História A missão de Shadow - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sonic The Hedgehog
Personagens Amy Rose, Cream the Rabbit, Knuckles the Echidna, Miles "Tails" Prower, Shadow the Hedgehog, Sonic The Hedgehog
Tags Aniversário, Dark L, Missões Estranhas, Shadow, Sonic
Visualizações 18
Palavras 4.507
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Famí­lia, Visual Novel
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


* Sonic e CIA pertencem à SEGA.

* A imagem de capa também não é minha, só editei.

* Fanfic feita de fã para fã, sem intenção de lucro.

Yo pessoinhas! Hoje, dia 19 de junho é meu aniversário xD
E também do meu personagem favorito de Sonic, ou seja, o Shadow! E ainda não sei quantos anos ele faz junto comigo :P
Só sei que todo ano, desde que fiz no anterior, vou fazer uma homenagem pra ele e o Sonic =^.^=
É tudo o que tenho a dizer.
Feliz Aniversário pra nós dois (apesar do dia já estar no fim ;-;).

Espero que gostem.

Capítulo 1 - Aquele Dia


Se aquele ouriço pensa que vai fazer alguma de suas pegadinhas com a cara dele, estava azulmente enganado. É o que Shadow pensava. Ambos os rivais estavam a correr por vários locais. Emerald Beach; City Escape; Station Square; Casinopolis; Windy Valley; Speed Highway, etc. O azulão aparecera do nada convidando, ou melhor, quase obrigando de tanto implorar, para que o ouriço negro ajudasse ele com algumas missões por aí. Algumas eram de auxiliar seus amigos, outras, simplesmente ajudar pessoas. O problema é que tudo estava ficando estranho demais. As missões eram tarefas. Teve uma em que ajudou uma senhora de idade a atravessar a rua; imagine só! Shadow the Hedgehog fazendo uma boa ação sem mais nem menos. Noutra, ajudou operários numa construção; ensinou um garotinho de uma escola local a ler um livro que não conseguia; deu comida e água para animais de um abrigo, dentre várias outras. Quando é que a ação de verdade iria começar? Pelo menos Sonic o desafiava, distraindo ambos.

— Alright Shadow. Agora eu recebi uma lista dos nossos amigos. Começando com o Tails. — Sonic anuncia, revelando um papel após fazerem uma coleta de lixo na cidade.

— O que é agora? — O ouriço negro indaga meio impaciente. Era incrível como não mandara Sonic para outro lugar ou lhe dava um soco no estômago. Ele também se sentiu desconfortável com as palavras nossos amigos. Não sabia se todos o viam assim. E sinceramente, Shadow também não. Sonic é muito amigável para seu gosto.

Missão 1 dos amigos: Miles Tails Prower

Objetivo: Teste de novo equipamento aéreo.

— Obrigado pela ajuda. Eu realmente precisava de alguém para experimentar minha invenção mais recente. — Explica Tails feliz.

— No problemo. O que temos que fazer? — Sonic parecia feliz. Isso cheira a aventura.

— Apenas subir neste dirigível e explorar um pouco. Verificarei se algo não acontece via rádio. — Explica a raposa mostrando a máquina.

Um design moderno de cor prata metálico e de aparência inovadora e tecnológica. Tinha as letras do nome de Tails na lateral. Parecia simples e ao mesmo tempo complexo em certos pontos. Sonic assoviou se aproximando e entrando no espaço que cabiam dois lugares, Shadow apenas o seguiu, ansioso para acabar com tudo isso. Mal sabia ele que era somente o começo.

Pelos céus, desfrutaram uma vista esplêndida da cidade e zonas mais afastadas. Shadow apreciou a paisagem; e tudo estava tranquilo pois o azulão não abria muito a boca. Até que a raposa pelo comunicador, os indicou a ir até uma floresta e procurar uma espécie de material para suas engenhocas futuras. E utilizar o dirigível para tal função porque ele é multiuso em vários casos. Ao aterrissarem, se concentram em caçar os objetos pedidos, porém uma surpresa acontece. A invenção toma outra forma como um robô tipo Transformer e sua mira é imediatamente direcionada aos dois ouriços.

