História A misteriosa garota da montanha - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alfonso Herrera, Anahí, Christian Chávez, Christopher Uckermann, Diego Boneta, Dulce María, Maite Perroni, Rebelde
Personagens Alfonso Herrera, Anahí, Christian Chavez, Christopher Uckermann, Dulce Maria, Maite Perroni, Personagens Originais
Tags Adultério, Alfonso Herrera, Amor, Anahi, Chaverroni, Christian Chavéz, Christopher Uckermann, Colegial, Dulce Maria, Família, Maite Perroni, Ponny, Rbd, Rebelde, Romance, Viagem, Vondy
Exibições 45
Palavras 1.250
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Bom dia, queridos leitores!
Neste capítulo, a Dulce irá saber de toda a verdade.
Boa leitura!!!

Capítulo 16 - Revelações


Assim que acabou a aula, Christopher seguiu viagem até a reserva, com o objetivo de reencontrar Dulce. Como sempre, o tempo gasto foi de três horas, um pouco mais, devido o trânsito. Logo que chegou, não perdeu tempo e foi atrás de sua namorada, que estava concentrada em mostrar a reserva para os turistas. Quando a jovem avistou Christopher, parou o passeio instantaneamente, indo até ele. 

- Boa tarde, meu anjo! - Ucker falou, cumprimentando-a com um beijo.

- Boa tarde, Chris! - ela respondeu. - E como foi de viagem ? Você deve estar cansado.

- Talvez um pouco, mas sempre compensa! - disse ele. - Só de chegar até aqui e te encontrar com este sorriso, me faz sentir o homem mais feliz de todo o planeta. 

- Obrigada, meu bebê! - Dulce agradeceu, abraçando-o. 

- Eu trouxe um presente pra você! - Ucker pegou um colar com um pingente de coração no bolso de seu paletó e colocou no pescoço de Dulce.  - Este pingente simboliza nosso amor. Eu te amo muito, Dul. - ele afirmou, beijando-a apaixonadamente.

- Obrigada, Chris! Eu também te amo, mas tenho que trabalhar. - ela sorriu, fitando os turistas à sua espera. 

- Quer que eu te acompanhe? - ele perguntou. Dulce negou com a cabeça. - Tudo bem! Eu vou para o hotel. Nos encontramos lá no restaurante. 

- Vai ver um quarto pra você? 

- Sim! Você ainda vai demorar muito. - se despediram com um selinho e Christopher foi para o hotel. Se ajeitou em uma mesa nos fundos, com receio de encontrar Natália. Sorte a dele que não encontrou. Uma hora depois. Nada. Duas horas. Dulce ainda não deu sinal. Horas mais tarde, Christopher estava sentado, esperando sua namorada, quando sente alguém tocar seu ombro com leveza. - Oi, meu amor! Já terminou? - Ucker perguntou, puxando uma cadeira para ela se sentar. 

- Terminei sim! - confirmou. - E você? Conseguiu descansar um pouco?- ela perguntou. 

- Consegui descansar sim! Na verdade, nem me canso muito. - brincou. 

- Bobo! - ela respondeu, sorrindo. - Você é maravilhoso, meu bebê. 

- Quer conhecer meu novo quarto? - Ucker perguntou e ela assentiu, seguindo-o. - Dul, eu quero te levar no meu colégio. Quero que você conheça onde eu estudo. 

- Eu tenho aula, Chris! - exclamou. 

- Eu sei, mas você pode faltar aula por um dia. Ninguém vai reclamar! -Ucker afirmou. 

- Quando vou conhecer seu colégio, mestre da inteligência? - ela perguntou. 

- Qualquer dia desses! Talvez, amanhã mesmo eu levo você, tudo bem? 

- Ok, meu amor! - Dulce assentiu, beijando-o. Ficaram bons momentos namorando. Tudo estava tão perfeito para eles. Ucker levou Dulce até o humilde quartinho dela, mas não podia pensar que Natália pudesse estar planejando o mal, a destruição.

- Eu vou acabar com isso agora, já que o Ucker não tem coragem! - Natália afirmou, chegando perto de onde estavam. Mas ela ouviu uma conversa que a interessou. 

- Amor, quero que fique pronta! Daqui à pouco, vamos viajar. Você irá conhecer meu colégio, o Elite Way School. - ele afirmou. 

- Estou louca pra conhecê-lo, meu anjo. - Dulce respondeu. - Eu vou me arrumar, mas onde vamos dormir? - ela perguntou, pensativa.

- Você vai dormir em minha casa! - disse ele. 

- Chris, você sabe que eu não gosto disso. Seus pais...

