História A motociclista. - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Helloween
Personagens Ingo Schwichtenberg, Kai Hansen, Markus Grosskopf, Michael Kiske, Michael Weikath
Tags Helloween, Moto Clube, Motocicleta, Power Metal
Visualizações 8
Palavras 1.085
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu disse que esse cap seria emocionante, mas tive uma mudança de planos, será o próximo capítulo........eu espero, rsrs.

Capítulo 16 - Kapitel Sechzehn.


Fanfic / Fanfiction A motociclista. - Capítulo 16 - Kapitel Sechzehn.

Star acorda com Rambo lambendo o seu rosto, ela faz carinho em seu melhor amigo e se levanta da cama. Seus pais já estavam acordados e faziam um lanche na cozinha, Rambo e Star se junta aos dois.

-O que vai fazer hoje? -Pergunta a mãe de Star.

-Tenho que ir resolver algumas coisas. -Responde Star antes de encher a boca de biscoito.

-Você não vai se juntar aqueça bagunça no centro né? -Indaga o pai de Star.

-Eu vou acabar com aquela confusão. -Responde a motociclista firme.

-Não se envolva nisto filha, é perigoso. -Argumenta a mãe.

-Eu vou ficar bem. Ninguém vai me machucar. -Star se levanta e lava as mãos.

-Você vai de táxi né? -Pergunta sua mãe.

-Claro que não, vou na minha motocicleta. -Responde Star sorrindo.

-E a sua perna? Ainda não deu os cinco meses. -Diz seu pai.

-Minha perna está ótima e eu estou louca para andar na minha motocicleta. - Responde Star.

        A mulata vai até a garagem e retira a capa de cima de sua motocicleta. Ela admira sua Harley, seu espirito motociclista e sua vontade de liberdade invade seus olhos, Star quer muito andar em sua motocicleta. Um pouco de poeira está dobre a moto, mas com certeza vai voar quando estiver na estrada. A morena coloca o colete do moto-clube, prende seus  longos  cabelos cacheados, coloca o capacete e as luvas e sobe em sua Harley Davidson Classic.

      Assim que ela dar a partida o motor faz seu barulho característica. Um enorme sorriso surge no rosto da motociclista.

        Ela começa a andar e assim que está do lado de foea de sua residência, ela acerela a moto e sente o vento bater sobre o seu rosto e a sensação de liberdade e velocidade atinge suas emoções.  As pessoas olhavam feios para Star, alguns até a xingaram, pois os Death Angels estão fazendo uma grande bagunça no centro comercial da cidade. Mas a motociclista não deu bola e seguiu em frente.

        Star pilotou até a sede do motoclube, aonde ela vai encontrar com o Frajola. Assim que ela entra no local, ela ver como o local está destruído. Ela estaciona sua motocicleta na sombra,desce e tira o capacete deixando em cima do banco do passageiro sobre a motocicleta.

-Ainda acha que devemos nos retirar ?-Questiona Frajola.

-Acho. -Responde Star ainda olhando o estrago feito no local.

-Qual seu plano, então? -Pergunta Frajola.

-Liberamos o centro comercial e fingimos que nada aconteceu, reformamos nossa sede e ficamos nas sombras por algum tempo, então quando o nosso rival esquecer, atacamos a sede deles. -Responde Star.

-Quer que fiquemos escondidos ?-Indaga Frajola enfurecido.

-Elemento surpresa, Frajola, eles não estaram esperando e iremos  atacá-los. A mídia terá esquecido de nós e não vamos ser acusados de vingança. -Responde a morena.

-Só pensou nisto? -Pergunta Frajola.

-O tempo que estivermos sumidos da estrada, vamos estar reformando nossa sede,  vamos deixá-la melhor que estava antes. -Responde Star.

      Frajola fica alguns minutos em silêncio, em quanto a morena o observa atentamente.

-Feito  Vamos até o centrol comercial chamar todos de volta. -Diz Frajola se dando por vencido.
 
         Frajola sobe em seu triciclo e sai na frente, Star vai logo atrás. Já no centro comercial, em nenhum momento a mulata tirou o capacete, para não correr riscos de ser reconhecida. Frajola faz um pequeno discurso e depois dar a palavra para a morena dizer o que vão fazer.
 
         Todos começam a guardar suas barracas e depois some em suas motocicletas. Como é regra do moto-clube, Frajola toma a frente do grupo e os restante seguem atrás em fila. Alguns curiosos vaiaram a carriata, porém alguns com medos não esboçaram nenhuma reação.

    Já na sede, todos os integrantes começarama arrumar o local, retirar os objetos quebrados, varrear os cacos de vidros, ver o que ainda está inteiro entre outras coisas. Depois de tudo limpo, pegaram lápis e papel e começaram a desenhar as ideias para uma nova sede. O arquiteto e o paisagista do moto-clube começaram a escrever várias ideias. E uma delas foi escolhida por voltação.

        Começaram a recolher o dinheiro dos integrantes e depois alguns foram comprar os materiais para reformar o local. Star voltou para casa para pegar algumas coisas que sobraram da construção de sua casa que poderia ser utilizado na sede.

      Ao chegar em casa foi recebida por Rambo. Então ela lembrou-se do presente que trouxe para o amigo. Assim que Rambo viu a coleira, começou a pular animado e latir para Star a chamando atenção. Star coloca a coleira no amigo e o leva para dar uma volta. Ele conduzia para aonde queria ir e nem ligou para as broncas que levou da mulata. Depois de algumas voltas, voltaram para casa e almoçaram. Star pegou uma sacola resistente e colocou tudo que encontrou de materias de construção. Tinha cabos de energia, registro de água, lampâdas, tomadas, rejunte entre outras coisas pequenas.

       A morena voltou para a motocicleta e pilotou até sede. Ficaram até tarde arrumando algumas coisas. A motociclista chegou cansada em casa e só queria ir dormir. Star recebe uma ligação.

-Oi Star, como está as coisas ai em Hamburgo?

       Devido ao sono, Star demora assimilar a voz do telefone à uma pessoa conhecida.

-Normal. Tudo voltou ao normal e como está as coisas por ai? Pergunta Star para o vocalista.

-Bem divertidas. - Responde o vocalista.

-E quais os planos seguintes? -Pergunta Star.

-Estamos nos preparando para mais um show e amanha pegamos um vôo para o Japão. -Responde Michael.

-Vai comer barata, escorpião, minhoca, tudo assado lá. -Diz a motociclista gargalhando.

-Mas é claro que.............não vou comer isto, prefiro comer yakisoba. -Diz Kiske entre risos.

             Star ver o telefone apitando, informando que tem outra pessoa te ligando. 

-Preciso desligar, Kiske. -Anuncia Star.

-Tudo bem, tchau, até mais. - Diz Michael.

              A mulata desliga a ligação do vocalista e atende a seguinte.

-Senhorita Schilemberg, aqui é a Luzia do Tribunal de Justiça, você precisa voltar imediatamente para cá, tem um caso que só você pode exercer. Porém, não posso entrar em mais detalhes por telefone, venha imediatamente de preferência hoje ainda.

         A morena fica curiosa em saber qual caso é este que apenas ela pode assumir e que seu substituto não pode. Ela vai para o banheiro, toma um banho e veste sua roupa de trabalho. Pega sua pasta de trabalho e vai a procura de táxi. Em sua cabeça, ela torce para que não tenha esquecido como defender um caso e como ser uma promotora.


Notas Finais


Espero que tenham gostado!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...