— DESTRUIR. FORMA IRRECONHECÍVEL. — Ameaça com sua voz robótica e começa a fuzilar ambos com tiros de balas de fogo; granadas e bombas; lasers.

— Tails! Que diaxos é isso?! — Sonic esbraveja no comunicador. Enquanto isso, Shadow lutava intensamente. A máquina aparentava ser fraca, mas é muito resistente.

— Opa! Esqueci de... Alertá-los sobre... Alguns ajustes que eu tinha que fazer... Antes. — Tails parecia constrangido.

— Sem problemas! Damos conta de boa. Vamos lá Shad! — Sonic vai pra cima do robô ajudando Shadow.

— Não ouse ficar no meu caminho, ouriço. É por sua causa que estou perdendo meu tempo até agora. — Ordena ele sério e impaciente pela adição de mais uma tarefa.

— Er... Provavelmente ele dará um pouco de trabalho. O projetei como uma arma de segurança contra intrusos e inimigos, porém como disse, ainda preciso reajustá-lo. — Tails alerta. E eles continuam a batalha.

Spindashs azuis e amarelos; Homings attacks; chutes e socos. Aquilo estava dando a ação que ansiavam. Até Shadow tentar usar sua Esmeralda.

— CHAOS CONTROL! — Surpreendentemente, o robô consegue ser rápido o bastante para tomar a esmeralda de Shadow. Feito isso, o agarrou rapidamente e o colocou em seu colo como uma criança e começa a dar palmadas nele que foi virado de costas. Sonic automaticamente gargalhou feito uma foca engasgada. Não era todo dia que se testemunhava uma cena dessas.

— Ah! Esqueci também que... Implantei um tipo de personalidade nele para ser mais eficiente nos combates... Er... Só que ele acabou tendo a errada. Acho que foi um erro meu. Desculpe. — Tails escutava as palmadas e também acabou visualizando de uma câmera. Queria rir, contudo não era tão corajoso quanto Sonic para assinar seu atestado de óbito.

— MALDITO! Quando eu me livrar disso, vou fazer você experimentar mais do que a dor e a vergonha! — Urrou Shadow. O azulão se pôs a ajudá-lo e finalmente a invenção descontrolada foi desligada.

A primeira coisa que Shadow fez foi socar a cabeça de Sonic. Ambos partiram para o laboratório da raposa de duas caudas. A invenção não dera defeito nenhum desta vez. Tails se desculpou diversas vezes e lhes recompensou com uma chave misteriosa. Nem ele sabia dizer o que era. Por mais incrível que seja, o ouriço negro não ficara tão furioso com Tails. E os rivais, que agora trabalhavam como uma equipe, rumaram para a próxima tarefa. Shadow podia estar indiferente e sério como sempre, todavia, sua bunda ardia e incomodava.

Missão 2 dos amigos: Knuckles The Equidna.

Objetivo: Polir a Esmeralda Mestre e verificar o que ocorria com ela.

Knux pedindo ajuda com sua esmeralda? Isso era meio estranho. O dever era polir ela. Sem demora, os dois ouriços executaram o ato.

— De testador de máquina, para faxineira... — Shadow reclama sem um pingo de ânimo e neurônios para aturar essa gente doida.

— Continuar reclamando só vai atrasar o fim. Então, Gotta Go Fast Shads. — Sonic manda otimista e divertido, jogando água e sabão no parceiro. Ele realmente não sabe o que é limite. Shadow quis matá-lo pela idiotice, mas optou por querer terminar isso.

