História A Life Without Masks - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Tags Romance
Exibições 172
Palavras 2.248
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Suicídio, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


#NILYArolando

Obs.: Eu não sei fazer shipp, então...

Olha a continuação aí em:

3...
2...
1...

Capítulo 26 - What's Your Plan? - Part II


{Marinette}

Peguei o telefone, ele não estava mentindo. Ele ligou mesmo para o Nino. Adrien já tinha dado ré e estava passando a marcha para seguirmos caminho.

Peraí? Ele disse que íamos pra casa DELE?

- Adrien! - Ele se assustou, fazendo com que o carro freiasse bruscamente.

- Que susto, Marinette... O que foi? - Ele passou a mão nos cabelos para se acalmar.

- Desculpe - Eu coloquei a cabeça entre os bancos da frente para olhá-lo nos olhos. Ele estava nervoso - Mas... Pra onde você disse que nós íamos mesmo?

- Ahn... Pra minha casa? - Ele pôs novamente as duas mãos no volante.

- Tem certeza? Não tem porquê eu ir - Apertei os lábios.

- Mas você quer ir, não quer?

- Bem... Mas eu não tenho roupas, e meus pais e, eu não trouxe nada além do telefone e a chave por causa da correria.

- Ah, sim, claro... Você poderia dizer que irá dormir na Alya. Não poderia?

Meu telefone começou a tocar. Era a Alya.

- Peraí, Adrien... Só um minuto - Ele se virou.

- Alya...

☆☆☆☆☆Ligação ON☆☆☆☆☆

- Amiga, o Nino acabou de me ligar falando sobre uma conversa muito doida sobre a gente sair, eu, você, o Adrien e ele

- Ah, eu já ia te ligar, mas parece que você já sabe.

- Mas o que realmente é esse "passeio"?

- De verdade, eu não sei... Foi o Adrien que inventou essa história e não sei até aonde ele vai.

- Então tá, né? Te vejo amanhã?

- Alya, antes de desligar, posso fazer uma pergunta ?

- Claro que pode, amiga.

- Sua mãe está em casa? - O pai morrera anos antes.

- Ela vai ter que ficar essa noite no hotel. Parece que irão mudar algo no cardápio. Mas por quê?

- Se meus pais deixarem, posso dormir aí?

- Claro, amiga, ainda mais porque temos que conversar sobre certas pessoas.

- Ótimo. Te vejo em uns... 15 minutos?

- Estarei esperando.

☆☆☆☆☆ Ligação OFF ☆☆☆☆☆

Nem reparei, mas tinha deixado o telefone no viva-voz, o que me poupou de ter que dar uma explicação ou uma desculpa para não ter de ir a casa dele.

- Só me espere 5 minutos em frente da minha casa, pode ser?

Ele deu um suspiro e falou:

- Claro, sem problemas M'Lady.

Como a rua estava deserta devido a hora, Adrien conseguiu dar ré indo perfeitamente reto. Ele parou ao lado da minha casa, uns poucos passos eram necessários para chegar a minha porta.

A chuva caía em grossos pingos. Destravei a porta e quando estava prestes a abrir a porta ele disse:

- Você não vai com essa chuva, vai?

- Anh... Sim?

-Tem um casaco meu aqui em algum lugar-

Ele se esticou para procurar nos esconderijos que haviam no carro até que mexeu na porta do veículo.

- Aqui está! - Disse entregando-me o casaco - Não esqueça do capuz.

Era um tecido macio e confortável. Moletom. Estava um pouco amarrotado, mas quem iria reparar? A rua estava deserta e eu não ia demorar mais que dez minutos.

- Obrigada - Eu saí em direção ao crepúsculo.

Fui correndo para não molhar muito o tecido, pois eu ficaria resfriada. Entrei pela porta que deixara destrancada para o caso de eu não achá-lo e ele voltar.

- Filha? É você? - Minha mãe gritou do quarto.

- Sim, mãe.

Subi ao meu quarto que ficou uma bagunça. Peguei minha mochila rosa de alças e costura preta e a deixei totalmente aberta na cama.

Eu tenho um sistema de prevenção para qualquer tipo de clima. Tenho que pegar pelo menos uma roupa para o caso do tempo virar e eu sentir frio ou calor.

Peguei três blusas, uma preta de mangas compridas com laços brancos, a de alcinha lisa bege e a de mangas curtas de um amarelo claríssimo. Um short branco, uma calça legging preta para ter algo mais básico e uma saia verde que provavelmente eu não iria usar de jeito nenhum. Peguei um tênis bege claro básico e um casaco com capuz.

