História A Little Chance - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Luamiohi
Exibições 11
Palavras 1.627
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Famí­lia, Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


OI OI MIOJOOS
Tudo bom com vocês? Mas um capitulo quentinho para vcs
Boa leituraa

Capítulo 12 - Grávida?


Depois daquilo tudo, fui para casa. Eu estou feliz, admito. Muito feliz. Entrei em casa sorrindo e minha mãe veio direto falar comigo, sorrindo de um jeito estranho. 

-Então Lorena... Foi fazer o que na casa de Fabrício? Ela perguntou cruzando os braços. 

-Conversar... Ele pediu para conversar comigo, sabe... Ele perdeu a memória né mãe... Abaixei a cabeça. -Então eu precisava falar com ele. 

-Hum... Entendo, querida. Quer pizza? Perguntou apontando para a cozinha. 

-Por que ainda pergunta? Claro! Fui direto para a cozinha.  

[...] 

Eu estava na escola, tinha chegado atrasada e estava do lado de fora mexendo no celular, eu ainda estava feliz... Toda hora eu lembrava dele. A todo momento aquele sorriso vinha a minha mente. Eu estava com medo e ao mesmo tempo não. Estou com medo. O sinal toca e vou em direção a sala. 

-Lena!!! Marthinha gritou quando me viu e me abraçou.  

-Oi Má, Ju! Disse e a abracei também. - Como foi a aula ontem? Nem respondi vocês no whats, desculpa. 

-Como sempre né, distraída... Juliana falou revirando os olhos. -Nada, não teve nadinha... Só o Rafael que ficou todo agoniado com sua falta.  

-É mesmo? Sentei na cadeira ao lado da de Martha, atrás de Juliana. 

-Sim... Ele perguntou muito de você, mas advinha...  

-O que? Nem adianta ficar demorando de falar! Juju gostava de fazer joguinhos e eu odeio isso as vezes. 

-Bom, deixa que eu falo. Martha falou sentando no braço da cadeira – Ele ficou de papinho também com Pâmela... Então não entendemos o porquê dele ficar daquele jeito: "Cadê Lena?" Por que ela faltou?" "Será que ela está doente?" e ficar de papinho com Pâmela... Aquele papinho sabe... Ela me olhou com aquele olhar que eu sabia muito bem o que significava.  

-Hum... E o que eu tenho com isso? Perguntei meio grossa, mas Rafael... Bom, estou confusa com tudo. Mas se for para ser como ele é, prefiro esquecer. 

-Mas você gostava dele, até esse Fabrício aparecer, e vocês começarem a namorar e aí eu já não estava entendendo mais nada... E então ele sofreu o acidente, o Rafael gosta de você... Lena, o que está rolando? Juliana ficou vermelha de tão rápido que falou. Martha e eu rimos. 

-Não sei, Ju... Muita coisa está rolando, mas esquece o Rafael, eu sai com ele e bom... Foi horrível... E o Fabrício... Vamos resolver essa história. 

-Você saiu com o Rafael e não falou para a gente? Sua vaca! Martha me bateu. - Que amiga nós temos Ju! 

-Desculpa! Não tive tempo... Está tudo bem confuso... 

-Falando em confusão... Juliana falou sentando direito e Martha também. O professor entrou com o Rafael atrás e Pâmela rindo de algo que Rafael disse. Quando ele me viu olhando para os dois, se afastou dela e ela se aproximou e pegou no braço dele, ele puxou. Que troxa... 

-Oi Lena! Está tudo bem? Por que não veio ontem? Ele sentou atrás de mim.  

-Nada não. Respondi seca. Não estava afim de conversar com ele. Mas olhei para um lugar vazio, só uma pessoa tinha faltado. Fabrício. Ele não vinha mais as aulas pelo acidente e tudo que estava acontecendo... Eu sentia falta dele, ele preenchia meus dias de um jeito que Rafael nunca fez, mesmo sendo um amigo bem próximo meu.  

-Qual foi, Lena? Ele perguntou meio alto. O professor ouviu e pediu educadamente para ele fazer silencio. Obrigado, professor.  

As aulas passaram rápido, logo estávamos no intervalo, no lugar de sempre, com as pessoas de sempre. Martha estava deitada no colo de Rodrigo e Juliana estava mostrando algo a Lucio no celular, já eu de vela como sempre, pelo menos esses últimos meses eu estava com Fabrício. Rafael como sempre estava vagando pela escola. Só que dessa vez estava com Pâmela atrás dele. 

-Pâmela gamou no Rafa, hein! Falei rindo para as meninas e elas riram. 

-É isso que dá dar bola para vaca. Juju falou e eu fiz um 'o' com a boca para ela. -Qual é, Lena! Você mesma sabe que ela é uma vaca... Eu sabia que ela era, por tudo que ela já tinha feito e faz... Mas eu não curtia muito falar. 

-E o Rafael vai quebrar a cara com ela. Lucio falou. 

-Você sabe muito bem disso, não é amorzinho? Juju falou e eu revirei os olhos, casais puff... 

-Lena, e me conta... Como vai as coisas com Fabrício? Você falou muito pouco sobre ele... Martha falou levando. 

-Hum... Vão até bem... Ele não se lembra de mim, mas prometeu tentar... Eu disse ficando corada. 

-Então ele vai tentar lembrar de você? Uma voz atrás de mim perguntou. Rafael. Eu me virei e sorri. Ele não estava com as melhoras caras (até parece que ele troca de rosto, né Lorena!) 