Assim o trio deixou a joia mais brilhosa do que nunca. Knuckles não tinha ficado de fora, pois tinha ciúmes da pedra rara e gigantesca. Até brincavam com sua cara. É tanto apego que era capaz de a tratar como sua namorada. De fato, talvez seja, o equidna nunca é visto com uma. Faltava a segunda parte do combinado, porém um tremor os fez cair feito merda no chão. Os “inteligentes” esqueceram que a Esmeralda Mestre sustenta a Angel Island e um pequeno tsunami atingiu os arredores, dando mais trabalho. Pelo menos a joia foi colocada a tempo de não matar ninguém e não causar tanto estragos. A parte dois consistia em cuidar de um enxame de insetos que se apoderavam de todas as folhas e plantas da ilha; de todos os tipos que têm. Algo sem explicação. Primeiro eles tentaram espantar os bichos incômodos, o que só serviu para atiçá-los mais e invadir seus narizes, bocas, orelhas e levar diversas picadas de brinde.

— Chaos... Ngh.. Eek! — Shadow tenta usar seu controle do caos, mas engole vários mosquitos. Sonic riu como sempre, porém logo pagou o preço por isso. — CRIATURAS MALDITAS! CHAOS CONTROL!

Após uma batalha contra a natureza, a inquietação cessou. Sonic e Shadow e também Knuckles tinham inchaços por todo o corpo.

— Obrigado pela ajuda. Não esperava que você também viesse, Shadow. — Knux agradece humildemente.

— Não pense que faço por me importar com você, equidna. Eu prometi proteger as pessoas. — Shadow se explica, querendo manter sua postura de durão e lobo solitário. Knuckles torce o nariz pela resposta e lhes entrega uma outra chave misteriosa, mas igual a primeira. Sonic sentiu uma tensão no ar e se apressou em trazer um clima cômico.

— E valeu por deixar tocar na sua namorada Knuckle Head. See Ya! — Knux estoura de raiva. Ele grita milhares de blasfêmias e xingamentos enquanto os dois ouriços partem para a próxima tarefa.

— E depois dedetizador. Qual será o próximo emprego? — Ironiza Shadow. Ele percebe o azulão olhar a lista de pedidos amigáveis e fica ligeiramente tenso e quieto. Apesar de anormal, Shadow preferia dessa forma, portanto não fez questão de se preocupar.

Missão 3 dos amigos: Amy Rose

Objetivo: Fazer Compras

Agora sim seria sua revanche por aquelas brincadeiras infames e sem graça de Sonic. Todos sabem o quanto o azulão detesta o amor que Amy Rose lhe dedica. Claro que ele não a odeia, apenas não a corresponde e some num piscar de olhos quando escuta a voz dela. Não era surpresa que ele estava tenso em ter que ajudá-la. Estavam parados na porta de sua casa, só precisavam bater, mas Sonic hesitava muito apesar de não ser preciso fazer nada. Amy abriu a porta magicamente como se soubesse quando exatamente chegaram. A ouriça parece ter um radar ou faro próprio para localizar o amado. Sem o deixar respirar, ela se lança em seus braços, assegurando que ele não iria fugir.

— Ah Sonic, quando vai chegar o dia em que colocaremos as alianças no dedo? — Indaga Amy, sonhadora.

— Bom, colocar uma aliança no seu dedo eu posso. — Amy e Shadow olham chocados para o azulão. Ela, piscara pra ver se não estava louca. Isso até Sonic continuar a frase. — Só não garanto que nesse dia vamos estar casados. Pode ser um presente de qualquer dia, você sabe.

Amy ficou meio furiosa e lhe deu uns tapinhas fracos.

— Ai, ai. Você não vai falar qual é a missão? — Sonic pergunta.

— Vocês precisam me ajudar a fazer compras! — Amy responde ainda meio brava. Os dois ouriços se desanimaram no mesmo instante.

— Mas Amy, isso é tarefa para garotas. Por que não chama a Cream, a Rouge, sei lá. — Sonic tenta fazer ela pensar nessa possibilidade. Quem sabe assim não se livrava disso?

