História A lost case - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, Cora (Mills), Daniel, David Nolan (Príncipe Encantado), Dr. Whale (Dr. Victor Frankenstein), Emma Swan, Henry Mills, Ingrid / Rainha da Neve / Sarah Fisher, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Xerife Graham Humbert (Caçador), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Emma Swan, Emmaswan, Henry Mills, Onceuponatime, Regina Mills, Reginamills
Visualizações 353
Palavras 4.677
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Policial, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bom galera estou tentando deixar os caps maiores e ainda postar rapido, mas tem sido dificil por conta de tempo. Essa cap eu quis colocar uma forma de vocês saberem mais sobre Emma e o crescimento dela em alguns sentindos. Como na serie todos os personagens tem que evoluir e ela tera que passar por esse momento assim.
Espero que vocês gostem do envolvimento de Emma e Regina nesse cap, pois nem tudo na vida é rodeado de sexo.
Gente fiz um insta para meus bichinhos seguem la @nicolas_maltes, ele é muito fofo e aproveitem e segue o meu também @kokernakju.

Capítulo 19 - 19


As duas desceram as escadas em direção à cozinha onde Regina serviu o vinho e se se sentaram à mesa para conversar. Regina não sabia o porquê de ter convidado Emma agora passar a noite ali, mas agora já era tarde para voltar atrás. Tudo que queria era que as coisas descem certo com a Emma e não queria de maneira nenhuma apressar as coisas, ela tinha convidado Emma para ficar, pois queria dormir ao lado dela, sentir os toques dela, precisava da companhia dela.

- A cachorra voltou - Regina falou apontando para Lola que entrou na cozinha e se deitou nos pés dela, Henry tinha feito um bom trabalho com Emma, Lola estava extremamente cheirosa. Regina até que gostava dela, mas não queria demonstrar para Emma que tinha um coração às vezes.

- Tadinha, ela gosta de você, chame-a ao menos de Lola. Henry esta feliz e é isso que realmente importa - Emma falou bebericando do vinho e sorrindo, Regina tinha que para de reclamar por qualquer coisa.

- Não sei onde estava com a cabeça em deixar Henry a pega-la, ele tem mania de fazer aqueles olhinhos lindo e sabe como pedir - Regina falou suspirando e bebericando mais o vinho- Mal tenho tempo para cuidar de Henry e suas loucuras diárias.

- Por isso mesmo pegou ela, Lola vai te ajudar a cuidar do Henry e ensinar a ele a ter responsabilidade, como dar banho uma vez por semana, por comida e agua e ela será sua companhia - Emma falou sorrindo- Será um acordo de mão dupla. Você fez uma ótima escolha.

- Você vê o lado positivo em tudo é como estar ao lado de um unicórnio o dia todo - Regina falou sorrindo da própria comparação.

- Não vejo o lado positivo em tudo, você vê apenas lado negativo - Emma falou dando de ombro- A vida é ruim demais para ficamos esperando o pior, temos que ter esperança em que as coisas seriam boas, só assim para pode acordar todos os dias e continuar vivendo.

Regina sorriu e fechou os olhos, Emma tinha toda razão do mundo, ela precisava relaxar ao menos um pouco, precisava disto. Henry a ensinava todos os dias como viver mais feliz e agora Emma tinha o mesmo efeito.

- Eu gostaria de tentar ver o lado positivo da vida - Regina falou dando de ombro- Você me ajuda?

- Claro - Emma sorriu aproximando um pouco a cadeira dela- Porque não nos conhecemos mais, me fale sobre sua infância?

- O querida, melhor você começar - Regina falou sorrindo e bebericando o vinho, passando a língua quando escorreu uma gota do vinho fazendo o sangue da Emma ferve.

- Okay - Emma falou suspirando virando os olhos para outra direção- Eu sempre segui os passos do meu pai, isso deixava minha mãe furiosa, ela sempre falava que não tinha honra em ser polícia quando seu pai é delegado e queria que assumisse sua empresa. David sempre fez tudo que nossa mãe queria desde pequeno, sabe ele é um amor, mas tem seus defeitos. Minha ame sempre odiou qualquer namorado meu, então você já se prepara, pois se um dia namoramos ela vai te odiar também, com todas as forças possíveis e formas.

