História A Marca do Assassino - Parte 1 - O Cajado Da Vida - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 10
Palavras 1.234
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção, Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - O Refúgio


Eu odeio dormir. Quer dizer, dormir é legal. Os sonhos, nem tanto.

No meu sonho, eu ouvia coisas confusas. Gritos de dor e desespero. Uma voz áspera e carregada de maldade. Uma voz doce e tranquila que eu conhecia bem. Vejo uma casa pegando fogo. Depois estou lutando contra um deus. Vejo minha casa, minha família reunida. Por fim, estou debaixo de uma árvore, deitado no colo de uma menina de olhos verde.

Foi aí que eu voltei à minha triste e miserável vida.

Acordei no meu quarto no Refúgio. Levantei-me e fui ao espelho. Cara, eu tava uma merda. Meu cabelo preto estava bagunçado. Abaixo dos meus olhos cinza, podia se ver olheiras gigantes. Eu parecia mais magro.

Ah, por sinal, oi. Meu nome é Dennis Parker. Tenho 17 anos, e eu sei o que você deve estar pensando. “Ah, uma história com um protagonista adolescente, que surpresa”. Primeiro: Eu não sou um personagem. Eu sou real, e estou aí fora. Talvez esteja passando em frente a sua casa nesse exato minuto. Segundo: Minha história é real. Se você não acredita, fico feliz que a Névoa esteja fazendo seu trabalho.

Saí do meu quarto e me deparei com a multidão do Refúgio. Quase 1000 incríveis guerreiros com incríveis habilidades.

Ok, explicações. Deuses existem. Todas as histórias de seres espetaculares são reais, não importa se gregos, ou romanos, ou egípcios, ou o que seja. Algumas histórias são mais conhecidas do que outras. A do Refúgio é uma das histórias menos conhecidas pela raça humana (Nós!).

Quando eu nasci, eu fui abençoado por um deus. Só fui descobrir isso aos 14 anos. E então, um cara veio e me trouxe até o lugar onde hoje eu moro. O Refúgio. Aqui só moram pessoas que foram abençoadas por deuses, guerreiros, cuja função é tentar manter o mundo em equilíbrio.

Fui para a cantina. Bem, o nome do lugar onde os guerreiros comiam no Refúgio não era cantina, mas todo mundo chamava de cantina. Parecia apropriado. Avistei meus amigos conversando numa mesa ao canto da sala. Peguei meu prato e fui me sentar com eles.

_Bom dia._ Disse Jane ao me ver.

_E aí._ Falou Dave.

David e Jane Farrar. Eles eram irmãos. Dave é um cara musculoso, de pele escura e olhos cor de mel, tinha um ano a mais que eu. Jane tem cabelos encaracolados, olhos cor de mel e tinha 15 anos. David chegou ao Refúgio na mesma época que eu. Foi a primeira pessoa a conversar comigo. Jane chegou um ano depois de Dave e de mim. Os pais deles morreram num incêndio, então ela veio para o Refúgio.

Sentei-me ao lado de Jane.

_Ouviu os boatos?_ Perguntou Dave.

Olhei pra ele.

_Eu tenho cara de quem ouve boatos.

Jane deu um sorrisinho.

_Dizem que o Panteão vai se reunir hoje._ Disse ela.

O Panteão. É o nome dado ao conselho dos deuses. No total, são 12: Lumnus, o deus da luz; Ringo, o deus do tempo; Careda, a deusa do cosmos; Forge, o deus do fogo; Linfira, a deusa da terra; Faner, o deus das tempestades; Wasteri, a deusa da água; Ellari, a deusa do céu; Magnum, a deusa da magia; Arvânio, o deus da guerra; Absorum, o deus da escuridão; e Auro, o deus das riquezas. Forge foi o deus que me abençoou. Jane e Dave foram abençoados por Linfira.

_Por quê?_ Perguntei. _Quero dizer, não está na época do Conselho.

Dave deu de ombros.

_É primeira reunião desde a Guerra fora da data do conselho.

