazendo-o mudar de caminho. O trio também vê Yan e reconhecem-o.

 

— Ei gente, aquele ali não é o Yan? — Perguntou Kamui, apontando para ele.

 

Por pouco, parece que eles não perceberam Yan tentando se afastar de propósito.

 

— Sim, mas eu não to a fim de falar com ele não. — Disse Alex.

— Nem eu, esse cara é tão sem graça. Mas se ele está aqui, os outros também estão. — Disse Prunella.

— Tá, então vamos procurá-los. O Richard disse que vai nos encontrar depois. — Disse Kamui.

— E cadê ele? — Perguntou Alex.

— Está dando apoio ao Mark, que está em uma salinha por aí junto com os outros participantes. — Disse Kamui.

— Torracat. — Disse o pokemon de Kamui.

 

O trio então, caminhou em direção a arquibancada, junto ao Torracat que seguia Kamui para todo o lado.

Ao mudar de caminho, Yan com certeza afastou-se do trio, mas não o suficiente para que não escutasse-os falando alto, inclusive, ouvindo o que comentaram sobre ele, fazendo com que o mesmo ficasse com raiva.

 

Qual é o problema das pessoas? — Pensou Yan, enquanto caminhava ainda para sair dali.

 

E com muita raiva, Yan sumiu dali, começando a caminhar agora no meio daquela floresta.

Enquanto isso, no palco principal apareceu Vivian. A mulher foi recebida por vários e vários aplausos da platéia. Toda carismática, Vivian então decidiu começar a apresentação.

 

— Fico feliz por anunciar que estamos em mais um festival de Magikarp, movimento esse que vem tomando bastante força no último ano, e que pra quem não sabe começou apenas como uma brincadeira entre poucos amigos. Mas não estamos aqui para contar histórias não é verdade? Sem mais delongas, eu quero declarar a abertura oficial deste festival. — Disse Vivian.

 

Toda a platéia começou a aplaudir e gritar. O pequeno rio que havia ali começou a se iluminar com umas luzes artificiais, que deixou bem claro toda aquela parte da pista de corrida de Magikarp.

Na plateia: Kamui, Prunella e Alex se encontrava com a outra equipe, onde sentaram-se próximos.

 

— Não esperava encontrá-las aqui. — Disse Prunella, sentando-se ao lado de Lucy e Julie.

— Nem eu, que horas vocês saíram de Viridian? — Perguntou Lucy.

— Saímos cedo, mas ficamos aqui esperando pois o Mark queria participar do festival. — Disse Prunella.

— Ai que ótimo encontrar vocês. — Disse Julie.

— O prazer é todo nosso. — Disse Kamui, dando espaço para o Torracat deitar em seu colo..

— Mark tem um Magikarp? — Perguntou Julie.

— Sim. — Disse Prunella.

— Vai ser ainda mais legal assistir isso então. — Disse Lucy.

 

Alex chegou no ouvido de Kamui, o que levou a assustá-lo de inicio por perceber aquela cabeleira loira se aproximando.

 

— Para de ser exibido. — Sussurrou Alex.

— Me deixa. — Disse Kamui.

— Não estrague o meu Shipp. — Disse Alex.

 

No palco: Vivian logo voltou a chamar atenção, agora com a apresentação dos juízes.

 

— E agora com vocês: eu apresento Misty, líder do ginásio aquático de Cerulean. Ele será uma monitora, a qual irá verificar se não existe nenhum tipo de trapaça e também avaliará mais sobre os pokemons dos participantes durante a segunda etapa. — Disse Vivian.

 

Misty entrou no palco com uma roupa clássica e com um Azurill no colo, o que despejou vários e vários aplausos da platéia.

 

— É um prazer estar participando aqui hoje. — Disse Misty, sentando-se em uma das três cadeiras.

 

Ao ver essa apresentação de Misty da platéia, os membros das equipes ficaram mais atentos nela..

 

— Líder de ginásio? Essa é a chance perfeita de fazer uma pré-avaliação — Disse Kamui.

— Torracat. — Disse o seu pokemon, que estava agora deitado em seu colo.

— Ela é de Cerulean, mas onde fica Cerulean? — Perguntou Alex.

 

Julie puxou o Pokenav em sua bolsa, onde procurou pela cidade de Cerulean.

 

— Uau. — Disse Julie, ao olhar no Pokenav.

— O que foi Julie? — Perguntou Hector.

— Ela será a líder de ginásio da cidade vizinha a Pewter. — Disse Julie.

— Então, enfrentaremos ela depois do Forrest? — Perguntou Gary.

— Exatamente. — Disse Julie.

— Usuários do tipo fogo se fodem né? — Perguntou Kamui.

— Para de palhaçada pois o seu Vulpix é de Alola, o que o torna de tipo gelo. — Disse Prunella.

— Hmm está estudando? — Perguntou Kamui.

— Claro. — Disse Prunella, guardando a sua pokédex de forma que ninguém pudesse ver.

 

Enquanto isso, Richard aproximava-se na arquibancada.

 

— Demorei? — Perguntou Richard, sentando próximo a Kamui.

— Sim. — Disse Kamui.

— Como está o Mark? — Perguntou Prunella.

— Está preparado. — Disse Richard.

 

Enquanto isso no palco: Vivian terminava a apresentação dos juízes.

 

— E junto a Misty, temos a: enfermeira Joy da cidade de Viridian, que decidiu juntar-se a nós nesse torneio. — Disse Vivian.

 

A enfermeira entra, cumprimentando a platéia.

 

— É uma honra estar aqui. — Disse a enfermeira Joy, sentando-se ao lado de Misty.

 

Todos continuavam a aplaudir, e agora para a enfermeira.

 

— E também para finalizar, temos o incrível inventor de todo esse evento: Abram alas para o professor Karp. — Disse Vivian, chamando-o para o palco.

 

O professor entrou no palco, também se apresentando e ficando próximo a Misty e Sukizo.

 

— Obrigado por aparecerem nesse evento novamente! — Disse o professor.

 

Com todos os juízes prontos, Vivian se prepara para dar início, chamando assim os participantes.

 

— Todos os nossos participante estão preparados, agora podem sair! — Disse Vivian.

 

Os 15 participantes saiam de um sala que havia atrás do palco, posicionando-se de frente para o rio onde todos liberaram seus Magikarps rapidamente. Em seguida, ficaram do lado de fora do palco, mas de frente para a platéia, enquanto os Magikarps se posicionavam no rio. Cada Magikarp tinha um lacinho de uma cor, que indicava o seu treinador.

 

— Vá Nylo. — Disse Mark baixinho e posicionando-se.

 

Logo próximos a ele, os dois garotos em que ele conheceu mais cedo: Mack e César. Ambos também estavam posicionados e ficaram próximos ao Mark.

 

— Vencer vocês novamente será moleza. — Disse César, se vangloriando.

 

Mark olhou para o mesmo, encarando-o.

 

Que ódio desse cara, qual é o problema dele? — Pensou Mark.

— Tira foto que dura mais. — Disse César, que viu Mark encará-lo.

 

Mack logo coloca o braço em volta dos ombros de Mark, trocando de lugar com ele.

 

— Não se irrite com esse cara, ele é uma encrenca que não vale a pena. — Disse Mack.

