História A Mente de uma Dupla - Capítulo 60


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, Hawk Moth, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Nino, Plagg, Tikki
Tags Adrinette, Chat Noir, Ladybug, Ladynoir, Marichat, Miraculous
Exibições 416
Palavras 2.299
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Escolar, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oie meus lindus ! Tudo certo com vocês ? =3
Estão prontos para o capítulo de hoje ? Espero que sim !
E eu queria deixar aqui a minha indignação de hoje, por causa do horário de verão eu acordei uma hora mais cedo do que o necessário ... Foi triste ;-;
Aproveitem o capítulo e se preparem para o mini e super curto momento Marichat ...

Aproveitem, divirtam-se e inspirem-se, vocês são livres pra tudo ! Boa leitura !

Capítulo 60 - Mas ... O quê ?


[Adrien/Chat Noir]

 

Chego em casa em poucos minutos e então desfaço a minha transformação, Plagg logo vem em direção a torta e a pega sem nem me falar nada ... Ele é tão vidrado a essa torta quanto aos queijos, chega a ser difícil saber qual dos dois ele gosta mais ...

-De nada. – digo indo em direção ao meu guarda roupa para pegar o meu pijama, mesmo eu já tendo dormido um pouco no colo da Mari eu ainda estou cansado.

-Hum ? A é, obrigado pela torta. – ele volta a sua atenção para o alimento.

Bem, eu até riria da situação se não fosse pelo meu pesadelo ... O que foi aquilo exatamente ? Parecia ser bem ... Real.

-O que foi garoto ? Não sabe qual camisola escolher ? – Plagg começou a rir.

-Não, eu estou pensando no meu sonho ... Ele era bem real, o que será que ele significa ?

-Não sou bom com isso se quer saber, mas se quiser eu posso tentar te ajudar.

-Podemos ver isso amanhã, eu estou bem cansado e realmente necessito dormir. – pego um pijama qualquer, me troco e me deito. Plagg, depois de comer, vem deitar na minha cabeça e em poucos minutos eu já tinha dormido.

Acordo com batidas na minha porta, deve ser Nathalie, me levanto e destranco a porta, esqueci de fazer isso quando voltei do passeio de ontem à noite. Como eu havia pensado Nathalie estava parada em frente a porta, ela olhou para mim da cabeça aos pés e, não sei o motivo, fez uma leve cara de assustada.

-Por que você trancou a porta ? E por que ainda não está pronto ? Está atrasado ! – ela disse entrando no meu quarto, essa é uma das manias dela quando ela fica nervosa, é engraçado.

-Me desculpa, eu tranquei a porta quando fui me trocar e esqueci de destrancá-la e eu estou atrasado ? Mas as aulas começam só daqui a ... – olho as horas – uma hora, ainda tenho tempo, você não acha ?

-Adrien, você esqueceu ? Hoje você tem uma seção de fotos, ela começa em quinze minutos, por favor se apresse, quero você lá em baixo em cinco minutos ... – ela sai do meu quarto e começa a ir em direção a entrada da casa  - Agora são quatro !

-Ela não me avisou nada sobre essa sessão de hoje ... Devem ter marcado de última hora. – me arrumo bem rápido e logo desço as escadas.

-Ótimo, mais três segundos e você estaria atrasado. Vamos logo. – saímos da minha casa entramos no carro.

-Eu vou faltar aula hoje ?

-Sim, mas eu já avisei pra escola que é por causa do seu trabalho, então não vai ter problema. – eu acho isso meio errado, as seções de fotos deveriam ser agendadas em um horário que não fosse o das aulas, mas se esse foi agendado, o que eu posso fazer ?

Depois de poucos minutos eu cheguei no Louvre que pelo visto é o local escolhido para o ensaio fotográfico, me levaram para um local específico para que eu me arrumasse e me deixaram lá, sozinho. Isso não é bem comum, mas já dá pro gasto.

-Eu prefiro a escola se você quer saber, lá quando você vai lanchar eu posso pegar mais camembert, ou quando os seus amiguinhos estão distraídos eu olho os lanches deles e, se tem queijo, eu experimento. – Plagg disse enquanto eu me trocava.

-Plagg, eu não acredito que você faz isso.

-Pois acredite, eu faço isso e vou continuar fazendo, não vai adiantar nada você tentar me parar. – eu ia respondê-lo, mas na hora entrou o fotógrafo e Plagg teve que se esconder, depois disso eu tive que ir tirar as fotos.

Depois de mais de cinco horas de ensaio fotográfico eu finalmente estou livre ! É uma pena que a aula já tenha acabado, eu tinha fé de que eu conseguiria ir na aula, nem que fosse nos últimos dez minutos, mas eu conseguiria. Nathalie me leva de volta pra casa e eu dou uma passada na cozinha, eu sai tão depressa que esqueci de comer alguma coisa e lá no ensaio não tinha nem água pra eu beber. Pego um pedaço de torta, que provavelmente foi do almoço, e fui para o meu quarto.

