História A minha fucking história de amor. - Capítulo 15


Escrita por: ~ e ~EmoNeko-chan

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Muita Comédia!
Exibições 47
Palavras 3.378
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Olha...Eu estou nervosa sobre essa coisinha que acontece no capítulo...(moon face.)

Ahhhh alguém já se perguntou tipo: Eles são brasileiros mas não possuem nomes brasileiros. Ou pelo menos nomes comuns.

Então, como sabem os pais de ambos, um deles não é brasileiro, digo, possuem origens asiáticas, por exemplo o pai do Ni, os pais dele são "chinos" mas o nominho é japa e...Vocês devem estar ligados né? No que eu quis dizer.

E o lemons será daki há dois capítulos, e essa cena da....(moon face), espero que não tenha ficado tão ruim PU muito vulgar, se bem que relação à vulgaridade vocês não se importariam né? Safadenhos.

O capítulo está bem maior...Espero que não se importem.

Capítulo 15 - Capítulo 15


Eu me machuquei? Sim.
Eu estou melhor (Pelo menos meus ferimentos)? Talvez
E como está a minha situação? Boa? Não.

Depois que eu me machuquei, apenas com uns cortes na mão, pois eu tirei forças de não sei onde eu consegui me apoiar nas mãos.

Deixa eu explicar o que aconteceu, só que sem Flashbacks.

Enfim, eu fiquei tonto, caí, gritei e chorei, o Ziang me ajudou, o Lucca me abraçou e começou a chorar, o Marshall entrou correndo na cozinha, e bem...


A lasanha acabou não sendo feita.


Porra.



Agora eu estou na cama, sem forças para me levantar, mais fraco do que um galho de árvore seco e pálido, sabe aquelas pessoas que morrem? Mas morrem de frio, que elas ficam tão pálidas, que parece que é pintura? Se a resposta for não, lamento, você não pode imaginar a minha situação então.


-Marshall: Desculpa, acabei não cozinhando e você está com as duas mãos enfaixadas.
-Tudo bem é que, eu estou muito fraco, e quero comer algo, não tem nada para comer? Só foram alguns cortes, não se preocupe.
-Marshall: Esfomeado, você vai querer o quê?
-Me surpreenda.
-Marshall: Tá' bom meu doce.
-Valeu Nini.


Ele sai do quarto rindo e logo depois a Gabi entra, ela me explica que queria fazer uma surpresa, e que ela gozou 2 vezes seguidas ontem com a Lola, cara isso foi muito...Interessante...Sabe eu nunca gozei 2 vezes seguidas, e também foi desnecessário o que ela falou, ela saiu do quarto pois estava morrendo de sono, era 19:51 da noite, sim demorou um pouco para cuidarem de mim, ouço a porta abrir e logo sorrio vendo quem era.


-Lucca: Max!
-Lee pequeno.


Ele corre e eu tento me levantar, tendo êxito em ficar com o tronco levantado, sentado para ser mais específico.


Ele sobe no meu colo e coloca suas mãos pequenas no meu rosto.


-Como você ainda lembra de mim?
-Lucca: Eu tinha 8 anos quando a gente se viu, mas agora eu tenho 10, e sou pequeno...Isso é horrível.
-Eu te entendo, acredite!
-Lucca: Eu sempre te contei tudo,  verdade?
-Sim, verdade.
-Lucca: Eu tô' gostando de alguém, queria a sua ajuda.


Ele levanta do meu colo e fica andando de um lado para o outro, ele tinha o cabelo castanho e olhos negros, eram cabelos lisos e ele era um menino muito bonito, ele tinha a pele um pouco bronzeada e não era alto, mas não era baixo.


-Sério?
-Lucca: Sim! O nome dela é Camilla, ela é tão linda! Meu Deus, só de pensar nela eu já...Meu Deus.
-Ai que fofo, fala para ela que gosta dela.
-Lucca: Mas ela jamais gostaria de mim!
-Cara você é lindo, fala com ela.
-Lucca: A questão é que eu nunca falei com ela.
-Tenta sendo amigo dela, depois quem sabe você encontra ela em uma praça tentando se esconder da chuva, e quando você menos esperar vocês estarão apaixonados um pelo outro.- Credo, que gay.
-Lucca: Nossa isso foi, sei lá, bonito, seria uma ótima história de amor para ser contada.
-Marshall: Pois é, mas essa história ainda não acabou.


Eu olho para o Marshall e vejo ele também me encarar, desvio o olhar e ele começa a rir, o Lucca sai do quarto com um sorrisinho no rosto e logo o Marshall senta de frente para mim.