 

Cyber, que voava ao redor de Mark no momento, apenas concordou. Enquanto todos da platéia voltaram sua atenção para o palco principal assim que Vivian voltou a falar.

 

— Agora o desafio será simples, dos 15 participantes que temos aqui, apenas 4 passarão nessa primeira fase. O objetivo dos treinadores é: que os Magikarp cheguem na linha de chegada, que fica um pouco distante e voltem. Aqueles 4 que chegarem aqui primeiro serão os grandes vencedores da primeira rodada. — Disse Vivian.

 

Na parte de cima daquele palco, é levantado um enorme telão, onde todos observaram que havia uma câmera gravando a linha de chegada, para impedir que um Magikarp volte antes de passar por lá.

 

— Se puderem notar, cada Magikarp possui uma faixa de cor diferente envolto de seu corpo. Isso ajudará a saber quem é quem, e assim que eles partirem só os veremos novamente por esse telão e depois quando voltarem. Agora que todos os Magikarps estão dispostos, começaremos em três segundos. — Disse Vivian.

 

Todos ficaram apreensivos ao ouvir que o torneio começaria, o que deixou Mark focado em olhar para seu Nylo, nervoso com o resultado que isso daria.

 

Eu confio em você Nylo. — Pensou Mark.

 

Vivian começou a apontar com os dedos para cima, pronta para dar o sinal.

 

— Três... — Disse Vivian.

 

Mark, já se mordia de nervosismo neste momento, o que chamou atenção de Cyber.

 

— Dois… — Disse Vivian.

— Tenha calma Mark. — Disse Cyber para ele.

 

Isso de fato relaxou Mark um pouco, mas os segundos ainda passavam como horas alí.

 

— Um. Comecem! — Gritou Vivian.

— Vai Nylo! — Gritou Mark.

— Vai Magikarp! — Gritou Mack.

— Mostre quem é o melhor. — Disse César, serenamente.

 

Os Magikarps saíram em disparado para a linha de chegada. Alguns pulavam para tentar ganhar impulso na água, enquanto outros eram muito lentos e quase não se moviam direito. Nylo por sua vez, era bem veloz e conseguiu pegar vantagem logo no começo.

 

19/03/2017 - 08:20PM

Yan Skar - Rota 1

 

Com muita raiva de todos eles, Yan andava a passos grossos no meio daquela floresta. Andava sem rumo, já que teria que voltar mais tarde para se encontrar com sua equipe. Seu nervosismo acabou afetando Abra, que acordou no susto.

 

Yan, o que está havendo? — Pensou Abra.

Nada, eu apenas nem deveria ter levantado da cama hoje. As pessoas são estranhas. — Pensou Yan.

 

Ao ouvir isso, Abra passou a mão na cabeça de seu treinador, onde acariciou o mesmo.

 

Eu não estou vendo nada, está escuro nessa floresta. — Pensou Abra.

— Nosso amigo dará um jeito nisso. — Disse Yan, colocando a mão no bolso.

 

Ele puxou uma pokebola, fez a mesma ficar maior e liberou seu pokemon.

 

— Charmander char char. — Disse ele ao sair.

— Charmander, preciso da chama em sua cauda. — Disse Yan.

— Char char. — Respondeu seu pokemon.

Ele disse que é um prazer. — Pensou Abra.

— Obrigado, apenas fique perto. — Disse Yan.

 

Ele continuou caminhando sem rumo por um tempo, sentindo natureza e fazendo o possível para não pensar em problemas, o que era inútil.

 

Droga! — Pensou Yan.

O que foi? — Pensou Abra.

Nada me faz parar de pensar nessas coisas, eu não aguento mais. É a Lucy, meus objetivos. Tá tudo uma merda. — Pensou Yan.

 

Abra não disse nada, apenas continuou a acariciar o seu cabelo para tentar acalmá-lo.

Enquanto ainda caminhavam, não se deram conta, mas chegaram na linha de chegada dos Magikarp, onde chamaram atenção de um grupo de duas pessoas que se escondiam ali na floresta.

 

— Droga, quem é esse cara? — Perguntou uma menina loira que se escondia alí.

— Não sei, mas devemos eliminá-lo agora ou ele nos trará problemas quando tentarmos capturar os Magikarp. — Respondeu um cara de cabelos verdes.

— Sendo assim, a hora é agora, os Magikarps chegarão em breve. — Disse ela, saindo do esconderijo junto ao seu parceiro.

 

Ambos posicionaram-se por detrás de Yan, vendo-o caminhar. Já Yan, não percebeu a presença dos dois enquanto continuava a caminhar, o que os fez tomar a decisão de chamar sua atenção.

 

— Ei garotinho! Não sabia que é perigoso andar no meio da floresta a noite sozinho? — Perguntou a mulher.

— E também solitário. — Disse o homem

— Ou até quem sabe, depressivo. — Disse ela.

— Você poderia se encontrar com ladrões. — Disse o cara.

— Ou pior, com a equipe Rocket. — Disse a mulher.

 

Yan arregalou os olhos, assustando-se ao ouvir aquilo, em seguida olhando desesperadamente para trás. Depois de tanto relatos, o nome equipe Rocket não se encaixava muito bem naquela posição para ele.

 

— O que? — Disse Yan, vendo aquelas pessoas com um sorriso maléfico, trajando roupas pretas e com um R no peito..

 

Ambos cessaram as risadas, olhando diretamente em seus olhos.

 

— Prepare-se para a encrenca. — Disse a mulher, apontando o dedo na cara de Yan.

— Encrenca em dobro. — Disse o cara, pegando uma rosa e encostando-se nas costas da mulher.

— Para infectar o mundo com devastação. — Disse a mulher.

— Para apagar as pessoas de todas as nações. — Disse o cara.

— Para denunciar a beleza do amor e da verdade. — Disse a mulher.

— Para estender a nossa ira até as estrelas. — Disse o cara.

— Cassidy. — Disse a mulher.

— Buch. — Disse o cara.

— Somos a equipe Rocket, circulando a terra noite e dia. — Disse Cassidy.

— Renda-se agora mesmo, ou então vai perder a luta. — Disse Buch.

 

O Raticate saiu da pokebola de Cassidy na hora, colocando-se na frente dos dois.

 

— Raticate! — Gritou o pokemon.

 

Por não estar nas melhores condições psicológicas Yan teme em enfrentá-los, algo que conscientemente o mesmo nunca faria.

 

Você não está com medo está? — Pensou Abra.

O que? — Pensou Yan, olhando para Abra

 

O Charmander coloca-se na frente de Yan, querendo defendê-lo

.

— Charmander char. — Disse o pokemon de Yan.

 

Cassidy e Buch caem na risada ao ver a valentia do pokemon, considerando-o inferior.

 

— Você está mesmo achando que vai levar vantagem? Pobre Charmander. — Disse Buch.

— Iremos acabar com vocês, e então? Vão se render ou precisaremos usar da força? Os Magikarps chegarão logo então não temos a noite toda. — Disse Cassidy.

— Você entregou o plano. — Disse Buch.

— Quando acabarmos com eles isso não será um problema. — Disse Cassidy.

 

Yan abaixa a cabeça, enfurecendo-se com aqueles bandidos.

 

Yan acorda, eles são só uns idiotas que fazem poses estranhas na hora de se apresentar. São inferiores a nós. — Pensou Abra.

