História A Linhagem Quebrada - Capítulo 6


Escrita por: ~ e ~ReadTears

Postado
Categorias Alice no País das Maravilhas (Alice in Wonderland), O Lado Mais Sombrio, Originais
Personagens Chapeleiro Maluco, Gato de Cheshire (Gato Risonho), Personagens Originais, Rainha Branca, Rainha Vermelha
Tags O Lado Mais Sombrio
Visualizações 14
Palavras 1.034
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpa se estiver muito pequeno e se tiver muitos erros.

Espero que gostem❤

Capítulo 6 - VI


Fanfic / Fanfiction A Linhagem Quebrada - Capítulo 6 - VI

~CJ~

-E agora?-, sussurrei pro Lucas.

-Você pula!-, ele disse.

A Rainha Branca saiu do meio dos guardas, segurando a espada vorpal. Olhei para Morfeu e ele fazia sinal para que eu me pula se no abismo.

-Rápido, segurem os.-, a Rainha disse.

Não pensei duas vezes, peguei a mão de Lucas e pulei no abismo.

Aquilo era muito parecido com o buraco da toca do coelho, você caia, ficava com medo do chão, mas pousava normalmente. Pena que ali eu não teria certeza se cairia bem.

-CJ, se esforça.-, Lucas gritou.

Me concentrei e comecei a sussurra algumas coisas que nem eu mesma entendia. Comecei a sentir uma dor nas costas, era como se minhas costas estivessem se rasgando. A dor ficou maior quando vi que as asas estavam saindo.

Elas eram igual ás de Morfeu, a diferença é que eram vermelhas e muito grande. Comecei a bater nelas e fui voando até Lucas. Peguei a mão dele e paramos no meio do abismo. Ele era pesado, e isso fazia com que eu me esforçasse mais.

-Lucas, acho que não consigo aguentar.-, falei.

-Usa as correntes.-, ele disse.

As correntes ainda estavam nos meus braços. Lucas puxou uma e colocou ao redor da cintura e se soltou. Segurei a outra ponta e coloquei ao redor da cintura e comecei a subir. Era um pouco difícil, pois além do peso, eu não tinha prática com as asas.

Avistei o começo do abismo. Voei mais alto e coloquei Lucas no chão. Olhei ao redor e percebi que tanto os guardas como a Rainha não estavam lá.

-Mandou bem CJ!-, disse Lucas se levantando.

-Só é um pouco difícil.-, falei.

-Mas você conseguiu, agora pode provar que não é um erro.-, ele disse.

-Só tem um problema, levaram o Morfeu.-, falei olhando pros lados.

-CJ, não me diga que vai salvar ele!-, Lucas disse revirando os olhos e depois me encarando.

-Por que não salvaria?-, perguntei.

-Ele queria te matar.-, Lucas respondeu.

-Mas não matou, ele me ajudou Lucas.-, falei elevando a voz.

-CJ eu tenho que te lembrar o motivo de você estar com uma queimadura enorme no braço que corre o risco de te matar?-, ele perguntou gritando.

-A culpa disso foi minha!-, gritei.

-Foi dele, você encostou naquelas chaves na tentativa de vim para cá.-, ele disse se acalmando.

-Para salvar a minha mãe.-, falei sentindo as bochechas arderem.

-E nada teria acontecido se o Morfeu não tivesse a sequestrado na tentativa de lhe trazer para cá para tentar te matar.-, ele retrucou gritando.

Ela tinha razão. Desde o começo, Morfeu só queria me matar. Ela sequestrou minha mãe para me trazer aqui e depois me matar. Ela saberia que eu teria que ganhar a queimadura para entrar aqui, se ela não conseguisse me matar, a queimadura conseguiria.

Senti uma lágrima cair, fechei meu olhos com força, aquilo era loucura! Senti mais a mais lágrimas caírem e então senti Lucas me abraçando.

-Desculpa CJ.-, ela sussurrou no meu ouvido.

-Você tem razão, esse tempo todo Morfeu queria me matar, pra quê eu o salvaria?!-, falei chorando mais a mais.

-Acho melhor sairmos daqui.-, Lucas sussurrou.

-Também acho.-, falei.

