História A Máscara - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Mistério, Romance, Suspense, Terror
Visualizações 2
Palavras 1.499
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oi, amores. Boa leitura.

Capítulo 15 - Grand Finale??


Fanfic / Fanfiction A Máscara - Capítulo 15 - Grand Finale??

Kristen acordou em uma espécie de galpão, sua cabeça estava doendo, mas não havia sinais de que ela havia machucado a cabeça. Com alguns segundos, ela recuperou a consciência. Seus braços estavam amarrados e havia algo na sua boca. O assassino havia pegado ela. Ela olhou tentando achar ele, mas sua posição não ajudava muito. Ela viu o galpão se abrindo, ele rangia e parecia precisar de muita força para abrir, coisa que Kristen não tinha, então, sair correndo e procurar ajuda não era uma opção. Ela apertava os olhos contra a luz, só conseguia enxergar a silhueta dele ou dela. Ele fechou o portão e percebeu a movimentação de Kristen. Que agora estava apavorada, ele acendeu a luz e ela pode ver aquela máscara. A aquela máscara que lhe dava arrepios, aquela máscara que fez ela ter diversos pesadelos. Agora parecia ter sangue nela. Ela gritou, mas o som foi abafado pelo pano que estava em sua boca. Ele caminhou até ela, dando lentos passos, e fez sinal para ela fechar a boca, ela havia visto árvores por perto. Então, sabia que poderia estar em qualquer lugar de MountainWood, lá tinha 80% mata e 20% cidade. O que apenas piorava sua vida, ele se afastou dela, e chegou perto de um balcão de madeira. Ele pegou o facão, e começou amolar. Ela queria chorar, mas sabia que chorar não iria adiantar nada, ela tinha que deixar ele acabar com ela. Talvez, quando isso acontecesse, ele iria parar de ir atrás de seus amigos. Aquele deveria ser o Grand finale. Aonde ela iria morrer, e tudo isso acabar, Kristen tentou não se apavorar com isso.

Ele parou de amolar o facão, deixou ele em cima do balcão, e chegou perto dela de novo. Tirou o pano que estava em sua boca e ela disse:

- O que você quer de mim? Por que está fazendo isso? O que eu te fiz?

Ele pegou um alterador de voz e disse com uma voz computadorizada:

- Por que? Porque é divertido.

Ela tentou captar sua voz verdadeira, mas não conseguiu. Sua respiração estava ofegante e seu coração acelerado.  Lágrimas começaram cair de seus olhos, e ele sentou em uma cadeira na sua frente. Ela tentou dizer para si mesma "tudo bem, Kristen. Tudo bem, a faca está no balcão. E ele está desarmado. Logo seu amigos vão te encontrar e você vai para casa com seus pais." Mas não conseguia, não conseguia visualizar ela saíndo dali viva. Ela poderia estar em qualquer lugar de MountainWood, ela podia estar em qualquer lugar do Oregon. Não seria fácil acharem ela, mas ela não iria desistir de viver. Ela observou sua proximidade, e pensou em chutar a cadeira. O portão não estava totalmente fechado, e ela poderia tentar sair.

Ela respirou fundo, contou até dez, e fez exatamente isso. Ele desequilibrou e caiu, ela pensou em ver quem era, mas não tinha tempo para isso, estava muito ocupada tentando salvar sua vida. Ela chegou perto do portão pulando, e ela agradeceu mentalmente a sua mãe por colocar ela nos ensaios do time da corda. Com as mãos amarradas, ela tentou abriu o portão, mas era pesado demais para ela. Ele se levantou, e pegou ela, ela ainda tentava sair pela pequena fresta. Kristen gritava. Ele puxou Kristen, e jogou ela na cadeira, que cambaleou um pouco, mas não caiu. Ele pegou a faca e ela gritou:

- Não, por favor. Não, por favor. Me perdoa.

Ele colocou o pano na sua boca novamente e ela tentava gritar, se mexendo para ele não lhe atacar. Ele rasgou a manga da blusa de Kyle, que ela tinha pegado emprestada. Ele pegou o braço dela, e rasgou com força. Kristen deu um grito, e viu seu sangue descer, não deveria ter feito aquilo, mas ela estava tão perto...

