História A magia dos olhos cor de mel - Capítulo 5


Escrita por: ~ e ~Kireiiiiii

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Originais, Yaoi
Exibições 10
Palavras 1.366
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Então, por favor não me matem pela mor de alguma coisa!!!! *implorando de joelhos* eu to entregando um capítulo novo para vocês continuando nossa história. Mas tenham certeza de uma coisa, eu não vou abandonar a fic ok?? Nem que eu tenha que arrastar a Kireii junto nessa bagaça!! >u<

Capítulo 5 - O choque de realidade


Brian não esperava que seu pai chegasse tão cedo, "Tem alguma coisa muito errada nessa casa e não é o Nicolas. Eu preciso descobrir o que é."

Enquanto isso o mais novo havia parado de chorar, mas ainda se sentia culpado. De repente ele ouve um barulho de carro e olha pela janela.

- Ele chegou.- Disse o rapaz no escuro.

Ele agora estava apavorado, ele não queria que seu pai lhe batesse novamente, mas ele sabia que era inevitável e que ele merecia isso.

- Brian, Nicolas, Venham jantar!!

Nicolas lavou seu rosto do choro e desceu as escadas com receio, no caminho olhou para seu irmão. Seu irmão estava meio estranho, mas não comentou nada..

Assim que chegaram na sala o pai deles deu um sorriso.

- Finalmente você voltou meu filho.

Ele abraçou Nicolas que achou estranho, mas não deixou transparecer.

Depois disso, foram para a mesa de jantar. Enquanto comiam, ninguém falava nada até que Nicolas perguntou:

- Pai, eu posso passar alguns dias na casa de um amigo meu?

- Quem?

- É o Thomas, eu o conheci no hospital.

- Se os pais dele concordarem você pode ir.

Tanto Nicolas quanto Brian ficaram surpresos, seu pai nunca tinha o deixado dormir na casa de ninguém.

- Sério mesmo?

- Sim, mas eu quero conhecer esse rapaz primeiro.

- Certo.

Nicolas nunca esteve tão feliz, mas Brian sentia que alguma coisa estava errada.

- O que o senhor está pretendendo fazer? - Disse Brian para seu pai.

- Eu não estou planejando nada, só quero que meu filho durma na casa do amigo.

" Nada? Eu te conheço, o senhor sempre está com alguma coisa em mente e eu descobrir o que é. " Brian não reparava mas estava começando a se preocupar com seu irmão.                        

O resto do jantar seguiu tranquilo, estava tudo parecendo ir bem, menos para Brian que ainda estava tentando entender a atitude de seu pai. Depois que Nicolas saiu da mesa, Brian resolveu interrogar o pai:

- Tá bom, ele já saiu da mesa. O que está pensando?

- Meu filho, assim você me ofende, como pode pensar que eu poderia estar planejando algo contra seu irmão?

Brian resolveu cair na armadilha porque não estava indo à lugar nenhum:

- Ok, então vou indo dormir.

- Antes, você sabe quem é o tal amigo do Nicolas?

"Então realmente tem algo por trás disso."

- Não conheço, por quê?

- Nada não, apenas curiosidade.

Brian saiu de lá, subiu as escadas e bateu a porta do seu quarto, mas continuou do lado de fora para escutar a conversa.

- Tá bom querido, os meninos já subiram, o que você tem em mente?

- Ora amor, nosso filho conseguiu um amigo novo. Por que não podemos usar isso a nosso favor?

- Como assim?

- Só digo que Nicolas voltará para nossos braços em breve.

"Parece que algo grande irá acontecer". Pressentiu Brian, o que ele não esperava era estar tão certo disso.

Nicolas nunca esteve tão contente, seu pai tinha finalmente deixado ele dormir na casa de um amigo. Ele pegou o celular e digitou o número de Thomas.

- Alô?

- Thomas? É o Nicolas.

- Ah, oi Nicolas! Chegou em casa bem?

- Sim. Tenho novidades para te contar.

- O que?

- Meu pai deixou eu dormir na sua casa.

- Que bom!

- Ele só pediu para te conhecer primeiro.

- Por mim tudo bem.

- Então você poderia me acompanhar até a minha casa amanhã?

- Claro! Mas como você está com isso tudo?

- Eu nunca estive tão feliz!! Meu pai sempre implicou sobre meus amigos- "Não que eu tivesse algum" pensou - a única amiga que apresentei para ele foi a Lindsay.

- Uau! Por que será que ele deixou dessa vez?

- Peso na consciência?

- Talvez, mas é melhor você ter cuidado.

Nicolas corou um pouco.

- Tu-tudo bem.

"Por que gaguejei?!" Pensava nervoso.

- Bem, ja vou indo, até amanhã.