-Marshall: Olha que bom, você nem sempre é um cavalo em relação ao nosso passado.
-Por favor, não vamos falar disso, comer é um nomento sagrado é tipo você correr em uma maratona e ser o único que está ganhando.
-Marshall: Você se lembra de como a gente se conheceu?
-Claro que sim, lembro até da nossa conversa, você nunca pediu o seu cachecol de volta.
-Marshall: Pois é, eu queria que você usasse ele, desde o momento em que a gente se viu, você fica bem de vermelho.
-Seu cachecol está na minha mala, eu nunca usei ele na Inglaterra, mas eu ainda tenho ele.
-Marshall: Fica com ele e toma a comida.


Ele me entregua uma bandeja com um copo de suco de laranja e uma macarronada.


-Obrigado, nossa eu juro que eu estou vendo essa comida falar comigo.


Olho para a comida e cerro os olhos.


-Ela está falando que eu tenho que comer ela, pois ela é uma delícia.


Ele começa a rir e eu começo a comer e Deus, estava divino.


-Nini você tem que experimentar esta comida, está uma delícia, Deus.


Enrolo o macarrão no garfo e coloco a mão por baixo do garfo para não cair. Mama estava tão fofo.

-Ni, abre a boca.


Ele abre a boca e eu coloco o macarrão na sua boca, ele ri sem mostar os dentes pois ele estava de boca cheia.


-Está gostoso, não é?


Ele balança a cabeça positivamente enquanto mastiga e engole a comida.


-Marshall: Divide comigo?
-Sim, abre a boca.


Coloco mais um pouco de macarrão na boca dele e logo em seguida coloco na minha, e quando já estou satisfeito começo a beber o suco ainda dividindo com ele, sinto uma onda de alívio tomar meu corpo.


-Marshall: Está satisfeito?
-Muito! Obrigado.
-Marshall: De nada, mas tenta ficar em pé e ver se a tontura passou.


Fiz o que ele pediu, não me senti tonto de primeira mas sim um pouco fraco, mesmo que eu tenha comido não é de uma hora para outra que eu já vou melhorar, sento de novo só que ao seu lado e sorrio, ele faz o mesmo.


-Você devia fazer gastronomia.
-Marshall: Por qual motivo?
-Você cozinha muito bem, eu me lembro de quando você fazia isso junto comigo, eu era e ainda sou um desastre na cozinha, mas você sempre cozinhou tão bem! Tem talento.
-Marshall: Eu já pensei isso também, em fazer gastronomia, e sim você sempre foi um desastre na cozinha, lembra quando seus pais tinham viajado e eu passei 4 dias na sua casa?- Ele disse sorrindo psicopatamente. Nem sei se essa palavra existe.
-Lembro...
-Marshall: E que.- Ele começou a rir. - E que você queria porque queria aprender a cozinhar?
-Sim...
-Marshall: E que você deixou o arroz ficar preto, o feijão ficar com um gosto de queimado e a carne ficar preta? E não vamos esquecer do molho para o macarrão que você deixou ele queimar! E quando a gente estava cozinhando o macarrão você deixou a água secar.
-Yah! Eu melhorei! E sim eu lembro disso, no final a gente teve que comer miojo, e que você fez!
-Marshall: Mas é claro! Na sua primeira tentativa de fazer o miojo você deixou a água ferver tanto que a água secou, a sorte era que o miojo não estava cozinhando! E olha que só tinha um!
-Cozinhar não é meu forte, meu forte é...Bem eu ainda não sei...Talvez correr?
-Marshall: Talvez? Você nem tem certeza disso, meu Deus Max!
-Yah Ni! Chega né?!?
-Marshall: Tá bom, desculpa!


Olho para ele e fico observando seu rosto, ele tinha os olhos muito escuros, cílios grandes e pretos, fazem parecer que ele está de rímel, sua boca perfeita de lábios finos, sua pele branca e lisinha, seu nariz, seu maxilar super marcado e o sorriso que se forma em seus lábios finos com os dentes todos retos e brancos, seu cabelo negro um pouco grande mas macio e de novo a sua boca, ah como era tentador, passo a língua pelos meus lábios e encaro suas orbes negras olhando para a minha boca, fazendo o mesmo ato que eu, dessa vez quem colou nossas bocas foi eu.


(...)


Já estávamos em uma posição diferente, eu estava sentado em sua ereção com cada perna ao redor do seu corpo enquanto eu rebolava descaradamente sobre seu membro rijo, sua língua estava brigando com a minha, ele dava leves chupadas na minha língua e mordidas no meu lábio inferior.