- Entendi, minha princesa! Vamos dormir em um hotel, próximo ao colégio, pode ser? 

- Não, não posso aceitar! - ela respondeu. - É muito caro.

- Não, não é caro! - negou. 

- Tem certeza? - perguntou. 

- Tenho! - afirmou. - Se arrume, eu vou te levar comigo. - se despediram e Dulce foi para seu quarto. 

- Quer dizer que vai levar sua namorada assassina no Elite Way School? - Natália perguntou, provocativa. 

- Vou sim, Natália! A Dul é minha namorada e ela precisa conhecer o lugar onde estudo. - Ucker respondeu. - Além do mais, ela não é assassina.

- Tudo bem, Ucker! Boa sorte. - ela respondeu, entrando no hotel. Boa sorte? O que aquilo queria dizer? Mais tarde, Christopher passou no quarto de Dulce e viajaram às sete da noite. Chegaram por volta das dez da noite e descansaram. No dia seguinte, acordaram cedo, se arrumaram e saíram. 

- Aqui é onde estudo, meu amor! -Ucker afirmou, apresentando o Elite Way School para Dulce. 

- É muito lindo, Chris! É enorme. Minha escola não chega nem ao alicerce deste lugar. - Dulce respondeu, admirada.

- Caramba! Ele prometeu e cumpriu. - Christian afirmou. - Como vai, Dulce? 

- Estou bem! Melhor agora. - disse ela. 

- Dulce! - disse Anny. - Vamos! Quero te apresentar o colégio. 

- Oi, Dulce! Faz tempo que não nos vimos. - disse Maite. - O Ucker parece gostar muito de você. 

- Bom dia, meninas! Eu adoraria conhecer melhor este colégio. - Dulce respondeu, seguindo Anny e Maite. - Podem me apresentar? 

- Claro, Dul! - Elas responderam em uníssono. 

                          ****

- Quem te viu, quem te ver, Christopher! - Christian brincou. - Eu nunca pensei que você pudesse nos apresentar uma namorada algum dia. 

- Agora estão vendo! - disse, se gabando.

- Bom dia, meu amor! - Natália o cumprimentou, abraçando-o. - Estava com muitas saudades. 

- Não acredito que está traindo a Dulce, Ucker! - disse Alfonso, saindo sem esperar uma resposta. 

- Eu vou deixar vocês à sós. - Christian afirmou, saindo imediatamente. 

- O que faz aqui, Natália? - Christopher perguntou, furioso. 

- Eu estava com muitas saudades de você, meu amor! - disse ela. 

- O que faz aqui? Como me achou? 

- Eu vim acabar com seu romance com a Dulce, já que não tem coragem! -respondeu. 

- Tá maluca? Será que não entende que... - Dulce o interrompeu. 

- Aconteceu alguma coisa, Chris? - ela perguntou, indo até ele, acompanhada por Maite e Anahí. 

- Eu vou explicar o que aconteceu. - Natália continuava provocando.

- Vai embora, garota! - Ucker pediu, quase implorando. 

- Vocês se conhecem? 

- Nos conhecemos em uma balada! Somos namorados! - ela explicou. - A verdade é que o Ucker e eu planejamos tudo, ele queria se vingar de você, por ter acusado os pais dele de assassinato. Foi muito simples : ele se aproximou de você, fingiu te amar e agora, estamos dizendo a verdade. 

- Como? Isso é verdade, Chris? - Dulce perguntou. As lágrimas em seu rosto demonstrava tamanha dor que sentia. Aquelas palavras doíam como ferida em seu coração. Não podia acreditar que aquilo fosse verídico. 

- Temos um romance, não entendeu? 

- Dulce... eu... eu posso... eexplicar. - Ucker falou, tropeçando nas palavras. 

- É verdade? - Dulce perguntou, fitando-o.

- Você não percebeu, Dulce Maria? - Natália perguntou. 

- Era um plano, mas ...

- Não precisa dizer mais nada, Chris! 

- Dulce, eu planejei sim! Tentei te dizer várias vezes a verdade. Eu me apaixonei por você, Dul! 

- Eu não acredito! Eu me entreguei à você, eu te amei tanto, Christopher! Mas você ... é como seus pais, você não... não tem sentimentos, não se... não se preocupa com a dor dos outros. - Dulce falou, com dificuldades. Seus olhos estavam completamente marejados.

- Não posso acreditar que teve coragem de fazer isso, Christopher! - Anny se pronunciou. 

- Vamos sair daqui, Dulce! - Maite chamou a menina e saíram dali.

- Você não presta, Natália! Eu te odeio. - Ucker empurrou a menina, que caiu contra o chão e saiu, com Christian e Alfonso. 








Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...