-Sim, ele vai...  

-Hum, então como é que a gente fica? Ele perguntou e Pâmela brotou do nada ao dele com uma cara nada boa também... 

-Como assim a gente? Eu perguntei e Martha fez menção de estar comendo pipoca junto com Juju. 

-A gente saiu um dia desses... Você sabe que eu estou afim de você e...  

-Como assim, Rafinha? Pâmela perguntou dividida entre me olhar feio e olhar triste para o "Rafinha". 

-Cala boca, Pâmela! Eu olhei assustada para as meninas. 

-Pelo amor de Deus, Rafael. Esquece isso, só fui lanchar com você, não quis dizer nada. Na hora quis, mas agora não diz mais. Esquece isso...  

-Como assim Lena? Você está maluca?! Ele meio que começou... Meio não, ele começou a gritar atraindo muitas atenções para nós dois. O sinal bateu, mas ninguém perto de nós começou a ir para as salas, todos queriam ouvir. Mas eu não. Só neguei com a cabeça e levantei. 

-Você ouviu o que eu disse, Rafa. Você está com Pâmela agora, fica com ela. Ela serve direitinho para você. Dizendo isso, subi para minha sala e ele estava vermelho, não sei de que. As ultimas aulas também passaram bem rápido. Eu estava meio mal, Rafael não parava de se mexer na cadeira atrás de mim e Pâmela não parava de me olhar feio... Sinto que estou na mira para ser morta.  

Quando o sinal bateu, fui a primeira a sair da sala. A sair da escola. Sai correndo para casa, não queria ficar de bobeira par ao Rafael vir falar comigo, já que parecia essa a intenção dele. Mas chegando em casa, vi que não teria paz tão cedo... Pois quem estava na minha porta era justamente quem? O Rafael, encostado no Sedan do seu pai, que era um carro maravilhoso, mas eu prefiro o Impala 67 (aquele carro da serie Supernatural, adoro) 

-Lena, nós precisamos conversar. Ele disse assim que cheguei perto. Óbvio que me entalei com minha própria saliva e comecei a tossir incontrolavelmente na mesma hora, e ele me olhou preocupado, ia chegar perto mas coloquei a mão no peito dele para não chegar perto. 

-Eu estou bem... Disse depois de um tempo. -Não temos muito o que conversar, Rafael. Eu já gostei de você, mas agora... 

-Agora que o alemão de olhos verdes chegou, você prefere ele não é mesmo? Eu pensei que você fosse diferente, não pensasse só em beleza. Me ofendi com aquela frase. Obviamente. 

-Beleza? Você não chega aos pés do Fabrício em personalidade e beleza também, ele é lindo mesmo e também é um garoto incrível. Coisa que eu notei que você não é. Dizendo isso ele ficou vermelho novamente e estava prestes a fazer alguma coisa quando ele olhou para algo atrás de mim. Olhei para trás e era meu primo, Edu, olhando para ele com uma cara nada boa. Hoje ninguém estava com a cara boa. Mas um cara de quase dois metros olhando para você de cara feia não era um bom sinal.   

-Por que ainda não entrou, Lena? Edu perguntou chegando do meu lado, mas olhando seriamente para Rafael.  

-Nada não, só estava conversando com um... Amigo. Vamos entrar, Edu. Puxei o braço dele, mas o cara tinha dois metros, não mexeu nem um milímetro. -Eduardo, entra. Eu disse olhando para ele seria. Ele suspirou e começou a entrar. -Tchau, Rafael. Eu disse rápido e corri para dentro de casa.  

-Aquele cara estava te abusando não era? Eduardo perguntou.  

-Mais ou menos. Abracei ele. - Ah, saudades de você, gigante. Ele me abraçou e riu. 

-Advinha quem está aí também...  

-LORI!!! Uma voz que eu conhecia muito bem gritou, eu virei e estava Júlia, namorada/noiva de Edu.  

-JU! Corri para abraçá-la e notei algo diferente, olhei para baixo e a barriga dela estava meio que... Grande... Ela engordou. Melhor eu não falar nada, vai que ela fica mal.  

-Ai, que saudades, Lena! Faz muito tempo que não te vejo, você não cresceu nada! Ela disse rindo e eu fiz cara de ofendida. 

-Saudades também. Como estão as coisas? Perguntei entrando na cozinha com ela, onde estavam minha mãe e minha tia (mãe de Edu), minha prima, Duda, irmã de Edu. Elas estavam conversando, quando Duda me viu veio logo me abraçar, seguida da minha tia.  

-Você está enorme, Lena. Virou uma linda mulher. Minha tia disse sorrindo e eu fiquei envergonhada. 

-Obrigada...  

-Já sabe da novidade? Minha tia perguntou e minha mãe sorriu, boba. 

-Qual novidade? Não estou sabendo de nada... Falei e minha tia sorriu mais ainda, se é que era possível ter um sorriso maior que o dela.  

-Serio que você não notou, Lena? Eduardo perguntou rindo e eu fiz que não com a cabeça. Ele riu mais ainda. -Como sempre, lerda.  

-Ah minha querida... Júlia disse vindo em minha direção pegando na minha mão e colocando na barriga dela. Na hora, eu gelei. Ela não está gorda... Ela está... - Estou grávida, você vai ser titia!!!

 


Notas Finais


eai, gostaram?
Até a proximaa miojos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...