História A mentira que virou verdade - V - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jungkook, Personagens Originais, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Couple, Date, Kawaii, Romance, Tae, Taehyung
Exibições 199
Palavras 1.747
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Escolar, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi de novo, pessoal!
Terceiro capítulo hoje!
Espero que gostem e lhes desejo uma boa leitura :)

Capítulo 3 - O primeiro beijo


Fanfic / Fanfiction A mentira que virou verdade - V - Capítulo 3 - O primeiro beijo

    

    No terceiro dia, infelizmente Tae vacilou. Ele estava me chamando de ‘jagi’ durante todos aqueles dias, até que esqueceu o combinado e me chamou pelo meu nome. No mesmo instante seus irmãos desconfiaram, acharam estranho e perguntaram porque ele me chamou daquele jeito, já que éramos ‘namorados’.

      – Já era! – Disse Tae, quando saímos de perto de seus irmãos.

      – Calma! – Respondi. – Vai dar certo, Tae!

     – Escuta isso! – Tae estava perto da porta de seu quarto.

      Aproximei-me de onde ele estava e nesse instante, começamos a ouvir a conversa de Jungkook com Hoseok que estavam na sala.

      – Se você estivesse no quarto com alguma garota eu até iria maldar, agora o Tae... Tenho certeza de que eles estão fazendo o trabalho da escola de fato. – Jungkook riu. – Ele não é desses que fazem algo a mais... Olhe só pra ele, não deve nem saber o que fazer.

      – Eles mal trocam carinhos, ela o chama pelo nome, ele não fala dela em outros momentos... Eu acho que isso é mentira. – Disse Hoseok. – Estão muito distantes um do outro pra um casal que acabou de assumir relacionamento.

      – Concordo... Aliás, é mais fácil que ele consiga alguém pra fazer um teatro, do que alguém que goste dele de verdade. – Disse Jungkook. – Isso nós sabemos que é verdade.

      – Está vendo? É isso que pensam de mim. – Tae lamentou. – O que eu faço pra merecer isso? Puxa vida, eles nem parecem ser meus irmãos de verdade!

      – Você não pode adotar o que eles dizem como verdade, Tae! – Fiquei indignada. – Só porque eles estão dizendo, você acha que é verdade? Acha que estão certos sobre você?

      – Escuto esse tipo de coisa tantas vezes que acabo me convencendo. – Disse Tae, caminhando até sua cama e deitando-se de barriga pra cima. – As vezes acho que eles estão certos de fato, quando falam isso sobre mim.

      – Olha só, o que acha de irmos até o quarto dele? Quer apostar que eles vão estar separados e com livros na mão? – Disse Jungkook.

      – Vamos! – Concordou Hoseok, super animado.

      Ao ouvir isso, me convenci de que era a chance perfeita para convencê-los que Tae e eu éramos ‘namorados’. No mesmo instante, tive uma ideia.

      – Tae! – Sussurrei e comecei a andar na direção dele. – Tae!

      – O quê? – Ele disse, ainda jogado na cama.

      – Dance conforme a música. – Eu disse.

      – Oi? – Ele respondeu.

      Nesse instante, subi na cama, deitei-me por cima de Tae e antes que ele arregalasse seus olhos, eu o beijei. Ao se dar conta do que eu estava fazendo, e mesmo sem saber o porquê daquilo, Tae fez o que eu queria. Assim que eu comecei a beijá-lo, ele me segurou pela cintura e me correspondeu.

      Hoseok e Jungkook entraram no quarto sem bater, deram de cara comigo e com Tae aos beijos, e nesse instante eu fiquei feliz pelo meu plano ter dado certo. A expressão no rosto deles foi a melhor.

      – Tae... – Hoseok falou, mas logo perdeu as palavras depois do que viu.

      Fingi estar surpresa e envergonhada nesse momento. Depois que olhei pra eles, sorri, saí de cima de Tae e fiquei sentada ao lado dele como se estivesse morrendo de vergonha.

      – Cadê... É, cadê a chave do carro? – Disse Jungkook, incrédulo. – Não estou achando.

