História A Little of Love - Destiel - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Castiel, Dean Winchester, Sam Winchester
Tags Destiel, Supernatural, Wincest
Exibições 224
Palavras 1.629
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oie!!! Hj tem Cap novo Hee ehheeeeee! Hj tem cap novo!!! Vocês vão adorar esse! sem mais delongas vou deixar vocês lerem logo! Mas calma aí! Você tá lendo isso e ainda não favoritou nem comentou? Então faz isso agora pra não esquecer depois pôw! Agora sim! boa leitura mores! <3

Capítulo 12 - TOP OF THE WORLD


Ed se virou pro homem que se levantava lentamente gemendo baixo de dor.

-Escute bem, você escorregou no piso molhado e bateu a cabeça, se fizer isso direito quem sabe consegue arrancar do restaurante uma indenização.

O cara já de pé examinou o ruivo com certo tipo de interesse.

-Você nessa idade faz coisas que eu jamais pensaria em fazer. - Ele deu um passo. - Quem é você?

-Lamento. - Ed respondeu me ajudando a secar meu rosto. - Não trabalho com amadores.

Ed se virou pra mim e disse.

-Vamos Cass, você entendeu né? O cara caiu e bateu a cabeça. - Ed me explicou.

Fiz que sim com a cabeça, e nos dois saímos do banheiro. Parecia um filme, assim nós saímos um funcionário entrou rápido atrás de nós, certamente ouviu os gritos de dor do homem. Meu pai se encontrava em pé meio apreensivo ao meio de outras pessoas, devem estar assustados pensando que talvez fosse um assalto ou coisa do tipo.

Assim que meu pai nos viu ele se aproximou rápido de nós.

-Vocês estão bem? O que aconteceu? - Meu pai perguntou um tanto quanto nervoso.

-Ér... F-Foi... - Ed me interrompe explicando:

-Foi um bêbado que entrou no banheiro e acabou escorrendo numa parte molhada do piso. - Ed fez um leve careta de dor. - Ele ficou com um corte na testa.

-Meu Deus. - Meu pai levou a mão à boca.

-Mas não foi nada muito sério tio. - Após Ed falar isso começamos a ouvir a discursão do homem com o gerente. - Eu acho... - Ed terminou.

-ESSA MERDA DE LUGAR NÃO TEM UMA ESTRUTURA DESCENTE PROS SEUS CLIENTES! - O homem gritava com o gerente.

-Senhor não é nossa culpa se alguém acabou molhando acidentalmente o piso do banheiro, pedimos perdão. - O gerente tentou argumentar.

-PERDÃO O CACETE! EU PODERIA TER MORRIDO!

-O que está acontecendo aqui?! - O chefe do restaurante pergunta aparecendo.

-Eu quase morri nesse seu lugar! - O homem falou feroz. - Isso não ficará assim, prepare-se pra um processo.

-Pode processar meu restaurante à vontade! - O chefe rebateu. - Aproveita e processa sua mãe por ter dado a luz a um ser humano tão desprezível como você, que encheu o cú de cachaça e depois que cai no meu restaurante quer pagar de vítima? Fora daqui! - O chefe do restaurante falou o expulsando.

O homem saiu, mas com uma cara de que iria voltar. O chefe do restaurante se desculpou pelo o que tinha acontecido e os clientes voltaram aos seus lugares junto com uma pizza grande de brinde. Depois de pagar a conta e sair do restaurante meu pai precisou atender uma ligação e pediu que eu e Ed ficássemos esperando no carro.

-Ed por que você fez aquilo? - Perguntei meio confuso.

-Além de meu refém, você também é meu primo Cass. - O menor explicou. - Eu vi o homem te olhando desde que a gente chegou e eu não iria deixar qualquer um tocar em você.

-Eu não sei se te odeio ou te amo. - Falei numa leve risada, quem diria que eu estaria tão bem com quem está me fazendo mal.

-Pode ser os dois. - Ed riu. - Mas só pra você saber, a encomenda vai chegar amanhã e você vai ter que ir pegar se não...

-Ah eu já sei! - Não o deixei terminar.

Ficamos em silencio durante alguns instantes até que meu pai chegou e fomos finalmente pra casa, eu estava muito cansado e preocupado, será que consegui disfarçar tão bem quanto Ed? Com certeza a resposta é não, o garoto é um psicopata e eu um adolescente que quase fui estuprado (N.A: Só o Dean pode fazer isso Cass! Ui Ui Ui!). Tomei um banho e depois fui pro meu quarto, peguei meu celular e abri meu facebook, tinha uma mensagem do Dean:

-Como foi no restaurante? Espero que sua grandiosa Noite de Família tenha dado certo.

Dei uma pequena risada e respondi

-Na medida do possível está tudo bem.

Em fração de segundos Dean visualizou minha mensagem e respondeu.

-Sabe que pode desabafar pra mim se os outros (Ele se referia a Bela e Tyler) não tiverem dando conta né?

Respirei fundo com uma leve indecisão de contar ou não, acabei não contando.

-Está tudo bem Dean, só estou cansado. Mas vem cá desde quando você começou a ser sentimental?

-Desde aquela noite no Show.

-Explique. - Respondi meio nervoso.

-Eu precisava daquilo Cass, me fez um bem danado.

Não sei dizer se Dean se referia ao Show ou aos nossos beijos.

-Tenho que ir Dean, até mais.

-Tchau.