A Guerra. O divisor de águas para o Panteão. Nem sempre o Panteão contava apenas com 12 dos grandes deuses. Mas o deus da destruição, Lamanaski, se rebelou e começou a matar os outros deuses. Alguns foram para o lado dele. Assim, os guerreiros do Refúgio se uniram para derrotar Lamanaski e seu exército.

Eu fui o responsável pela morte do deus da destruição. Havia uma profecia que dizia que deveria ser um mago de fogo a derrota-lo. Como eu era o único mago de fogo da época, foi eu quem lutou contra Lamanaski.

O que é um mago de fogo? Um mago que foi abençoado por Forge. Os guerreiros do Refúgio são divididos em quatro classes: Mago, Titã, Arqueiro e Armeiro. Magos se utilizam de magia para lutar. Titãs se utilizam da força física. Arqueiros são tipo suportes no campo de batalha. Armeiros se utilizam de armas encantadas no campo de batalha. Jane é uma Arqueira, e Dave é um Titã.

A porta da cantina se abriu. Olhei para ver quem estava entrando.

Charlie Normand. Ele é o líder do refúgio. Tem olhos azuis, cabelos loiros e pele clara. Tem 40 anos de idade, é um Armeiro e foi abençoado pelo deus da guerra, Arvânio. Em sua cintura, pendiam duas lâminas de ouro de 45 centímetros. Eu sabia perfeitamente que as duas lâminas eram encantadas.

_Charlie._ Chamei.

O líder do Refúgio veio até nossa mesa e nos cumprimentou.

_É verdade?_ Perguntou Jane. _O Panteão vai se reunir hoje?

Charlie suspirou.

_É._ Confirmou. _Daqui a pouco eu explico melhor.

_Tem algo a ver com...?_ Dave olhou para mim, e eu soube imediatamente o que quis dizer.

_Não sei._ Declarou Charlie. _Vou descobrir tudo isso hoje. Agora, se me dão licença...

E se dirigiu à mesa dele, que ficava de frente para todas as outras. Dave se virou para mim.

_Desculpa por falar sobre a Marca.

Olhei para o meu braço, prestando atenção nas linhas que marcavam meu corpo. A Marca do Assassino. Quando derrotei Lamanaski, herdei essa maldição dele. Basicamente, a Marca aumenta meus poderes de forma absurda, mas também tenta me controlar. Precisei de muito treinamento para não deixar a Marca me controlar. É uma história para outro dia.

_Tudo bem._ Falei. _Não me incomoda.

_Acha que é possível?_ Perguntou Dave. _Que eles falem sobre você?

Dei de ombros e franzi a testa.

_Por que seria?

_Bem, você é o nome mais falado no Panteão. Charlie já te disse isso._ Declarou Jane, o que era verdade. _Você derrotou Lamanaski, é portador da Marca do Assassino, fez um pacto com Forge.

Sim, eu fiz um pacto com o deus do fogo, você não leu errado. Eu tinha apenas 15 anos quando lutei com o deus da destruição, e não tinha poder suficiente para vencê-lo. Por isso, pedi a Forge para que ele aumentasse meus poderes ao máximo... por um preço. Todos os meus entes queridos fora do Refúgio iriam se esquecer sobre mim. Minha namorada, meus amigos, meus pais. Era como se eu nunca tivesse existido para eles. Só assim, fui capaz de vencer o deus da destruição.

Charlie se levantou, e todos os outros guerreiros se levantaram também. Houve uns cinco segundos de silêncio até que o líder do Refúgio se pronunciou.

_Guerreiros. Hoje haverá uma reunião no Panteão. Os deuses se reunirão, e eu estarei lá para representar o Refúgio.

Houve um burburinho, que rapidamente se cessou. Charlie continuou a falar.

_Mesmo assim, hoje ainda haverá a competição de duelo de trios. Portanto, sugiro que se preparem.

Dave, Jane e eu nos entreolhamos, sorrindo. O duelo de trios era uma competição onde três guerreiros duelavam contra outros três, usando seus poderes e habilidades. Geralmente, ocorria a cada duas semanas. Nós três não perdíamos a cinco edições.

Charlie concluiu o seu discurso, e assim, os guerreiros do Refúgio foram se preparar para a competição.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...