      Tae pegou a chave do carro no bolso de trás do seu jeans, e imediatamente jogou na direção de Jungkook.

      – Mais alguma coisa? – Disse Tae.

      – Não, não! – Disse Jungkook, puxando Hoseok. – Era só isso mesmo, valeu!

      Saíram do quarto ainda incrédulos e boquiabertos, e então, Tae me olhou com os olhos arregalados por não acreditar no que tínhamos acabado de fazer.

      – Yangseo, eu...

      – Como eles podem te tratar assim? Por que falam isso de você? Meu Deus, eles não sabem a pessoa maravilhosa que eles têm como irmão! Como você aceita isso? Eles te tratam como um perdedor!

       – Yang, Jungkook é dois anos mais velho que eu e já namorou duas vezes! Eu já tenho dezenove, e até hoje não assumi um relacionamento sequer! – Disse Tae. – Nunca me viram com nenhuma garota antes! Por isso sempre duvidam de mim e se acham no direito de me julgar!

      – E por isso eles acham que você é um perdedor? – Fiquei chocada. – Por você nunca ter ficado sério com uma garota?

      – Eu lamento por isso também. – Disse Tae.

      – Tae, você é inteligente! Você é legal, é compreensivo, é atencioso, não faz mal algum pra ninguém! Mesmo depois de ouvir isso, você ainda se acha um perdedor por não ter namorado até hoje? Se acha um perdedor porque seus irmãos te julgam assim?

      Tae ficou sem saber o que dizer neste momento. Abaixou a cabeça, ficou em silêncio e lamentou por alguns segundos.

      – Beleza! – Eu disse, furiosa. – Se é isso que importa pra vocês, agora mesmo que eu quero continuar com o nosso plano! E outra, não quero saber o que você acha, mas precisamos ficar mais próximos a partir de agora! Não me importo em ficar com você, acabei de te beijar e posso muito bem continuar fazendo isso. Eles vão se convencer, e se essa é a única forma de fazer com que eles te vejam com um olhar de igualdade, eu vou até o fim!

      – Eu ia sugerir isso, mas achei que não concordaria. – Disse Tae, sobre o beijo.

      – Eu vou fazer com que eles vejam quem você é de verdade, vou fazer com que eles reconheçam que você é muito mais do que eles imaginam e vou mostrar que relacionamento não é o que mais importa! – Eu disse, andando de um lado pro outro dentro do quarto, muito agoniada.

      – Por que faz isso? – Disse Tae. – Por que se altera tanto por algo que acontece comigo? Por que... Por que se irrita por algo que não se refere a você?

      – Porque eu não vou ficar presenciando essas afrontas que eles fazem contra você! Eu não vou permitir isso, eles não tem o direito! Você não merece isso e enquanto eu puder ajudar, eu vou ajudar!

      – Obrigado. – Disse Tae. – Obrigado por fazer isso.

      – Não precisa agradecer. – Eu disse. – E olha, sobre o beijo, você precisa fingir que é algo normal entre nós a partir de agora. Se ficar com esses olhos arregalados daquele jeito, eles não vão acreditar! – Sorri. – Finja que isso já acontece faz tempo.

      – Você me pegou de surpresa. – Ele sorriu timidamente. – Eu não tive reação.

      Depois dessa tensão, voltamos ao trabalho. Quanto mais arrumávamos as coisas, mais apareciam outras coisas para serem feitas. Neste dia precisei ir embora mais cedo, então muito trabalho ficou pra depois, principalmente pelo tempo que perdemos por causa de Hoseok e Jungkook.

      Não pude ir na segunda-feira, então só voltei à casa de Tae na terça. Fomos da escola direto pra casa dele, e chegando lá, fomos surpreendidos de uma forma... Positiva.

      – Oi Yangseo. – Disse Hoseok, quando me viu entrar.

      – Olá. – Eu disse.

      – Tae, você pode dar uma olhada no meu notebook, por favor? Ele está meio estranho e eu não sei o que fazer. – Ele disse.

      – O que há com ele? – Tae interessou-se e aproximou-se de Hoseok instantaneamente.