— Quando soube que vocês estavam fazendo missões e favores para todo mundo, não pude deixar essa chance escapar! Quem sabe quando vou te encontrar de novo facilmente, querido? — Amy explica carinhosamente morrendo de amores por Sonic após esquecer a raiva. — Eu já estou saindo para o Shopping. Shadow, pode me ajudar a pegar uma coisa com seu Chaos Control?

— O quê? — Shadow estranhou. Amy jamais pediu algo assim. Por que precisa usar a habilidade para algo tão simples? É perigoso. Mas antes dele perguntar, ela o puxou para dentro. Deixando Sonic confuso e plantado com a porta na cara.

— Shadow, é o seguinte. Não vou fazer compras nenhuma. — O ouriço negro estava incomodado com o toque dela, não se sentia confortável quando invadiam seu espaço. — O motivo de eu ter chamado vocês, é que quero passar um tempo romântico com Sonic. Você me ajuda?

— Então, preciso ser um cupido? — Amy assente com os olhos verdes brilhando e implorando. Shadow queria se estapear. Arrumou mais um emprego para botar em seu currículo. Iria ficar de vela enquanto o casalzinho se amava e amassava entre os espinhos. Não que ele ligasse, sempre foi sozinho, só não queria perder seu precioso tempo. Na verdade, seria bom ver o azulão agoniado para desgrudar Amy. —  Okay, mas não farei nada vergonhoso.

Os três se dirigiram ao Shopping. A primeira estratégia da rosada foi escolher uma roupa sensual na frente do ouriço. Já Shadow, não faz a mínima ideia do que sugerir ou fazer. Está por fora de romance. Amy escolheu roupas tão sexys que Shadow imaginou que se inspirou em Rouge nesse quesito. Sonic estava indiferente a tudo e entediado. Não importa o que a ouriça fazia, nada dava certo. Será que Sonic era gay? Dar comida em sua boca; limpar a sujeira de seu rosto delicadamente; até dançaram em uma pista que tinha lá; andar de mãos dadas. Amy parecia mais triste a cada segundo.

— Não sei mais o que fazer, Shadow. Vou ter que obrigá-lo a me dar um pouco de atenção? — Lamenta Amy, sofrendo de amor.

— Eu... Realmente não sei como ajudar. Não sou a pessoa para isso. — Responde Shadow normal, sem desprezar a melancolia da ouriça.

— Sonic, eu não posso ter uma chance? Só uma? — Amy continua a se lamentar. Uma silhueta surge andando em suas direções. Era Sonic, que tinha ido ao banheiro.

— Eu sei disso. — Provavelmente ele escutou tudo. — Só é assustador que Shadow concordou em te ajudar. Mas Amy, sinceramente eu não sei o que sinto por você. Talvez eu não sinta nada, talvez sinta. — A rosada ficou confusa e um brilho de esperança adornava seus olhos. — Olha... Sou péssimo nessas coisas. Eu só... Você precisa me conquistar! — Sonic se atrapalha na escolha das palavras certas. Não queria o ódio dela. — E não tentar me forçar como sempre faz.

— Mas... Eu não suporto só te olhar. — Desabafa ela. Sonic se aproxima da rosada e acaricia sua bochecha. Sem se importar se alguém olhava a cena e sem ligar para Shadow, que como previu, ficara de vela.

— Se estivermos mesmo destinados a ficar juntos, ficaremos. Mas precisa ser verdadeiro de ambas as partes. — Amy corou e sorriu por ter um toque que tanto desejava. E de repente, Sonic beijou sua bochecha. Ambos se despediram. Amy lhes entrega a tal chave enigmática de novo. Shadow revira os olhos pela cena amável do casal antes de verificarem a próxima missão.