 

Ouvindo aquilo, é como se Yan despertasse. Onde imediatamente ele olhou para os dois, cerrando os punhos fortemente e acumulando ainda mais ódio.

 

— O chefe vai adorar ter mais um dos pokemons iniciais de Kanto em sua coleção. — Disse Cassidy.

— Eu quero aquele Abra. — Disse Buch, com um sorriso no rosto.

 

Voltando ao normal e começando a agir como o Yan de sempre, ele olha diretamente nos olhos daquelas pessoas.

 

— Quem vocês acham que são? Pessoas que roubam pokemons são tão desprezíveis quanto a merda que sai do cu de vocês. — Disse Yan.

 

Cassidy e Buch deram uma risada ao ouvir aquilo.

 

— Que vulgar. — Disse Buch, debochando dele.

— Calado Bitch, é esse o seu nome não é? — Perguntou Yan, também em deboche.

 

Ao ouvir aquilo, o garoto dos cabelos verdes irritou-se profundamente.

 

— É Buch! Agora você vai ver quem será a puta aqui. — Disse ele, tirando uma pokebola do bolso.

— Avisamos garoto, prepare-se para perder. — Disse Cassidy, enquanto recolhia o seu Raticate e pegava outra pokebola.

 

— Aggron eu escolho você! — Disse Buch, liberando-o.

— Vá Charizard! — Disse Cassidy.

— Vai ser dois contra um? Tudo bem, vá Abra e Charmander. — Disse Yan.

— Gostamos do jogo sujo. — Disse Cassidy, dando uma risada.

— Mas não precisaremos usar aqui, pois será uma luta rápida. — Disse Buch.

— Talvez não dê tempo nem de dar o primeiro suspiro antes do fim disso tudo. — Disse Cassidy.

— Ou quem sabe o primeiro comando? — Perguntou Buch.

 

Abra se teleporta do ombro do Yan para o campo de batalha, ficando ao lado do Charmander.

 

— Vamos acabar com isso logo. Aggron use o pulsação de água no Charmander. — Disse Buch.

— Charizard, arremesso sísmico no Abra. — Disse Cassidy.

O que? Ele sabe um golpe de Água? Isso torna tudo mais interessante. — Pensou Yan.

 

Yan gargalha ao ver ambos os ataques, onde: o Charizard vinha desesperadamente em direção ao Abra, com uma uma bolha de pulsação de água indo na direção do Charmander.

 

— Isso não será o suficiente para me derrotar. Abra, use o proteção, Charmander se esconda atrás do Abra até eu mandar. — Disse Yan.

Por que você não está usando a telepatia? Estamos em clara desvantagem aqui. — Pensou Abra, preparando o ataque.

Não é só você, se eu usar telepatia o Charmander não saberá o que fazer. Eu usarei a telepatia mas apenas depois de armar a minha estratégia. — Pensou Yan.

Eu já estou irritado. — Pensou Abra.

 

Charmander corre para trás do Abra, que usa o proteção e se defende dos ataques dos dois pokemons em última hora.

 

— Minha estratégia já está pronta, Charmander fique atrás do Abra sempre e se mexa apenas quando eu mandar. — Disse Yan.

Já? — Pensou Abra.

 

Charmander concorda com a cabeça, permanecendo parado.

 

— Garoto se renda logo. — Disse Cassidy.

— Está nos cansando. — Disse Buch.

 

Charizard volta a sua posição original, ao lado de Aggron, enquanto ambos os lados apenas se encaram..

 

Certo, eu acabei de pensar em uma estratégia perfeita. Cuide do Charmander, eles podem ser poderosos mas são burros. — Pensou Yan.

Eu acabei de entender, o Charizard vôou nos subestimando, com uma precisão de vôo abaixo da média, enquanto aquele Aggron mais parecia querer me acertar. Eles não estão levando a sério. — Pensou Abra.

Isso será tão fácil que só de pensar já fico entediado. — Pensou Yan.

 

Cassidy aponta na direção de Yan, pronta para dar mais uma ordem.

 

— Charizard, quebre essa defesa usando o seu lança chamas. — Disse Cassidy.

— Aggron, ataque com o garra de metal na primeira abertura. — Disse Buch.

 

Yan dá uma leve risada ao ouvir os comandos.

 

Você viu isso Abra? — Pensou Yan

Sim, Cassidy ordenou indiretamente para o Charizard me atacar, porém Buch não deu essa ordem, só não entendi se foi ou não proposital. — Pensou Abra.

Foi proposital. Nesse caso, isso mostra que eu subestimei os dois por alguns instantes. — Pensou Yan.

 

Charizard e Aggron vão para tentar um ataque. Charizard atira o lança chamas na direção dos dois, enquanto o Aggron continua caminhando para tentar acertar o ataque em Abra e Charmander.

 

Certo Abra, eles acham que eu manterei o proteção como ataque principal, nesse caso, teleporte os dois para cima do Charizard. Eles verão que eu não sou como eles pensam. — Pensou Yan.

 

Abra realiza o teleporte, deixando Charizard desesperado por não vê-los mais e inclusive, fazendo Aggron atacar o chão.

 

— O que? Cadê eles? — Perguntou Buch.

— Teleporte de última hora? Qual é a sua garotinho? — Perguntou Cassidy.

 

Ambos aparecem em cima do Charizard de Cassidy, fazendo o mesmo entrar em desespero por senti-los ali.

 

— O que? Só agora percebi, Como esse Abra fez um movimento sem autorização? — Perguntou Cassidy.

— Quem disse que foi sem? — Perguntou Yan, com um sorriso em seus olhos.

— Não me importa, Charizard dê um giro no ar. — Disse Cassidy, que já estava irritada por ver que esse combate já estava demorando demais para ela.

 

Yan apontou para Charizard, deixando Buch e Cassidy apreensivos com seu próximo movimento, pois estar em cima de Charizard poderia ser uma ameaça.

 

Abra, use o Psíquico e jogue o Charizard no chão. — Pensou Yan.

— Charizard, tire eles ai de cima agora! — Gritou Cassidy.

— Ajude Aggron. — Disse Buch.

 

Quando Aggron escuta esse comando, ele olha para Charizard, em seguida olhando para Buch novamente, indicando que não sabia o que fazer.

 

— Buch, Aggron é pesado e não sabe voar. — Disse Cassidy.

— Mas Cassi… — Disse Buch, sendo interrompido.

— Calado, e vê se fica fora do caminho. — Disse Cassidy.

 

O Charizard começa a rodopiar em alta velocidade, para tentar derrubá-los. No entanto o Abra liberou um forte poder psíquico telecinético, que contornou todo o corpo de Charizard, fazendo-o perder a velocidade fortemente.

 

— Charizard! — Gritou Cassidy.

 

Cada vez mais o poder de Abra ia ficando mais forte sobre o corpo de Charizard, ao mesmo tempo que isso prendia ainda mais Abra e Charmander lá em cima, impedindo-os de cair.

 

Agora. — Pensou Yan.

Claro. — Pensou Abra.

 

Abra faz um esforço enorme, jogando Charizard com tudo no chão e dando muito dano.

 

— Esse Abra com certeza não é normal. — Disse Buch.

— Claro que não, ele é psíquico. — Disse Yan, rindo de leve.

— Vá pro inferno com seus trocadilhos de merda. — Disse Buch.

