História A menina da solidão laranja - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Álcool, Amizade, Dança, Depressão, Drama, Festas, Irmãs, Poesia, Relacionamento Abusivo, Romance, Ruiva, Toc
Visualizações 15
Palavras 964
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Poesias, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Olarrrr, meus nenéns!
Como estão?

Bem-vindos a mais um capítulo!

AVISO: Este capítulo tem palavrões, um pouco de hot e porrada.

Boa leitura!

Capítulo 5 - Maldita como roxo, agressiva como vermelho


Fanfic / Fanfiction A menina da solidão laranja - Capítulo 5 - Maldita como roxo, agressiva como vermelho

- É a última vez que te pergunto, Ricardo: Que diabos você está fazendo aqui?!

Ele não respondia, ficava me olhando com lágrimas nos olhos e cara de cão abandonado.

- Não vai responder? Ótimo! Vou pedir pra alguém te colocar pra fora no chute mesmo.

- Não, não, por favor! – Ele disse enquanto uma lágrima caía dos seus lindos olhos que algumas vezes eram verdes, outras vezes cinza e até mel.

- Por que está chorando?

Ele entrou trocando as pernas e se jogou no pequeno sofá que havia no canto da minha sala.

- Eu fiquei sabendo que você falou com o meu pai – aquela primeira lágrima já não estava saindo sozinha, outras lágrimas rolaram de seus olhos – Eu tô fedendo a álcool, eu tô um pouco alterado. Mas só o álcool mesmo pra me dar coragem de te dizer que – respirou fundo enquanto eu me ajoelhava na sua frente – Eu não quero me casar, Cássia! Eu não amo a Clara, não amo! Agi por puro impulso e agora estou sem saída. Não deixa com que isso aconteça, Cássia. – ele fixou aquele belo par de olhos nos meus – Eu te amo. Não há nesse mundo que faça com que eu deixe de te amar.

Após dizer essa pequena frase que arrepiou todo o meu corpo, ele desmaiou.

Foi trágico na medida certa!

...

- Como eu cheguei aqui? – ele perguntou finalmente sóbrio – Minha cabeça tá doendo!

- Viu? Não sabe beber! – comecei a rir – Te trouxe até o apartamento que a gente se encontrava e te dei um banho frio.

- Obrigado – ele sorriu sem graça – Eu sei que sou um idiota sempre, sempre e sempre, mas...

Eu o calei com um beijo.

Ele disse que me ama e nada mais me importava naquele momento.

Ele disse que não queria casar e juntos vamos resolver isso!

- Você nunca deixou de me amar, não é verdade? – me perguntou quase que num sussurro.

- Nunca deixei de te amar – respondi enquanto alisava o rosto dele.

Ele sorriu de forma sincera, como fazia quando começamos a nos conhecer.

Voltamos a nos beijar como não acontecia há muito tempo. Aquele beijo era intenso e verdadeiro. Minhas mãos seguravam seu pescoço enquanto ele beijava o meu. Começou a abrir o zíper do meu vestido sem pudor algum.

Colocou meu cabelo atrás da orelha e me deitou, seus olhos pediam permissão para olhar o meu corpo e eu dizia mentalmente que sim. Eu sempre dizia que sim!

Os beijos que estavam no pescoço começaram a explorar todo o meu corpo como se fosse a primeira vez. Minhas mãos passeavam gentilmente por seu cabelo e suas costas.

Ele voltou a me beijar.

Até que o telefone dele começou a tocar.

 

- Eu preciso atender.

- Não, por favor, não é ninguém de importan...

Ele atendeu.

- Oi, minha vida!

O QUÊ? ELE TAVA FALANDO COM A CLARA?!

- Me perdoe, eu fiquei preso no trabalho. Estou morrendo de saudades!

Meu sangue fervia.

- Sabe que distância alguma faz com que eu deixe de te amar. Não há nada nesse mundo que me faça te amar menos.

E foi depois dessa maldita frase que eu peguei o celular dele e joguei pela janela.

- Você tá maluca, Cássia? – ele gritou enquanto vinha em direção à janela – Você tem que parar de ser tão impulsiva!

Dei um tapa na cara dele e parti pra cima dele sem pensar duas vezes. Eu o chutava e xingava com uma força e velocidade que nem eu mesma sabia que tinha.

Dei um soco que acertou o olho e continuei a bater no rosto dele. Ele gritou que eu era louca mais uma vez e parece que minha fúria só ficou maior. Ele tentava me segurar, tentava me conter, mas eu estava cheia de ódio e fúria.

Finalizei com soco na boca do estômago e um chute no amiguinho dele, fazendo com que ele caísse no chão.

Respirei fundo e fui colocar a roupa, eu tremia muito, mal conseguia vestir a roupa direito. Quando finalmente consegui me vestir, fui até o quarto pegar minha bolsa e Ricardo estava caído no mesmo lugar. O quarto estava um pouco escuro, mas ainda dava pra ver que eu tinha deixado um olho roxo e um machucado na boca. Fora um pouco de sangue que ele tinha cuspido.

- Boa noite, Ricardo! – sorri satisfeita

Ele levantou com certa dificuldade e sentou na cama de costas pra mim.

- Sabe o que você é?

- O quê? – comecei a rir.

- Uma puta e uma puta agressiva. Você cansou de ficar de joelhos embaixo da minha mesa me chupando enquanto eu falava com a Clara no telefone. Você transou comigo várias vezes mesmo sabendo que eu estava noivo. Você transou comigo depois da minha festa de noivado. E agora quer falar de amor? Vive dando pra Deus e o mundo e agora quer se fazer de ofendida? Cássia, pelo amor de Cristo – ele riu – Eu não te amo. Vivo dizendo as mesmas coisas e você sempre cai porque é uma puta. É isso que você é.

Bati a porta com força e comecei a chorar. Quando saí do elevador, liguei pra Lu.

- Lu, preciso de você! – disse em lágrimas.

- Onde você está? – perguntou com um tom preocupado.

- Saindo do apartamento do Ricardo aqui na Zona Sul.

- Certo. Estou aqui no Centro em um barzinho, mas vou pra casa agora, sim? Vou pedir umas pizzas e umas cervejas. Ficamos na piscina e conversamos. Tente ficar calma e não esqueça que te amo muito!

- Eu te amo mais, Lu. Se puder, compra uns quatro maços pra mim, chegando em casa te dou o dinheiro. Os meus acabaram.

- Pode deixar. Até daqui a pouco!

- Até!

 


Notas Finais


Esse Ricardo é um maldito mesmo!
O que acharam, nenéns? <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...