Ele coloca a suas mãos sobre as minhas nádegas e começa a apertar elas, isso só fez com que eu largasse sua boca e jogasse a cabeça para trás aumentando as rebolados que eu fazia em seu membro ainda coberto, enquanto eu rebolava em seu colo com a sua ereção entre as minhas nádegas, minha mão esquerda estava apoiada em seu ombro esquerdo enquanto a direita estimulava meu membro por cima da roupa, suas mãos em minhas nádegas me ajudavam a rebolar, coloco a minha cabeça em seu ombro direito e começo a gemer em seu ouvido.


-Nini?
-Marshall: O que foi? Porra.


Seu jeito autoritário me fez gemer, sua voz estava rouca, sexy e tinha um tom forte.


-Ahn Nini...
-Marshall: Ma-Max...Uhm...


Aumentei as reboladas e agora suas mãos estavam por dentro da roupa apertando as minhas nádegas.


-Nini...Ahn, aperta mais...Nini...


Começo a me estimular com a mão direita mais rápido enquanto gemia em seu ouvido e aumentava as reboladas com a ajuda de suas mãos por dentro da minha cueca.


-Marshall: Geme, geme que nem você gemeu enquanto se masturbava no banheiro, geme meu nome...
-Ma-Marshall, aperta mais, aperta a minha bunda bem mais forte que isso...
Colo as nossas bocas e ficamos com essas briga com as línguas, a mão que estava em seu ombro agora estava na sua nuca pressionando mais seus lábios contra os meus e sua língua adentrando mais em minha cavidade.
Acelero mais ainda as reboladas - Se é que possível. - E estimulo meu pênis mais ainda, por cima da roupa.


-Marshall: Ge-geme, eu quero você geme-mendo!
-Ahn Mashall, Marshall, mais rápido me ajuda...Anh Marshall i-isso, Marshall, Marshall, anh NINI!


Eu gozo, e sinto a minha roupa ficar molhada e logo em seguida o Marshall também goza.


-Marshall: E esse gemido altíssimo no final em?
-Cala a boca...


Colo nossas bocas mais uma vez só que dessa vez é um beijo calmo, e sem língua, sinto suas mãos deixarem minhas nádegas e eu apoio minha cabeça em seu ombro.


-Você sabia...Ai que vergonha...
-Marshall: Bom, não é todo dia que eu vejo...Ou melhor ouço você se masturbar, pensando que eu estou te chupando.
-Esquece isso.
-Marshall: Não é como se eu nunca tivesse feito isso também, imaginar essa boquinha linda me chupando seria uma boa...Se bem que quando eu tentei fazer essa fantasia sexual nossa se tornar real, minha mãe nos interrompeu.
-Deus, que vergonha, vamos mudar de assunto Marshall!

Ele começa a rir e me da um selinho demorado.

-E agora?
-Marshall: E agora o quê?
-Se alguém viu ou ouviu? Afinal a porta estava destrancada.


Ele apenas me da mais um selinho demorado e me tira de seu colo.


-Marshall: Relaxa, meus pais e as meninas saíram, disseram que íam a um bar, afinal, as meninas bebem, e meus pais também.
-Lucca?
-Marshall: Foi para a casa de um amigo.
-UFA!
-Marshall: Toma um banho que eu vou tomar também e troque a parte de baixo do pijama.
-Tudo bem...


Tomo mais um banho e coloco um short confortável colocando a mesma parte de cima do pijana do Marshall de antes, vou para a sala e quando chego lá vejo que o Marshall estava sentado no sofá mexendo no celular, me aproximo e sento ao seu lado.


-O que está vendo?
-Marshall: Notícias, parece que houve um acidente de carro com uma criança de 7 anos, Deus.


Ele fala desligando a tela do celular, bufando e massageando as têmporas como se buscasse paciência.


-Como aconteceu?
-Marshall: Leia.


Desbloqueio o celular dele e começo a ler a matéria desde o começo.


"Neste domingo, Xx/Xx, ouve um acidente envolvendo uma criança de 7 anos, segundo testemunhas Júlia Beatriz foi pegar a bola do irmão de 4 anos que foi para a rua e, quando se agachou para pegar a bola um motorista bêbado (que já foi preso) passou por cima da criança"


"O motorista foi indentificado como José Gomes Maria de 52 anos, ele havia saído de sua casa no dia anterior e havia bebido, decidiu dirigir e atropelou a criança, sem nem mesmo parar o carro, o estado da criança é grave, resultante de 4 costelas quebradas, os braços e pernas..."