— Charizard, você está bem? — Perguntou Cassidy.

 

Charizard apenas levantou o rosto para Cassidy, estando meio fraco graças ao último ataque e com Abra em Charmander ainda em cima dele.

 

— Chaaaarrr. — Disse o Charizard.

— Aggron, use o garra de metal agora! Tire aqueles dois ali de cima. — Disse Buch.

— Charmander, use o lança chamas. — Disse Yan.

— Hmm? — Disse Cassidy.

 

Aggron aproximava-se rapidamente para acertar um ataque, mas rapidamente o Charmander mirou um lança chamas no alvo, liberando fortes chamas de sua boca.

Mesmo que Charmander possuísse vantagem graças ao tipo metálico de Aggron, o lança chamas não deu muito dano, já que Aggron vem dos tipos rochosos e que não tomam muito dano com esse ataque.

 

Droga, isso não funciona? — Pensou Yan.

Você subestimou esse Aggron, ele tem um nível alto e além disso é um dos poucos pokemons metálicos que não tomam danos graves do tipo fogo. — Pensou Abra.

Eu me esqueci, use o proteção rápido! — Pensou Yan.

 

Abra estava prestes a usar o proteção, mas antes disso foi atingido com tudo pelo Aggron, tomando muito dano e fazendo com que Charmander e Abra se separassem, saindo de cima do Charizard caído.

 

— Você não vai ganhar espertinho. — Disse Buch.

Isso doeu. — Pensou Abra.

Droga! Ele conseguiu o que queria, ambos tomaram o dano desse garra de metal. — Pensou Yan.

 

Logo Charizard se levanta do chão, com muita raiva daqueles pokemons.

 

— Charizard, arremesso sísmico no Abra. — Disse Cassidy.

— Pulsação de água no Charmander Aggron. — Disse Buch.

— Esses golpes de novo? — Perguntou Yan.

— Não se ache esperto. — Disse Buch.

 

Charizard voa em alta velocidade na direção de Abra, pegando-o pelas garras, enquanto o pulsação de água do Aggron ia em direção ao Charmander.

 

— Charmander, dê uma evasiva rápido! — Gritou Yan.

Abra, teleporte-se. Eu fui lento demais. — Pensou Yan.

Você caiu no mesmo erro deles, sabe que estamos em desvantagem aqui né? — Pensou Abra.

O mesmo erro daquela vez. — Pensou Yan.

 

Há vários anos atrás

— Abra use teleporte! — Gritou Yan.

— Desistiu da telepatia? — Perguntou Sabrina.

 

No meio do ginásio de Saffron, com o pai de Yan assistindo sua batalha: estava os dois irmãos lutando fortemente. Kadabra acerta o ataque confusão, usando a telecinese no Abra de Yan, fazendo com que Abra não realizasse o teleporte.

 

— Cadê aquela sua estratégia? De sempre deixar os outros achando que está perdendo, para entender a estratégia inimiga e dar a volta por cima? — Perguntou Sabrina.

 

Sem saber o que fazer naquela situação, Yan via o seu pokemon preso nas garras telecinéticas de Kadabra.

 

— O que vai fazer Yan? Vai apenas fraquejar? Ou vai me derrotar? Cadê aquele dom especial que você tinha com seu pokemon? A telepatia que você se aproveitava para ter vantagem em todas as batalhas? — Perguntou Sabrina.

 

Kadabra não mexia um músculo, apenas mantinha o seu braço com colher apontado para Abra, mantendo-o parado no ar com o seu poder de confusão.

 

Droga Abra, me desculpa. — Pensou Yan.

Está tudo bem, e vai continuar tudo bem se desistir. — Pensou Abra.

Mas e a nossa reputação? — Pensou Yan.

Um dia superaremos a Sabrina, eu não posso mais batalhar. — Pensou Abra.

 

Hoje

Charmander tenta evadir o ataque, mas o pulsação de água vai forte demais para cima dele. Causando um dano enorme para um Charmander ainda não tão treinado.

 

— Charmander! — Gritou Yan.

Não posso me teleportar, se eu fizer isso eu levo o Charizard junto, já que ele está me tocando com suas garras. — Pensou Abra.

Droga! — Pensou Yan.

 

Cassidy e Buch começam a gargalhar por ver Charmander desmaiado, é quando Yan recolhe-o para a pokebola.

 

Já sei! Teleporte-se junto ao Charizard para a água daquele rio, acabaremos com isso agora. — Pensou Yan.

Mas se eu fizer isso, eu vou causar dano a ele sim, porém meus poderes não funcionam na água, isso inclui a nossa telepatia. — Pensou Abra.

Tente se livrar rápido depois, aquela minha estratégia clássica não poderá ser habilitada nessa luta. — Pensou Yan.

 

Charizard já havia subido muito alto para utilizar o seu arremesso sísmico, ao ponto de Abra quase não ver mais o chão. É quando Abra junta suas forças e teleporta-se para a água do rio, destruindo toda a linha de chegada do concurso de Magikarp e aparecendo no telão do festival.

 

Festival de Magikarp

 

Todos no festival, incluindo: Os treinadores participantes, a arquibancada e os juízes estavam apreensivos. Já havia bastante tempo que a corrida de Magikarp havia começado e os pokemons ainda não haviam chegado na linha de chegada. Ninguém tinha notícia do que poderia estar acontecendo aos Magikarps no caminho, e a demora era compreensível graças ao tamanho do percurso de corrida.

 

— Esse festival estava tão legal, mas agora não está acontecendo nada e isso ta me dando sono. — Disse Hector, tombando a cabeça para trás e fechando os olhos.

 

Quando Gary ouviu Hector dizer isso, ele empurrou a cabeça dele na direção de Julie, fazendo com que o garoto caísse com a cabeça nos seus ombros.

 

— O que? — Disse Julie, vendo Hector deitado e dormindo em seus ombros.

 

Alguns ali começaram a rir, enquanto Julie corava por ver aquilo acontecendo.

 

— Te odeio Hector. — Disse Julie.

— Nossa, eles não dariam um casal perfeito Kamui? — Perguntou Alex enquanto ria.

 

Julie corou ainda mais ao ouvir isso, ficando extremamente tímida e trêmula.

 

— Ah Julie, assume que você ama esses cabelos brancos. — Disse Lucy.

— Parem! — Gritou Julie, fazendo Hector acordar.

— O que? — Disse Hector, levantando a cabeça, olhando para Julie e em seguida corando.

 

Até que todos tomaram um susto, ao ver alguma cena acontecer no telão.

 

— Finalmente esses Magikarps chegaram. — Disse Prunella, antes de se dar conta.

— Espera aí, o que é aquilo? — Perguntou Richard.

 

Sim, uma cena aconteceu no telão, mas não eram os Magikarps. Todos se assustam ao ver um Charizard, com um Abra preso em suas garras aparecer ali do nada, como se fossem teleportados para aquele local.

 

— O que é isso? — Perguntou Vivian, que tomou o maior susto.

 

Toda equipe de Yan lembrou-se que o mesmo estava sozinho na floresta e desesperaram-se ao ver a cena daqueles pokemons na água.

 

— Espera ai, que porra está acontecendo? Onde estão os Magikarps? — Perguntou Kamui.

— Aquele é o Abra do Yan. — Disse Lucy.