Entretanto, alguém esbarrou no ouriço negro e os dois foram ao chão. Ao se levantar, uma mão ofereceu-lhe ajuda, a qual ele recusou, pois é Shadow the Hedgehog. O cara Bad Boy e durão que não precisa de ajuda.

— Você está bem? Eu sou uma desastrada como sempre. Me desculpe. — Essa voz lhe pareceu estranhamente familiar. E Shadow levou um baita susto ao ver quem tinha o derrubado. Seu coração talvez perdeu alguns compassos. Uma ouriça loira de olhos azuis e voz doce.

 — O seu nome é Maria por acaso? — Ele ignorou a questão da desconhecida e por impulso da mente indagou aquilo.

— Ahn? Não, sou Mary the Hedgehog. E você?

— Shadow the Hedgehog. — Responde. Fora apenas uma coincidência confusa. Sonic viu a cena e foi logo se intrometer e atormentar o parceiro.

— Opa, licença moça. O meu amigo e eu estamos com pressa. Mas no problemo! Eu passo o celular dele. Adeus. — Shadow tinha sangue nos olhos e sem poder se controlar, corou perante à moça chamada Mary. Se desculpou, despediu e correu para chutar a bunda de Sonic.

Missão 4 dos amigos: Cream the Rabbit.

Objetivo: Tomar conta dos Chao

— Muito obrigada senhor Sonic e senhor Shadow! — A coelhinha os saudou com sua mania de chamá-los assim.

— Cream, pode me chamar só de Sonic. Saiba disso. Já o meu amigo aqui... Creio que ele é que deva ser chamado de senhor, pois faz sessenta e oito anos hoje. É o aniversário dele. — Sonic ri e recebe um soco na cabeça.

— Sério? Meus parabéns senhor Shadow! — Cream e Cheese parabenizam felizes.

— Não é preciso se lembrar disso. — Argumenta Shadow só um pouquinho constrangido. Ninguém precisava saber dessa data. Porém sendo aqueles dois não faz importância porque são duas crianças obedientes. Não fariam um escândalo ou uma surpresa. Coisa que ele não quer. — Sobre a tarefa...

— Ah sim. Me sigam por favor. — A coelha os levou fora de sua casa, até um jardim feito especialmente para os bichinhos chamados Chao. E estava uma zona. Alguns choravam; provocavam uns aos outros; faziam coisas perigosas; não paravam quietos. Geralmente são comportados, mas hoje por alguma razão, pareciam que algo os desequilibrou. A coelha logo corre ao chegarem no local e socorre os Chao que estavam em piores estados. E depois se virou para dirigir a palavra aos dois ouriços. — Poderiam me ajudar com eles, por gentileza? — Pediu quase suplicando enquanto tentava dar um jeito na bagunça.

— Claro! — Sonic como de costume, foi tomando a frente sem consultar Shadow. Porém o ouriço negro já parara de reclamar, visto que nada adiantaria. Sem falar que ele se habituou a isso. Não era tão mal como pensava.

Realmente era como cuidar de crianças. Faziam birra, se recusavam a obedecê-los. Sonic e Shadow tiveram que alimentá-los; dar banho e brincar.

— Três, dois, um. — O ouriço negro contou regressivamente enquanto escorava numa árvore do jardim e se pôs a procurar os Chao. Uma coisa que jamais imaginou fazer, brincar de esconder. Todavia foi obrigado. Era o único modo de fazer os bichinhos se tranquilizarem.

Cream ficou extremamente feliz e agradecida. E por mais incrível que seja, Shadow achou a missão que teve menos problemas. Isso até a hora deles partirem após os Chao dormirem.

— Nem sei o que dizer, senhor Sonic e senhor Shadow. Muito obrigada. Não sei o que teria feito sozinha. — Cream agradece pela milésima vez.

— Cream, você não toma jeito mesmo. Hehe. — Sonic se referiu à educação que a coelha insistia ter até para amigos íntimos. E acaricia sua cabeça divertidamente. — Esses Chao deram uma canseira na gente, mas foi divertido.