Não consegui terminar de ler, bloqueei a tela e olhei para o Marshall, eu sei o motivo de suas ações, ele já passou pelo que essa família provavelmente esteja passando, a pessoa que tropelou seu irmão, estava drogada, ele sente a dor de quase perder alguém importante.


-Essa menina vai ficar bem.
-Marshall: Mas...E senão ficar?
-Ela vai!
-Marshall: Eu...Eu sei o que a família dessa garota está sentindo, é raiva, ódio, mas nada disso ameniza a dor.
-E se a gente tentar visitar ela?
-Marshall: O que?- Ele olha para mim.
-Visitar ué.
-Marshall: Amanhã de manhã, vamos visitar ela, mas temos que ver os horários de visita, para ver se realmente tem um de manhã.
-Vamos fazer o seguinte...


Me ajeito melhor no sofá, agora olhando para ele, e começo a falar enquanto retirava sua franja de seu rosto.


-Olha, a gente fala para os seus-Aish que franja chata, a gente fala para os seus pais que vamos dar uma saída e passamos o dia fora, só que primeiro a gente vai no hospital e vemos se conseguimos visitar a menina, tudo bem?


Ele concorda com a cabeça apoiando a testa em meu ombro esquerdo, e antes de eu notar ele estava dormindo sobre meus ombro, deito no sofá e ele fica por cima de mim.


(...)


Acordo com um peso sobre meu corpo e olho para os lados, vejo o senhor Ziang sentado no outro sofá acompanhado da tia Hellen, os dois me olharam assim que sentiram o peso de minhas orbes os observando.


-Ziang: Bom dia...
-Bom dia tio Ziang e tia Hellen.
-Ziang: Então...Como vocês ficaram assim?
-A desculpe.- Digo me levantando ajeitando a cabeça do Marshall agora sobre meu colo.- O Marshall viu uma notícia de um acidente que acorreu com uma criança, então ele ficou um pouco mal e eu conversei com ele sobre visitar a menina se conseguíssemos, ele ainda estava um pouco chateado sobre o ocorrido e a situação dela foi parecida com a do Lucca, então ele se escorou em mim e dormiu, e antes que eu percebesse havia dormido e acordei com ele...Nessa situação, por favor não interpretem mal, e-essa não foi a minha intenção.


Uma coisa era verdade, a minha intenção não era dormir com ele sobre mim na sala, onde todos poderiam ver.


-Marshall: Ung...Max?- Ele ainda estava de olhos fechados.
-Sim?
-Marshall:...cê mida...
-O que?
-Marshall: Você gosta de comida.
-Nini acorda.
-Marshall: Eu quero mamão...
-Marshall!
-Marshall: Oi! O que foi? fala! Hã? O que aconteceu?


Ele diz levantando a cabeça do meu colo rapidamente.


-Marshall você estava sonhando.
-Marshall: Estava? Oi pai oi mãe, bom dia.


Ele diz esfregando os olhinhos de maneira fofa e indo abraçar a mãe e beijar a sua bochecha, logo em seguida abraçando o pai e não saindo de lá.


-Marshall: Pai...
-Ziang: O que?


O Marshall estava dormindo no abraço do pai, Khe?


-Marshall: Quentinho...


O tio Ziang e a tia Hellen começam a rir, eu os acompanham fazendo assim o Marshall acordar, definitivamente...Eu acho.


-Marshall: Pai?- Ele ainda estava abraçado ao seu pai.
-Ziang: Sim?
-Marshall: Como eu...? Enfim, bom dia.


Disse dando uma abraço em seu pai e um beijo no mesmo.


-Marshall: Bom dia mamãe.- Diz repetindo o ato.
-Marshall: Bom dia Yo.
-Bom dia.- Falo rindo para ele, ele chega perto de mim e me abraça, sem antes discretamente beijar o meu pescoço.
-Marshall: A gente vai ver a menina?
-Sim.


Ele passa por mim e vai para provavelmente o seu quarto para já se arrumar.


-Ziang: Eu não entendi...Mas tudo bem.
-Hellen: Isso foi engraçado, todo dia ele faz isso?
-Olha tia ele geralmente se lembra das coisas que faz, mas ontem ele realmente parecia cansado...A não espera teve umas 3 vezes que ele acordou, quando a gente ainda estudava no Brasil, ele acordou e foi beber água, isso foi na minha casa, e depois acordou no sofá, pensando que eu que tinha levado ele para lá.
-Ziang: Vocês já se conheciam?
-Sim, com licença vou tomar um banho.