Peguei minhas roupas íntimas, minha escova e pasta de dente e um absorvente para um caso de emergência. Enfiei tudo na bolsa rapidamente. Lembrei ainda do fone, carregador, creme, shampoo, sabonete, perfume etc.

Antes de sair, peguei as coisas dele. Peguei o celular e as chaves, que eram as coisas necessárias. Se tivesse esquecido algo entregaria a ele outro dia.

Estava prestes a voltar para a rua quando fui interrompida por minha mãe atrás de mim:

- Onde você pensa que vai, Marinette?

- Pra casa da Alya, mãe, posso?

- Eu acho melhor não...

- Mãe, por que eu já tinha marcado com ela antes da senhora chamar o pessoal.

- Dessa vez hein Marinette... Mas juro que vou ficar de olho em você.

Soltei um silencioso suspiro de alívio. Só tenho que tomar mais cuidado com a minha mãe.

Corri para não ficar muito molhada e encharcar o banco do carro. Ele estava estranho, parado na mesma posição. Entrei dessa vez no banco do passageiro.

- Tenho algo pra você...

- Seja o meu celular... Seja o meu celular! - Ele disse fechando os olhos com força e cruzando os dedos.

- Aqui está, seu desejo foi realizado - Sorri.

- Obrigado, Mari...

Ele ligou o automóvel novamente e saiu do ponto morto pra depois seguir caminho para perto do hotel onde a mãe da Alya trabalhava.

Elas moravam a um quarteirão de distância. Ele deu uma curva antes do grande e famoso edifício no qual suas luzes eram vistas de longe.

Estacionamos em frente a casa da minha melhor amiga. A Alya estava me esperando na porta, enquanto mexia no telefone.

A garota morena estava com um pijama de ursinho roxo, um shortinho curtíssimo e uma blusa de manga com o ursinho que estava um pouco transparente demais.

Adrien tirou o sinto abriu o porta-luvas e tirou de lá um guarda-chuva preto.

- Sério?

- O que? O que foi?

- Esse guarda-chuva estava aí esse tempo todo?

- Sim, por quê?

- Nada

Ele abriu a porta e antes de sair, abriu com um pouco de difilculdade o pequeno instrumento, contornou o carro e abriu a porta para mim.

Alya agora já tinha nos notado e estava animada com a minha chegada, já que iria ter uma companhia.

Adrien finalmente abriu a porta e estendeu o guarda-chuva para que me protegesse também. Pus minha mochila pendurada somente em um dos ombros e saí do automóvel.

Ele agarrou minha cintura e olhamos para os dois lados antes de atravessarmos, algo que era totalmente desnecessário, já que a rua estava deserta.

Atravessamos em passos longos e rápidos. Quando Adrien finalmente encarou Alya, corou, depois me dei conta de que estava mesmo transparente a blusa.

- Vejo vocês amanhã? - Disse o garoto.

- Eu não tô confiando nessa história, Adrien... -  Alya protestou.

- Ainda não falou com ela, M'Lady?

- Na verdade não expliquei nada, ela só ouviu do Nino, então vou aproveitar - Disse.

- Bem meninas, agora eu estou indo porque eu não quero atrapalhar a "festinha do pijama" - Ele disse fazendo aspas com os dedos.

Como ainda estávamos abraçados, ele aproveitou e me deu um beijo no canto da minha boca, o que me fez desejar mais.

Antes de adentrar a casa quente e confortável, esperei-o entrar no carro, as luzes dos faróis se acenderem e rapidamente desaparecem na escuridão  noturna.

Fechei a porta atrás de mim imaginando o que aquele garoto que mexeu tanto comigo nas últimas semanas estava planejando.

- Vamos subir ou você vai ficar encostada aí na porta mesmo com cara de retardada?

Alya me tirou do transe e subimos as frias escadas de madeira. A garota estava descalça, o que fez com que a mesma corresse quase caindo de cara no chão no último degrau, o que gerou uma crise de risadas.

Ela já havia preparado um colchão, bem grosso pra falar a verdade, ao lado de sua cama com travesseiros e cobertores empilhados.

Coloquei a minha mochila ao lado do colchão e me sentei no "colo" de um ursinho gigante e macio que ela tinha. Peraí... Na verdade não tinha.

- Hey! Onde você comprou isso, Alya?

- Ah, eu não comprei, ganhei...

- De algum admirador secreto, Senhorita Alya? - Falei de brincadeira, mas ela me olhou com um sorriso...

- Mentira!? - Me levantei e sentei na cama a sua frente - Me conta TUDO!

- Eu preciso fazer as unhas urgentemente, você acha que amanhã vai dar tempo? - Ela disse encarando as mãos.

- Eu pinto agora se você me contar enquanto isso - Estendi minha mão direita.