      – Olha, ele está enviando essas notificações a todo o momento, está bem devagar e vive travando. – Disse Hoseok, chamando Tae para ver o notebook. – Tem alguma ideia do que possa ser?

      Sentei-me no sofá, enquanto Tae e Hoseok estavam juntos olhando no notebook. Estavam conversando, se juntaram para resolver o problema. Não ouvi nenhuma afronta, nenhum apelidinho. É, realmente, aquilo tinha uma importância pra eles que eu nunca entenderia. Sorri ao vê-los ali, e assim que Tae terminou, fomos pro quarto.

      – Estou sonhando ou Hoseok não foi um idiota com você hoje? – Perguntei.

      – Pelo que parece, nosso plano está começando a dar certo. Eu falei pra você que eles levam esse assunto muito a sério.– Disse Tae. – Acho que pensavam que eu era gay e por isso eu era uma piada pra eles. – Ele riu.

      – E por ter visto quando nos beijamos eles resolveram te dar um descanso? É isso?

      – Parece que sim.

      – Mas que imbecis! – Eu disse incrédula. – Desculpe, mas esse motivo é muito idiota. – Dei risadas.

      Tae riu, e voltou a fazer o que estava fazendo. Eu achava aquilo ridículo, mas se eles se importavam tanto com isso, eu poderia fazer e provar que Tae era muito mais do que eles imaginavam.

***

      No dia seguinte, Tae me ligou pela manhã. Eu ainda nem estava acordada, e me surpreendi com sua ligação tão cedo.

      – O que você vai fazer no sábado? – Tae perguntou.

      – Vou dormir bastante, eu espero. – Sorri.

      – De noite.

      – Nada. – Respondi sem pensar muito.

      – Meus irmãos vão sair com suas namoradas, me chamaram pra ir junto e é claro que você precisa ir comigo. – Ele riu.

      – Está bem. – Fiquei alegre. – Puxa vida, isso está dando certo mesmo! Finalmente!

      – Sim, está! Se você quer saber essa é a primeira vez que saio junto com eles. Quer dizer, já sai com eles para resolver outras coisas, é claro, mas sair pra se divertir e ser convidado por eles é inédito.

      – Tudo bem, eu vou! – Concordei. – Claro que eu vou!

      – Obrigado! – Só de ouvir a voz de Tae já imaginei sua expressão de felicidade. – Hoje na escola acerto contigo o lugar aonde vamos e o horário.

      – Certo! – Concordei. – Até mais tarde então!

      – Até mais tarde!

      Assim que desliguei a ligação, continuei incrédula. Eu estava confiante que os irmãos de Tae poderiam mudar de comportamento, mas eu não imaginava que seria tão rápido.

      Já na escola, encontrei com Tae na hora do almoço, e acertamos tudo. Sairíamos de casa sete horas e iríamos a uma balada. Tae também me disse que seus irmãos iriam comprar uma roupa nova para aquela ocasião, e surpreendentemente, levariam ele junto.

      – Eu estou adorando isso! – Comemorei. – Fico feliz por vocês, Tae!

      – Acho que vamos ao barbeiro também, se der tempo. – Ele sorriu.

      – Juntos? – Perguntei.

      – Sim. – Tae sorriu.

      Sorri, o abracei e disse que o plano estava dando mais certo do que imaginávamos. Tae concordou, sorriu lindamente, mas logo tivemos que nos despedir. Ele teria aula, então teve que se apressar.

      Continuamos fingindo até quinta-feira, porque na sexta Tae sairia com seus irmãos então não teríamos como passar a tarde ‘juntos’. Perdi a conta de quantas vezes nos beijamos naqueles dias, de quantas vezes Tae me chamou de jagi e de quantas vezes trocamos carinhos na frente dos meninos. Eu sabia bem que aquilo tudo era mentira, era só um teatro, mas o jeito que Tae estava me tratando quando estávamos em sua casa, estava deixando em mim um gosto de quero mais. 


Notas Finais


E então, o que acham que acontecerá nos próximos capítulos? Deixe sua opinião nos comentários e favorite a história para receber as notificações!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...