-Você nem pegou camembert ! Por quê ?

-Aqui já tem camembert Plagg, no frigorífico.

-A é, mas mesmo assim, você poderia ter pego. – ele vai em direção ao frigorífico e pega um pedaço grande de queijo.

-Você é um esfomeado.

-Olha, você se esqueceu levar queijo pra aquela seção de fotos, então eu não como há mais de cinco horas, CINCO HORAS ! Não me enche o saco e me deixa com o meu pegajoso.

Mesmo que ele esteja com raiva eu não aguento e acabo rindo, ele me olha com muita raiva e se afasta de mim, Plagg é uma figura. - Chat, Lady, hoje não poderemos ter o treino, eu tenho um assunto importante e não poderei estar aqui. Nos vemos na sexta. – Que pena, eu queria ver My Lady hoje, nem que fosse só no treino ...

-Você escutou Plagg ?

-Sim, sim, sem treinos hoje, é uma pena, agora eu quero dar atenção ao meu queijo ...

-E o que eu faço ?

-Sei lá, faz qualquer coisa, seu quarto é cheio de trambolho, deve ter alguma coisa pra você fazer. Agora o queijo ... – ligo o meu videogame e começo a jogar, não tenho mais nada pra fazer mesmo ...

As horas seguintes se passam como um carro de fórmula um, acho que nunca vi o dia virar noite tão rápido na minha vida, isso deve ser coisa do inverno, geralmente anoitece mais cedo e amanhece mais tarde ... É, deve ser por causa do inverno mesmo ...

-Hey, rapaz, eu quero mais torta e eu sei que você quer ver a Buginette, então nós podemos resolver os nossos problemas de uma vez só. – Plagg disse, quantos apelidos ele ainda tem para My Lady ?

-Você está comendo muitas tortas para o meu gosto ... Mas eu vou sim. Plagg, mostrar as garras ! – me transformo e saio do meu quarto.

E mais uma vez, como em todas as noites eu sinto a adrenalina dentro de mim, esse sentimento é tão incrível e tão intenso. Eu não me canso de falar e pensar que quando eu sou o Chat eu sou livre, é a verdade no final das contas, a liberdade é tão difícil de ser conquistado, mas eu o consegui de uma maneira mais fácil do que os outros, é verdade, mas eu pago o preço por essa facilidade. O combate aos akumas é a minha maneira de pagar esse preço, se é fácil demais se paga depois.

Eu poderia simplesmente ir direto para casa da Mari, mas é sempre bom dar uma olhada na cidade e ver se alguém necessita de ajuda, é isso que os heróis fazem, bem, pelo menos é isso que eu acho ... E ainda bem que eu vim dar essa olhada, porque bem no momento em que eu estava passando por um dos becos dessa vida eu vejo dois homens tentando roubar um casal.

-Vocês não acham que já estão bem crescidos pra ficar importunando a vida de um casal ? Eu achei que só as crianças faziam isso. – digo quando caio do lado do casal – Me perdoem, que grosseria a minha, eu sou Chat Noir, mas vocês já devem me conhecer ...

-Graças a Deus alguém apareceu para nos ajudar, obrigada Chat Noir ! – a moça abraçada ao seu namorado, noivo, ou esposo, disse.

-Chat Noir, grande capitão ... Apareceu na h-hora certa ... Nós estávamos ajudando esse casal a entrar na rua certa ... – um dos bandidos disse, eles são bem cara de pau ...

-E estão fazendo isso com facas ? Poderiam ter dado uma desculpa melhor ... – digo – E se eu fosse vocês eu sairia correndo.

-Se não ?

-Vocês podem descobrir em cinco segundos ...

-É melhor a gente sair ... – o careca disse.

-Ele está blefando ! – o outro disse.

-Quatro segundos ...

-Eu acho que não, Carlos vamos sair ! – o careca repetiu para o tal “Carlos”

-Para com isso Dick, ele não vai fazer nada, não somos akumas.

-Três segundos ...

-Ele continua sendo um herói.

-Certeza ?

-Dois segundos ...

-Eu vou sair daqui ! – o careca, como é o nome mesmo ? ... Dick ! Isso, o Dick saiu correndo e o Carlos continuou.

-Um segundo ...

-Eu não tenho medo. – ele disse cruzando os braços e abrindo um sorriso debochado e desafiador.

-Deveria ter. – depois de minhas palavras, que eu realmente espero que tenham feito um pequeno impacto nele, eu o peguei pela camisa e o derrubei no chão, depois disso peguei um cano que estava preso na parede e o usei como uma algema, desde quando canos são maleáveis assim ? Isso não importa, o importante é que eu fiz tudo isso em dois segundos, acho que estou batendo todos os meus recordes de derrotar os bandidos – Você deveria ter escutado o seu colega.

-Dá-lhe Chat Noir ! – o homem do casal disse – Pode ir, ligaremos para a polícia e ela vai pegá-lo.