Demorei pra dormir essa noite, por mais que eu estivesse cansado eu simplesmente não conseguia relaxar, e como eu não queria recorrer aos remédios de novo fiquei vendo séries no sofá até pegar no sono lentamente.

 

UMA SEMANA DEPOIS.

 

A semana passou rápido como um furacão que destrói tudo no caminho. Tive que ir num beco escuro e extremamente esquisito pra pegar a encomenda de Ed que nem me agradeceu só disse que meu segredinho estaria seguro por hora, ele vai querer mais algumas coisas. Bela e Tyler ficaram barbarizados quando contei o que homem tentou fazer comigo no banheiro, e também ficaram Horrorizados quando contei que tive que ir num beco nojento pra pegar as drogas do meu primo. Dean não parava de me lançar olhares, alguns meio discretos, outros nem tanto, a semana toda passou assim ele me olhando e eu quando tirava coragem de algum lugar devolvia o olhar fazendo nascer nele um leve sorriso no canto dos lábios. A professora Susanne parecia estar mais calma do que nos outros dias, certamente ela já deu o que Ed queria e agora parece que ele finalmente a deixou em paz.

O barulho do sinal me faz acordar dos meus pensamentos e voltar pra terra, caminho em direção a sala de aula, Eu estava com Bela, mas ainda não tinha visto Tyler nem ela, acho que ele já deve estar na sala. Eu e a loira fomos até lá e nada de Tyler.

-Eu acho que ele deve estar doente. - Falei.

-Talvez, mas ele nem me avisou nada. - Bela deu de ombros.

Um professor entrou na sala e nos sentamos nos nossos devidos lugares. Como no primeiro dia de aula eu senti vontade de olhar para trás e involuntariamente fiz isso, e o que eu vi? Dean Winchester me encarando com um lápis nos lábios na maior sedução! Meu coração acelerou e voltei a cabeça lentamente para frente, dessa vez eu não tive coragem de retribuir o olhar, como ele conseguia ser tão lindo?

Passaram-se as três primeiras aulas e era então hora do intervalo, Fui com Bela até a praça da escola, tanto eu quanto ela estávamos sem fome hoje, Emma chegou e se juntou a nós aquele ser pequeno e trevoso que eu adoro!

-Como foi a semana de vocês? - Ela perguntou.

-Entediante. - Bela respondeu. - Não aconteceu nada.

-Nossa, eu te entendo. - Emma falou. - Eu fiquei lendo alguns livros.

Emma voltou seus olhos pra mim com um pequeno sorriso e falou:

-A semana do Dean pelo visto foi bem animadinha.

-Como assim? - coloquei os cotovelos nos joelhos.

-É só você prestar um pouco de atenção Cass, até eu percebi, até o Sam percebeu!

-Miga fala logo! - Bela Exigiu em sua curiosidade.

-O Dean te quer. - Emma falou. - Agora mais do que nunca!

Bela levou a mão à boca, mas eu garanto que ela não estava mais perplexa que eu! Eu já imaginava que o Dean queria alguma coisa, afinal ele não parava de me olhar, mas não esperava esse desejo todo.

Olhei pra frente e vi o loiro me encarando da escada, consegui coragem o suficiente e encarei-o de volta, num sorriso Dean mordeu o lábio e fez um sinal com a cabeça pra que eu fosse até lá, em seguida se levantou e caminhou pra longe da minha visão.

-E agora?! - Perguntei nervoso.

-Vai lá! - Emma me puxou para me por de pé.

-Tem certeza? - Perguntei novamente.

-Lógico que sim! - Bela respondeu por ela. - Infelizmente a gente não vai poder ir com você, mas faz movimentos circulares com a língua, depois morde o lábio inferior dele, mas levemente, isso vai o fazer pirar.

-Obrigado pelas dicas, mas eu sei beijar. - Falei tentando espantar o nervosismo.

-Ah que tal ser grosso outra hora? - Bela sugeriu. - Agora vai lá pegar teu boy antes que o sinal toque!

Ela tinha razão, eu não podia perder essa oportunidade, se o Dean quisesse o mesmo que eu iria ser agora! Caminhei em passos relativamente rápidos pra onde Dean estava, cheguei no local e o loiro estava encostado numa parede, ele sorriu me deixando sem graça e fez outro sinal com a cabeça indicando pra segui-lo. Assim o fiz e depois de subir uma escada que eu nunca tinha visto na vida nos encontramos num lugar vazio, meio empoeirado que parece ter sido esquecido pela escola.

-Cass, olha isso. - Dean apontou pra uma grande abertura na parede onde entrava a luz.

Aproximei-me e vi toda a escola! Sério dava pra ver tudo, me senti no topo do mundo.

-Nossa! - Falei vendo os alunos andando pra todos os lados.

-Agora precisamos conversar. - Dean me tirou de perto da abertura e me virou para olhar seus olhos.

Ele estava sério, como se tivesse mudado de personalidade, será que ele me atraiu até aqui pra me bater ou algo do tipo? Não posso esquecer o seu passado Homofóbico.

-Fala. - Foi tudo que consegui dizer enquanto aqueles olhos verdes me intimidavam.

 


Notas Finais


Foi isso espero que tenham gostado e muuuuuuiito obrigado por todos os favoritos! 74 já! Nossa família ta ficando grande hein! (Sim eu digo que vocês leitores são minha outra família, sim isso também é muito sentimental)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...