Seu sangue escorria pelo braço e ela virou o rosto para não ver, seu corpo tentava se acalmar, e ela respirava fundo, seu corpo tremia há cada movimento dele. Tentava lentamente desamarrar as mãos, mas o nó parecia mais firme. Ele parecia cortar alguma coisa, talvez uma cenoura, as rodelas rodavam um pouco no balcão antes de caírem. Kristen observava isso tentando descobrir o que ele estava fazendo. Uma das rodelas caiu e rolou até ela, ele se virou e caminhou para pega-las, e Kristen tentou não se apavorar com a aproximadade dele. Uma parte de seu cabelo estava no seu rosto, depois de pegar a rodela, ele - com as mãos sujas de sangue - pegou seu cabelo e colocou para trás, fazendo Kristen prender o ar. Uma vibração veio do seu bolso direito, e ela ficou feliz ao perceber que ele não tinha pegado o seu celular, ela tentou pegar ele com as mãos amarradas, mas teve dificuldade. Depois dela ter tentado fugir, ele prendeu ela na cadeira com uma corda, fazendo os seus movimentos ficarem mais limitados. Ela forçou o braço para baixo, fazendo o corte roçar da corda, ela conseguiu pegar o celular, mas as mãos estavam suadas demais, fazendo o celular deslizar. O barulho do celular caindo chamou a atenção do assassino, que viu o celular caído e foi pegar ele, pegou o aparelho e mexeu ele na frente dos olhos de Kristen. Ele caminhou até o alterador de voz, seus passos faziam Kristen se arrepiar. Com o alterador de voz nas mãos, ele disse:

- Hahaha, Kristen, Kristen. Você está bem encrencada.

Ele pegou a faca e passou ela pelo balcão. Aquelas palavras ecoaram pela sua cabeça com uma estranha familiaridade, ela apertou os olhos e tentou achar algo de familiar naquela pessoa. Não conseguia descobrir o que era, estava na ponta da língua - como sua mãe diria - mas não conseguia encontrar. Talvez fosse apenas uma sensação, ela tentou pensar assim. O assassino pegou o celular de Kristen, e apertou play em um vídeo. Era Luce, alguns minutos antes de morrer. Ela estava amarrada em uma árvore, a mesma árvore que ela encontrou ela sufocada. Ela conseguia escutar a voz doce dela pedindo para tirar ela dali. Por que ela não gritou? O vídeo acabou e ele se afastou. Ele tirou o pano da boca dela, ela engoliu em seco e disse:

- Por que ela não gritou?

- Ela sabia o que aconteceria se ela gritasse. Acho que você sabe também.

Aquela voz lembrava ela da voz do Darth Vader. Ele abriu o portão, e ela viu que já estava de noite, uma noite muito linda. Fazia horas que estava ali, e cada segundo parecia uma hora.

- O que você vai fazer comigo?

- Depende dos seus amiguinhos, eles têm... 20 minutos para chegar aqui.

- Se não?

- Se não, você morre. - Disse o assassino com um tom sádico na voz.

- Por que está fazendo isso?

- Kristen, Kristen. Você está perto demais do quebra - cabeça para ver o que ele forma.

- P-para que as cenouras?

Ele não respondeu, a voz dela falhando, ela contava os minutos. Ela pedia para eles chegarem rapido, contava os segundos que agora pareciam passar mais rápido. Pelas suas contas faltavam apenas 10 minutos. Ele estava amolando a faca e não respondia sua perguntas. Pensava aonde seus amigos estariam. Em um carro tentando achar ela? Ou em casa sem saber o que estava acontecendo? Ela poderia estar em qualquer lugar, uma floresta no meio do nada em MountainWood? Era a coisa mais comum do mundo. Mas ela precisava acreditar que eles iriam aparecer, precisava manter a respiração normal. Afinal, ela só estaria em perigo se eles não chegassem em 10 minutos, talvez eles estejam mais perto do que ela pensa.

Ela pensou no que o assassino disse para ela "Você está perto demais do quebra - cabeça para ver a imagem que ele forma." Mas como ela se afastaria desse quebra - cabeça? Quanto tempo demoraria para isso acontecer? Ela tinha saudade de sua vida, saudade de quando o seu maior problema era se conseguiria entrar na faculdade de Chicago. Estava tudo tão... Difícil, como a sua vida se transformou naquilo tão rápido? O assassino largou a faca e disse:

- Faltam 2 minutos.

Ele abriu o portão e saiu, deixando ela ali sozinha. Ela estava bem amarrada, não conseguiria sair. Tinha chegado a hora de seu fim, ela não estava triste por seus amigos não terem aparecido. Talvez eles tentaram. Passou por sua cabeça seus amigos, seus pais, o beijo que tinha dado em Kyle - se soubesse que seria o último, teria aproveitado mais - sua vida toda passou por sua cabeça. Ela fechou os olhos, e escutou a voz familiar de Bailey. Imaginou estar tendo alucinações e abriu os olhos, era ela mesma, junto com com Josh e... Robbie? Ela estranhou um pouco a presença do vizinho mas não disse nada. Eles tiraram ela dali, e ela mostrou para aonde o assassino foi, mas ele já havia fugido. Mergulhado na escuridão da floresta a noite. Bailey tirou algumas fotos e pegou as coisas que estavam no balcão: O alterador de voz, o celular de Kristen e um facão. 


Notas Finais


Esse capítulo ficou um pouco maior que os outros por que eu me empolguei um pouco rsrs. Espero que tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...