História A MELHOR PARTE DE MIM. - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Boruto Uzumaki, Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Himawari Uzumaki, Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Jiraiya, Kakashi Hatake, Kiba Inuzuka, Kurenai Yuuhi, Kushina Uzumaki, Minato "Yondaime" Namikaze, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sai, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Tsunade Senju
Tags Sasunaru, Yaoi
Exibições 145
Palavras 3.569
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Hentai, Josei, Lemon, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa noite-minnna-chan!
Boa leitura para vocês, e espero que gostem do meu hentai porque ele e o meu primeiro em versão yaoi <33’
Beijo da mikka-chan de arco-íris para vocês X)
Todos os dias tem capítulos novos!! *--*

Capítulo 4 - QUEBRANDO AS REGRAS.


Fanfic / Fanfiction A MELHOR PARTE DE MIM. - Capítulo 4 - QUEBRANDO AS REGRAS.

O bar de churrascaria estava na moda, mas não ao ponto de termos que gritar para nos ouvir. De qualquer jeito, eu estava mesmo era apreciando minha vista. Sentado atrás de prato de churrasco. Sasuke era o retrato de cavalheiro inglês. Um cavalheiro inglês incrivelmente sexy. A promessa de sexo tinha ficado para trás, lá no elevador. Ele sabia como baixar a temperatura do mesmo jeito que conseguia me excitar quando queria.

_ Como um japonês veio parar em uma universidade tão longe de casa?

Espetei um pouco da minha salada com carne, mas preferi tomar um gole de suco de laranja.

_ Vacilei um pouco depois do colégio. E-eu...- Fechei os olhos por um instante.- A verdade é que eu estava completamente perdido, por um monte de razões.- Respire fundo para acalmar o nervosismo que aparecia todas as vezes que tinha que falar desse assunto.- Com alguma ajuda para me organizar e encontrar um foco, descobrir que me interessava por moda. Fiz inscrição para vir para cá e, por algum milagre, fui aceito na universidade de Londres. Meus pais ficaram tão felizes em me ver motivado que me mandaram com bênçãos. Tenho uma tia-avó que vive em Londres, a tia Tsunade. Mas fora ela, estou por conta própria.

_ Mas você está fazendo pós-graduação agora?- O Sasuke parecia estar genuinamente interessado em saber o que eu fazia por ali, então continuei falando.

_ Bom, quando terminei a graduação em Moda, decidi tentar uma pós-graduação em Design. E fui aceito de novo. – Espetei um pedaço de carne com o garfo.

_ Arrependimentos? Você soou um pouco triste enquanto falava.- A voz de Sasuke era muito suave quando ele queria.

Observei a boca dele e imaginei como seria tê-la apertada contra a minha, me forçando a aceitar o beijo.

_ Por vir morar em Londres?- Balancei a cabeça, em negativa.- Nunca, eu adoro morar aqui. Na verdade, vou ficar arrasada se não conseguir um visto de trabalho depois que terminar o mestrado. Considero Londres minha casa agora.

Ele sorriu para mim.

Você é bonito demais, Sasuke Uchiha.

_ Você encaixa bem aqui... Muito bem. Tão bem, que só percebi que não era ingleso quando começou a falar, mas... Jeitinho americano e tudo, você se mistura mesmo assim.

_ Um jeitinho, é?

_ Um ótimo jeitinho, Naruto- ele sorriu do outro lado da mesa, os olhos ônixs brilhando.

_ E você? Como Sasuke Uchiha virou presidente da Uchiha Security Internacional, Ltda.?

Ainda com roupas de trabalho, um terno cinza-escuro chique, que certamente custava mais do que o meu aligue, ele deu um gole na cerveja e lambeu o cantinho da boca.

_ Qual sua história, Sasuke? E sabia que você tem um jeitão, em contraste com o meu jeitinho!- debochei dele.

Sexy, levantou uma sobrancelha.