— O que? — Disse Gary, levantando-se da arquibancada.

— Lucy você tem certeza? — Perguntou Julie.

— Absoluta, ninguém dessa equipe conhece o Yan mais do que eu, o que ele estaria aprontando? — Perguntou Lucy.

— Precisamos ajudá-lo então, isso não parece ter sido planejado. — Disse Richard.

— Mesmo sendo rivais, precisamos ajudá-los. — Disse Kamui.

 

Ambos presenciam, que os dois pokemons estavam se atacando. Caindo na real então que aquela era uma batalha pokemon, e o tipo de batalha perigosa.

 

— Como chegaremos lá a tempo para ajudar? Eu tenho certeza que aquele pokemon é do Yan. — Disse Lucy.

— Existe algum pokemon aqui com a habilidade de voar? — Perguntou Kamui.

 

Todos se entreolharam, e não encontraram ninguém com um pokemon desse tipo.

 

— Sem isso, jamais conseguiremos chegar lá a tempo. — Disse Kamui.

— Espera, o Cyber. — Disse Richard.

— Isso! O Mark nos contou que ele o carregou de Saffron até aqui não foi? — Perguntou Prunella, colocando a mão no queixo e tentando se lembrar.

— Mas ele só pode carregar um. — Disse Richard.

 

Bravamente, ao ouvi-lo falar isso todos entraram em discussão.

 

— Eu vou. — Disse Gary.

— O que? — Disse Lucy.

— É o meu dever cuidar dessa equipe, mesmo que eu não a comande. — Disse Gary.

 

Lucy foi até Gary, passando a mão no rosto dele.

 

— Ah Gary, tem certeza? É perigoso e esse é o meu dever. — Disse Lucy.

— Não, você não tem certeza. — Disse Hector, colocando-se na frente.

— O que você quer Hector? — Perguntou Gary, triste por Hector estar discordando e por estar livrando-o do carinho de Lucy.

Hector, você nasceu inconveniente? — Pensou Gary.

 

Hector colocou a mão no ombro de Gary, falando e olhando em seus olhos.

 

— Gary, de fato não estou falando com você somente como um membro dessa equipe, mas como o seu amigo. Eu não vou te deixar ir assim, você precisa de mais experiência. É um Charizard! — Disse Hector.

— Alguém aqui tem que ir, eu sou o que tem mais pokemons, consequentemente mais chances. — Disse Gary.

— Ei, eu sou uma membra dessa equipe também. — Disse Lucy.

 

Enquanto todos da equipe, menos Julie estavam discutindo para ver quem ia. Kamui coloca-se na frente.

 

— Nenhum de vocês irá fazer isso. — Disse Kamui.

— O que? O que está fazendo Kamui? — Perguntou Prunella.

— Acordem, enquanto estão discutindo o amigo de vocês está em perigo. — Disse Kamui, que olhou para o telão novamente, vendo o Charizard e o Abra afundando naquela água..

— Kamui, isso não é problema nosso. — Disse Alex.

— É sim, pra começar estamos falando de uma vida em perigo, depois ainda tem o fato de que será um pokemon nosso a fazer isso. — Disse Kamui.

— Você tem razão no fato de que podemos nos intrometer, mas Kamui você só tem um Vulpix de gelo e um Torracat. — Disse Richard.

 

Julie levanta-se, entrando na discussão também.

 

— Richard tem razão, precisamos mandar o mais forte, por isso eu me elimino dessa lista. — Disse Julie.

— Vocês estão subestimando o meu Froakie? — Perguntou Hector.

— Não Hector, mas seu Froakie não poder contra aquilo ali. — Disse Julie.

— Por isso que eu devo ir. — Disse Lucy.

— Pelo que conheço, nem você e nem o Gary devem ir. Vocês dois possuem três pokemons, mas não possuem ainda muita experiência. — Disse Julie.

— Digo o mesmo da minha equipe. Richard ainda é um treinador iniciante embora tenha espírito de liderança, Alex é a mesma coisa, pois ele não treinou direito seu Taillow e nem o seu Mudkip, Prunella é uma treinadora pulso firme mas não sabe desenvolver estratégias… — Disse Kamui, sendo interrompido.

— Ei! — Disse Prunella, irritando-se com o comentário de Kamui.

— E Mark só possui um Magikarp inutilizável agora graças ao torneio e Cyber, que será de grande ajuda, mas que não vencerá sozinho. — Disse Kamui.

 

Richard colocou-se a frente ao ver o comentário de Kamui.

 

— E você? — Perguntou Richard.

 

Kamui soltou uma leve risada, olhando diretamente em seus olhos.

 

— Eu possuo uma arma secreta, que derrotaria qualquer um desse grupo. Ou esqueceu que derrotei Prunella com meu antigo Litten, usando o mínimo da minha força? — Disse Kamui.

 

Yan, Cassidy e Buch

 

Enquanto isso, Charizard se debatia dentro da água, afundando cada vez mais, ao sentir uma dor enorme por todo o seu corpo, Charizard acaba soltando Abra de suas garras.

 

— Seu idiota! Meu Charizard pode morrer dentro da água. — Disse Cassidy, olhando para Yan.

— Aggron, entre lá e ajude o Charizard. — Disse Buch.

 

Abra tentava se teleportar ou falar com Yan, mas a água impedia isso. Enquanto Yan ignorava tudo o que a equipe Rocket falava, fechando os olhos e tentando se concentrar ao máximo na telepatia com Abra.

 

Abra, você está me ouvindo? Me responde, saia da água o mais rápido que puder. — Pensou Yan.

 

Buch foi até o ouvido de Cassidy, enquanto via Yan sem fazer nada.

 

— Eu descobri qual é a desse cara, ele usa da telepatia para se comunicar com o seu pokemon. De alguma forma ele não precisa se comunicar diretamente. — Sussurrou Buch.

— Bem que eu desconfiei, nesse caso, precisamos encerrar essa luta o mais rápido que pudermos e salvar o Charizard. — Disse Cassidy.

 

Aggron pulou dentro da água para tentar ajudar Charizard. O grande pokemon de fogo havia voltado a agarrar Abra, e estava segurando com força o mesmo em suas garras, enquanto ele se debatia muito.

 

— Abra. — Disse o pokemon, se debatendo nas garras de seu inimigo.

— Chaaaaaaaaaaaarrr — Disse o  Charizard.

 

Ao ver Aggron aproximando-se, Abra se desesperou. Charizard junto a Abra estavam ficando sem ar, o que enfraquecia ainda mais ambos. Quando Aggron estava próximo o suficiente de Abra e Charizard, Aggron mandou um garra de metal em Abra, fazendo-o cair no mar, longe das garras de Charizard. Logo depois, Aggron pegou Charizard pelos ombros, levando-o de volta à superfície.

 

— O que está havendo com eles lá embaixo? — Perguntou Buch, enquanto só via Yan com os olhos fechados na sua frente.

— Eu não sei, eu estou preocupada demais com o Charizard. — Disse Cassidy.

 

Yan tentava de todas as formas estabelecer a telepatia com Abra novamente, no entanto nada funcionava. Em seguida, para o desespero de Yan, Aggron e Charizard saíram de dentro do mar.

 

— Aggron! — Disse Buch.

— Charizard! — Disse Cassidy.