Os três se despedem e os ouriços se preparavam para a próxima tarefa. De repente, antes de saírem do jardim, um Chao veio voando rápido atrás deles choramingando. Ele era tão pequeno, que provavelmente era um bebê. Antes de sequer pensarem no que acontecia com ele, o bichinho se agarrou ao peito de Shadow e o abraçou. O ouriço negro se assustou.

— Mas o quê? — Indagou ele. Ambos os parceiros viram que Cream chegava, correndo atrás do Chao.

— Haa... Haa... Me desculpem. Esse pequeno escapou. — Constrangida e ofegante, ela se desculpa. Em seguida pediu licença à Shadow e tenta tirar o bichinho dele. Porém, estava tão agarrado, que não queria desgrudar de jeito nenhum. Era estranho a força que ele teve para ser separado do ouriço. Somente com a ajuda de Shadow, o bebê foi tirado. Todavia, começou a berrar como se fosse o fim do mundo. Esperneava como louco.

— O que deu nesse? — Sonic questiona curioso e com um palpite na cabeça. Na verdade, achando a cena bonitinha.

— Não faço ideia. Ele nunca foi de fazer isso. — Cream responde. Cheese tentava conversar com o amiguinho, mas ele não dava ouvidos. Num descuido da coelha, o Chao teimoso fugiu de seus braços e agarrou-se à Shadow com mais força.

— Ei, não sou sua mãe se é isso que pensa. — Shadow afasta o pequeno, que sorria mesmo que não estivesse abraçando o ouriço, que o olhou. Notou que o Chao tinha uma chupeta pendurada em seu pescoço, indicando que é um recém-nascido.

— Awn ele gostou de você, Shads. — Sonic ressalta segurando um risinho e recebendo um olhar raivoso.

Shadow entrega o pequeno para a coelha. O Chao se recusava a ir com ela.

— O que se faz a respeito disso? — Shadow indaga incomodado com a cena. Especialmente porque o azulão tirava sarro dele.

— Mil desculpas senhor Shadow. Mas creio que a única solução seria se... O senhor o colocasse para ninar. — Cream responde meio receosa pela reação dele.

Shadow claramente não queria fazer isso. Mas optou por fazer sem demora. Aquele dia estava no fim, é fim de tarde. Pegando o bichinho com uma delicadeza que nem ele sabia que tinha, o embalou de um modo que se sentisse protegido pelo ouriço. E se pôs a balançá-lo em seus braços com um constrangimento. Isso foi suficiente para o bebê Chao fechar os olhos e Cream poder carregá-lo.

— Muito obrigada senhor Shadow. O senhor é muito gentil. — A coelha o elogia. Sonic esboçou um leve risinho e antes de que Shadow a contrariasse sobre ele, ela lhe entregou a mesma chave que todos estavam dando. — Quase me esqueci da recompensa.

— Para que serve isto afinal? — Ele pergunta. Até agora este detalhe nunca parecia ser resolvido.

— Não sei, desculpe. — Cream não soube se esclarecer muito bem.

— Vamos Shad. Só mais uma e estará livre como um passarinho. — Sonic corta o assunto e ambos partem.

Missão 5 dos amigos: Team Chaotix

Objetivo: Ajudar em seu show beneficente.

Estavam num asilo e tudo parecia ser desanimador. Os idosos, reunidos no salão principal do recinto, aguardando algo animador acontecer para expulsar o tédio. Lá estavam o Team Chaotix, Vector, Charmy e Espio. Todos vieram rapidamente.

— Yo amigos! — Vector cumprimenta entusiasmado.

— Hey! Qual a boa? — Sonic responde no mesmo tom, contagiado pela alegria do crocodilo e para desgosto de Shadow. Sonic já é empolgado por natureza, imagine com alguém mais empolgado que ele?