_ Sou o mais novo de dois filhos. Meu pai criou meu irmão e a mim sozinho. Ele era motorista de táxi e me levava com ele quando não tinha aula.

_ Então foi por isso que você não precisou de instruções para chegar ao meu apartamento. Ouvi falar dos testes que os taxistas daqui fazem para poder trabalhar. São bizarros!

Ele sorriu novamente.

_ Pois é, A Sabedoria. Muito bem, Naruto. Para um americano, o senhor está muito bem informado sobre as coisas peculiares da cultura britânica.

Dei de ombros.

_ Vi um programa na televisão sobre isso. Era bem engraçado, aliás.- Me deu conta que tinha desviado do assunto..- Desculpa te interromper. Então, o que você fez quando terminou a escola?

_ Fui para o serviço militar. Por seis anos. Quando saí abri a empresa, com a ajuda de alguns bons contatos que fiz enquanto tive alistado.- Ele me olhou daquele jeito como se estivesse viajando, e não parecia continuar a falar.

_ Que ramo de serviço militar?

_ Forças especiais, reconhecimento, principalmente.- Não deu mais detalhes, mas sorriu, enigmático.

_ Você não se abre, senhor Uchiha.

_ Se eu te contar mais, vou ter que te matar, e isso ia quebrar minha promessa.

_ Que promessa? Perguntei, inocente.

_ Que eu não sou um serial killer- respondeu, enquanto buscava mais um pedaço de carne dentro daquela boca linda, e começava a mastigar.

_ Graças aos deuses! Não gosto da ideia de dividir um prato de carne com um assassino.

Sasuke engoliu e sorriu de novo para mim.

_ Muito engraçadinho, moçinho. Você é muito espertinho.

_ obrigado, senhor Uchiha, faço meu melhor.- Ele me desmontava tão facilmente com seu charme, que eu realmente me esforçava para mantê-lo ligado. Sasuke conseguia virar a conversar a seu favor em um instante.- O que você faz na sua empresa?

_ Segurança, principalmente para o governo britânico e alguns poucos clientes particulares internacionais. Neste momento, estamos enlouquecidos com os Vips. Cm tanta gente vindo para Londres, especialmente nesse mês... É um desafio.

_ Aposto que sim.

Sasuke apontou para minha salada com a faca.

_ Trago você ao melhor restaurante da cidade para se comer um belo filé de primeira e o que você faz?- balançou a cabeça em reprovação.- Você pede uma salada.

Eu ri.

_ Tinha pedacinhos de filé nele. Não importa, não consigo evitar, detesto ser previsível.

_ Posso fazer uma pergunta pessoal, Sasuke?

_ Tenho a sensação de que você vai fazer de qualquer jeito- respondeu, seco.

Sinceramente, queria saber. Essa impressão já vinha se formando na minha cabeça havia uns dois dias.

_ Você coleciona quadros de semi-nus ou outra coisa assim?

_ Baixei os olhos para o meu prato.

_ Não-  respondeu imediatamente.- estava fazendo a segurança da galeria naquela noite. Havia alguns convidados importantes lá, achei melhor fazer uma aparição, sabe? Tenho empregados para o trabalho de campo.- Fez uma pausa.- Mas estou muito feliz em ter ido, porque vi sua foto.- A voz dele soou leve, divertida.- Eu fiquei com vontade de ter para mim, então comprei.

Podia sentir os olhos dele me chamando. Levantei os meus.

_ Ah!

_ Aliás, eu ouvi o que você e Haruno comentaram sobre minha mão. – Deu uma batidinha na orelha.- Aparelhos de segurança sofisticados fazem parte do meu trabalho.

Deixei o garfo cair no prato e devo ter saltado pelo menos uns 20 centímetros na cadeira. Ele sorriu e ficou impassível, sexy demais para estar ali comigo. Estava tão morto de vergonha que queria sair correndo pela porta.

_ Sinto muito que você tenha ouvido.

