História A misteriosa garota da montanha - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alfonso Herrera, Anahí, Christian Chávez, Christopher Uckermann, Diego Boneta, Dulce María, Maite Perroni, Rebelde
Personagens Alfonso Herrera, Anahí, Christian Chavez, Christopher Uckermann, Dulce Maria, Maite Perroni, Personagens Originais
Tags Adultério, Alfonso Herrera, Amor, Anahi, Chaverroni, Christian Chavéz, Christopher Uckermann, Colegial, Dulce Maria, Família, Maite Perroni, Ponny, Rbd, Rebelde, Romance, Viagem, Vondy
Exibições 51
Palavras 922
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 14 - Inimiga


Dulce acordou bem cedo, tomou um banho e voltou para seu quarto. Jamais poderia esquecer a linda noite de amor que teve com Christopher, ela só não contava que a Natália poderia modificar seu futuro. 

- Dulce, como dormiu? - Natália perguntou, falsamente. 

- Eu dormi muito bem, Natália! - respondeu. - Agora, tenho que ir! Ainda tenho muito trabalho. 

- Aposto que dormiu com seu namoradinho, não foi? - a menina impediu Dulce de passar, segurando-a pelo braço. 

- Desculpa, mas isso não te diz respeito! - Dulce respondeu, irritada. - E...e quem te... - suspirou. -... te disse que estou namorando? - perguntou. 

- Desculpa, mas isso não te diz respeito! - Natália respondeu, dando um sorriso cínico e saiu. 

- Ai, tenho que me controlar! - disse ela, para si mesma, cerrando os punhos. 

- Bom dia, amiga! - Zora a cumprimentou. - O que foi, Dul? Aconteceu alguma coisa? - ela perguntou, preocupada.

- Bom dia, Zora! - respondeu. - Eu estou me controlando pra não bater na Natália! 

- Aquela garota adora provocar. Não sei como você aguenta, amiga! 

- Eu sou obrigada, Zorita. Me responda : foi você quem disse pra Natália que estou namorando o Chris? - Dulce perguntou, fitando-a.

- Claro que não, Dul! Eu já nem converso com ela, ainda mais pra contar sobre a vida da pessoa que ela mais odeia. 

- Se não foi você, quem será que foi? - perguntou, arqueando uma de suas sobrancelhas. 

- Eu não faço a mínima ideia, talvez tenha sido o próprio Christopher! - Zora respondeu, pensativa.

- Não, acho que ela deve ter visto nós dois juntos! - ela negou com a cabeça. -Agora, vamos parar com esta conversa.

- Pelo visto, sua noite foi longa, não foi? - ela brincou. 

- Foi sim! Eu vou dormir um pouco. Me cansei muito. - elas riram e Dulce foi para seu quarto. Natália observava de longe, quando vê Christopher entrando no restaurante e se sentando em uma mesa. 

- Bom dia, gatinho! - disse ela, se sentando ao lado dele. 

- Quer sair? Você sabe que não quero falar com você! - ele respondeu, furioso. 

- Sua namorada estava muito feliz! Pelo visto, já conseguiu avançar o sinal. Agora, vamos colocar um ponto final nesta linda história de amor. - afirmou, debochadamente.

- Eu não estou neste seu plano maldito. Eu amo a Dulce e não vou permitir que faça mal à ela, ouviu? - Ucker falou em um tom ameaçador, apertando o braço dela com força, fuzilando-a com os olhos. 

- Quer dizer que engana a garota, quer se vingar dela e diz que a ama? - ela perguntou, tentando livrar seu braço, que aos poucos, ganhava uma coloração vermelha. - Você é bipolar, Christopher Uckermann! 

- Quer saber? Não sou obrigado a ficar ouvindo sua voz! - Ucker se levantou, mas Natália continuou seu discurso. 

- Tudo bem! Vai atrás do amor da sua vida. Só não quero que você sofra nas mãos daquela assassina fria. - disse, deixando cair lágrimas de crocodilo dos olhos. 

- Vale a pena me arriscar! Nem vou perder muito tempo falando com você, com certeza, não sabe o que é o amor, não sabe o que é amar. E quer saber mais? Não sei por quê você implica tanto com ela. Acho que a verdadeira assassina de toda essa história é você. Se me der licença, vou ver minha namorada. 

- Não vai tomar seu café? - Natália perguntou. 

- Não, eu perdi o apetite! Ver coisas nojentas antes do café me dá nojo e dor de cabeça! Eu tenho náuseas. - Ucker se levantou e saiu rapidamente, antes que a menina o impedisse novamente. 

- Se eu fosse você, aproveitaria ao máximo sua vidinha de relacionamento sério com aquela idiota, pois esses dias de glória estão contados. - ela respondeu para si mesma. - A Dulce que me aguarde. Ela não perde por esperar. 

Ucker foi até o quarto de Dulce, encontrando sua namorada dormindo como um anjo. Ele se sentou ao lado dela e beijou o rosto da jovem, que acordou com seus toques. 

- Já dormiu demais, meu amor! - disse ele. 

- Como vai, Chris? Que cara é essa? - ela perguntou, se sentando. 

- Dul, eu preciso te contar uma coisa muito importante! Eu não me importo se vai me odiar por isso, mas preciso te dizer a verdade. - disse, sério,  pegando em uma das mãos dela. 

- Eu estou preocupada agora! O que houve? - Dulce perguntou, fitando-o.

- Eu fiz uma coisa muito ruim com você e sei que será difícil me perdoar. Eu te amo muito e não quero que sofra depois. 

- Tudo bem, Chris! Me diz logo o que você fez. - ordenou.

- Bem... eu... eu... - respondeu, pausadamente, procurando as palavras certas. 

- Licença, Dul! - Zora entrou. - Desculpa, Christopher. Eu não sabia que estava aqui. 

- O que foi, Zora? - Dulce perguntou, observando o desespero da amiga. 

- A Esmeralda... ela... ela sumiu. - respondeu. 

- Como? A Esmeralda sumiu? - ela perguntou, preocupada. Zora assentiu. - Chris, se não se importar, vou caçar minha amiga. - disse ela, saindo atrás de Zoraida. Ucker ficou alguns instantes ali, pensativo, mas ainda tinha que dizer a verdade. Ele teria que correr contra o tempo ou o tempo correria contra ele. Isso seria cruel. Foi para seu quarto relaxar um pouco, tentando esquecer tudo o que Natália falava de mal de Dulce. Tomou um banho frio e dormiu instantes depois. 





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...