— Estamos aqui para fazer um show beneficente, mas... Espio acabou machucando as mãos e ele era nosso guitarrista. — Explica Vector com medo da reação deles, ainda mais da de Shadow. — E eu me esqueci que estou gripado e isso afetou minha voz. Ou seja... Vocês terão que nos substituir.

— Sem chance. — Responde Shadow indiferente. Mas logo pensa melhor pois Vector fez uma cara de dar dó. — A não ser que Sonic cante.

— A minha voz é um fiasco. Prefiro a guitarra. — O azulão recusa. Cantar não é seu forte. Shadow o olhou como se quisesse enforcá-lo. — C’mon Shads, é só desta vez. Juro.

— É, Shadow, por favor. Há tempos que esperamos uma chance de brilhar como essa. — Vector quase implorava. De seus olhos, caíam lágrimas de crocodilo, no sentido literal da frase.

— Vocês acham mesmo que idosos gostam desse tipo de música? — Shadow indaga para fazê-los desistir da ideia e duvidava que iria agradar os idosos dessa maneira.

— Bem, se nos chamaram... — Charmy, a abelha ressalta. — Mas e aí? Qual sua resposta?

Shadow refletiu. Neste exato momento ele estaria fazendo coisas mais importantes como... Talvez... Nada? Ou sendo um emo. Sim, até ele próprio admitia isso. De fato, seu passado ainda lhe incomodava apesar de ser superado e todas as suas dúvidas sobre ele esclarecidas há muito tempo. Era sete da noite. O dia estava quase no fim, que mais ele teria que fazer? É a última missão.

— Vamos logo com isso. — Se decidiu enfim, criando coragem e subindo no palco junto do azulão.

Ambos encararam o público e os outros lhes falaram a música que tocariam, What a Made of. Shadow não acreditava que estava prestes a fazer isso, mas fez. Sua voz podia não ser a de um ídolo profissional, porém foi o bastante para agradar. E mais incrível ainda foi ver aqueles idosos curtindo o rock como adolescentes energéticos. Na verdade, gostaram tanto que no fim, cantaram seis músicas: Open your Heart; Live and Learn; Endless Possibilities; Reach for the Stars; I am all of Me. Se Shadow realmente fez isso? Sim ele fez. Fora uma noite meio animada. Quem diria que um asilo poderia ser assim?

O Team Chaotix agradeceu ao favor. Vector assistira de camarote o show dos ouriços e se lamentou não poder brilhar, mas todos sabiam que o crocodilo seria vaiado. Shadow finalmente poderia descansar pelo resto do dia. As missões foram todas concluídas. Mas é claro que ainda falta o tal molho de chaves que ganharam dos companheiros.

— E aí Shadow, pronto para abrir sua recompensa de verdade? — Sonic indaga após saírem do asilo.

— Sonic... — O ouriço negro suspira fazendo uma longa pausa. Tinha um palpite a respeito de toda esta situação desde o princípio. — Eu sei que isso tudo é coisa sua.

— Hehe. — Sonic passa a mão entre os espinhos. Também era claro que Shadow iria perceber. E justamente hoje, dia do aniversário dele, o qual passou a se lembrar desde ano passado. O ouriço negro o encarava com um olhar pedindo explicações. — Sabe Shadow, a meio mês atrás, nós invadimos uma das fortalezas do Eggman para impedir seus planos de novo. Mas durante isso, acabamos achando mais informações suas. — Shadow se mostrou agora curioso sobre o assunto. O que mais existia sobre ele? — Na verdade, todas essas chaves. Elas servem para abrir um baú, que tem pertences seus... E da Maria. — Isso provocou susto no ouriço. Ele queria gritar com Sonic. Tudo referente à Maria, mexia com seu psicológico. Porém ele esperou Sonic terminar antes de tomar atitudes. — E eu... Sabendo que seu aniversário estava próximo, guardei essas chaves com cada um pra te presentear.