_ Não sinta, Naruto. Evito mesmo usar a mão para me aliviar, especialmente quando existem outras opções tão mais adoráveis.- Pegou no meu queixo e senti a temperatura do corpo subir no mesmo instante. Opa... Respira, Naruto, respira.- Como você.

E continuou, sussurrando:

_ Quero você de verdade. Debaixo de mim. Quero gozar com você.- Não afastou os olhos dos meus nem por um instante. Tampouco soltou meu queixo. Ele segurou firme , para ter certeza que eu estava prestando atenção.

_ Por quê, Sasuke?

Ele passou o polegar pela linha do meu maxilar.

_ Por que alguém quer alguma coisa? É simplesmente a maneira como meu corpo reage a você.- Revirou os olhos e comigo hoje á noite, Naruto. Deixa eu te mostrar.

_ Ok.- Meu coração começou a bater tão forte, que tive certeza de que ele conseguia escutar. E, simples assim, tinha acabado de concordar com algo capaz de mudar uma vida. A minha, com certeza.

No instantes em que as palavras saiu dos meus lábios, vi Sasuke fechar os olhos calmamente. Em seguida, os abriu de novo naquela atividade de sempre, focado em ditar o passo a partir dali; tudo contrastando bem com a conversa sensual que acabávamos de ter. Em minutos, ele fechou a conta e me guiou para o carro. O toque seguro dele nas minhas costas, me levando para um lugar onde ele poderia me ter. Só para ele.

Sasuke nos levou para um prédio lindo de vidro, que pairava acima do horizonte da cidade, formando um longo dos séculos. Moderno, mas com o toque elegante das construções pré-guerra britânicas.

_ Boa noite, senhor Uchiha,- O porteiro uniformizado cumprimentou o Sasuke e acenou educadamente para mim.

_ Boa noite, Sam- Sasuke respondeu suavemente. A pressão constante da mão dela nas minhas costas me guiou para dentro do elevador. Assim que as portas se fecharam, ele me virou e pressionou os lábios contra os meus. De novo, assim como no prédio da agência, senti o meu crescer na roupa. Começava também a ter uma ideia melhor de quem era o meu acompanhante. Reservando em público, Sasuke era todo cavalheiro, fino, educado. Mas entre quatro paredes? Cuidado!

As mãos dele estavam por toda parte. Não ofereci nenhuma resistência quando ele me empurrou para um canto. Meu corpo todo ficou quente e, ao mesmo tempo, meus pés pareciam não tocar mais o chão. Ele esfregou a língua pelo meu pescoço e meteu a mão dentro da minha blusa para brincar com meu mamilo. Engasguei com o toque das mãos dele explorando meu corpo. Arqueei o tronco, meu coração estava explodindo, apertando meu mamilo contra a mão e apertando.

_ Você e tão sexy, Naruto. Estou morrendo de tesão- falou bem no meu pescoço, a respiração na minha pele.

O elevador parou e as portas se abriram para um casal mais velho, esperando para subir. Eles olharam para nós e sinalizaram que iam no próximo. Tentei afastar o corpo dele do meu. Pela segunda vez no mesmo dia, me senti um puto, respirando sem fôlego ao lado de Sasuke, aos olhos de tudo e todos.

_ Aqui não, Sasuke, por favor.

Ele tirou a mão do meu peito e de dentro da minha blusa, e a levou até o meu pescoço. Senti o polegar dele desenhando um círculo invisível embaixo do meu queixo. Depois sorriu para mim.

O Sasuke pareceu feliz quando pegou a minha mão com a dele que estava livre e levou-a até os lábios para dar um beijinho. Droga, eu adorava quando ele fazia isso.

_ Você está certo Naruto, peço desculpas. Você me perdoar? É que você me faz esquecer onde estou.