Regina quase engasgou com vinho quando Emma começou a rir do que tinha falado para ela.

- Bom, vou me preparar para isso - Regina a falou limpando os lábios.

- Agora sua vez - Emma pediu e Regina logo fez que sim com a cabeça.

- Bom Zelena e eu nunca nos demos bem quando criança, nossa diferença de idade é um pouco grande e ela é a mais velha o que me fazia de sua boneca, coisa que nunca gostei - Regina falou dando de ombros- Quando nossa mãe faleceu eu fui morar com a minha avó e ela continuou morando no dormitório da faculdade. Depois disso resolvemos que seríamos amigas porque era o que nossa mãe sempre quis. Zelena bateu em dois namorados meu uma vez por que eles estavam com a mão onde não devia e ela os pegou em fragrante. 

Emma começou a ir, imaginou David fazendo o mesmo com ela.

- Calma Swan, eles estavam segurando minha mão apenas - Regina falou rindo- Ela era possessiva comigo, tentava me proteger de tudo que podia e mais um pouco, se você me acha exagerada com Henry deveria vê-la quando fiz 17 anos.

Emma sorriu, mas logo o sorriso morreu.

- Ela não vai me matar quando descobri? - Emma falou preocupada.

- Ela já sabe Emma, lembra que te disse que ela me ajudou a escrever as mensagens de besteira para você? Digamos que ela nos apoia - Regina falou para tranquilizar Emma o que funcionou- Quem pode ficar bravo com você e dar um de protetor é Henry.

- Não quero enfrenta-lo - Emma respondeu fazendo Regina prestar mais atenção nos traços do rosto de Emma.

- Zelena colocou na cabeça dele que ele é o homem dá casa e que tem que me proteger e não tem quem tire isso dele - Regina falou aproximando a mão da mão de Emma e acariciando os dedos dela- Eu gosto de como isso está funcionando, sabe sem pressão ou necessidade de irmos rápido, gosto de sermos indefinidas.

- Eu posso dizer o mesmo - Emma falou sorrindo e acariciando os dedos dela- Não quero te pressionar a nada, só quero ter sua companhia, sempre. Hoje fiquei o tempo todo triste pensando que não ouviria algum comentário ácido seu.

- E esse é meu maior dom - Regina falou sorrindo e colocando só mais um pouco de vinho para si- Tudo bem se só dormimos hoje? 

- Claro - Emma falou corada.

- Não precisa ficar envergonhada - Regina falou rindo do rosto dela e da coloração que tinha tomado- Sabe, eu andei pesquisando aquilo que te perguntei.

- Como fazemos sexo? - Emma falou baixo como se fosse um segredo.

- Sim - Regina respondeu em seu tom normal- Posso dizer que assisti alguns vídeos.

- O meu Deus - Emma falou corando cada vez mais- Sério?

- Sim - Regina respondeu rindo não controlando, provavelmente por culpa do vinho.

- E o que achou? - Emma perguntou curiosa.

- Bom alguns me apareceram muito forçado e outros já não - Regina respondeu pigarreando a garganta- Posso dizer que alguns me deixaram quente o suficiente para tentar resolver minha situação sozinha, o que quase nunca acontece.

Emma fechou os olhos imaginando a cena acontecendo, imaginou Regina passando a mão nos seios endurecidos e acariciando eles e depois descendo para a barriga e fazendo um lento caminho até chegar à calcinha fazendo o carinho ficar completo. Imaginou o quão molhada ela estaria e o quão quente também. A imaginou não segurando o gemido e os suspiros pesados, depois imaginou se penetrando com os dedos em um ritmo lento.

- Não faça isso - Regina falou quase sussurrando- Não tente imaginar, não antes de dormir comigo. 

- Eu... Céus - Emma suspirando se arrumando na cadeira e encarando as ires marrons de Regina.

- Não adianta você já imaginou mesmo - Regina falou em um tom provocativo vendo que os olhos verdes de Emma estavam mais escuros do que o normal.

