História A little bet - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook
Tags Bottom!jimin, Bts, Jikook, Kookmin, Namjin, Taeyoonseok, Top!jungkook
Exibições 1.241
Palavras 1.299
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oii :)

Leiam as notas finais '-'

Boa leitura *--*

Capítulo 8 - Chapter Eight


"A vida é cheia de decisões difíceis. Os vencedores são aqueles capazes de tomá-las."

 

Incrédulo tanto pela audácia do garoto e pela suas palavras, Sr. Park encarou o filho vendo o semblante confuso e surpreso dele, o segurou pelo braço e o puxou para dentro da casa, teria uma boa conversa depois, tentou fechar a porta porém Jungkook fora mais rápido colocando um de seus pés entre a porta e suas segurou a mesma o impedindo que fechasse. Continuou empurrando a porta mas o garoto parecia mais forte que si, e era; Ele era novo e malhado, nem tanto mais ainda sim era jovem e estava em boa forma. Isso lhe dificultava.

Dentro da casa Jimin olhava o pai com os olhos arregalado tentando competir com Jungkook, e ainda atônito com as palavras de Jungkook na sua cabeça, foi até a cozinha chamar por sua mãe que veio correndo para deter o marido, fora em vão. Jungkook já tinha empurrado a porta e agora os dois se encarava e a aura raivosa daqueles dois era sentido por todos. Se o olhar penetrante de Jungkook pudesse matar o velho alí, ele já tinha feito isso quando o mesmo apareceu na porta.

– Vai me expulsar antes de me cumprimentar, sogro? – Jungkook sorriu ladino e estendeu a mão para o velhote que mesmo receoso apertou, mas não foi um aperto qualquer. A força que ambos colocava no aperto poderia até mesmo quebrar os dedo.

– Sogro? Quem é você? – A Sra. Park perguntou quebrando o ringue de ambas mãos.

– Sou Jeon Jungkook – O moreno curvou-se formalmente e depois voltou a olhar para mulher – Namorado do seu filho e vim pedir a benção de vocês.

– Não vai ter benção nenhuma! – Sr. Park disse ainda matando Jungkook com os olhos.

– Então a gente namora assim mesmo. – O moreno sorriu e viu Jimin aproximar de si e o mandar abaixar o corpo para que ele pudesse cochichar no seu ouvido.

– Acho melhor você ir embora. – Sugeriu o loiro, baixinho no ouvido do outro que afastou-se e o encarou divertido.

– Nyah! Porque eu iria embora logo agora na hora da janta? Não jantei em casa porque você eu fiz questão de jantar com sua presença e a de seus pais mas parece que eu não sou bem vindo aqui... – Jungkook fez uma carinha de triste porém o loiro sabia que era fingimento, e era.

– Não! Que isso meu anjo. – a Sra. Park quase gritou e agarrou o braço de Jungkook – Claro que você é bem vindo. Junte-se ao jantar com a gente. – a mulher sorriu gentilmente e levou o moreno para cozinha sendo seguido pelos dois membros da família.

Após todos sentarem e se servirem a Sra. Park fez questão de conversar com Jungkook enquanto o marido encarava friamente o garoto. Jimin por sua vez estava calado processando ainda as palavras dita por seu suposto “namorado” quando havia chegado em sua casa. Mal tocava a comida esperando que tudo aquilo acabasse e finalmente poderia perguntar qual o motivo de toda aquela palhaçada. Quando ouviu a voz de sua mãe lhe chamar, a olhou confuso já que não tinha ouvido nada de que eles falaram.

– Jimin meu querido, onde está com a cabeça? – Perguntou irônica – O Jungkook perguntou se poderia dormir aqui pois ficaria muito tarde para ele ir embora, o que você acha?

– Tanto faz – deu de ombros – Contanto que ele durma no sofá...

– Claro que ele irá dormir no sofá, acha mesmo que eu deixaria ele dormir com você – Pai de Jimin disse e logo levantou-se – Se já terminou pode ir para o seu quarto Jimin e deixe que sua mãe trás os lençóis para que ele se acomode.

Jimin assentiu e levantou-se como o pai, levou seu prato até a pia e subiria para o seu quarto senão fosse pela mão de Jungkook no seu pulso.

– Não vai me dar um beijo de boa noite Minnie – Perguntou vendo o velhote bufar e sair da cozinha e logo sentiu os lábios carnudo sobre o seus, em apenas um selar demorado.