 

Enquanto isso, Abra continuava no fundo do oceano, completamente enfraquecido. Sem ar e sem poderes. Abra se enfurece, liberando uma grande quantidade de energia, que fica envolto de seu corpo, transformando-o.

Na superfície, Charizard tentava se recuperar por ter ficado tanto tempo preso na água, enquanto Cassidy e Buch morriam de rir por ver que Yan estava desamparado.

 

— Chegou a hora de passar seus pokemons, pirralho. — Disse Cassidy.

— Logo terá um montão de Magikarp chegando aqui, e capturaremos todas elas também. — Disse Buch.

— O chefe vai nos amar ainda mais. — Disse Cassidy.

 

Yan estava nervoso, mas não se mexia de forma alguma, tentando de todas as formas restabelecer o contato psíquico com Abra.

 

Abra, por favor. Me responda, eu sei que você está vivo, eu posso senti-lo. — Pensou Yan.

 

Vendo que Yan continuou sem se mexer, Cassidy se irritou.

 

— Charizard, pegue ele. — Disse Cassidy.

— Você também Aggron. — Disse Buch.

— Sua telepatia não vai funcionar, de quebra ainda mostraremos que o nosso lema não é em vão. — Disse Cassidy.

— E que a força da equipe Rocket é a solução. — Disse Buch.

 

Desesperado por tentar contatar Abra e não conseguir, Yan abre seus olhos e olha para seus inimigos em sua frente.

 

— Então vocês descobriram meu segredinho? — Perguntou Yan.

— Admita derrota logo, isso é muito mais legal que o seu segredinho. — Disse Buch.

 

Yan não respondeu nada, enquanto via Aggron e Charizard aproximando-se cada vez mais. O mesmo já estava desesperado, por não saber o que fazer.

 

Isso está idêntico a antes. — Pensou Yan, lembrando-se de sua batalha com Sabrina.

 

Yan começou a andar para trás, enquanto via Aggron e Charizard aproximar-se calmamente.

 

“Onde está a sua estratégia?” — Pensou Yan, lembrando-se das palavras de Sabrina.

Yan. — Pensou seu pokemon.

 

Yan levou um susto ao ouvir essa voz em sua cabeça, com seu coração começando a bater desesperadamente.

 

Abra! Eu sabia, eu confio em você. Apareça logo e nos tire daqui, foi um erro meu achar que poderíamos vencê-los, perdemos de novo. — Pensou Yan.

Se eles estão aqui nos atacando, eles estão querendo algo, desistir nos faria entregá-lo. Dessa vez não iremos desistir. — Pensou o pokemon de Yan.

Eles querem os Magikarp, precisaremos de ajuda para enfrentá-los. Venha logo Abra e vamos. — Pensou Yan.

Eu não sou mais seu Abra e eu posso lutar ainda. — Pensou Seu pokemon.

O que? Como assim não é mais o meu Abra? — Pensou Yan.

 

Logo após Yan pensar isso, o pokemon saiu da água levitando, dando um susto em todos ali.

 

— Kadabra! — Disse o pokemon, ao levitar da água.

 

Quando Cassidy e Buch o viram, ambos encheram-se de felicidade.

 

— Um Kadabra, sabe quanto custa isso? — Perguntou Buch.

— Não me importa, daremos para o chefe. — Disse Cassidy.

 

Ao ouvir aquilo, Kadabra irritou-se, colocando a colher que recebeu de sua evolução na testa, exatamente em cima da sua marca em formato de estrela.

 

— Vocês tentaram ferir a mim e ao meu treinador, tentaram roubar os Magikarp, e agora sentirão a minha fúria. — Disse Kadabra, falando com todos ali, mas sem abrir a boca.

— Esse pokemon acabou de falar? — Perguntou Cassidy, assustada.

— Ele não mexeu a boca, foi telepatia. — Disse Buch.

 

Yan aproximou-se de Kadabra, que também foi de encontro ao treinador. Onde ambos se abraçaram.

 

— Kadabra! — Disse Yan, puxando a pokedex de seu bolso.

 

Ele aponta a pokedex para seu pokemon, onde todas as informações são rapidamente carregadas.

 

— Kadabra emite uma onda alfa peculiar se desenvolver uma dor de cabeça. Somente aquelas pessoas com uma psique particularmente forte podem esperar se tornar um instrutor deste Pokémon. — Disse a pokedex.

 

— Kadabra, você aprendeu a utilizar telepatia para se comunicar com todo mundo. — Disse Yan.

— Sim, e também aprendi a voar com o psíquico, mestre. — Disse Kadabra.

 

Charizard e Aggron estavam parados, apenas assustados por ver que Kadabra evoluiu e estava muito poderoso.

 

— Chaaaaaaaaarrr — Disse o Charizard.

 

Kadabra irritou-se com o que ouviu, colocando-se à frente de Yan e continuando com a colher em sua testa.

 

— Não subestime o meu poder, servidor de entidades malignas. — Disse Kadabra.

— Aggrooooon. — Disse o outro pokemon.

— Eu encararei os dois se for preciso para proteger o meu mestre. — Disse Kadabra.

 

Vendo como Kadabra estava forte, Yan emociona-se, tentando se comunicar com ele novamente.

 

Ainda consegue se comunicar comigo sem que ninguém escute? — Pensou Yan.

 

Kadabra retira a colher de sua testa e responde Yan.

 

Sim. — Pensou Kadabra.

— Hora de acabar com isso. — Disse Yan.

— Kadabra. — Disse o pokemon.

 

Charizard fica enfurecido, fazendo com que a chama em sua cauda ficasse muito mais intensa, chegando a queimar ferozmente.

 

— Chaaaaaaaaarrr! — Gritou Charizard, olhando diretamente nos olhos de Kadabra.

— Aggroooon! — Gritou o pokemon, do lado de Charizard.

— Isso! Hora de finalizarmos ele Charizard. — Disse Cassidy.

— Charizard ativou o flamejar, isso acabará logo. — Disse Buch.

 

Todos se posicionaram normalmente, como se estivessem recomeçando a batalha.

 

Teremos que ter cuidado Kadabra, agora que esse Charizard ativou o flamejar, um ataque do tipo fogo que recebermos pode ser fatal. — Pensou Yan.

Por mim tudo bem. — Pensou Kadabra.

Somos apenas um. — Pensou Yan, fechando os olhos.

Somos apenas um. — Pensou Kadabra, fechando os olhos.

 

Yan e Kadabra abrem os olhos ao mesmo tempo, olhando para seus oponentes.

 

Hora de acabar com isso, raio psíquico. — Pensou Yan.

 

Kadabra entorta a colher em sua mão, mandando um raio psíquico na direção de Charizard.

 

— Charizard, lança chamas! — Disse Cassidy.

— Aggron, som metálico. — Disse Buch.

 

A onda, vai em direção ao Charizard, que é atingido mas continua voando em direção ao Kadabra. O som emitido pelo Aggron incomoda Kadabra, fazendo-o perder a precisão de seu ataque.

 

Não se concentre no barulho, já dominamos a estratégia deles, você está na minha mente certo? — Pensou Yan.

Somos apenas um. — Pensou Kadabra.

 

O Charizard finalmente manda o seu lança chamas, que chegou bem próximo a Kadabra.

 

Teleporte. — Pensou Yan.