- Você é o demônio mulher - Emma sussurrou- Eu preciso de um banho, as roupas que iria me emprestar cairá muito bem.

- O sim querida, você nem imagina o quão certa esta - Regina falou se levantando e Lola fez o mesmo seguindo os passos de Regina.

Emma já estava no banheiro que Henry provavelmente usava, Emma tinha que desviar dos brinquedos do Henry para ele não fazer tanto barulho. Quando finalmente estava trocando de roupa, ela não pode deixar de reparar que as roupas que Regina tinha a emprestado com toda certeza era de Zelena. Emma se sentia insegura por ter guardado a arma na gaveta da mesinha que ficava ao lado da cama de Regina, segundo ela o Henry poderia pegar por curiosidade a arma e brincar, então foi uma ideia e tanto.

Sem pensar duas vezes Emma entrou no quarto de Regina com os cabelos molhados, mas quase perdeu a fala quando a viu usando camisola preta de seda, aquela era a visão do demônio, como Regina queria que Emma dormisse calmamente ao seu lado naqueles trajes.

- Seu cabelo esta molhado Emma – Regina falou se levantando e indo em direção ao guarda-roupa e voltando com um secador em mãos- Vem, sente na cama que vou secar seu cabelo.

- Não precisa – Emma respondeu se sentando na cama e ainda estava corada.

- Deixa de ser boba – Regina falou colocando o secador na tomada e pegando a escova de cabelo para pode pentear.

Posicionou-se atrás de Emma secando o cabelo e acariciando o mesmo primeiro com os dedos e depois com o pente, calmamente enquanto acariciava Emma que estava com os olhos fechados só recebendo carinho dela. Regina poderia ser uma mulher bipolar a maioria dos dias, mas hoje ela era apenas a sua Regina. Ela não queria falar nada, mas já não estava mais imaginando uma vida sem Regina ao seu lado, sem o caos e a calmaria que ela trazia a si. Há muito tempo acreditou que poderia ser amada e se sentir em casa, mas tudo foi tirado de si e ali estava uma chance de ser feliz.

- Esta quase pronto – Regina sussurrou fazendo Emma ficar mais arrepiada com ela.

Não demorou muito para Regina terminar de secar o cabelo de Emma, calmamente Regina guardou tudo e Emma continuou ali parada esperando-a voltar. Regina sorriu ao ver Emma muito relaxada se aproximou calmamente de Emma e abraçou sentindo aquele calor que ela emanava tanto pelo banho quente e também por ter usado secador no cabelo.

- Eu gosto do seu cheiro – Emma sussurrou sorrindo- Agora vai ficar em mim.

- Sim, Henry usa a mesma tática que você, me obrigou a comprar tudo igual – Regina sorriu e beijou o rosto de Emma que sorriu, depois deu um beijo suave no nariz de Emma bem na pontinha e depois desceu dando um selinho- É difícil explicar o quão bem você me faz Emma, há tempos não me sinto tão completa. Não quero te assustar, mas essa é a verdade.

Emma sorriu e aproximou os lábios do ouvido da Regina sorrindo com o contato.

- Eu também me sinto completa com você, isso nunca ira me assustar – Emma falou beijando os lábios de Regina com vontade.

Os lábios de Regina foram tomados com força e desejo, logo Emma puxou Regina para ficar em cima de si, passando uma perna de cada lado. Aquele gesto fez Regina sentir seu corpo totalmente quente, sentir o corpo de Emma tão colado no seu sem muitas roupas para separar. As mãos de Emma foram de encontro com parte da bunda de Regina que estava de fora, a fazendo sentir o quanto minúscula era a calcinha.

- Porra – Emma sussurrou separando rapidamente de Regina- Vamos dormir, por favor, não sou capaz de parar se continuamos.

- Okay – Regina falou sussurrando tomando os lábios de Emma calmamente e logo se separando.

Os beijos de Regina fazia Emma perder a cabeça facilmente, quando se separaram foi o tempo suficiente para Lola entrar no quarto animada com uma bolinha que Henry tinha dado para ela mais cedo.