Senti um frio na barriga. Concordei com a cabeça porque não conseguia fazer mais nada, suspirei:

_ Tudo bem.- O elevador, abençoado seja esse coração mecânico, continuou no ritmo, nos levando para o andar certo.

Imaginei o que ele faria comigo no momento em que entrássemos no apartamento. O Sasuke tinha me enfeitiçado completamente, e eu tinha quase certeza de que ele sabia disso.

Finalmente, chegamos á cobertura. A parada suave do elevador me deu mais uma vez aquele frio na barriga, ao mesmo tempo. O Sasuke encostava de novo a mão em mim. O homem era feito de tato- e me tocava sempre que podia.

Destrancou as portas de carvalho trabalhadas e empurrou uma delas, me convidando para entrar na casa de um homem. I ambiente principal era moderno, em tons de cinza e creme, com muita madeira painéis e outros objetos de decoração.

_ É muito bonito aqui, Sasuke. A sua casa é linda.

Sasuke tirou o paletó e o jogou sobre um sofá. Pegou na minha mão, e me levou até a parede envidraçada e um teraço, que dava vista para as luzes de Londres.- uma vista de tirar o fôlego.

Ele me virou, de costas para as janelas e de frente para ele, e deu alguns passos para trás. Por uns instantes, ficou só me olhando.

_ Nada é mais bonito do que você, de pé aí, neste momento, na minha casa, bem na minha frente,- Balançou a cabeça, parecendo praticamente desesperado.- Nada se compara.

Imediatamente, não sei por quê, tive uma vontade incontrolável de chorar. Sasuke era tão intenso; meu pobre cérebro lutava para dar conta de tudo isso. E foi quando ele começou a andar na minha direção, devagar, como um predador. Já tinha visto esse jeito antes. Ele podia ir devagar, rápido, com força, gentilmente- de qualquer maneira!-, sem nunca deixar de parecer muito natural.

Meu coração acelerou conforme ele se aproximava. A poucos centímetros de mim, parou e espetou. Precisei levantar a cabeça para encará-lo nos olhos. Era tão alto do que eu, que podia ver o tórax dele se movendo, respirando rápido também. Era bom ver que essa atração o afetava tanto quanto a mim.

_ Não sou tão bonito assim... É a lente da câmera- disse.

Ele desabotoou meu casaco verde e deslizou-o por trás dos meus ombros, até deixa-lo cair, fazendo um barulhinho suave ao pousar no chão de carvalho encerado.

_ Você está errado, Naruto. Você é lindo o tempo todo.

_ Puxou a camiseta preta pela bainha e a tirou por cima da minha cabeça. Levantei os braços para ajudar.

Fiquei de frente para ele, enquanto me devorava com os olhos ônixs apaixonados. Passou a mão pelos meus ombros e , com os dedos, traçou a curva dos meus mamilos. O toque, delicado e reverente, me fez doer de desejo, não conseguia mais me segurar.

_ Sasuke...- Inclinei-me para mais perto.

_ Que foi, baby? O que você quer? – ele virou minha cabeça para um lado, deixando meu pescoço á mostrar. Foi ali que me beijou. A combinação da língua com aqueles lábios macios era pura eletricidade. A sensação de prazer cresceu a um tal ponto que eu estava completamente perdido, estregue ao desejo. Não tinha mais volta: eu o queria. Demais.

_ Quero... quero tocar você.- Passei as mãos pela camisa branca e afrouxei o colarinho. Ele me abraçou e observou, enquanto eu desfazia o nó da gravata roxa; meus dedos se mexeram para cá e para lá e, em um minuto, ele estava no chão, na companhia do meu suéter verde. Comecei a desabotoar a camisa.

Ele assoviou quando meus dedos tocaram a pele exposta.

_ Porra, agora sim! Encosta em mim!

Joguei a camisa chique na pilha que crescia no chão. E pela primeira vez olhei para o peito dele nu dele e quase caí em prantos. O Sasuke era compacto, cheio de músculos, com um tanquinho arremessado por aquele músculo em V, o caminho da felicidade mais delicioso que eu já tinha visto na vida.