- Fechado - Ela apertou minha mão com determinação.

Ela pegou uma bolsa preta no guarda-roupa e se sentou novamente na cama. Peguei a lixa e ela me estendeu a mão. Quando comecei a lixar, ela começou a contar:

- Bem, primeiramente... Foi o Nino - Já estava na segunda unha, fiquei de boca aberta, O NINO? - Sim, foi ele... Hoje cedo, eu estava tomando café e recebi uma mensagem dele dizendo: "Vai fazer o que hoje?"

- Outra mão - Ela obedeceu.

E eu respondi: "Nada de interessante, por quê?" Ao invés de responder, ele me ligou. Nisso, ele disse que também não iria fazer nada, e que o Adrien estava com você e ele não iria ligar pra interrompê-lo.

- Aham... Escolhe o esmalte com a direita enquanto eu vou pintando a esquerda com a base - E foi isso que ela fez - Okay, continue...

- Nós conversamos por umas duas horas - Ela pegou um esmalte roxo bem escuro qual azul marinho - Então finalmente ele achou uma brecha e perguntou se eu gostaria de ir no parque para nos encontrarmos. É claro que eu aceitei, lá pra umas 16:00, eu já estava arrumada e esperando sentada no banco na entrada do parque - Comecei a passar base na mão direita - Então ele chegou um minuto depois me procurando, estava vestindo uma calça jeans, uma blusa preta com Alien verde, um tênis cinza e o mesmo boné e fone de sempre - Comecei a pintar a esquerda, somente escutando e concordando com a cabeça - Eu me levantei e fui abraçá-lo, ele me puxou forte pela cintura e me levantou facilmente, nós conversamos e começou a esquentar não sei o porquê, então fomos tomar um sorvete na outra rua. Quando eu fui pegar minha carteira ele me impediu e pagou o meu. A sensação foi indescritível, Marinette, sentamos em uma mesa para dois, comemos os sorvetes e conversamos mais um pouco e fomos andando pra casa e no caminho e ele parou em uma loja estranha.

- Me dê a outra mão, já acabei essa e... Como assim estranha?

- Ah, tinha uma cortina vermelha na janela, tipo aquelas de circo, sabe? Aí um minuto depois, ele saiu da loja com uma caixa gigante sendo levada por um carinho de ferro. Eu estranhei, mas não falei nada. Fomos andando calados e eu estava me segurando pra não perguntar. Antes de entrar, ele me segurou e disse: "Pra você". E pôs a caixa na sala. Para não ficar uma coisa chata, o abracei e ele ia me dar um beijo na bochecha mas aí eu virei porque ia fazer a mesma coisa e acabamos nos beijando - Eu levantei a cabeça rapidamente  com um sorriso carregado de malícia, como o Gato Risonho da Alice no País das Maravilhas - Ah para, que você e o Adrien são quase a mesma coisa - Corei e continuei a pintar, já estava no dedo médio - Mas não parou por aí, o beijo foi longo, até que ele parou e viu as horas no celular. Ele tinha esquecido que estava encarregado de escolher as músicas das playlists da festa da Alex, aí me deu mais um selinho e foi embora.

- Hmmmm... Alya arrasando corações hein... - Acabei as unhas - Acho que acabei, tá bem simples, mas não está ruim não é?

- Tá brincando?! Tá muito melhor do que eu faria - Ela disse admirando as unhas.

- Alya, posso usar também? Digo, as suas coisas... Preciso dar uma renovada na minha

- Claro, amiga, quer que eu coloque uma música?

- Se não for te incomodar...

Ficamos arcordadas até tarde, pranchando e enrolando o cabelo, escolhendo roupas... Estávamos muito animadas para ir ao "passeio" que o Adrien estava preparando.

Mandamos mensagem para o Nino e o Adrien dizendo que íamos umas 15:00 e que era para eles não se atrasarem. Eles confirmaram e prometeram que iriam fazer o possível. E eu espero que estejam falando a verdade.

{Adrien}

Não posso esperar para ver a reação delas, já liguei para o Robert e combinei os horários com a Camryn. Só espero que elas apareçam e apreciem, não só elas, mas o Nino também.

Ele me contou tudo o que aconteceu com ele e a Alya hoje pelo Skype, foi muito romântico da parte dele na minha opinião.






- Era pra estar nas Notas Finais, né autora? - Disse o loiro.

- Ah, colabora e fala logo, garoto - A autora falou já sem paciência.

- Okay, okay... Hey, pessoal! Prometem guardar um segredo? Vai ser uma dica do próximo capítulo... O que vocês acham de "encontro de casais"?
😈😈😈



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...