- Claro que ela viria para cá – Regina falou sorrindo abraçando Emma e a puxando para dormirem abraçada, primeiro se esforçou para pode desligar a luz e depois voltou a ficar abraçada com Emma.

Logo as duas dormiram, Regina foi a primeira a pegar no sono, para Emma foi mais difícil, os beijos de Regina e aquela camisona minúscula e o corpo de Regina contra si.

 

 

Emma abriu os olhos quando ouvi o barulho que vinha da cozinha, olhou ao seu lado e Regina ainda estava ali com seu corpo totalmente colado e com um pouco de cuidado Emma olhou para o chão constatando Lola dormindo de babar no tapete, mas o barulho foi feito novamente. 

Sem pensar duas vezes Emma levantou com cuidado para não acorda Regina e pegou a arma que estava guardado na gaveta, acordou Lola sem fazer muito barulho e pediu para ela seguir, mesmo sonolenta Lola segui-o Emma até quarto de Henry, abrindo a porta com cuidado Emma constatou Henry dormindo, pediu para Lola ficar ali no quarto e a cachorra logo fez deitando na cama aos pés de Henry.

Emma com a arma pronta e preparada desceu a escada com cuidado e ouviu novamente o barulho na cozinha, sem pensar duas vezes ela correu até lá encontrando um Zelena.

- Céus, você ia atirar em mim? – Zelena perguntou assustada.

- Meu Deus Zelena, o que você faz aqui? – Emma falou colocando a arma sobre a mesa e depois respirando calmamente.

- Eu moro não muito distante daqui, naturalmente eu tomo café da manha e janto com eles todos os dias – Zelena falou sorrindo maliciosamente- E você o que faz aqui?

Emma corou violentamente, ela era a intrusa ali, pensou duas vezes no que falaria e logo soltou.

- Dormi aqui, Regina pediu sabe – Emma falou corada morrendo de medo de Zelena acabar com ela.

- Que bom, minha irmã estava realmente precisando de sexo – Zelena falou fazendo Emma ficar mais corada- Me diga uma coisa, essa roupa que você esta vestindo é minha? Céus eu devo ser enorme porque ficou super soltinho em você.

- Ah – Emma respondeu corada- Regina me emprestou, você só é alta.

- A proposito Emma, se você magoar minha irmã, socarei tão forte você que nem sua arma faria um estrago maior – Zelena falou piscando voltando a fazer o café.

- Okay – Emma falou suspirando – Bom eu preciso te pedir uma coisa.

- Pode falar Emma – Zelena falou voltando a encarar Emma de forma analista.

- Bom, eu preciso de ajuda, eu preciso de um psicólogo – Emma falou corada- Sei que você pode me indicar alguém para mim.

- Bom eu posso me indicar – Zelena falou sorrindo- Olha dentro do meu escritório eu sou Doutora Mills e fora sou Zelena, podemos pular as partes da Regina e passar para meu sócio elas. Se tu ficar bem claro e se sentir confortável com isso.

- Bom não tenho problema sobre isso, quase não vou falar do meu presente mesmo – Emma falou sorrindo- Obrigado Zel.

- Olha, eu tenho um horário hoje, exatamente daqui duas horas, posso fazer um encaixe para você se quiser – Zelena falou olhando no celular.

- Bom, eu posso – Emma falou sorrindo- Estarei no seu consultório hoje, bom onde ele é mesmo?

- Aqui- Zelena falou indo em direção à bolsa e pegando um cartão- Tenho o endereço aqui, só aparecer por lá, a primeira consulta é experimental, caso você não se senta a vontade podemos marcar com meu sócio.

- Sim, ótimo – Emma falou sorrindo.

Logo na cozinha apareceu Henry com Lola e Regina, Henry estava feliz ao ver Emma ali.

- Bom dia Emma – Henry falou a abraçando e depois indo em direção à tia – Bom dia tia, vou começar com os ovos, hoje coloco mais dois?

- Sim querido – Zelena respondeu pegando a travessa e entregando para Henry.

Regina aproximou de Emma e foi em direção ela e deu um pequeno selinho, fazendo Henry derrubar o ovo que estava na mão e as duas perceberem o que tinha feito.