Inclinei-me para frente e encostei os lábios bem no meio do peito. Sasuke botou as mãos, uma de cada lado, na minha cabeça e segurou-a, como se não fosse nunca mais deixa-la escapar. A força dominadora que ele exercia era bem clara. Quando se tratava de sexo, quem mandava era ele. Estranhamente, saber disso me confortava. Eu me sentia seguro quando estava com ele. Ajoelhando-se, deslizou as mãos pelos meus quadris e depois pelas minhas pernas. Quando chegou nas sandálias, tirou-as uma de cada vez, suavemente, subiu as mãos novamente até alcançar a cintura da calça de linho. Desfez o lacinho do cordão e puxou-a até o chão. Segurou minhas pernas para me ajudar a não perder o equilíbrio enquanto me desvencilhava do montinho de tecido formado no chão. Em seguida, me beijou bem na, logo abaixo do umbigo. Minha barriga deu cambalhotas, e a pontada entre as minhas pernas ficou ainda mais forte. Sasuke pôs os dedos por baixo do elástico até tira totalmente a cueca de mim.

Ele olhou para o meu órgão na frente dele, fez um ruído selvagem e urgente, e em seguida encarou-me de novo.

_ Naruto... Você é tão bonito que não consigo... puta merda, não posso esperar...

Ele espalhou os dedos abertos pela minha barriga e pelos meus quadris, me puxou para perto dos lábios e pressionou-os sobre meu pau. Estremeci enquanto ele me segurava, imaginando o que viria em seguida.

Sasuke se levantou e botou minhas mãos na cintura dele.

Entendi o recado e comecei a desabotoar o cinto, depois as calças. Era impressionante. A ereção dentro da cueca era impossível de se ignorar. Ele gemeu quando minha mão esbarrou de leve no pau duro, por cima da seda fina, estamos exatamente nus agora.

_ Não vou passar a noite aqui, Sasuke. Promete que você vai me levar para casa depois.

Ele me pegou no colo e me carregou para fora da sala.

_ Quero que você fique. Uma vez só não vai ser o suficiente. Pelo menos, não com você.- Chutou a porta do quarto. A expressão no rosto era selvagem e desesperada.

_ Primeiro eu preciso foder você, depois a gente vai mais devagar. Dá essa noite para mi. Deixa eu fazer amor com você hoje á noite, meu lindo Naruto.- E pertinho do meu rosto, pediu:- Por favor.

_ Mas não posso dormir...

Com a boca me beijando, engoliu meus protestos. Me deitou na cama macia e começou a me tocar. A me beijar, incendiando meu corpo até espantar do cérebro qualquer pensamento. Estava quebrando minhas regras mas não pensava em outra coisa que não a língua do Sasuke dando volta ao redor dos meus mamilos durinhos, alternando mordidinhas leves com chupadinhas.

O contraste com a boca é a língua me fazia gemer. Achei que pudesse gozar só com aquilo. Gritei e arqueei as costas de prazer. Cruzei as pernas enquanto se concentrava nos meus mamilos. Era tão bom... jamais questionaria a decisão. Todas as minhas reservas estavam desarmadas, graça ao tratamento delicioso que dava ao meu corpo= tinham voado para longe sem pensar duas vezes.

Ficar nu não me assusta. Já fiz muito isso no trabalho e sei que os homens acham o meu corpo atraente. É a intimidade que acho difícil de processar. Então, quando Sasuke dizia coisas “ quero fazer amor com você, lindo Naruto”, sabia que não tinha chance de resistir.

_ Sasuke?- gritei o nome dele sem outra razão a não ser certificar de que estava ali mesmo, e não em sonho erótico, uma fantasia.