Apertei mais as correntes e levantei voo. Eu percebi que minhas asas eram fortes, o que fazia com que Lucas não pesa se tanto assim.

Voei até o esconderijo e aterrissei na frente da árvore. Abri a arvors e entramos.

Me deparei com o Chapeleiro Maluco, um esqueleto que parecia de uma lebre, o gato de Cheshire, dois gêmeos gordinhos e uma ratinha.

-É ela?-, a ratinha perguntou.

-A própria.-, o Chapeleiro respondeu.

Lucas entrelaçou seus dados no meu e discretamente deu um passo a frente. Todos, se reverenciaram, como se eu fosse uma rainha ou algo do tipo.

-O que está acontecendo?-, perguntei saindo de trás do Lucas.

-É você mesmo Rainha Vermelha?-, um dos gêmeos perguntou.

-Rainha Vermelha?-, perguntei confusa.

-Você é a reencarnação da Rainha Vermelha, você é a única com a magia, a única com o sangue dos fundadores do País das Maravilhas.-, o Chapeleiro disse encantado.

Foi então que me lembrei, no Castelo, quando a Rainha Branca descobriu meu desface, ela me chamou de "Rainha Vermelha".

-Não prescisam se reverenciar.-, falei saindo de trás do Lucas.

-Claro que prescisamos, somos obrigados a fazer isso para as Rainhas.-, falou o outro gêmeo.

-Mas não prescisam.-, falei com um sorriso amarelo.

-Por que eu acho que ela não é nossa rainha?-, perguntou a ratinha.

-Ela é.-, disse o gato de Cheshire.

-Como podemos ter certeza?-, perguntou a ratinha.

O gato desapareceu a apareceu ao meu lado me dando um susto.

-Ela tem asas, ela tem a mesma aparência, e até os mesmos machucados.-, ele disse desaparecendo de novo.

-Qualquer um poderia ter isso.-, a ratinha retrucou.

-Mas não é qualquer um que teria as asas vermelhas, os únicos que tem as asas que não sejam transparentes, são descendentes dos fundadores.-, o Chapeleiro disse se aproximando.

-Por falar em fundadores, onde está Morfeu?-, perguntou o Chapeleiro.

-Ele... ele...-, eu não conseguia termina a frase.

-Foi sequestrado pela Rainha Branca.-, completou Lucas.

-Quê?-, todos falaram em uníssono.

-Eu vou salvar ele, eu juro.-, falei.

-Prescisa aprender, que aqui, quando não cumpre um juramento, toda a sua magia some.-, falou o gato de Cheshire.

-Estou ciente disso.-, falei travando a voz.

-Como vamos atrás de Morfeu?-, perguntou a ratinha. -Eu devo lembrar que ele está sobre proteção da rainha branca?

-Só prescisamos entrar no Castelo.-, falei.

-Você acha que é fácil, agora que você apareceu lá, a segurança está mais forte.-, a ratinha retrucou abusada.

-Eu vou voando e entro por uma das janelas das torres enquanto você distraem eles.-, falei.

-Por que você vai entrar?-, a ratinha perguntou.

-Por acaso você tem asas para entrar pelas janelas?-, perguntei.

-A CJ vai.-, Lucas disse.

-Quem é CJ?-, eles, menos o chapeleiro, perguntaram.

-Meu nome é CJ.-, falei.

-Viu? E se ela for uma aliada dos inimigos?-, a ratinha abusada perguntou.

Dava vontade de bater nela, mas me contive.

-Eu vou até ele, vocês distrem os guardas.-, falei.

-Mas é a Rainha?-, perguntou um dos gêmeos.

-Ela fica na sala do trono.-, falou o Chapeleiro.

-Mas, como teremos certeza de onze Morfeu está?-, perguntou o esqueleto de lebre.

-Vamos combinar que concerteza ela não estarar em uma das salas reais.-, falou o Chapeleiro.

-Ela deve está preso em uma das torres ou em uma das salas lá em baixo.-, falei.

-Vamos agora?-, perguntou um dos gêmeos.

-Vamos, mas sóniremos observa.-, falei.

Eles saíram na frente e eu fiquei atrás com a ratinha.

-Você pode enganar eles, mas não me engana. Eu não confio em você.-, ela disse.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...