— Então essas missões... Sonic. — Shadow tinha raiva. Perdera tanto tempo para isso quando ele poderia ter falado das benditas chaves desde que encontrou? Mas sabia que Sonic queria aprontar algo para ele nesse dia.

— Olha, sei que está quase se explodindo e querendo chutar minha bunda, mas você não quer que eu te mostre? — Sonic rapidamente arranja uma coisa inteligente para falar e escapar da ira da forma de vida suprema.

— Se eu quero? Você vai me mostrar isso querendo ou não. — Ordenou Shadow, entre um semblante frio e impaciente.

Assim, os dois se dirigiram para Egg Fleet, uma das fortalezas do Dr. Robotnik. Adentraram uma sala de documentos e Sonic lhe mostrou o baú e o abriu. Shadow se aproximou e viu suas lembranças perdidas. Fotos de Maria que ele tinha esquecido e que ele também estava junto. Seu diário pessoal, que Shadow não leu uma página sequer por respeito aos seus sentimentos, entre alguns outros objetos. Tudo aquilo era nostálgico. E nostalgia é uma emoção confortável até; triste, às vezes melancólica, mas boa. Porém o ouriço negro parou para refletir. Por que Sonic fez isso por ele? Aliás, todos os outros, apesar de ter tido o pequeno trabalho com esses favores? Foi então que Shadow percebeu e admitiu para si.

Eles realmente são seus amigos. E prezam por ele, independente de seu jeito de ser.

— Vamos lá fora. — Shadow chamou Sonic e foram para a frente da fortaleza.

Sem falar nada, Shadow trouxera o baú e o deixou no chão. Pegou sua esmeralda e apontou-a para frente.

— Chaos... Control! — Ativou sua habilidade, fazendo o baú sumir num instante. Sonic se assustou.

— S-Shadow? Ficou maluco? — Indagou em choque. Será que odiou o que o azulão fez?

— Não preciso de bens materiais para me lembrar que Maria foi uma pessoa única. Eu sei que de onde quer que esteja, vai estar comigo. — Explica, um pouco hesitante falando dessa maneira. Parecia meio sentimental demais.

— Ela está orgulhosa e feliz por você. Ajudou várias pessoas. — Sonic ressalta e Shadow concorda pela primeira vez. — Que tal uma corrida até a festa? Digo, se você quiser. Qualquer coisa, eu como o bolo no seu lugar, hehe.

Shadow revira os olhos. Tudo bem fazerem isso, contando que não precisasse chamar muita atenção. Gostava de discrição, mas aceitou celebrar a festinha. Ambos correram com toda a velocidade que possuem, lutando para ultrapassar o outro; se provocando e desafiando o tempo todo. A comemoração iria ser na casa de Cream, que se desculpou por não falar nada sobre a chave, assim como todos. Num certo momento temiam a reação do ouriço negro. Porém ele apenas os reconfortou dizendo estar indiferente a isso. E de repente, uma coisa macia agarra o rosto de Shadow. Era o bebê Chao de antes.

— Parece que você adotou ele Shads, hehe. Ou ele te adotou. — Sonic ressalta, achando isso diferente, pois normalmente os Chao temem o ouriço.

Shadow apenas acariciou o pequeno carinhosamente, que sorriu com a chupeta na boca e continuou preso aos braços dele. O ouriço então aceitou essa gentileza.

Shadow fizera várias missões, porém o que ele percebeu é que ele deveria já ter reconhecido que depois da morte de Maria, ele nunca estaria sozinho realmente. Por mais que ele não seja muito amigável e nem ficassem como amigos comuns, ainda se importavam com ele. Há muito tempo, Shadow the Hedgehog foi acolhido e aceito por todos.


Notas Finais


Ah eu realmente adorei fazer essa fic :3
Beijos e Abraços da Dark - See Ya!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...