- Até amanhã.

O garoto desligou o telefone estava muito feliz. Parecia que depois de muito tempo tudo estava dando certo em sua vida.                        

No dia seguinte, Nicolas acordou animado preparado para a escola. Ele estava ansioso para reencontrar seus amigos. Após se arrumar ele desceu para a cozinha, tomou seu café e foi para a escola junto com Brian muito calado. Isso deixava seu irmãozinho mais curioso e preocupado com ele, pois o mais velho sempre fazia piadas a todo tempo.

- Tem algo errado? - Disse Nicolas um pouco nervoso. - Você tem estado muito quieto desde ontem.

Brian nem tinha percebido isso." O que está acontecendo comigo? " então respondeu:

- Nada.

O menor resolveu não insistir mais nesse assunto, ficando quieto.

Quando chegaram na escola, cada um foi para a sua sala. Nicolas ficou meio decepcionado pois não tinha visto Thomas e muito menos Lindsay pelo caminho. Assim que chegou na sala, várias pessoas o encaravam deixando ele tão envergonhado que correu para o seu lugar.

Permaneceu de cabeça baixa até o professor chegar na sala, depois de mais de uma hora a aula tinha terminado.

De repente, alguns garotos se reuniram ao redor da mesa de Nicolas.

- Oi, princesa.

Nicolas resolveu continuar de cabeça baixa, fingindo que não ouviu.

- Ei mocinha, estamos falando com você.

Um dos garotos pegou no cabelo de Nicolas e o puxou, fazendo-o levantar a cabeça e soltar um pequeno gemido de dor.

- Olha para mim quando eu estiver falando com você.

Nicolas com medo, apenas sussurou:

- Me solte por favor...

O garoto riu se divertindo com a desgraça do rapaz.

- Agora ele fala gente!!

O rapaz puxa ainda mais o cabelo e sussurra no ouvido dele:

- Olha garoto, vou te deixar sair porque não quero me tornar uma bicha que nem você. Mas saiba que ninguém nunca irá te aceitar. Você não é normal, ninguém nunca poderia amar alguém tão horrível, não concorda?

Depois disso, Nicolas foi empurrado caindo da cadeira e os garotos saíram da sala. Totalmente com medo sai correndo pelo corredor na direção oposta a que eles foram. Ele

continuou correndo e subindo as escadas até chegar ao terraço da escola onde desabou no chão com medo e ofegando. "Não importa quanto tempo passe, isso nunca irá acabar." Pensava o pobre garoto, ele se sentia solitário e deprimido. " Será isso um castigo de Deus por eu ser assim?"

Enquanto isso Brian estava sentado com seus amigos conversando.

- Mano, a série supernatural é muito foda cara!

- Prefiro Stranger Things.

- Mas essa série não tem nada demais!

- Tem sim, e esse supernatural? São dois irmãos caçando monstros, que coisa original! Scooby doo já fazia isso antes.

Brian estava muito quieto e pensativo, um dos seus amigos reparou isso:

- Ei Brian, o que você tem?

- ...

- Brian?

- ......

- BRIAN!?

- Oi!? Que foi?

- Você está muito distraído hoje que foi?

- Não é nada.

- Se fosse nada você não estaria aí com essa cara, conta o que houve.

- Já falei que não aconteceu nada!

O garoto se levantou e resolveu sair o terraço esfriar a cabeça. Enquanto subia as escadas ele escutou um choro baixo. Assim que chegou lá vê que era seu irmão, sem saber direito o que fazer, resolveu pegar o telefone e ligar.

- Ele está aqui no terraço e não parece bem.

- Ele quem? Com quem eu to falando?

- Nicolas.

Logo que falou isso, ele desligou o telefone e foi embora. Depois de alguns minutos, Nicolas, cansado, se preparava para ir embora quando ouviu a porta se abrindo, ele olhou para ver quem era.

- Thomas... o que faz aqui?

- Eu ouvi que você estava aqui.

Nicolas ficou curioso.

- Co-como você soube?...

Thomas se abaixou e o abraçou.

- Eu recebi uma ligação estranha, mas isso não importa, você está bem?

O menino retribui o abraço.

- Melhor?

- Sim, obrigado. - respondeu envergonhado ao perceber o que fez.

- O que houve?

- Nada - Ele não queria deixar o outro preocupado.

- Nada? Então por quê estava chorando?


Notas Finais


Esse foi o capítulo, quero agradecer muito a ~CORDUROYLUCY, ~HalliwellFoster, pelos seus comentários (a gente nunca irá abandonar ok?) e a todos os favoritos dos nossos leitores fantasmas. Por enquanto é isso, e não se preocupe a gente irá postar outro cap e não vai demorar mais de um mês. Eu prometo!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...