– Boa noite, Jeon. – Murmurou indo para seu quarto.

O moreno sorriu e voltou a conversar com a Sra. Park porém seus pensamento pairavam sobre o loiro, não que esse estivesse diferente.

                                                                                                 **

 

                                                                                                                                                                                                     Quarta-feira. 2:00a.m

Jeon ainda estava acordado deitado no sofá da sala até que pegou seu celular e levantou-se e foi até o quarto do loiro de ponta de pé para não fazer barulho. Sabia qual era o quarto dele já que na porta havia um adesivo colado com o nome “Não entre” Jungkook riu baixinho e abriu a porta e adentrou e logo depois a fechou. Viu o loiro encolhido na cama, caminhou até a mesma se metendo entre os lençóis e agarrando o menor por trás.

Jimin assim que sentiu um corpo atrás de si arregalou os olhos e quase gritou, senão fosse por uma mão cobrindo sua boca. Ouviu um “shii”  porém não parou de debatesse até sentir um o hálito quente no seu pescoço e logo um selo.

– Fique quieto Minnie, não quer acorda seus pais, quer? – Ouviu a voz sussurrada de Jungkook. Acalmou-se levetemente até lembrar que ele não deveria está alí e sim na dala.

– O q-que está fazendo aqui? – Perguntou assim que o moreno tirou a mão da sua boca.

– Eu vim dormir com você.

– Tá doido? Quer que meu pai te esquarteje? – O loiro virou-se ficando de frente para o outro.

– Ele não irá fazer isso e outra quando for de manhãzinha eu volto pra sala mas me deixe ficar aqui com você.

– Não! Volta pra sala Jungkook! – tentou tirar o moreno da sua cama mas fora em vão.

– Não mesmo! Prefiro dormir sentindo seu cheiro do que fica lá sozinho.

Jimin suspirou cansado da teimosia do mais velho e por fim o deixou dormir alí mesmo, então lembrou-se das palavras dele “Sou namorado do seu filho”. Corou e virou-se ficando novamente de costa para Jungkook, esse que agarrou possessivamente sua cintura o puxando, deixando seus corpos colados.

– Mais tarde conversamos sobre o que eu disse, ok? – Jeon perguntou e o loiro assentiu – Agora durma meu anjo.

Jungkook depositou um beijo na cabeleira loira enquanto fazia carinho na cintura alheia, ambos adormeceram de conchinha sem se importar com o amanhã.

[…]
 


Na manhã de quarta-feira o Sr. Park foi o primeiro a acordar e levantar-se pois tinha trabalho. Saiu do quarto e fora em direção a sala, olhou para o sofá – onde Jungkook deveria está dormindo – arregalou os olhos quando notou que apenas os lençóis e travesseiros estavam alí e nada do garoto. Se ele não estava na sala onde mais ele estaria?

Arregalando os olhos novamente o velho correu para o quarto do filho, abriu a porta brutalmente encarando a cena com um certo nojo; Jimin dormia calmamente nos braços do moreno, esse tinha o rosto no pescoço do menor. Fechando a mão em um punho, o velhote fecho a porta a trás de sí causando um estrondo acordando os dois garotos.

Assustados, Jimin e Jungkook sentaram-se na cama atordoados olhando para os lados até encontrar a figura do Sr. Park, fora ai que Jimin entrou em pânico se afastando de Jungkook e o mais velho engoliu seco ao ver a carranca do velhote.

– Qual o seu problema, garoto? Eu disse para você dormir na sala, não disse? – gritou o homem – Será que eu preciso te bater pra você se afastar do meu filho?

Jimin arregalou os olhos ao ver seu pai aproximar de ambos em passos perigosos, Jungkook por sua vez não negaria que estava assustado todavia agarrou o pulso do velho quando o mesmo ousou apertar seu pescoço.

– Se vai me bater sugiro que seja uma surra bem dada ou eu mesmo farei isso com você... Ou até mesmo pior. – Jungkook sussurrou sorrindo sádico.


Notas Finais


Provávelmente eu só postarei aqui no final de dezembro ou só em janeiro mesmo, pois terei que fazer uma cirugia na segunda dia 29/11 e outra no dia 07/12 e a outra ainda não foi marcada, então ficará difícil de postar aqui. Espero que entendam :)

Então foi isso, espero que tenham gostado
Me desculpem pelos erros..
Até próximo capítulo
kisses ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...