- Desculpa, deu vontade- Regina falou baixo para Emma e as duas encararam Henry.

- Caraca – Henry falou animado- Você viu isso tia?

 - Vi o que? – Zelena perguntou se virando para Henry- Você derrubou os ovos?

- Minha mãe beijou Emma, eca – Henry falou rindo- Vão para o quarto, não quero ficar vendo minha mãe ser beijada, se bem que é maneiro, Emma é demais.

- Henry você é muito lerdo – Zelena falou rindo- As duas estão juntas há um tempo.

- Serio? Ninguém me conta? – Henry falou cruzando os braços e encarando as duas- Tudo bem, só irei perdoar com um novo vídeo game, em eu vou ter irmãos? Seria legal.

- Okay, agora você esta assustando a Emma querido – Regina falou se aproximando de Henry- Desculpe não ter te contado, mas eu só poderia contar quando tudo estivesse dando certo, não quero te dar esperanças, Emma é ótima, mas estamos indo com calma.

- Eu entendo mãe – Henry falou a abraçando.

- Agora vamos comer logo esse café da manha e damos a bronca na Emma depois – Zelena falou indo pegar os ovos e deixando Henry animado com a noticia.

Regina encarou Emma que estava sorrindo, mas seus olhos arregalaram quando bateu na arma que estava em cima da mesa, Emma sem pensar duas vezes a pegou e guardou antes que Henry percebeu. O restante do café da manha foi tranquilo, Henry ficou fazendo algumas gracinhas para as duas fazendo Zelena rir com aquilo. Foi um ótimo café da manha em família.

 

 

 

 

 

Emma encarava aquela sala de espera do consultório de Zelena, sentia medo dominar seu corpo, não sabia ao certo porque concordou com David que precisava de ajuda, precisava desabafar e contar sobre sua filha e de Neal.

A primeira porta que abriu saiu um homem com cabelos ruivos e com uma cara de bom psicólogo, ele sorriu para Emma e fez que sim com a cabeça para Emma que respondeu sorrindo. Zelena logo em seguida abriu a porta e uma mulher não muito mais velha que ela saiu sorrindo, logo Zelena foi em direção ao outro doutor e comentou algo com ele sorrindo e depois foi em direção de Emma que se levantou nervosa.

- Vamos? – Zelena falou e Emma logo a segui.

Ao entrar na sala de Zelena ela pode ver o quanto acolhedor ela tentava demonstrar ser. Ela pode ver algumas bonecas no canto e uma pequena mesa para crianças desenhar e sentar. Logo sua mente foi levada a como ela imaginava sua sala, com os brinquedos caídos no chão, Mia brincando de um lado para o outro, a parede branca que já tinha todas as demonstrações de tentar colocar cor na vida de Emma e do Neal.

- Emma? – Zelena chamou a sua atenção- Eu gostaria de começar falando que tudo que você fala para mim será anotado e lido entre eu e meu sócio, conversaremos sobre as coisas ditas e as melhores maneiras de tratar isso com você, gostaria de deixar claro que todas as anotações fiaram aqui então Regina e Henry não terá acesso nenhum, tudo que for dito aqui ficara entre nos, exceto se você quiser ou autorizar algo.

- Certo- Emma falou sorrindo de forma doce, tinha que se sentir melhor, não poderia começar já chorando na frente de Zelena.

- Gostaria de começa perguntando quem comentou com você ou deu a ideia que você buscasse essa ajuda e por quais motivos, pode começar falando o que a pessoa te disse, não vou julga-la – Zelena falou colocando os óculos de grau e encarando Emma.

- Bom meu irmão David achou que seria melhor eu procurar ajuda depois de ter acordado algumas noites gritando – Emma falou mexendo na mão de forma nervosa, elas estavam suando.

- Você se lembra de o que fazia gritar? – Zelena falou anotando algo em seu bloco de nota.

- Sim, sonhei com Neal, o via morrendo – Emma falou mexendo na mão novamente- Na verdade uma das vezes ele apenas conversou comigo e nas outras eu atirava nele e acordava desesperada.