-Obrigado, cidadãos, tenham uma boa noite. – me curvo e logo saio dali, mesmo sendo algo simples foi ótimo poder fazer alguma coisa.

Dou mais uma olhada na cidade e por fim vou para a casa da Mari, todas as luzes já estavam apagadas, mas ela ainda estava acordada, eu estava a vendo sentada na mesa, concentrada em algum papel, ou desenho, não sei. Entro silenciosamente no quarto, ela nem percebe.

Acho que ela tem que ser mais atenta, ainda mais com todo o quarto escuro desse jeito, eu sei que a luminária dela está ligada, mas não é algo que ilumine o quarto dela por completo, ainda é muito perigoso deixar a janela aberta dessa forma. A não ser que ela tenha deixado a porta aberta para mim ... É, não é lá tão ruim assim.

Vou andando de fininho até ficar atrás dela, ela deve estar bem concentrada mesmo, fico bem perto do pescoço dela e a minha respiração está batendo contra a pele dela, percebo que ela se arrepiou, mas não se virou, interessante. Chego a minha boca perto do ouvido dela e consigo ver que ela estava completamente vermelha.

-My Lady, o que prende a sua atenção desse jeito ? – sussurro.

Ela se vira lentamente, então faz uma cara assustada, ela ia dizer alguma coisa, mas então eu sinto uma dor muito forte na minha cabeça e acabo caindo, tudo começa a girar, mas eu ainda estou acordado. Tento me levantar mas sinto a dor mais uma vez e tudo fica preto.

-§-

Mas o que raios aconteceu ?! Eu estava na casa da Mari e do nada algo bate na minha cabeça e me deixa inconsciente ? Isso é modo de receber um herói na sua casa ? É o modo de se receber o seu futuro esposo ? Não, não é ! Quer dizer, eu acho ... Eu não entendo muito de receber visitas ... Isso não acontecia muito na minha casa.

Certo, eu estou com muita dor de cabeça agora, eu espero que quando eu acorde alguém me explique o que aconteceu e se My Lady não fizer isso eu vou ter que dar um jeito de arrancar as informações do ocorrido de alguma forma ... Acho que eu já poderia pensar em alguma.

Cócegas, ninguém resiste as cócegas e eu ainda vou poder ver ela rindo, acho que essa é a melhor opção para mim e, quem sabe se eu tiver sorte, eu ainda não consiga dar um beijo nela entre as várias gargalhadas que ela vai dar ? É um ótimo plano, com certeza.

Certo, quanto tempo mais eu vou ficar aqui ? Eu sei que eu não devo ficar por muito tempo, mas eu realmente queria que isso daqui acabasse logo. Se bem que estar nesse mundo da mente não é tão ruim assim ... Será que eu ainda consigo me comunicar com a Lady ? Bem, o que custa tentar, não é ?

My Lady, me diga que você está me escutando, por favor ... – Ainda bem, você está bem Chat ? – Estou sim, mas você poderia por favor me explicar o que aconteceu ? – Depois eu conto, assim que você acordar eu explico tudo ... Você é meio pesadinho hein ? Quer dizer, não que eu não te aguente, afinal a minha força é melhorada, mas você parece ser mais leve ... – As aparências enganam My Lady e o meu peso é puro músculo ! – Olha, disso eu não posso discordar ... Q-quer dizer, é mesmo, você é bem musculoso. Érr ... – Eu já entendi, eu sou desejado por você ... – O QUÊ ?! N-NÃO FOI ISSO QUE EU DISSE C-C-CHAT ! – Eu sei, mas eu aposto que você fez uma cara bem engraçada. – do nada eu sinto uma dor no meu braço – Eu senti isso My Lady, sempre apelando pra força física ... Isso é demais ! – Eu me recuso a falar mais uma frase pra você, até depois Chat.

Eu até que iria insistir, mas eu estou desacordado e não posso me defender, então é melhor eu tomar cuidado com o que eu penso, ou digo, ou qualquer coisa dessas, eu não quero acordar a base de chutes e tapas. O negócio agora é esperar ...

Finalmente depois de muito tempo tudo escurece, parece que eu vou enfim acordar, depois de tanto tempo eu finalmente vou poder descobrir o que aconteceu, poderia ter sido mais rápido, mas o mundo conspira totalmente contra mim, eu já deveria estar acostumado.


Notas Finais


Sim, vocês vão ter que morrer de curiosidade até amanhã, porque eu quero ... Muahahahaha (risada estranha)
Quem foi para a escola ?
Por que Chat teve esse desmaio súbito ?
O que eu estou fazendo acordada agora se eu estou com sono ?
Por que o Armin (amor doce lindas <3) num mi nota ? ;-;
Por que eu estou fazendo essas perguntas se EU sei as respostas ?
Vocês sabem as respostas ? [Não.] Eu sei aHUHuhauhAHAUHauhauh

Nossa, eu sou bem má, me perdoem ;-;

Beijinhos de estrelas <3 Bye, bye !


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...