 

Em uma velocidade incrível, Kadabra desvia do ataque em última hora.

 

— Não desista Charizard. — Disse Cassidy

— Continue Aggron. — Disse Buch.

— Essa estratégia de vocês é horrível. — Disse Yan.

— O que? — Disse Cassidy.

— Já dominamos ela. — Disse Yan.

Kadabra, use o visão futura. — Pensou Yan.

 

Kadabra ficou iluminado durante um tempo, onde eles tiveram a exata cena da estratégia deles.

 

Exatamente como desconfiávamos. — Pensou Yan e Kadabra ao mesmo tempo.

 

Enuquanto Charizard insistia no lança chamas, que nunca acertava Kadabra graças ao teleporte. No entanto em um momento, Kadabra ficou de costas ao rio, no mesmo momento que os Magikarps estavam chegando. Charizard usa o lança chamas de novo, que era contra o Kadabra, mas que se ele desviasse iria de encontro aos Magikarp.

 

Proteção. — Pensou Yan e Kadabra ao mesmo tempo.

 

Kadabra desperta o proteção, fazendo com que ele não fosse atingido pelo ataque de Charizard e nem os Magikarp.

 

— Os Magikarps chegaram, precisamos capturá-los agora. — Disse Cassidy.

— Vamos terminar com isso atacando junto. — Disse Buch.

— Charizard use o rajada de fogo. — Disse Cassidy.

— Aggron, continue com o ruído metálico. — Disse Buch.

 

Charizard lança uma poderosa rajada de fogo em Kadabra, que apenas se teleporta novamente, ficando no chão agora. Enquanto alguns Magikarps já haviam passado pela linha de chegada destruída.

 

— Era isso que eu queria. Aggron, submissão. — Disse Buch.

 

Aggron corre em direção ao Kadabra, agarrando-o e lançando-o para cima.

 

Droga! Isso foi muito rápido. — Pensou Kadabra.

Choque psíquico. — Pensou Yan.

— Rajada de fogo! — Gritou Cassidy.

 

Charizard recolheu toda a força que lhe restava e mandou com tudo para cima de Kadabra, que foi lançado com força no chão. Na hora em que Kadabra foi lançado, ele estava preparando o ataque, que falhou, acertando alguns Magikarp.

 

— Kadabra! — Gritou Yan, correndo até o pokemon.

 

Chegando nele, Yan percebe que Kadabra desmaiou.

 

— Não! — Gritou Yan.

— Mate esse filho da puta rápido Charizard. — Disse Cassidy.

— Aggron, pegue os Magikarps antes que todos eles voltem. — Disse Buch

 

O Aggron já ia começar caminhando em direção ao rio, quando na mesma hora, Charizard recebe um poderoso hiper raio nas costas, que o faz gritar muito de dor.

 

— Charizard! — Gritou Cassidy.

— De onde isso veio? — Perguntou Buch.

 

Todos, incluindo Yan olharam para cima, vendo Cyber com Kamui montado nele, enquanto Charizard caia no chão desmaiado.

Aos olhos da equipe Rocket, aquilo era confuso, afinal: quem poderia ter chegado em última hora e atrapalhado seus planos daquele jeito? Era o que pensavam eles.

 

— Já ouviram aquele dizer popular, que o herói só chega no final? — Disse Kamui, pulando do Cyber junto ao Torracat.

 

Ambos pulam e caem em uma pose heróica no chão, com Charizard desmaiado atrás deles.

 

— Quem é você? — Perguntou Cassidy.

— Não importa quem eu sou, o que importa é que o festival de Magikarp não será destruído por culpa de canalhas da equipe Rocket. — Disse Kamui.

— Torracat. — Disse seu pokemon.

— Deveriam ter vergonha desse “R” no peito de vocês. — Disse Kamui.

 

Yan, que continua junto ao Kadabra desmaiado e ao lado de Kamui, olha para ele.

 

— O que o palhaço da outra equipe está fazendo aqui? — Perguntou Yan.

— Deveria estar agradecido, um segundo de atraso e você estaria morto. — Disse Kamui.

— Eu não preciso de ajuda. — Disse Yan.

— Depois eu é que sou o palhaço, ao menos minhas piadas são engraçadas. — Disse Kamui.

— Não importa, apenas não subestime esse Aggron. — Disse Yan.

— Que “meda”. — Disse Kamui.

— É sério! Por que te enviaram em? — Perguntou Yan.

— Porque eu sou o mais forte é claro. — Disse Kamui.

 

Cassidy recolhe o Charizard assustando Kamui, porque para recolhê-lo a luz da pokebola precisou passar ao lado dele, já que o Charizard estava atrás do mesmo. E em seguida Cassidy pega outra pokebola em seu bolso.

 

— Houndour eu escolho você! — Disse Cassidy, lançando a pokebola.

 

O pokemon sai da pokebola dela, rosnando para Kamui e Torracat.

 

— Aggron, vamos acabar com isso de uma vez. — Disse Buch.

 

Ao ouvir isso, Kamui apenas ri de seu comentário.

 

— Não quero demorar também, Torracat vamos de nível 4 ok? — Disse Kamui.

— Seus idiotas, os Magikarps já foram. — Disse Yan, apontando para o rio.

 

Ao olhar para o rio, todos vêem que os Magikarps partiram, e então se dando conta desse fato, a equipe Rocket se irrita.

 

— Vocês destruíram os nossos planos! — Gritou Cassidy.

— Vocês irão pagar com a vida. — Disse Buch.

 

Enquanto Kamui preparava-se para encará-los, Cyber diminuiu de tamanho e desceu até Yan.

 

— Preciso que retorne imediatamente comigo para seguirmos até o local do festival, a enfermeira Joy de Viridian está lá. — Disse Cyber.

— Não preciso de ajuda. — Disse Yan.

— Mark me deu ordens de levá-lo nem que seja a força. — Disse Cyber.

— Mark não manda em mim. — Disse Yan, começando a chorar.

 

Em seguida, Cyber usa o Sharpen, ficando maior novamente e esperando Yan montar nele.

 

— Peço novamente para montar em mim, pelo bem de seu pokemon que segundo os meus dados está com o coração quase parando. — Disse Cyber.

— Deixa de ser idiota e vai logo, você vai me atrapalhar aqui seu idiota. — Disse Kamui.

 

Yan irritou-se por ouvir isso, mas cedeu, pegando Kadabra no colo e subindo em Cyber.

 

— Tudo bem, vamos acabar logo com isso. — Disse Buch.

— Houndour pulso sombrio. — Disse Cassidy.

— Aggron, esse Torracat é do tipo fogo, use o pulsação de água. — Disse Buch.

 

Ambos miraram o ataque no Torracat, que sem nenhuma ordem desviou na mais alta velocidade, ficando parado no ar.

 

— Torracat, lança chamas no Aggron. — Disse Kamui.

 

Torracat lançou rapidamente o ataque no Aggron, causando muitos danos ao pokemon, enquanto os ataques adversários fracassam.

 

— Devolva isso com o lança chamas, eu não vou perder. — Disse Cassidy.

— Pulsação de água. — Disse Buch.

— Aproveite o lança chamas para devolver com um super investida de fogo. — Disse Kamui.

— O que? Esse ataque existe? — Perguntou Cassidy.