- Okay, gostaria de saber quem é esse Neal – Zelena falou agora apenas encarando Emma.

- Ele era meu melhor amigo, meu noivo na verdade, ele morreu na guerra alguns anos atrás – Emma falou suspirando.

- Entendo – Zelena falou anotando algo- Bom, Emma eu vou fazer uma observação e quero que seja sincera comigo, irei deixar meu lado profissional por um minuto. Hoje você dormiu com Regina e nenhum momento vocês duas comentaram sobre esses seus sonhos ou gritos noturnos, você sonhou algo esta noite?

- Não – Emma falou corada- Na verdade eu estava tão ansiosa por estar ao lado de Regina que nem cheguei a pensar em nada.

- Okay – Zelena anotou novamente- Isso é interessante Emma. Fora seu noivo você perdeu mais alguém?

- Meu pai e minha filha – Emma falou olhando para o chão envergonhada por estar conversando sobre isso, de como tinha sido uma péssima mãe e deixado Mia sozinha por alguns minutos.

- Sinto muito Emma – Zelena voltou para o caderno anotando aqui, precisava não deixar Emma envergonhada por fala nisso- Emma se você quiser falar por mim tudo bem, se não pulamos esse assunto por enquanto, mas como aconteceu?

- Bom meu pai foi baleado e morto por uma gangue da cidade vizinha e alguns meses depois eu consegui prender todos, achava na verdade que tinha conseguido. Neal já tinha voltado para o exercito alguns dias e eu estava lidando com Mia sozinha por enquanto, minha mãe queria ficar conosco e eu achei que ela estava tentando ser controladora como sempre e falei que não precisava- Emma sentiu seus olhos encher de lagrimas, não queria continuar falando, mas precisava, sabia que seria seu único remédio- Mia tinha me deixado o dia inteiro de cabelo em pé, pois estava com cólica e quando finalmente ela pegou no sono eu aproveitei para comer e tomar um banho antes que ela acordasse, quando voltei em seu quarto o berço estava vazio e alguns dias depois o corpo dela foi abandonado na vala perto da saída da cidade.

- Céus, deve ter sido horrível para você Emma, não me impressiona esta tendo tantos sonhos assim anoite – Zelena falou pegando a caixa com lenços e entregando a Emma que aceitou.

- É difícil deixar de ser mãe – Emma falou limpando os olhos e olhando para o chão.

- Querida, você nunca vai deixar de ser mãe, Mia pode ter morrido e você pode nunca ter filhos, mas não é como uma profissão onde você é policial e depois deixa de ser policial, Emma você sempre será mãe da Mia, não importa a onde ela esteja – Zelena falou anotando novamente algo em seu caderno.

- Fui uma puta mãe ruim – Emma falou sorrindo irônica com os olhos cheios de lagrimas.

- Emma todos nos tem necessidades, você cuidou muito bem dela e foi uma fatalidade que aconteceu, todos os dias varias mães faz o mesmo que você fez e os filhos se tornam médicos, policiais, bandidos e entre outra coisas, você não deve se culpa por isso, sei o quanto é difícil não se sentir assim, mas você deveria tentar – Zelena falou encarando Emma como fazia com todos os pacientes- Olha sobre o sonho com o Neal, você sonha que esta matando o seu melhor amigo...

Emma interrompe Zelena.

- Ex-noivo – Emma fala meio nervosa por esta falando sem chorar.

- Não Emma, melhor amor – Zelena falou encarando o caderno que estava em sua frente- Foi à primeira manifestação que você teve sobre Neal e eu gostaria de manter porque foi feita por um motivo.

- Certo – Emma falou encarando ela- Continue.

- Emma eu quero que seja sincera, você sente que esta traindo Neal com Regina? – Zelena perguntou e Emma fez que sim com a cabeça se sentindo a pessoa mais tola do mundo.

- Eu estou vivendo uma vida que ele não pode, ele não pode sentir o que eu estou sentindo no momento, talvez ele nunca tenha sentido isso, igual Mia – Emma falou se lembrando da filha- Ela nunca ira saber o que é ir ao um baile de formatura, como é beijar um garoto ou uma garota, como é esta apaixonada ou até mesmo fazer algo simples como prepara omelete de manha com os tios dela. Eu sou uma puta traidora.