_ Eu sei, querido. Deixa eu cuidar de você.- Dizendo isso, se afastou dos meus mamilos, botou as mãos nos meus joelhos e abriu minhas pernas. Fiquei totalmente espalhado na cama, e ele encarou meu pau pela segunda vez nessa noite.

_ Meu Deus, como você é bonito... Quero sentir o seu gosto.

E então ele botou a boca em mim. Aquela língua macia passou pelas extensões do meu pau e dando pequenas mordidinhas, acariciando-o as minhas bolas com vontade, me contorcia ao novo movimento da língua dele me dando um pelo de um boquete. Ia gozar em um segundo, não dava para controlar. Não dava para controla o Sasuke.

Ele conseguia o que queria.

_ Vou gozar...

_ A primeira de muitas vezes, baby- falou. Lá de baixo das minhas pernas. Enfiou dois dos dedos longos dele e começou a me tocar.- Você é apertado. Quando for meu pau dentro do seu cuzinho lindo, você vai ficar mais apertadinho ainda, não vai Naruto? – Continuo me explorando com os dedos e lambendo o meu pau.- Não vai? – Perguntou de novo, dessa vez mais alto.

_ Sim!- gritei, em um fôlego só, porque sabia que ele queria uma resposta.

_ Vem pra mim, então. Vem para mim, Naruto!

Eu gozei, uma sensação diferente de todos os orgasmos que já tive na vida. Não podia fazer nada, a não ser gozar.

Sasuke me levou até o limite e me pegou. Arfei com a onda de êxtase, mas os dedos firmes dentro de mim me mantiveram no lugar. Era devastador e incrível- e só o que restava fazer era aceitar o que ele havia me dado.

Quando tirou os dedos de dentro de mim, ouvi o barulho de uma embalagem sendo aberta. Observei-o desenrolar a camisinha no pau, grosso, duro, lindo. Aquela era a parte dele que, em segundos, estaria dentro de mim. Tremi com a expectativa.

Levantou seus olhos ônixs até encontrar os meus e falou baixinho:

_ Agora, Naruto, vou possuir você.

Respirei fundo com a visão daquele homem montando sobre mim. A ansiedade era tanta, mal conseguia pensar.

Sasuke tomou conta do meu campo de visão, a cabeça do pênis já dentro de mim, queimando, duro como pedra. Os quadris dele me forçavam a abrir mais as pernas, conforme ele metia o pau fundo e com fora. Beijou-me na boca, a língua esfregando na minha, em movimentos casados com meu ânus. Pude sentir meu gosto na língua da minha porra na língua dele, Sasuke Uchiha me possuiu, na própria cama. Total e irrevogavelmente.

Deixei-me levar pelo ritmo dele. Fo forte no início. Movimentos bruscos, para dentro e para fora do meu ânus.

De encharcada, indo um pouco mais fundo a cada empurrão. Senti que ia acabar gozando de novo.

Com as veias do pescoço saltadas, ele se levantou um pouco para mudar o ângulo pela qual deslizava para dentro de mim.

Espremi minha entrada ao redor do pau dele, que latejava dentro de mim. Ele fez vários sons e soprou baixarias deliciosas ao meu ouvido, sobre como era gostoso me foder. Isso só me deixou mais louco ainda.

_ Sasuke!- Gritei, enquanto gozava pela segunda vez. Meu corpo estava completamente entregue aquele pênis, que ficava ainda mais duro a cada movimento.

Sasuke não parou. Continuou penetrando até chegar sua vez de gozar. Com o pescoço rígido, os olhos inflamados, meteu com mais força ainda estiquei o corpo para acomodá-lo, no comprimento e na circunferência. Sabia que ele estava perto.

Apertei as paredes do ânus com toda força que pude e o senti enrijecer. Soltou um som gutural, que parecia uma mistura do meu nome com um grito de guerra, e desmontou em cima de mim, os olhos ônixs brilhando na meia-luz do quarto. Sasuke jamais tirou os olhos dos meus enquanto gozava dentro de mim.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...