— Não sei. — Disse Kamui

 

Torracat corre para utilizar apenas uma investida comum, mas ao se misturar com o fogo do lança chamas de Houndour, Torracat fica com o corpo coberto em chamas.  Ao atacar o mesmo, Torracat causa muito mais dano, no entanto ele também recebe um pouco. Enquanto o pulsação de água falhou em acertá-lo, graças a velocidade do pokemon.

 

— Vá Aggron, não desista. — Disse Buch.

— Como pôde utilizar o meu ataque para isso? É um absurdo. — Disse Cassidy.

— Foda-se. — Disse Kamui.

— O que? Pode repetir o que acabou de dizer? — Perguntou Cassidy, com muita raiva.

— Eu disse foda-se, mas também posso te chamar de vadia louca. — Disse Kamui.

 

Enquanto os dois discutiam, Aggron ia lançando vários pulsações de Água em Torracat, que apenas desviava de todos. Só que dessa vez, Aggron lança mais um pulsação de água em Torracat, acertando-o e fazendo-o ir para longe com o impulso do ataque.

 

— Não desista Torracat, use o rajada de fogo. Eles já estão muito fracos graças ao Yan, podemos vencer! — Gritou Kamui.

— Nem pense Pirralho. — Disse Cassidy.

— Rajada de fogo no Aggron. — Disse Kamui.

 

Torracat avança com tudo para cima de Aggron e usa seu rajada de fogo. O ataque vai em uma velocidade incrível, fazendo com que Aggron não pudesse desviar.

 

— Maldito! — Gritou Buch, ao ver seu pokemon sendo atingido daquela forma.

 

Aggron levanta-se, com muito ódio de ter sido afetado daquela forma, olhando assustadoramente para o seu inimigo.

 

— Como ele ainda está de pé? Seu Aggron é mesmo forte. — Disse Kamui.

— Não sabe que o Aggron tem uma ótima defesa? Ou que por ele descender dos tipo rocha os ataques do tipo fogo não são super eficazes? — Perguntou Buch.

— Eu vou finalizar isso agora, não me importa essas merdas. — Disse Kamui

 

Torracat olha para trás, diretamente nos olhos de Kamui, como se estivesse dizendo estar pronto.

 

— Torracat. — Disse seu pokemon.

— Hora de nossa arma secreta, eu não queria usar isso aqui, mas está na hora de crescer. — Disse Kamui, cuidadosamente colocando as mãos em seu bolso.

— Cat! — Disse seu pokemon.

 

Kamui pegou uma espécie de pulseira em seu bolso, colocando em seu pulso, e deixando a equipe Rocket curiosa. Em seguida, Kamui foi tirando um cristal vermelho, com um símbolo de fogo.

 

— Hora de vocês experimentarem a minha ira, a fúria do nível 5. Hora e elevar o nosso poder ao máximo Torracat. — Disse Kamui, transmitindo confiança.

— Torracat. — Disse seu pokemon.

— Com o meu catalizador e com o meu cristal de fogo, vocês não possuem a mínima chance. — Disse Kamui.

— Do que você está falando? — Perguntou Buch.

 

Sem responder nada e apenas dando uma leve risadinha, Kamui realiza um movimento com os braços, colocando um na frente do outro em uma forma de “X”.

 

— Poder máximo ativar. — Disse Kamui.

 

Uma energia sai diretamente de Kamui, que estica os seus braços, colocando um entre o outro na direção do Torracat.

 

— Esse é o fim de vocês dois! — Gritou Kamui, enquanto continuava com as poses.

 

Ele puxa os braços novamente, separando-os e fazendo um formato de fogo nos dois lados de seu corpo, onde estica novamente os braços para frente, com uma mão segurando em seu pulso e a outra aberta em direção ao seu pokemon.

Logo depois dessa última pose, toda a energia vermelha sai de Kamui e vai em direção ao seu pokemon, conectando-se a ele e unificando suas energias.

Houndour e Aggron se afastam, deixando a equipe Rocket se esconder atrás deles, enquanto observavam toda aquela forte energia emanar dos dois.

 

— Movimento Z: Inferno Overdrive! — Disse Kamui, observando o medo nos olhos dos inimigos.

 

A energia entre Kamui e Torracat fica ainda mais intensa, assustando muito Cassidy e Buch. Kamui e seu pokemon ficam envoltos em chamas, com o poder no limite.

 

— O que é isso? — Perguntou Buch, trêmulo atrás de seu pokemon.

— Isso é incrível, eu nunca vi tanto poder. — Disse Cassidy.

 

Torracat corre em direção aos pokemons, liberando fogo em forma de corrente do seu corpo, um fogo tão intenso que de longe podia se sentir os efeitos dele, como as árvores envolta que estavam pegando fogo.

Assustados, Aggron e Houndour ficam parados, sendo atingidos em cheio, junto a Cassidy e Buch. Ficando com queimaduras intensas no corpo.

 

— É muito poder! — Gritou Cassidy, enquanto era devastada pelo movimento Z.

 

Em torno da equipe Rocket é criado uma espécie de furacão de fogo, para proteger os seus treinadores, os pokemons Aggron e Houndour ficam envoltos neles.

 

Espera! Tem algo errado. — Pensou Kamui.

 

Kamui não consegue força para manter a constância de todo aquele poder, que se descontrola e começa a enfraquecer. Com o poder cada vez mais fraco, tudo que Torracat conseguiu fazer foi entrar no furacão e acertar um ataque investida na equipe Rocket, onde em seguida todos decolam, com o poder do poderoso movimento Z se dissipando e não machucando-os mais.

 

— O que foi aquilo? — Perguntou Cassidy, enquanto decolava.

— Eu nunca vi isso na minha vida. — Disse Buch, também decolando.

— Não somos Jessie nem James. — Disse Cassidy.

— Mas estamos decolando! — Gritou Buch.

 

Na mesma hora, o Raticate de Cassidy sai da pokebola novamente.

 

— Por que você saiu da pokebola? — Perguntou Cassidy, irritada.

— Raticaaaaatee. — Disse o pokemon.

 

Então todos eles desaparecem na decolagem, ficando bem longe de Kamui e seu Torracat. Depois de usar o movimento Z, Kamui e seu pokemon ficam completamente exaustos, tanto que Kamui chega a cair ajoelhado no chão, enquanto Torracat correu em sua direção para abraçá-lo.

 

— Esse poder sempre me assusta. — Disse Kamui, abraçando seu pokemon.

— Torracat. — Disse seu pokemon.

— Eu cansei de me esconder disso, não negarei usar esse poder daqui em diante. Treinaremos e nos tornaremos mais fortes, certo Torracat? — Perguntou Kamui.

— Torracat. — Disse seu pokemon.

 

Ambos param o abraço e ficam alí descansando, preparando-se para voltar caminhando, enquanto Kamui se lembrava de sua jornada enquanto era aprendiz do professor Kukui.

 

— Kiawe ficaria orgulhoso de ver isso. — Disse Kamui.

— Torracat! — Diz o seu pokemon, com um sorriso no rosto.

— Ou talvez não. — Disse Kamui, olhando ao redor e vendo o incêndio.

 


Notas Finais


Obrigada por ter lido até aqui, vejo vocês em breve! ^^

Link da Fic do Anttonny: https://spiritfanfics.com/historia/pokemon-on-batle-7863883


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...