- Emma tente tirar esse palavreado – Zelena falou de forma doce- Eu sei que esta com raiva, mas essa palavra só ofende a você mesmo.

- Desculpe – Emma falou corando.

- Primeiro minha observação sobre Neal é, como você mesmo disse ele nunca poderá sentir o que esta sentindo no momento, o que significa que você acha que esta sentindo algo muito forte por Regina e julgando que ele não sentia isso por você porque você não sentia isso com ele e por isso todas as noites você sonha que esta atirando nele e o matando. É uma forma de o seu subconsciente te dizer o que você pensa a todo minuto que é que ficando com Regina você esta o matando aos poucos de dentro de si, você esta deixando de ama-lo para amar Regina, mas ninguém nunca ira se comparar ao Neal, ninguém nunca ira substituir o espaço dele e tenho toda certeza que Regina não quer isso. Ela não esta com você para ser uma sombra de Neal e sim ser alguém que esteja ao seu lado- Zelena falou encarando Emma- E ninguém que chegar depois de Regina ira se sentir de forma diferente e eu quero que você tente não pensar nessa forma e sim em como é bom esta viva e pode sentir essas sensações, a cada minuto Emma você sente algo novo, algo que só sentira se permiti e eu quero que você se permita sentir e lembra que todos os dias a vida é uma nova chance e que você deve sentir isso por eles.

- Eu posso tentar, mas não garanto – Emma falou olhando para o chão- Você esta com medo de que eu me mate e por isso esta tentando essa abordagem?

- Claro que não Emma – Zelena falou sorrindo- Estou tentando fazer isso para que você melhore de verdade.

- Certo – Emma falou olhando para o chão corada, nada iria trazer Mia de volta, ela estava morta e nada poderia ser feito.

- Sobre a Mia, todos temos a impressão Emma que quando um bebe morre ele morre sem sonhos ou lembranças. É por isso que a morte de uma criança é tão trágica. Quando ela nasce, desejamos que saiba tudo que sabemos sobre a vida. Sei que é difícil para você saber que ela ainda não se perguntou por que há estrelas no céu, nunca cantou uma musica ou sorriu de verdade até perder o ar. Ansiamos que tenha a oportunidade de ser mais feliz do que jamais fomos e acabamos enchendo essa nova e diminuta vida de esperança e quando ela morre um pouco da nossa esperança morre junto- Zelena falou e Emma comentou a se sentir bem com a conversa, mas tinha que para por aqui, não aguentaria falar mais uma palavra sobre a Mia e Zelena estava totalmente certa.

- Eu posso ir agora? Sei que temos mais vinte minutos, mas acho que não posso continuar aqui – Emma falou limpando as lagrimas que insistia em cair sem força-la.

-Claro – Zelena sorriu e se levantou levando o bloco até a mesa e o deixando ali- Eu realmente gostaria que você pensasse no que foi dito e que tentasse trabalhar com isso. Gostei realmente de trabalhar com você e acharia que conseguiríamos melhorar isso, mas se não se sentir confortável esse é o numero do meu sócio e ele poderá te atender e sem nenhum ressentimento comigo – Zelena falou abraçando Emma de forma amigável e depois a soltando- Espero que fique bem até nossa próxima conversa.

- Obrigado –Emma falou devolvendo o numero do sócio dela- Eu gostaria de continuar com você, caso mais para frente algo me incomode eu o procure.

As duas se despediram de forma amigável e Zelena acompanhou Emma até a porta se despedindo dela e dando um pirulito de maça para Emma como se ela fosse uma das pacientes pequenas, claro que ali não era mais a doutora Mills e sim a Zelena. Emma gostou da forma que tinha sido tratada com Zelena e a conversa, acho que tudo tinha ficado de uma maneira não pesada já era difícil ter que dar o braço a torce e ir trás de ajuda e agora se sentia bem pela escolha.


Notas Finais


Comentem por favor ajuda muito sempre.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...