Eles assentem e eu vou para o quarto, encontro a Gabi e a Lola nesse momento...No meu quarto...Ou pelo menos meu pois sou eu que estou dormindo lá.


-Gabi: Bom dia Max!
-Lola: Bom dia!
-Bom dia!- Digo dando um abraço em cada uma e beijando suas bochechas.


As mesma saem correndo e vão para o quarto que elas dividiam, entro no meu quarto e me deparo com uma cena um tanto que...Fofa, fofa demais, vou para a sala e chamo o tio e a tia, os mesmo me seguem ainda sem entender, mas em silêncio até o meu quarto.


O Marshall estava dormindo na minha cama, chupando o dedo com o Lucca deitado sobra a sua barriga...Chupando o dedo.


-Ziang: Amor tira uma foto!


A tia tira uma foto e depois disso começa a gravar um vídeo.


-Hellen: Vai acordar eles!


Faço o que ela pediu, primeiro eu chamo o Lucca, o mesmo me abraça e enlaça suas pernas em minha cintura, sem tirar o dedo da boca, depois de muita insistência, um tanto que engraçada consigo fazer ele acordar para o mundo e sair correndo do quarto morto de vergonha e gritando para que apagassem o vídeo.


-Ziang: Quero ver o Marshall agora!


Tento acordar o Marshall mas o mesmo não deixa, puxo ele de um lado para o outro.


-Nini! Acorda! Nini acorda!


Ele abre os olhinhos e os esfrega de maneira fofa, com o seu cabelo todo bagunçado.


-Marshall: Yo! Dumi!


E volta a dormir, tento o acordar mas ele olha para min de novo com um bico nos lábios e com uma expressão irritada, porém estava fofa.


Ele me puxa pelo braço e eu caio sobre seu corpo, ele me abraça com braços e pernas e assim tenta voltar a dormir.


-MARSHALL LEE ACORDA AGORA SE NÃO A GENTE NÃO VAI PARA O HOSPITAL!


Ele levanta num pulo e corre para o seu quarto, seus pais estavam rindo da situação e logo deixam o quarto.


Eu tomo um bom banho, dessa vez quente, o dia estava um pouco nublado, então decido pegar minha calça preta de couro, meu tênis azul adidas e uma blusa azul, e um colete de couro preto por cima, arrumo meu cabelo loiro e estou pronto, quando desço para tomar café vejo que o único lugar vazio era ao lado do Marshall e o mesmo já estava terminando de comer.


Todos já haviam saído da mesa e eu já estava termiando de comer, o Marshall entra pela porta da cozinha e fica ao meu lado, o encaro.


Ele estava usando uma calça jeans azul, uma bluza preta e o tênis preto, sorri com o fato de estarmos com as mesmas cores mas nas roupas contrárias.


-Marshall: Telepatia um pouco errada não?
-Também acho.


Termino de comer e me despeço de todos e saio com o Marshall, o mesmo disse que queria ir de moto, então fomos até a sua garagem.


-Marshall: Toma.
-Obrigado.
-Ni: Se eu ver algum carro de polícia ou algo parecido eu vou desviar o caminho, eu ainda não fiz os 18 anos.


Diz me entregando o capacete, coloco-o e subo em sua moto, fomos para o hospital e soubemos que já estávamos na hora certa de horário de visita, era 10:15 da manhã.


-Marshall: Queremos ver Júlia Beatriz, senhora...Amanda.
-Amanda: Seus nomes?
-Max Yoshida e Marshall Lee.
-Amanda: Esses nomes não estão na lista de visitantes.
-Marshall: Droga...Por favor deixe-me entrar...
-Amanda: Desculpe, mas isso é contra as regras.
-Marshall: Ok, desculpe o incômodo.


Saímos do hospital e fomos em direção a um café, não estava cheio então decidimos ir para a parte de cima, onde era aberto e não havia ninguém, o céu nublado só deixava o ar mais calmo, caso não fosse pela cara do Marshall.


-Desculpa...Não conseguimos ver ela.
-Marshall: Tudo bem...A culpa não é sua.
-Eu vou pedir um café gelado para nós dois!


Levanto da mesa e vou fazer o pedido, mas assim, não acho que é todo dia que coisas ruins acontecem de uma vez, eu já tive dias assim, muitos, mas eu não imaginava que hoje seria um desses dias...



Notas Finais


Espero que tenham gostado...ATÉ TERÇA!! (Le SuHo gritando saranghae)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...